Obrigado, Wander Taffo | Rafael Fernandes | Digestivo Cultural

busca | avançada
75359 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Cia Fragmento de Dança lança seminário “Amor Mundi – Pensando com Hannah Arendt”
>>> Realidade e ficção na Terça Aberta na Quarentena de agosto
>>> OBMJazz: OBMJ lança primeiro clipe de novo projeto
>>> Serginho Rezende é entrevistado por Zé Guilherme na série EntreMeios
>>> TOGETHER WE RISE TRAZ UMA HOMENAGEM ÀS PESSOAS QUE FIZERAM PARTE DA HISTÓRIA DO GREEN VALLEY
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
>>> Meu reino por uma webcam
>>> Quincas Borba: um dia de cão (Fuvest)
>>> Pílulas Poéticas para uma quarentena
>>> Ficção e previsões para um futuro qualquer
>>> Freud explica
>>> Alma indígena minha
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma aula com Thiago Salomão do Stock Pickers
>>> MercadoLivre, a maior empresa da América Latina
>>> Víkingur Ólafsson toca Rameau
>>> Philip Glass tocando Mad Rush
>>> Elena Landau e o liberalismo à brasileira
>>> O autoritarismo de Bolsonaro avança
>>> Prelúdio e Fuga em Mi Menor, BWV 855
>>> Blooks Resiste
>>> Ambulante teve 3 mil livros queimados
>>> Paul Lewis e a Sonata ao Luar
Últimos Posts
>>> Coincidência?
>>> Gabbeh
>>> Dos segredos do pão
>>> Diário de um desenhista
>>> Uma pedra no caminho...
>>> Sustentar-se
>>> Spiritus sanus
>>> Num piscar de olhos
>>> Sexy Shop
>>> Assinatura
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Nelson Freire em DVD e Celso Furtado na Amazônia
>>> Um caos de informações inúteis
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Parei de fumar
>>> Ford e Eastwood: cineastas da (re)conciliação
>>> Amor à segunda vista
>>> O Gmail (e o E-mail)
>>> Diogo Salles no podcast Guide
Mais Recentes
>>> Em Meu Próprio Caminho de Allan Watts pela Siciliano (1992)
>>> Cama de Gato de Kurt Vonnegut pela Record (1991)
>>> A História Secreta de Donna Tartt pela Companhia das Letras (1995)
>>> Os Invictos de William Faulkner pela Arx (2003)
>>> Paralelo 42 de John dos Passos pela Rocco (1987)
>>> Para onde você vai com Tanta Pressa de Christiane Singer pela Martins Fontes (2005)
>>> Carta Sobre o Comércio do Livro de Denis Diderot pela Casa da Palavra (2002)
>>> Rimas da Vida e da Morte de Amos Óz Amós Oz pela Companhia das Letras (2008)
>>> Uma Desolação de Yasmina Reza pela Rocco (2001)
>>> O Fio Perigoso Das Coisas de Michelangelo Antonioni pela Nova Fronteira (1990)
>>> Hacia un Teatro Pobre de Jerzy Grotowski pela Siglo Veintuno (1970)
>>> Este é Orson Welles de Peter Bogdanovich pela Globo (1995)
>>> À Espera do Tempo Filmando Com Kurosawa de Teruyo Nogami pela Companhia das Letras (2010)
>>> Invisible Man de Ralph Ellison pela Penguin (2009)
>>> The Plot Against America de Philip Roth pela Vintage (2005)
>>> Vida, o Filme. Como o Entretenimento Conquistou a Realidade de Neal Gabler pela Companhia das Letras (1999)
>>> Rituais de Sofrimento de Silvia Viana pela Boitempo (2012)
>>> Um Sussuro nas trevas de H. P. Lovecraft pela Francisco Alves (1983)
>>> O Aleph de Jorge Luis Borges pela Globo (1992)
>>> O Deslumbramento (le Ravissement de Lol. V. Stein) de Marguerite Duras pela Nova Fronteira (1986)
>>> O Segredo do Padre Brown de G. K. Chesterton pela Círculo do Livro (1986)
>>> Se Não Agora, Quando? de Primo Levi pela Companhia das Letras (1999)
>>> O compromisso da fé de Emmanuel Mounier pela Duas Cidades (1971)
>>> A Doutrina Secreta - Vol. 6 de Helena Petrovna Blavatsky pela Pensamento (1989)
>>> A Doutrina Secreta - Vol. 2 de Helena Petrovna Blavatsky pela Pensamento (1989)
>>> O Livro Tibetano Dos Mortos de Hans Evans-Wentz pela Pensamento (1989)
>>> Milarepa de Hans Evans-Wentz pela Pensamento (1990)
>>> A Jornada do Herói Vida - Obra Joseph Campbell de Phil Cousineau pela Saraiva (1994)
>>> O Tarô Mitológico - uma Nova Abordagem para a Leitura do Tarô de Juliet Sharman-burke e Liz Greene pela Siciliano (2002)
>>> Curso De Psicologia Geral Vol. IV de A. R. Luria pela Civilização Brasileira (1979)
>>> Breton - Trotski: por uma Arte Revolucionaria Independente de Valentim Facioli (org) pela Paz e Terra (1985)
>>> Manifestos do Surrealismo de André Breton pela Moraes (1969)
>>> Os Cantos de Maldoror de Conde de Lautréamont pela Moraes (1970)
>>> Escritos de Antonin Artaud de Artaud e Claudio Willer (org.) pela Lpm (1983)
>>> Memória de um Amnésico de Erik Satie pela Hiena (1992)
>>> Contos Cruéis de Villiers de Lisle-adam pela Iluminuras (1987)
>>> A Cruzada das Crianças de Marcel Schwob pela Iluminuras (1987)
>>> Moralidades Lendárias Fábulas Filosóficas de Jules Laforgue pela Iluminuras (1989)
>>> Caos - Crônicas Políticas de Pier Paolo Pasolini pela Brasiliense (1982)
>>> Os Jovens Infelizes - Antologia de Ensaios Corsários de Pier Paolo Pasolini pela Martins Fontes (2013)
>>> A Maçã no Escuro de Clarice Lispector pela Francisco Alves (1992)
>>> As Ultimas Palavras do Herege de Pier Paolo Pasolini pela Brasiliense (1983)
>>> Triângulo das Águas de Caio Fernando Abreu pela Siciliano (1997)
>>> Romanceiro da Inconfidência de Cecília Meireles pela Nova Fronteira (1989)
>>> A Importância do Ato de Ler de Paulo Freire pela Cortez (1989)
>>> As Idades da Vida de Romano Guardini pela Quadrante (1997)
>>> Cruz E Sousa E Baudelaire Satanismo Poético de Márie Helene Catherine Torres pela Ufsc (1998)
>>> A Morte dos Deuses de Michel Henry pela Jorge Zahar (1985)
>>> Vida Emocional dos Civilizados de Melanie Klein / Joan Riviere pela Zahar (1962)
>>> Um Simples Livro De Culinária Para As Classes Trabalhadoras de Charles Elmé Franvatelli pela Angra (2001)
COLUNAS

Quarta-feira, 11/6/2008
Obrigado, Wander Taffo
Rafael Fernandes

+ de 3900 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Faleceu no dia 14 de maio de 2008 um grande músico brasileiro: Wander Taffo, um dos fundadores e diretor da EM&T ― Escola de Música e Tecnologia. Guitarrista competentíssimo inspirou muita gente nos anos 80 e começo dos anos 90 com o Rádio Táxi (a música "Eva", sucesso com a Banda Eva, é deles) e Banda Taffo; isso porque apresentava técnicas e abordagens do instrumento não muito conhecidas no Brasil, num momento em que a tecnologia era precária e Internet coisa de ficção científica, ou seja, o acesso a informação era difícil. Foi de uma geração que se formou em bailes e festas, tocando covers. Em São Paulo, eram conhecidos nos anos 70 os eventos no Círculo Militar, entre outros locais, onde tocavam bandas como o Memphis, de Taffo. Numa época em que raros shows internacionais ocorriam no Brasil, tais bandas é que matavam a fome e sede dos fãs de ver ao vivo músicas de Beatles, Led Zepellin e outros grandes nomes do rock. No final dos anos 80 fundou o primeiro IG&T (Instituto de Guitarra e Tecnologia), que não vingou, com proposta parecida da atual empreitada.

Taffo era daquelas pessoas que se aprende a respeitar por suas realizações e opiniões; quando tocava, eu parava para ouvir. E lia suas entrevistas com atenção: se expressava com clareza e inteligência. Sempre prestigiou e incentivou o estudo a sério da música. E gostava que seus alunos procurassem burilar sua identidade. Dizia preferir ouvir de um garoto um solo de três notas de própria autoria do que mil notas perfeitamente copiadas de músicas de algum instrumentista famoso. Para se ter uma idéia do respeito que os músicos tinham por ele, vai um pequeno "causo": certa vez, após um show num festival do qual Wander Taffo era um dos jurados, Herbert Vianna chamou-o no camarim e disse algo como: "Um guitarrista como você tem que ter uma Gibson Les Paul", e lhe deu de presente uma guitarra desse modelo, que era da coleção particular do líder dos Paralamas.


Ouça "Código Morse"

Em 1997 fundou novamente o IG&T, com apoio de empresários e grandes marcas de instrumentos musicais. Dessa vez a empreitada foi um sucesso e gerou a abertura de outros "institutos" (baixo, bateria etc.), que se tornaram a EM&T ― Escola de Música e Tecnologia, situada numa grande estrutura ao lado da estação de metrô Conceição. As matérias que saíram na época deixavam os garotos aspirantes a guitarristas com água na boca: boa estrutura, salas de apresentações, estudos, e vídeo; videoteca, estúdio, loja, instrumentos da melhor qualidade nas salas de aula, professores de nome. Me lembro até hoje da sensação de entrar, em 1998, naquele sobrado na Avenida Indianópolis, que era um paraíso guitarrístico; de conhecer a escola com aquele frio na barriga de que tudo que eu sonhava estava ali, de sentir o cheiro de coisa nova, de admirar o material didático, instalações e de pensar na chance de trombar casualmente com um ídolo.

Não tive um grande contato com Taffo para uma análise mais profunda de sua personalidade e caráter ― é possível achar depoimentos mais relevantes sobre isso. Mas sempre observei seu comportamento na escola, seja com alunos, professores ou fãs, sempre aberto a bate-papos, com humildade e atenção. Nem por isso deixava o rigor de lado: ouvi histórias de que na avaliação do último módulo do IG&T, ele não pegava leve com os futuros formandos, não: exigia qualidade. Recordo de dois momentos com ele, que, se banais numa visão macro, me marcaram muito e tomo como exemplos da dedicação e entusiasmo com que Taffo se portava na escola. Certa vez, perambulando pelo saguão, avistei-o. Meio nervoso, o abordei para fazer uma pergunta sobre amplificadores. Era uma questão meio simplória, retórica; ele, então, sorriu, disse algo como "não é bem assim" e me pediu para acompanhá-lo até a lanchonete, enquanto começava a falar. Chegando lá, foi simpático o suficiente para me oferecer um café; após minha recusa, calmamente finalizou a explicação, dando sugestões de compra. Para o garoto que eu era à época, parecia inimaginável que um mito como aquele poderia ser tão desprendido com apenas um entre tantos outros alunos da escola.

Outro momento ocorreu uns dois anos antes. Meu professor resolveu que os alunos gravariam, cada um, um solo sobre uma base pré-gravada, numa espécie de estúdio caseiro que havia ao lado da administração, ainda no IG&T da Indianópolis. Fomos todos, felizes, levando uma guitarra apenas média que havíamos escolhido em consenso. Taffo estava no tal estúdio, e acabou ficando para nos ver gravar. Não satisfeito, disse "gravem com essa guitarra aqui". E puxou um case imponente, abrindo-o e mostrando uma maravilhosa Gibson Les Paul preta. Eu, um admirador desse modelo, mal podia me controlar ao gravar ― ao tocar! ― com uma delas. E à época grande fã dos Paralamas do Sucesso, quase não me contive ao descobrir que a guitarra com a qual acabara de tocar era a tal Les Paul presente de Herbert Vianna, da história de alguns parágrafos. Taffo ainda foi simpático e incentivou a todos.

Essas simples histórias mostram que o tratamento que Wander Taffo dava a quem estudava na EM&T não se restringia ao "negócio", ao "serviço". Transbordava isso com uma preocupação genuína de quem quer ver a evolução dos aspirantes a músicos, procurando mostrar que a música não se restringia a um ou outro estilo e que o esforço do aprendizado era recompensado com a excelência. E que a busca a ela deve ser permanente. Wander se vai, mas não só deixa sua marca na música, como também uma gigantesca herança no ensino e divulgação de música: a EM&T, que vale, aos amantes da música, pelo menos uma visita. Então fica aqui: obrigado, Wander Taffo. Por suas realizações e inspirações. Sei que há milhares de músicos por aí que também desejariam te dizer isso.


Rafael Fernandes
Sorocaba, 11/6/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020) de Renato Alessandro dos Santos
02. Minimundos, exposição de Ronald Polito de Jardel Dias Cavalcanti
03. A novilíngua petista de Julio Daio Borges
04. O que querem os homens? Do Sertão a Hollywood de Marilia Mota Silva
05. Governo retrógrado, caranguejo ou ximbica? de Valdemir Martins


Mais Rafael Fernandes
Mais Acessadas de Rafael Fernandes em 2008
01. High School Musical e os tweens - 9/1/2008
02. Tritone: 10 anos de um marco da guitarra rock - 10/9/2008
03. Videogame também é cultura - 10/12/2008
04. Blog precisa ser jornalismo? - 9/4/2008
05. 2007 e os meus CDs ― Versão Internacional 1 - 7/5/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
9/6/2008
19h54min
Rafael, fiquei muito feliz ao ler sua homenagem ao Taffo. Mais ainda quando li que ele incentivava seus alunos a criar composições próprias (ainda que fossem poucas e desconexas notas combinadas). A refundação do IG&T foi importante para mostrar como ele era um entusiasta e acreditava no projeto, mas são esses pequenos gestos que descrevem como ele tinha verdadeira paixão pelo que fazia. Afinal, tocar guitarra não é só plugar e sair arranhando. Quem quiser ir longe tem que estudar, se dedicar - mas sem esquecer de buscar uma linguagem própria. Onde muitos se acomodariam em ensinar a reproduzir solos famosos, ele mostrou que sua visão ia muito além.
[Leia outros Comentários de Diogo Salles]
11/6/2008
03h04min
Rafael, muito justa a sua homenagem! Acho que não foram tantas quanto o Taffo merecia, excelente guitarrista que era. Acredito que ele ainda merecerá muitos textos relevantes como o seu. Senti-me estimulado a este comentário por uma triste coincidência: eu chegara no dia 14/05, às 18h30, na EM&T, para um Workshop com o Conrado Paulino, e a secretária deu-me a notícia: "O workshop foi cancelado, assim como todas as aulas, por motivo de luto! O Wander morreu hoje de manhã, ligamos pra você mas não tinha ninguém em casa". Fiquei confuso: o Wander Taffo? Sim. Morreu do coração... Foi um choque, pois faria 54 anos no sábado seguinte! É uma pena quando alguém de tanto talento, referência como músico no seu instrumento (como era o Wander), nos deixa prematuramente. Não o conhecia pessoalmente, e esse workshop na EM&T, a escola de ponta que ele ajudou a criar, seria uma possibilidade para isso. Uma infeliz coincidência, justamente naquele dia! Um grande músico a menos no Brasil e no mundo.
[Leia outros Comentários de Guto Maia]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




COMPARATIVE CRIMINOLOGY: V. 1
HERMANN MANNHEIM
ROUTLEDGE
(1967)
R$ 85,28



POR FORA DA COPA
EDUARDO MENEZES
DUBLINENSE
(2014)
R$ 18,00



SETE FACES DO AMOR
MARCIA KUPSTAS
MODERNA
(1992)
R$ 10,00
+ frete grátis



MARIO, O CAMISA 10
JOACHIM MASANNEK; JAN BIRCK
VIDA E CONSCIENCIA
(2012)
R$ 12,00



MEU MONSTRO DE ESTIMAÇÃO- LEIA DESCRIÇÃO
DICK KING-SMITH
RECORD
(2008)
R$ 9,00



LOUCURA E OBSESSÃO
DIVALDO P. FRANCO
FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA
(1997)
R$ 20,00



AMIGOS DE VERDADE
BRADLEY TREVOR GREIVE
SEXTANTE
(2006)
R$ 8,90



MÉTODOS E TEMPOS - ABORDAGEM GERENCIAL - RACIONALIZANDO A PRODUÇÃO DE BENS E SERVIÇOS
ROBSON SELEME
INTERSABERES
(2012)
R$ 6,00



REFORMA NA PAULISTA E UM CORAÇÃO PISADO
ELISA ANDRADE
OITAVA RIMA
(2013)
R$ 7,90



A ARTE DA GUERRA OS TREZE CAPÍTULOS COMPLETOS
SUN TZU
EDIOURO
(2009)
R$ 20,00





busca | avançada
75359 visitas/dia
2,6 milhões/mês