Brasil e Argentina: uma História Comparada | Fabio Silvestre Cardoso | Digestivo Cultural

busca | avançada
54003 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 3/5/2005
Brasil e Argentina: uma História Comparada
Fabio Silvestre Cardoso

+ de 15400 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Há algumas semanas, um pouco antes da eleição do novo papa, Bento XVI, muito se falou sobre o caso do argentino preso em gramados nacionais por ter tido conduta racista numa discussão ríspida com um jogador brasileiro. Para muita gente, o caso não seria objeto de grandes discussões se o acusado não fosse argentino. Com efeito, de uns tempos para cá, parece que as pessoas têm levado por demais a sério a suposta rivalidade entre Brasil e Argentina. Digo isso porque, fora dos gramados e das quadras, não há nada que pese na relação entre os dois países - pelo menos até agora (e olha que, se eles têm Kirchner, nós temos Lula). Uma análise comparada acerca da história dos países mostra porque boa parte dessas querelas não possui raiz antiga. Antes, é mais justo afirmar que os dois países, ao mesmo tempo que são tão próximos, são muito distantes um do outro. Na obra Brasil e Argentina: um ensaio de história comparada 1850-2002, (Editora 34, 574 págs.), os autores Boris Fausto e Fernando Devoto se debruçam - comme il faut - na trajetória dos dois países num mesmo período. À primeira vista, o fato de a obra ter um recorte um tanto recente pode trazer a impressão de que o livro deixa de lado eventos cruciais na história dos dois países, sobretudo no que concerne à "fundação" e os primeiros habitantes. Se isso é verdade, é necessário que se diga que se o livro se pretendesse tão abrangente, seria impossível trabalhar sem o recorte histórico.

Afora isso, é preciso observar, ainda, que este não é um apenas mais um livro de história, com o propósito de relatar os meandros da gênese e do desenvolvimento dos dois países. Trata-se, como o próprio título diz, uma obra de história comparada, cujo intento é, em quatro capítulos, sublinhar as diferenças e as semelhanças de ambas as nações ao longo dos últimos 150 anos. Partindo desse pressuposto, o que se vê logo na introdução é uma contextualização a respeito da história comparada. Parece que há uma preocupação, por parte dos autores, em mostrar aos leitores quais são as dificuldades existentes na concepção desse tipo de análise. Com isso, o leitor toma conhecimento na introdução dos objetivos e dos métodos dos estudos comparados.

Se a introdução fica um pouco distante do ensaio em si, com a justificativa sobre a metodologia, desde o primeiro capítulo a obra prima pelo tratamento do tema de maneira direta, sem fugir do seu foco. Aprende-se, assim, que Brasil e Argentina intercalavam os postos de ordem e desordem institucional devido às questões territoriais e de construção do Estado. Isso se materializava no Brasil por ocasião da estranha relação entre a Monarquia e a política nacional, que se pretendia liberal, mas mantinha o regime escravista. Enquanto isso, a Argentina lutava contra a incapacidade de instaurar outras cidades tão fortes como Buenos Aires. Nessa parte, ainda são abordados temas como a expansão econômica dos países durante o período, com dados e informações que explicam financeiramente essa gangorra de altos e baixos.

Adiante, os autores dedicam-se a um tema bastante comentado na trajetória dos dois países, que foi a Tríplice Aliança. Nesse trecho, avalia-se o que significou a Guerra do Paraguai para cada um dos países. Conforme está escrito: "Argentina e Brasil entrariam aliados numa guerra que só teria sérias conseqüências. Visto em termos estritamente econômicos, o conflito foi um total absurdo." Na interpretação dos autores, tratou-se de investir muito dinheiro em uma região marginal do ponto de vista estratégico. Como a campanha foi muito longa, ambos os países gastaram mais do que se esperava nesse conflito, acarretando uma despesa de cerca de 30% do PIB para a Argentina no ano de 1869-1870. Para o Brasil, além das baixas econômicas, houve o surgimento da classe militar que, alguns anos depois, seria a responsável pela destituição da Monarquia como regime político.

Os anos seguintes, segundo analisa a obra, também tiveram suas particularidades no que se refere à economia e à política, ou seja, temas recorrentes quando se trata de um estudo desse porte. Nota-se, assim, que o livro se tornaria monótono se não fosse o aparecimento de fatores que fogem a essas regras, tais como o impacto da imigração e a atuação da Igreja. Sobre o primeiro, percebe-se que a imigração foi fundamental para a formação demográfica e cultural dos países, posto que foi um aspecto "agregador" sob a perspectiva social, por exemplo. Já em relação à atuação da Igreja, sempre de acordo com os autores, constata-se que é a seara onde há mais semelhanças entre os dois países. E isso se deve em boa parte ao fato de tanto Brasil como Argentina serem fiéis propagadores dos preceitos do Vaticano - aliás, uma tradição que perdura até hoje.

Entre todas as análises, a que mais chama a atenção é, sem dúvida, a que faz um intermezzo sobre Getúlio Vargas e Juan Domingo Perón, os líderes que viraram substantivos. Nesse trecho, os perfis políticos dos dois presidentes são apresentados, de modo a fazer compreender a importância de ambos na atuação de Brasil e Argentina. Aqui, é curioso observar como cada um atraía multidões aos seus comícios por vias distintas, pois, ao contrário do que se costuma propalar, Getúlio Vargas só se tornou um líder de massas em 1939, quando já tinha estabelecido o Estado Novo (eufemismo para Ditadura?). Perón, por sua vez, possuía um apelo junto às massas muito maior, fator esse que foi preponderante para sua ênfase nas questões sociais, conforme destacam os autores. Outra semelhança: Getúlio e Perón saíram dramaticamente de seus cargos. O primeiro com um tiro no peito. O segundo saiu do cargo em 1958.

A última parte do livro dedica boa parte de suas páginas a analisar os regimes militares no Brasil e na Argentina a partir de 1968. As diferenças dos regimes são muitas. A começar pelo fato de que, por aqui, as crises que os militares enfrentaram era ínfimas se comparadas à ditadura argentina. Só para se ter uma idéia, a ditadura, lá, foi de 1958 a 1983, com períodos de liberdade. Isso se deve, em parte, ao fato de o peronismo ter tido mais ressonância junto às classes populares, mesmo depois de Perón ter saído da presidência. Já no Brasil, a Ditadura foi conduzida com certa serenidade, apesar de certa luta armada, que, por hora, tem sido propagandeada em película. Como assinalam os próprios autores, a democracia chegou aqui após o andamento do processo de político ("lento, gradual e seguro"). Por lá, o final se deu com a Guerra das Ilhas Falkland (Malvinas). Outro ponto interessante nesse capítulo é a respeito dos governos de Menem e Fernando Henrique Cardoso. Com o auxílio de tabelas e dados estatísticos, há uma ampla interpretação dos processos econômicos, que redundaram no desemprego e, mais recentemente, na ferrenha política dos juros altos.

Brasil e Argentina é um ensaio de rigor metodológico e fôlego conceitual. Não há chutes ou palpites fora de ordem, o que é fundamental numa obra com essas pretensões (de história comparada). Entretanto, para o leitor, o livro pode ser complexo, caso seja encarado de uma vez só, sendo mais recomendável a consulta em doses homeopáticas. Uma dica interessante, nesse sentido, é a utilização do índice onomástico, que facilita a leitura dos diversos aspectos tratados na obra.

Para ir além






Fabio Silvestre Cardoso
São Paulo, 3/5/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. De volta à antiga roda rosa de Elisa Andrade Buzzo
02. Saudade de ser 'professor' de Filosofia de Cassionei Niches Petry
03. Os Doze Trabalhos de Mónika. Prólogo. Sem Alarde de Heloisa Pait
04. Eu blogo, tu blogas? de Fabio Gomes
05. Viagem a 1968: Tropeços e Desventuras (3) de Marilia Mota Silva


Mais Fabio Silvestre Cardoso
Mais Acessadas de Fabio Silvestre Cardoso em 2005
01. Brasil e Argentina: uma História Comparada - 3/5/2005
02. Os Clássicos e a Educação Sentimental - 8/2/2005
03. O século da canção - 5/4/2005
04. Estudo das Teclas Pretas, de Luiz Faccioli - 22/2/2005
05. O Afeto Autoritário de Renato Janine Ribeiro - 22/11/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
4/9/2006
18h08min
este texto está muito bom, muito bem escrito. mas acho q a opinião de outras pessoas devem ser incluidas: o texto está grande e bastante explicativo, mas, na minha opinião, deveria ter imagens com legendas e adentrar mais na História desses dois países... (Eu sou americana e com este texto aprendi mais um pouco sobre o país onde moro há três anos.)
[Leia outros Comentários de nathalia]
22/2/2009
14h52min
O Brasil e a Argentina são, na verdade, como dois irmãos que brigam, brigam muito, mas que na verdade não conseguem viver um sem o outro.
[Leia outros Comentários de Vanderlei Gomes]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




UMA HERENÇA PRECIOSA
JIM STOVALL
SEXTANTE
(2010)
R$ 9,80



O ENSINO DE LINGUAS PARA A COMUNICAÇÃO
H. G. WIDDOWSON
PONTES
(1991)
R$ 20,00



I E II TESSALONICENSES - INTRODUÇÃO E COMENTÁRIO
I. HOWARD MARSHALL
VIDA NOVA
(2006)
R$ 30,00



CONCUBINOS: UNIÃO ESTÁVEL NO NOVO CÓDIGO CIVIL/ ENCAD.
JOÃO ROBERTO PARIZATTO/ AUTOGRAFADO
EDIPA: ED. PARIZATTO
(2002)
R$ 121,90



FUNDAMENTOS SOCIAIS DA EDUCAÇÃO
HÉLIO INFORZATO
NOBEL
(1980)
R$ 10,00



GÊNEROS TEXTUAIS EM CONTEXTO DE VESTIBULAR
JULIANO DESIDERATO ANTONIO E PEDRO NAVARRO (ORGANIZADORES)
EDUEM
(2017)
R$ 25,00



THE MISANTHROPE
MOLIÈRE
METHUEN
(1967)
R$ 20,00



BATISMO NO ESPÍRITO SANTO COMO RECEBÊ-LO
W. V. GRANT
GRAÇA EDITORIAL
(2002)
R$ 8,00



PARA UMA CRÍTICA DA ARQUITETURA
JORGE GLUSBERY
PROJETO
(1986)
R$ 15,00



4000 VORNAMEN AUS ALLER WELT
ALEXANDER BIS ZOE; INES SCHILL
BASSERMANN
(1994)
R$ 65,00





busca | avançada
54003 visitas/dia
1,1 milhão/mês