O espiritismo e a novela da Globo | Marcelo Spalding | Digestivo Cultural

busca | avançada
86234 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> ZapMusic, primeiro streaming de músicos brasileiros, abre inscrições para violonistas
>>> Espetáculo de dança em homenagem à Villa-Lobos estreia nesta sexta
>>> Filó Machado comemora 70 anos de vida e 60 de carreira em show inédito com sexteto
>>> Série 8X HILDA tem sessões com leitura das peças As Aves da Noite e O Novo Sistema
>>> Festival Digital Curta Campos do Jordão chega a todo o território nacional com 564 filmes inscritos
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgĺrd
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> A TETRALOGIA BUARQUEANA
>>> Bom de bico
>>> Diário oxigenado
>>> Canção corações separados
>>> Relógio de pulso
>>> Centopéia perambulante
>>> Fio desemcapado
>>> Verbo a(fiado)
>>> Janelário
>>> A vida é
Blogueiros
Mais Recentes
>>> De Auschwitz a ClubMed
>>> À propos de Nice (1930)
>>> Sonhos olímpicos nos Lençóis Maranhenses
>>> Lifestyle Media
>>> A voz de Svetlana em Paraty
>>> São João del-Rei
>>> Convite para as coisas que não aconteceram
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Where I End and You Begin
>>> Nós, os afogados, de Carsten Jensen
Mais Recentes
>>> São paulo , políticas públicas e habitação popular de Celine sachs pela Edusp (1999)
>>> Cidade de muros de Teresa pires do rio caldeira pela Edusp (2000)
>>> Por que democracia? de Francisco c weffort pela Brasiliense (1985)
>>> Por que democracia? de Francisco c weffort pela Brasiliense (1985)
>>> Da totalidade do lugar de Milton santos pela Edusp (2012)
>>> Região : espaço ,linguagem e poder de Jean rodrigues sales pela Alameda (2010)
>>> Economia política da urbanização de Paul singer pela Contexto (1998)
>>> Pequena história da agricultura brasileira de Tamás szmrecsányi pela Contexto (1998)
>>> Amêndoa de Nedjma pela Objetiva (2004)
>>> Tatu - Balão de Sônia Barros pela Alegria (2014)
>>> Papai! (Livro infantil) de Philippe Corentin pela Cosac Naify (2014)
>>> Documentos historicos municipais de Valeria agra pela C E H m (2011)
>>> Jurisdição Comunitária de Marcelino Meleu pela Lumen Juris (2014)
>>> O Estado e a Revolução de Lenin pela Expressão Popular (2007)
>>> Pedagogia e estética do teatro do oprimido: Marcas da arte teatral na gestão pública de Dodi Leal pela Hucitec (2015)
>>> Constitucionalismo Latino-Americano: Tendências Contemporâneas de Antonio Carlos Wolkmer , Milena Petters Melo pela Juruá (2013)
>>> Qu'est-ce que la démocratie? de Alain Touraine pela Le Livre de Poche (1997)
>>> Sobre a questão judaica de Karl Marx pela Boitempo (2010)
>>> O direito dos oprimidos de Boaventura de Sousa Santos pela Cortez (2015)
>>> La domination masculine de Pierre Bourdieu pela Éditions du Seuil (2002)
>>> Le citoyen de Marie Gaille (Apres.) pela Flammarion (1998)
>>> Le langage silencieux de Edward T. Hall pela Éditions du Seuil (2000)
>>> O 18 Brumário de Luis Bonaparte de Karl Marx pela Escriba (1968)
>>> Citoyenneté et politiques sociales de Annick Madec; Numa Murard pela Flammarion (1995)
>>> Sociologie de la vie politique française de Michel Offerlé pela La Découverte (2004)
COLUNAS

Quinta-feira, 30/9/2010
O espiritismo e a novela da Globo
Marcelo Spalding

+ de 6200 Acessos
+ 7 Comentário(s)


LIANA TIMM© (http://timm.art.br/)

Acabou mais uma novela da Globo, Escrito nas estrelas, uma novela tão igual e tão diferente das outras. Diferente porque parece consolidar uma abordagem insistente da Rede Globo em relação ao espiritismo, iniciada com a exibição de A Viagem e ampliada agora (só nos últimos anos tivemos também a re-exibição de Alma Gêmea e a produção dos filmes Chico Xavier e Nosso Lar). Poderíamos pensar se tal insistência no tema é uma marca da decadência do catolicismo no nosso país ou uma tentativa da Rede Globo combater o crescimento da Record e seus evangélicos, pois mesmo numa cultura sincrética como a nossa é muito difícil conciliar as crenças evangélicas com as doutrinas espíritas, mas vamos nos ater àquilo que a novela teve de igual a todas as outras, o culto ao materialismo e ao consumismo.

Jovens beldades suspiram por novos pares de sapato, gerando belo merchandising, homens importantes dirigem carros modernos e caros, mãe e filha ficam histéricas diante de joias e todos se admiram com a beleza da mocinha quando em vez de cabelos e roupas naturais ela passa por um hair design e faz compras sem limites num shopping qualquer. Eis os valores que imperam, valores absolutamente conflitantes com aquilo que prega o verdadeiro espírita, como desapego às questões materiais, ao carro da moda, ao cabelo da moda, à roupa da moda. Mais do que a história da vida passada de Valentina e da vida presente de Vitória, a novela tratou da enorme diferença da vida de suburbana de Viviane e da vida de madame de Vitória, agora com novas roupas, novo jeito de andar, de falar, de se portar, consagrando preconceitos sociais arraigados e delimitando uns e outros, os que estão na moda e os que não estão, os vitoriosos e os cômicos (sempre havendo entre eles os bandidos).

Os pares românticos, por sua vez, são formados sempre com belíssimas e jovens mulheres se apaixonando por íntegros e riquíssimos homens. Assim a protagonista da vez, Vitória/Viviane, não por acaso descobre-se alma gêmea do viúvo e milionário Dr. Ricardo, e não do taxista, do motorista, do funcionário da clínica, de alguém comum, como nós. A própria protagonista, aliás, alma gêmea do doutor, é jovem, linda e inteligente, figura fácil de se apaixonar nesta ou em qualquer outra vida.

Ocorre que esse tipo de construção, tão comum nas novelas, faz o telespectador mais cético duvidar dessa história de alma gêmea ou mesmo do amor, afinal ele nunca sentiu algo daquele jeito e se sente frustrado porque seus melhores sentimentos são ou foram destinados a pessoas com muito menos virtudes, dinheiros ou curvas.

Esse maniqueísmo absurdo (ricos e pobres, bons e maus) é muito mais inverossímil do que qualquer contato entre vivos e mortos, do que qualquer reencarnação ou carma. O próprio espiritismo, aliás, quebra o dualismo céu e inferno do catolicismo ao trazer outros tantos destinos possíveis para a vida após a morte, afinal, nenhum de nós será sempre e apenas bom ou sempre e apenas mau, há nuances, há momentos, há fraquezas. E, socialmente falando, parece ainda mais óbvio que não há apenas ricos e pobres, entre eles há uma enorme classe média que, aliás, frequenta casas espíritas e foi assistir ao Nosso Lar, uma classe média tão distante das afetações da mansão do Dr. Ricardo quanto das maracutaias de seu Jofre.

O problema da pasteurização é que a novela contraria valores espíritas que supostamente estariam sendo representados, além de prometer uma comprovação quase científica de algo que não se tem como provar, é apenas uma questão de fé, uma questão de fé tão cega e possível quanto acreditar nada haver além desta vida.

O espiritismo kardecista nada mais é do que uma visão de mundo que se define como filosofia, ciência e religião, e não por acaso surgiu na França do século XIX, o das luzes. A premissa básica é que o espírito é imortal, enquanto o corpo é mortal, e se considerarmos apenas que essa premissa possa ser possível, que depois de morrermos nossa alma ou consciência ou seja lá o que for irá para outro lugar, e não simplesmente se apagará de repente, se considerarmos apenas essa premissa já muda tudo: o acaso dá lugar a uma complexa cadeia de ação e reação que ajuda-nos a intuir algum sentido para a vida e compreender algumas injustiças absurdas que vivenciamos.

Se além desse espírito imortal temos realmente almas gêmeas, se os "mortos" estão ao nosso redor, se podemos vê-los ou ouvi-los, se com a regressão realmente lembramos de outra vida, se há céu ou inferno, se há trabalho no nosso lar ou violetas na janela, isso tudo são suposições, criações e possibilidades dentro de uma premissa básica, esta, sim, realmente importante.

Um verdadeiro espírita como a minha mãe, que, aliás, se emocionou muito com o último capítulo da novela, aquele que mais abordou a vida além da vida, não lembra em nada a apática Jane, a interesseira Sueli nem a perfeita Mariana, personagens, aliás, que como todos os outros (exceção ao Vicente) vão mil vezes mais ao shopping do que a qualquer igreja ou centro espírita, cenários curiosamente inexistentes na novela. Um verdadeiro espírita, acima de tudo, é um verdadeiro cidadão desse mundo, alguém capaz de respeitar o próximo tenha ele a cor, o salário, a crença ou a idade que tiver. E isso, acredito, é muito mais difícil do que encontrar uma alma gêmea, do que abraçar uma fé, do que perdoar.

Tenho certeza que mais novelas e filmes sobre essa temática vão surgir, não apenas porque estão se mostrando lucrativos como também por serem um material farto para a ficção (assim como a Bíblia e o catolicismo, fonte inesgotável da arte há dois mil anos). Só espero que aos poucos os valores e as reais premissas do espiritismo prevaleçam e não se pasteurize demais algo tão complexo, tão difícil e já tão deturpado. Ou, pelo menos, que junto com a pasteurização e o interesse popular venha o interesse real e desarmado da academia e da ciência, áreas que, ao livrarem-se dos preconceitos e reconhecerem suas limitações, teriam muito a contribuir com o espiritismo.


Marcelo Spalding
Porto Alegre, 30/9/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O Carnaval que passava embaixo da minha janela de Elisa Andrade Buzzo
02. Reflexões sobre a Liga Hanseática e a integração de Celso A. Uequed Pitol
03. Os Doze Trabalhos de Mónika. 5. Um Certo Batitsky de Heloisa Pait
04. Os Doze Trabalhos de Mónika. 1. À Beira do Abismo de Heloisa Pait
05. Mais uma crise no jornalismo brasileiro de Julio Daio Borges


Mais Marcelo Spalding
Mais Acessadas de Marcelo Spalding em 2010
01. O hiperconto e a literatura digital - 8/4/2010
02. A quem interessa uma sociedade alienada? - 2/9/2010
03. Free: o futuro dos preços é ser grátis - 11/11/2010
04. Bastardos Inglórios e O Caso Sonderberg - 27/5/2010
05. O espiritismo e a novela da Globo - 30/9/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
1/10/2010
09h34min
Concordo com tudo! Essa novela foi, pra mim, morna e cansativa...
[Leia outros Comentários de Mila]
4/10/2010
07h56min
Nossa, Marcelo, valeu por entender o espírito do espiritismo.
[Leia outros Comentários de Flávia]
4/10/2010
08h41min
O tema - novela de TV - é tão irrelevante que não merece discussão, e a discussão tampouco merece ser alimentada. Abordagem tão simplória quanto as "doutrinas espíritas".
[Leia outros Comentários de Gil Cleber Carvalho]
4/10/2010
10h44min
O espiritismo explicitado no "Livro dos Espíritos" e em outras obras do Hypolite de Leon Denizar Rivail não tem nada a ver com as novelas da TV, assim como a medicina nada tem com o Alan Kardec. Explico: enquanto médico, Alan foi Hypolite. Não misturou nem arriscou a reputação de cientista em troca de um místico filósofo. Separou um do outro com um pseudônimo! A cartomante, que na tal novela tem papel de destaque, não está presente em nenhum centro mediúnico... A novela é feita para divertir, provocar e, principalmente, vender coisas. É assim que funciona. Pobre é feio e rico é bonito (não que eu creia nisso, mas o espectador comum crê). Não há nada de errado em ser bonita, próspero, materialista ou espiritualizado. O cinema americano nos deu "Ghost", o filme. Tem gente séria acreditando em médiuns, vidas "em outros planos", almas gêmeas etc. Assim como tem gente esperta vendendo diversão com esse tema. Apenas negócios e mercados.
[Leia outros Comentários de Raul Almeida]
6/10/2010
00h08min
Boa Noite, Marcelo. A semana passada foi de tal forma "cheia" que só agora pude ler sua coluna, pela qual o cumprimento. O Espiritismo respondeu tão pontualmente as minhas questões existenciais, que não tive outra saída senão aderir. Embora eu concorde com muito do que você escreveu, tenho certa expectativa que a divulgação, mesmo que estabanada, desperte o interesse e leve o público a procurar a Codificação e corrigir por si as informações do senso comum. No final de semana anterior estive num simpósio em São Paulo e fiquei feliz em testemunhar um crescente envolvimento das ciências e da Filosofia com questões como reencarnação, mediunidade e demais experiências espirituais.
[Leia outros Comentários de Ricardo]
11/10/2010
07h57min
Achei esse comentário muito oportuno, Marcelo. O espiritismo "global" não deve ter nada a ver com o espiritismo real. Como a vida normal não costuma ser bolinho para a maioria dos espectadores, principalmente no quesito material e como também existe pouca fé religiosa (não importa a religião), hoje em dia explicações simplistas, de preferência associadas a muito consumismo e muita felicidade material, como você bem observou, tornam-se muito atraentes para as pessoas em geral. Na verdade, o que interessa não é uma vida melhor depois da morte, mas uma vida melhor, segura e protegida por aqui mesmo.
[Leia outros Comentários de Daniela Kahn]
12/8/2011
12h19min
Parabéns Marcelo, sintetizou muito bem os rumos perigosos que a Doutrina Espírita vem tomando últimamente devido à perniciosa intromissão de poderosos meios de comunicação. Levando pessoas leigas, ou de mentes fantasiosas, a autointitularem-se "experts" num assunto que só com muita dedicação e humildade consegue-se alguns frutos!
[Leia outros Comentários de Ademir Rego]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Viva Agora Envelheça Depois
Isadore Rosenfeld
Unesp
(2002)
R$ 10,00



Fim de Viagem, Começo de Vida
Rosa Ghelman
Oficina do Livro (rj)
(2003)
R$ 22,82



Ontem Á Noite era 6ª Feira
Roberto Drummond
Siciliano
(1991)
R$ 5,00



Morte na Rua Hickory
Agatha Christie
Nova Fronteira
(1974)
R$ 10,00



A Vida e Obra de Santo Expedito
Vários
Canaã
R$ 10,00



Terror na Festa - Série Vaga Lume
Janaina Amado
Atica
(2003)
R$ 9,42



Psicologia, Revista da Associação Portuguesa de Psicologia, Viver N...
Alexandre Castro Caldas
Afrontamento
(1988)
R$ 28,32



Os Mortos - Vivos - Volume 01
Robert Kirkman
Hqm
(2006)
R$ 19,90



Señas Diccionario para La Enseñanza de La
Universidade de Alcalá de Henares
Martins Fontes
(2001)
R$ 70,00



Estadística y Su Aplicacion Al Comercio
A. Lester Boddington
Labor
(1936)
R$ 39,00





busca | avançada
86234 visitas/dia
2,1 milhões/mês