Bastardos Inglórios e O Caso Sonderberg | Marcelo Spalding | Digestivo Cultural

busca | avançada
39929 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 27/5/2010
Bastardos Inglórios e O Caso Sonderberg
Marcelo Spalding

+ de 6100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

A Segunda Guerra Mundial e os horrores nazistas, especialmente com relação aos judeus, é uma história que a humanidade não se cansa de repetir. Até Tarantino e sua ficção de polpa utilizou uma França ocupada por nazistas como cenário de seu mais recente e quase oscarizado filme, Bastardos Inglórios. Mas a palavra é exatamente esta: utilizado. Tarantino não tem por objetivo contar uma parte, uma versão da história, acrescentar mais uma trajetória particular aos horrores da guerra. Não quer ser como Spielberg em seu belo A lista de Schindler, Benigni no seu premiado A vida é bela, Oliver Hirschbiegel no seu polêmico A queda. Tarantino não tornou-se realista de uma hora pra outra, e o mesmo sangue jorrando na tela de Kill Bill, o mesmo cinismo de Pulp Fiction volta em Bastardos Inglórios.

Na ficção de Tarantino, Hitler morre em uma emboscada organizada por judeus, unidades secretas americanas se mostram tão ou mais violentas que as nazistas, altos oficiais do Terceiro Reich viram personagens planos, quase cômicos. Uma caricatura da história, uma paródia dos filmes de guerra em geral e dos filmes sobre a Segunda Guerra em particular. Festejado pelos cinéfilos e resenhistas de cinema, para a História e a memória sobre a guerra o filme pouco acrescenta, pelo contrário, confunde, descontextualiza e mistura aspectos de forma perigosa, bem ao gosto dos pós-modernos.

Bem diferente é o mais recente romance de Elie Wiesel, O caso Sonderberg (Bertrand Brasil, 2010, 208 págs.). Wiesel é um judeu nascido na Romênia e sobrevivente dos campos de concentração nazistas que recebeu o Nobel da Paz em 1986 pelo conjunto de sua obra de 57 livros, dedicada a resgatar a memória do Holocausto e a defender outros grupos vítimas de perseguições.


Campo de concentração de Buchenwald. Fotografia tirada no dia da libertação
do campo pelas tropas aliadas em Abril de 1945. Wiesel, então com 16 anos,
está na segunda fileira do beliche, de baixo para cima, o sétimo a partir da
esquerda. Fonte: Wikipédia.

O caso Sonderberg conta a história de Yedidyah, um judeu polonês jornalista e crítico teatral que é escalado para acompanhar o julgamento de Werner Sonderberg, jovem estudante universitário alemão acusado de matar o tio durante uma viagem. Judeu e alemão encontram-se nos Estados Unidos contemporâneo, ambos com vidas regulares, esposas, trabalhos, aparentemente sem carregar traumas ou traços da Guerra, que aos poucos vai se mostrando essencial na formação de ambos, mesmo tantos anos depois.

Yedidyah, foco narrativo de toda a história e, em alguns momentos, ele próprio narrador, revelará aos poucos ao leitor que sua família verdadeira, pai, mãe e irmãos, fora capturada pelos nazistas e sua sobrevivência se deve a uma jovem empregada alemã que o levou para sua aldeia como filho bastardo:

"Foi ela que teve a ideia de me separar dos meus pais. Uma noite, alguns dias antes da deportação, ela conseguiu penetrar o gueto e foi ver seus antigos patrões. Propôs-lhes, se necessário, proteger nossa casa contra os ladrões, os abutres. Deram-lhe seu consentimento. Tinham confiança nela. Em seguida, ela lhes fez uma sugestão mais surpreendente: confiar-me a ela, eu, o bebê deles. Estaria adivinhando o que estava para lhes acontecer em um lugar distante? Em nossa pequena comunidade, ainda que boatos assustadores circulassem, nada se sabia. Mas ela achava que uma longa viagem para o desconhecido poderia fazer com que eu adoecesse, eu, que já era agitado, friorento e frágil. Jurou por sua vida e pela de Cristo que ficaria comigo, que cuidaria de mim. Assim que voltassem, eu lhes seria entregue são e salvo."

Do outro lado, saberemos ao longo da história que Sonderberg é neto de um ex-oficial nazista, responsável pela morte de diversos judeus, e que carrega esta culpa a ponto de considerar-se diante do tribunal inocente e culpado ao mesmo tempo. Nas palavras de Yedidyah:

"Olhei para ele com uma espécie de melancolia, compreendendo que, em certo sentido, tive mais sorte do que ele. Eu podia pensar nos meus sem sentir vergonha. Enquanto ele devia continuar a lutar para se desligar do seu passado a fim de encontrar um pouco de paz, ou, pelo menos, de felicidade, na existência. Não seria meu dever ajudá-lo em vez de mantê-lo afastado? Um velho texto hindu veio-me de repente à cabeça: pode acontecer que a terra, ao desabar sob o fardo das paixões e do medo dos seus habitantes, ponha-se a pedir perdão aos deuses por toda a humanidade."

Diferentemente do filme quase oscarizado de Tarantino, no romance não desfilam os protagonistas da Guerra, não há sangue jorrado nem diálogos marcados, apenas a sutileza de um autor ciente de que "o escritor se define por aquilo que cala". O caso do julgamento de Sonderberg em si é apenas história aparente para que o leitor seja apresentado a duas histórias particulares da Guerra, duas cicatrizes ainda abertas de um lado e outro, sem maniqueísmo, sem a possibilidade de se definir culpados e inocentes.

Ficará na minha estante ao lado de A menina que roubava livros e tantas outras tentativas estéticas de preservar uma história terrível, mas que precisa ser contada e recontada com a maior honestidade intelectual possível para que o tempo não transforme fatos em mitos, realidade em ficção, e fatos e realidades voltem a se repetir diante de nossos olhos.

Para ir além






Marcelo Spalding
Porto Alegre, 27/5/2010


Mais Marcelo Spalding
Mais Acessadas de Marcelo Spalding em 2010
01. A quem interessa uma sociedade alienada? - 2/9/2010
02. O hiperconto e a literatura digital - 8/4/2010
03. Free: o futuro dos preços é ser grátis - 11/11/2010
04. Bastardos Inglórios e O Caso Sonderberg - 27/5/2010
05. O espiritismo e a novela da Globo - 30/9/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
27/5/2010
16h22min
Segundo sua crítica, a única forma de se abordar o tema da Segunda Guerra é narrar os fatos que todo mundo já narrou. Tarantino foi original em sua abordagem; criticar o filme baseado justamente nesse aspecto que o diferencia dos demais é, no mínimo, paradoxal.
[Leia outros Comentários de Miguel Lannes Fernan]
31/5/2010
12h28min
É risível e primária a confusão de arte com historiografia, são inúmeros os eventos narrados pela cinematografia com excessos e omissões para atender o interesse do narrador. Um romance histórico, um filme, uma peça correspondem a uma abordagem qualquer sobre um determinado tema ou evento. Talvez você não se recorde de "Primavera para Hitler" e a força como esta representação satírica realinhou olhares de uma outra geração sobre os eventos da guerra. Percebo lateralmente a atitude presente na maior parte da população judia em defender a primazia pelas atrocidades do Terceiro Reich, mas pouco se fala das outras minorias massacradas... Não é discurso antissemita, estou mais para o desengajamento da cinematografia, desobrigada de registrar a crônica nem sempre imparcial das mazelas ocidentais. Ocorrem outras distorções gritantes na descrição das personagens e atos no Oriente Médio, mas a indústria do cinema e a crítica chapa branca tem o conhecimento das regras do jogo.
[Leia outros Comentários de Carlos E F Oliveira]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O DRAMA MILENAR DO CRISTO E DO ANTICRISTO
HUMBERTO ROHDEN
ALVORADA
(1990)
R$ 10,00



HOMENS COM MULHERES 6408
BERNARDO AJZENBERG
ROCCO
(2005)
R$ 10,00



CURSO MODULAR DE DIREITO PROCESSUAL PENAL
TADAAQUI HIROSE E JOSÉ PAULO BALTAZAR JR (ORG
CONCEITO
(2010)
R$ 14,82



RECONCEITUAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL 8801
MYRTES DE AGUIAR MACÊDO
CORTEZ
(1982)
R$ 10,00



O INDIVIDUO NA SOCIEDADE: UM MANUAL DE PSICOLOGIA SOCIAL
DAVID KRECH/RICHARD CRUTCHFIELD/EGERTON BALLACHEY
PIONEIRA / USP
(1969)
R$ 10,00



A NEW HISTORY OF UNITED STATES
WILLIAM MILLER
DELL
(1964)
R$ 13,00



A LINGUAGEM DAS FORMAS - NATUREZA E ARTE EM SHAFTESBURY
PEDRO PAULO GARRIDO PIMENTA
ALAMEDA
(2007)
R$ 15,00



SEXO E AFETO NA TERCEIRA IDADE
ANA PERWIN FRAIMAN
GENTE
(1994)
R$ 10,00



100 POEMAS QUE AMEI
MÁRIO FRIGÉRI
MUNDO MAIOR
(2011)
R$ 12,00



QUÍMICA NA ABORDAGEM DO COTIDIANO 3
FRANCISCO MIRAGAIA PERUZZO
MODERNA
(2006)
R$ 6,00





busca | avançada
39929 visitas/dia
1,1 milhão/mês