Estudo das Teclas Pretas, de Luiz Faccioli | Fabio Silvestre Cardoso | Digestivo Cultural

busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O apanhador no campo de centeio
>>> Curriculum vitae
>>> O Salão e a Selva
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> A massa e os especialistas juntos no mesmo patamar
>>> Entrevista com Jacques Fux, escritor e acadêmico
>>> Nuno Ramos, poesia... pois é
>>> Literatura e interatividade: os ciberpoemas
Mais Recentes
>>> Amor de Perdição / Eurico, o Presbítero de Camilo Castelo Branco / Alexandre Herculano pela Círculo do livro (1978)
>>> Carajás de Paulo Pinheiro pela Casa Publicadora Brasileira (2007)
>>> Menopausa de Diversos pela Nova Cultural (2003)
>>> Guia de Dietas de Diversos pela Nova Cultural (2001)
>>> Seguros: Uma Questão Atual de Coordenado pela EPM/ IBDS pela Max Limonard (2001)
>>> O Significado dos Sonhos de Diversos pela Nova Cultural (2002)
>>> A Dieta do Tipo Sanguíneo - A B O AB de Peter J. D'Adamo pela Campus (2005)
>>> Cem Noites - Tapuias de Ofélia e Narbal Fontes pela Ática (1982)
>>> Direito do Trabalho ao Alcance de Todos de José Alberto Couto Maciel pela Ltr (1980)
>>> Manon Lescaut de Abade Prévost pela Ediouro (1980)
>>> A Reta e a Curva: Reflexões Sobre o Nosso Tempo de Riccardo Campa (com) O. Niemeyer (...) pela Max Limonard (1986)
>>> Introdução às Dificuldades de Aprendizagem de Vítor da Fonseca pela Artes Médicas (1995)
>>> Dos Crimes Contra a Propriedade Intelectual: Violação... de Eduardo S. Pimenta/ Autografado pela Revista dos Tribunais (1994)
>>> O Cortiço de Aluísio Azevedo pela Ática (1988)
>>> A Voz do Mestre de Kahlil Gibran pela Círculo do livro (1973)
>>> O Jovem e seus Assuntos de David Wilkerson pela Betânia (1979)
>>> Emília no País da Gramática de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1978)
>>> The Art Direction Handbook for Film de Michael Rizzo pela Focal Press (2005)
>>> A Escrava Isaura de Bernardo Guimarães pela Melhoramentos (1963)
>>> O Grande Conflito de Ellen G. White pela Casa Publicadora Brasileira (1983)
>>> Filosofia do Espírito de Jerome A. Shaffer pela Zahar (1980)
>>> Muito Além das Estrelas de Álvaro Cardoso Gomes pela Moderna (1997)
>>> A Grande Esperança de Ellen G. White pela Casa Publicadora Brasileira (2011)
>>> É Fácil Jogar Xadrez de Cássio de Luna Freire pela Ediouro (1972)
>>> O Espião que saiu do Frio de John Le Carré pela Abril cultural (1980)
>>> A Primeira Reportagem de Sylvio Pereira pela Ática (1988)
>>> Distúrbios Psicossomáticos da Criança de Haim Grunspun pela Atheneu
>>> Aprenda Xadrez com Garry Kasparov de G. Kasparov pela Ediouro (2003)
>>> Poemas para Viver de P. C. Vasconcelos Jr. pela Salesiana Dom Bosco (1982)
>>> A Casa dos Bronzes de Ellery Queen pela Círculo do livro (1976)
>>> Warcraft Roleplaying Game de Christopher Aylott e outros pela Blizzard / Arthaus / wizards (2004)
>>> A Dama do Lago de Raymond Chandler pela Abril cultural (1984)
>>> ABC do Vôo Seguro de Manoel J. C. de Albquerque Filho pela O Popular (1981)
>>> A Relíquia de Eça de Queirós pela Klick (1999)
>>> Manual Completo de Aberturas de Xadrez de Fred Reinfeld pela Ibrasa (1991)
>>> Para Sempre - Os Imortais - volume 1 de Alyson Noel pela Intrínseca (2009)
>>> A Máscara de Dimítrios de Eric Ambler pela Abril cultural (1984)
>>> Rômulo e Júlia - Os Caras-Pintadas de Rogério Andrade Barbosa pela Ftd (1993)
>>> O Nariz do Vladimir de José Arrabal pela Ftd (1989)
>>> Perigosa e Fascinante de Merline Lovelace pela Nova Cultural (2002)
>>> Brincar de Viver de Maggie Shayne pela Nova Cultural (2001)
>>> O Grande Conquistador de Rita Sofia Mohler pela Escala (1978)
>>> Comédias para se Ler na Escola de Luis Fernando Veríssimo pela Objetiva (2001)
>>> As 21 Irrefutáveis Leis da Liderança de John C. Maxwell pela Agir (2007)
>>> Dungeon master guide de Jonathan Tweet / Skip Williams pela Core Rulebook II (2000)
>>> Disfunção Cerebral Mínima de Antonio Branco Lefévre - Beatriz Helena Lefevre pela Sarvier (1983)
>>> Viagem Fantástica II - Rumo ao Cérebro de Isaac Asimov pela Best Seller (1987)
>>> Tpm Número 57 Maio 2009 de Caetano Veloso pela Trip (2009)
>>> Incorporações Imobiliárias de J. Nascimento Franco/ Nisske Gondo pela Revista dos Tribunais (1984)
>>> Cavalo-Marinho no Céu de Edmund Cooper pela Hemus
COLUNAS

Terça-feira, 22/2/2005
Estudo das Teclas Pretas, de Luiz Faccioli
Fabio Silvestre Cardoso

+ de 6100 Acessos

"A vida é um conto cheio de som e fúria", escreveu Shakespeare na célebre peça Macbeth. Esta frase, citada por inúmeros escritores e que foi a gênese do título do romance de William Faulkner, Som e Fúria, também poderia ser a epígrafe do romance Estudo das Teclas Pretas (Ed. Record, 171 págs, 2004), do escritor gaúcho e músico Luiz Paulo Faccioli. Muito simbólico, o nome da obra esconde uma trama repleta de tensões, conflitos, dramas, paixões, sempre pontuada pela música de concerto que não é só trilha sonora, mas também coadjuvante e, em alguns trechos, a personagem principal dessa história. É correto afirmar, ainda, que o autor não se propõe a fazer um livro de iniciação musical utilizando a narrativa para este fim. Trata-se de um detalhe que ocorre naturalmente, assim como o fato de o leitor sentir-se absorvido pelos acontecimentos do livro sem saber a razão, afinal, um livro que tenha a música clássica sugerida logo no título, nos nossos dias, tem tudo para ser professoral ou pedante, como alguns gostam de reclamar.

Desde o princípio, o leitor vai notar que o romance é narrado ora em terceira pessoa, por alguém, portanto, distante dos acontecimentos, ora em primeira pessoa, justamente pela personagem principal da obra, o pianista Paulo Amaro. É a respeito da infância dele que versa a história no início. Nesse período, o autor apresenta os acontecimentos que em boa parte explicam a personalidade taciturna e sombria de Paulo Amaro, bem como o início da paixão dele pela música. No primeiro caso, algumas ocorrências familiares, como a morte da mãe e a ausência do pai, fazem de Paulo uma figura distinta e cujos desejos se mostram assustadores e desprezíveis. É o que ocorre quando ele decide se separar de Vida, uma garota que se aproximara dele e que, com o tempo, se transformara num estorvo. A solução? "Tudo aconteceu muito rápido, e rápido também chegou o remorso. Ele sentiu uma dor aguda ao ver a menina lá embaixo, desmaiada, a cabeça ostentando o tenebroso corte, o sangue saindo farto, empapando-lhe os cabelos". Trata-se de uma lembrança que o acompanhará até o fim do livro. Assim como a Quinta Sinfonia de Gustav Mahler, quando pela primeira vez teve contato com a música erudita, que passaria a ser razão de viver de Paulo. E não foi só isso: "Era a coisa mais triste que eu já tinha ouvido na minha curta existência. Também a mais bela. (...) Tão longe eu estava, lançado pelo forte impulso da recente aventura [de ouvir Mahler], que não senti quando Carlos descansou a mão em minha perna não sei por quanto tempo. Tampouco eu estava preparado para adivinhar qualquer malícia". Dessa experiência, Paulo Amaral tirou a certeza: "foi no inverno de 1971 que decidi tornar-me músico, por obra e graça do Adagietto de Mahler".

Intercalado com a história da infância de Paulo Amaral, surgem outros personagens cruciais no livro: a violinista Lara, recém chegada da Europa, e o maestro Leo Kaufman, um dos mais respeitados músicos da região. Ambos possuem uma ligação fortíssima com a música, não obstante algumas frustrações. Lara, por exemplo, só voltou ao Brasil em virtude de problemas de saúde de seus pais. Seu intuito era permanecer pouco, mas logo se estabeleceu por tempo indeterminado. Já o maestro veio ao Brasil deixando para trás o horror da Alemanha nazista, não sem a angústia e a amargura de ter saído no auge da carreira na Europa. O laço que os une é a música. Com efeito, é a graças a ela que Lara desenvolve um afeto diferenciado para com Kaufman: "Lara encantava-se com a postura a um tempo refinada e viril daquele homem (...) Ela nunca tivera tempo ou paciência para namoros, tampouco deixara qualquer compromisso na Europa, e sentia agora uma certa estranheza ao fazer tais comparações". Na verdade, Lara possui uma paixão latente pelo maestro Kaufman. Em nenhum momento, isso fica explícito, a não ser quando, para fechar o triângulo, Paulo Amaral descobre que pulsa algo mais entre os dois do que a atração pela música. Nesse trecho, é curioso notar que Paulo não toma conhecimento desse sentimento por uma declaração ou atitude de Lara. Antes, é a forma que a violinista interpreta a peça regida pelo maestro: "Paulo Amaro pôs-se a matutar sobre qual seria a paixão que Lara expunha ali sem pudores. E lhe foi tão rápido e fácil descobri-la em Leo Kaufman, que chegou a pensar se não seria loucura de sua mente a perspicácia com que decifrara a trama"

A partir daí, o livro conta o ciclo deste triângulo amoroso. No centro está Paulo Amaral, um pianista virtuose e não menos taciturno que tem sua vida arrebatada pela paixão da violinista Lara e pelo rigor do professor e maestro Leopold Kaufmann. Se fosse aquele poema de Drummond, a história se poderia ser assim: "Paulo ama a violinista Lara, que admira o maestro Leo Kaufmann, que, apesar de casado, não ama ninguém, exceto a música". Contudo, nada é tão simples assim. A começar pelo protagonista, Paulo, que passa a travar um duelo com o maestro pela paixão de Lara. Esse embate se dá no campo da composição, quando o pianista decide ser o aluno especial de Kaufman nesta área. A um só momento, é a oportunidade de alcançar a violinista e também de conhecer melhor aquele por quem Lara nutre uma paixão recôndita. Mas, à medida que a atração de Paulo pela violinista cresce, aumentam os conflitos entre Kaufman e o pupilo. Aqui, graças à narração, ora em primeira, ora em terceira pessoa, o leitor descobre os detalhes da história de maneira mais abrangente. Assim, nos momentos em que Paulo tem a palavra, há uma exaltação das impressões e dos traumas pelos quais ele passa na paixão dolorosa por Lara. Já quando a narração é feita em terceira pessoa, nota-se o foco nas circunstâncias ao redor de Paulo: seus parentes, sua relação com a música e com as apresentações, a percepção do maestro e de Lara em relação a ele. Nesse jogo de espelhos e de vozes, a música parece ser a única a saber por completo a densidade dos conflitos. A maneira como os músicos executam suas peças é um detalhe recorrente no livro.

E são as peças executadas ao longo do romance que expressam a verdadeira força dos acontecimentos. A atração ocasionada pela Quinta Sinfonia de Mahler; a delicadeza da obra de Debussy; o mistério das peças de Béla Bartok; a dedicação obsessiva no toque dos arpejos por Lara. Em Estudo das Teclas Pretas, uma exemplar mostra de um estilo fluente e pungente, Luiz Paulo Faccioli escreve com requinte uma história que poderia ser um emaranhado de clichês. Tal como a música de concerto, o autor dosa força e sutileza, sem deixar que um sobreponha o outro. Por fim, fica a certeza de que a vida, apesar de tudo, é encantadora na sua imperfeição, assim como a Sinfonia Inacabada de Schubert. Uma constatação tão precisa quanto à de Macbeth: "a vida é um conto cheio de som e fúria e vazio de significado".

Para ir além






Fabio Silvestre Cardoso
São Paulo, 22/2/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Meu cinema em 2010 ― 2/2 de Wellington Machado
02. A semente da impunidade de Diogo Salles
03. Deus & Filhos Cia. Ltda. de Adriana Baggio
04. Sobre o Caminho e o Fim de Ricardo de Mattos
05. Anarquia brasileira de Luiz Rebinski Junior


Mais Fabio Silvestre Cardoso
Mais Acessadas de Fabio Silvestre Cardoso em 2005
01. Brasil e Argentina: uma História Comparada - 3/5/2005
02. Os Clássicos e a Educação Sentimental - 8/2/2005
03. O século da canção - 5/4/2005
04. Estudo das Teclas Pretas, de Luiz Faccioli - 22/2/2005
05. O Afeto Autoritário de Renato Janine Ribeiro - 22/11/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PROSPECÇÃO DE JAZIDAS LÍTICAS EM ARQUEOLOGIA: PROPOSTA METODOLÓGICA
ULISSES CYRINO PENHA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 321,00



ASSISTENTES VIRTUAIS INTELIGENTES E CHATBOTS
LEÔNCIO TEIXEIRA CRUZ, ANTONIO JUAREZ ALENCAR, EBER ASSIS SCHMITZ
BRASPORT
R$ 80,00



O EVANGELHO SEGUNDO O FILHO
NORMAN MAILER
RECORD
(1998)
R$ 13,39



ATUALIDADES VESTIBULAR GUIA DO ESTUDANTE
GUIA DO ESTUDANTE - VÁRIOS AUTORES
ABRIL
(2009)
R$ 5,00



A QUESTÃO AMBIENTAL E AS CIÊNCIAS SOCIAIS
IDÉIAS ANO 8 (2) DE 2001
UNICAMP (CAMPINAS SP)
(2001)
R$ 26,82



MÁRIO DE ANDRADE - LITERATURA COMENTADA
JOÃO LUIZ LAFETA
NOVA CULTURAL
(1990)
R$ 5,00



CADERNO DE APOIO ESTATÍSTICA APLICADA À GESTÃO
CRISTINA VILHENA DE MENDONÇA J. CALDEIRA
UNIVERSIDADE ABERTA
(1997)
R$ 73,64



GUIA COMPLETO DO FUNCION DE UMA EMPRESA : MICRO MÉDIA E GRANDE 7239
ROGR BARKI JOSY ALZOGARAY
VOZES
(1985)
R$ 11,00



SEM TEMPO PARA CHORAR
MARILUSA MOREIRA VASCONCELLOS
RADHU
R$ 28,00



RAIO X DO LIVRO ESPIRITA
EURÍPEDES KUHL
ALIANÇA
(2003)
R$ 5,00





busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês