Free: o futuro dos preços é ser grátis | Marcelo Spalding | Digestivo Cultural

busca | avançada
79822 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Máscaras Decoloniais: Dança e Performance (edição bilingue)
>>> Prêmio Sesc de Literatura abre hoje inscrições para edição 2021
>>> Jovens negros e indígenas são público-alvo de laboratório gratuito para curtas-metragens
>>> Peças de teatro serão transformadas em “radionovelas”
>>> Concurso literário vai premiar novos escritores locais
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
Últimos Posts
>>> Kate Dias vive Campesina em “Elise
>>> Editora Sinna lança “Ninha, a Bolachinha”
>>> “Elise”: Lara Oliver representa Bernardina
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Que espécie de argumento é uma bunda?
>>> Que espécie de argumento é uma bunda?
>>> 7 de Setembro
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Literatura Falada (ou: Ora, direis, ouvir poetas)
>>> O primeiro mico para o resto de nossas vidas
>>> O feitiço do tempo
>>> Antologia poética, de Carlos Drummond de Andrade
>>> YouTube, lá vou eu
Mais Recentes
>>> Os Filhos Do Amor de Paulinho Santos pela O Artífice (1997)
>>> The 100: os Escolhidos de Kass Morgan pela Galera (2014)
>>> Mônica 82 - Outubro/1993 - Horacic Park de Maurício de Sousa pela Globo (1993)
>>> Mônica 133 - Dezembro/1997 - Férias de Verão de Maurício de Sousa pela Globo (1997)
>>> Mônica 113 - Maio/1996 - Mônica, Não Mande... Peça! de Maurício de Sousa pela Globo (1996)
>>> Mônica 176 - Abril/2001 - Eterna Criança de Maurício de Sousa pela Globo (2001)
>>> A Avaliação Psicopedagogica numa Abordagem Institucional de Carolina Provvidenti pela Qualidade (2010)
>>> Revista Uniclar - Ciências da Religião - ano 8 nº 1 de Vários Autores pela Faculdades Claretianas (2006)
>>> Contagem Regressiva de Ken Follett pela Arqueiro (2018)
>>> Manuel Bandeira - as Cidades e as Musas de Antônio Carlos Secchin Organização pela Desiderata (2008)
>>> Pequeno Segredo - A Lição de Vida de Kat para a Família Schurmann de Heloisa Schurmann pela Agir (2012)
>>> Doidas e Santas de Martha Medeiros pela L&pm (2008)
>>> Pelas Praias do Mundo de Pablo Neruda pela Bertrand Brasil (2005)
>>> Caim de José Saramago pela Companhia das Letras (2009)
>>> Abc de Rachel de Queiroz de Lilian Fontes pela José Olympio (2012)
>>> As Espiãs do Dia D de Ken Follett pela Arqueiro (2015)
>>> Coleção Abc Meus primeiros passos na Leitura e aprendizagem A Estação das Folhas secas o Outono de Malgorzata Strzalkolska pela Salvat (2011)
>>> Arquitetura & construçao--setembro de 2006--dossie cimento de Abril pela Abril (2006)
>>> Arquitetura & construçao--julho de 2008--renove as paredes de Abril pela Abril (2008)
>>> Arquitetura & construçao--março de 2001--pre-fabricada de madeira. de Abril pela Abril (2001)
>>> Arquitetura & construçao--outubro de 2012--como usar e onde comprar madeira sustentavel. de Abril pela Abril (2012)
>>> Os 13 Porquês de Jay Asher pela Ática (2009)
>>> Superando os Desafios Íntimos de Robson Pinheiro pela Casa dos Espíritos (2006)
>>> Sua Alteza Real (Royals 2) de Rachel Hawkins pela Alt (2020)
>>> A República Cantada do Choro ao Funk, a História do Brasil Através da Música de André Diniz e Diogo Cunha pela Zahar (2014)
>>> Uq Holder! - Vol. 5 EAN: 9788545702429 de Ken Akamatsu pela Jbc (2016)
>>> Peça e Será Atendido de Esther e Jerry Hicks pela Sextante (2007)
>>> Uq Holder! - Vol. 4 de Ken Akamatsu pela Jbc (2016)
>>> Mata-me de Prazer de Nicci French pela Record (2002)
>>> O Escaravelho do Diabo 2ªd. de Lúcia Machado de Almeida pela Ática (1974)
>>> Cangaceirismo do Nordeste de Antônio Barroso Pontes pela O Cruzeiro (1973)
>>> Uq Holder! - Vol. 2 de Ken Akamatsu pela Jbc (2016)
>>> Bíblia Sagrada de Não informado pela Presbiteriana (1993)
>>> Gramática Reflexiva de William Cereja e Thereza Cochar pela Atual (2013)
>>> Jornadas.geo: geografia 9º ano de Marcelo Moraes Paula e Ângela Rama pela Saraiva (2016)
>>> Magi: O labirinto da magia - Vol. 25 de Shinobu Ohtaka pela Jbc (2016)
>>> As Aventuras de Tibicuera de Erico Verissimo pela Globo (1997)
>>> I-World 4 de Michael Downie, David Gray e Juan Manuel Jimenez pela Edições SM (2018)
>>> Mulheres do Evangelho de Robson Pinheiro pela Casa dos Espíritos (2009)
>>> To Love Ru - Vol. 16 de Kentaro Yabuki e Saki Hasemi pela Jbc (2018)
>>> Retórica de Aristóteles pela Edipro (2013)
>>> Planejamento na Sala de Aula de Danilo Gandin e Carlos Henrique Carrilho Cruz pela Sem Identificação (1995)
>>> Língua Portuguesa 9 de Everaldo Nogueira, Greta Marchetti e Mirella L. Cleto pela Edições SM (2019)
>>> Quarta-feira de Eric Nepomuceno pela Record (1998)
>>> Araribá Plus - Ciências - 9 de Obra coletiva pela Moderna (2018)
>>> Saúde na Terceira Idade de Hermógenes pela Nova Era (1996)
>>> Estudar História - das origens do homem á era digital - 9º de Patrícia Ramos Braick e Anna Barreto pela Moderna (2018)
>>> Geografia 9º ano de Fernando dos Santos Sampaio e Marlon Clovis Medeiros pela Edições SM (2019)
>>> Logistica e Gerenciamento da Cadeia de Distribuição de Novaes Antonio Galvão pela Campus (2005)
>>> Cavaleiros do Zodíaco - Saintia Shô - Vol. 8 de Masami Kurumada e Chimake Kuore pela Jbc (2016)
COLUNAS

Quinta-feira, 11/11/2010
Free: o futuro dos preços é ser grátis
Marcelo Spalding

+ de 8500 Acessos


LIANA TIMM© (http://timm.art.br/)

O mundo dos negócios vive de ondas, ondas que passam rápido, ditam tendências, rendem alguns milhares ao seu criador e depois se vão. Não que sejam ondas artificiais; na verdade, a velocidade da alternância dessas ondas apenas reflete a velocidade do mundo moderno. E hoje quem está na crista da onda, o mais vendido, mais comentado e talvez um dos mais precisos em suas análises é Chris Anderson, autor de A Cauda Longa e que recentemente lançou Free: o futuro dos preços (Campus, 2009, 288 págs.), seu segundo livro.

Apesar de a capa do livro, na versão brasileira, fazer de tudo para parecer um livro de autoajuda para negócios, citando "gigantes como Google, YouTube e Financial Times", o autor evita a postura de guru e faz um livro entre o acadêmico e o jornalístico, trazendo entrevistas, dados, episódios históricos e atuais que vão ao encontro de sua tese: os preços no mercado digital estão caindo tanto que logo chegarão a zero, e viveremos uma "economia do grátis". Não aquele grátis do século XX, compre um leve dois, ganhe esse celular e gaste fortunas com ligações, ganhe esse exemplar da revista e assine sem saber um compromisso de assinatura. Não, um Grátis real, como já acontece hoje com o Gmail, o YouTube, o Twitter.

"A ascensão da freeconomics, a economia do Grátis, está sendo abastecida pelas tecnologias da era digital. Da mesma forma que a Lei de Moore dita que o preço de uma unidade de capacidade de processamento em um computador cai pela metade a cada dois anos, o preço da largura de banda e da armazenagem está caindo muito mais rapidamente. O que a internet faz é integrar os três, combinando as quedas de preço dos três elementos tecnológicos: processadores, largura de banda e armazenagem. Em consequencia, a taxa de deflação anual líquida do mundo on-line é de quase 50%, o que equivale a dizer que o custo do YouTube para divulgar um vídeo hoje cairá para a metade daqui a um ano. Todas as linhas de tendência que determinam o custo de fazer negócios on-line apontam na mesma direção: para zero. Não é de se surpreender que todos os preços on-line avancem na mesma direção."

Anderson comenta que, ao iniciar seu trabalho, se deparou com dois tipos de pessoas: as com mais de 30 anos e as com menos de 30 anos. Para os que tinham mais de 30 anos esse negócio de "grátis" esconde alguma coisa do consumidor e logo o preço será pago. Já para os que tinham menos de 30, o "grátis" não é nenhuma novidade, não havendo nenhum motivo para se escrever um livro sobre isso. Realmente, no mundo digital, já estamos nos desacostumando a pagar pelas coisas: jornais caríssimos no mundo real liberam seu acesso, músicas são disponibilizadas aos milhões, bibliotecas abrem grande parte do seu acervo acadêmico, jogos multiplayer sofisticados não cobram um centavo do usuário, softwares são disponibilizados aos milhares, sites permitem a publicação e compartilhamento ilimitados de vídeos e fotos , e-mails gigantes são oferecidos sem custo algum.

Essa cultura do Grátis não surge de uma súbita boa vontade dos ricos e poderosos do mundo. Não, há razões técnicas e econômicas para que o Google, por exemplo, ofereça tantos serviços gratuitos na internet: eles querem que você permaneça mais tempo conectado, faça mais buscas e, principalmente, clique mais nos anúncios exibidos em suas ferramentas, ganhando assim mais alguns centavos, que no final do mês se contam aos milhões. E como o custo de armazenamento é muito baixo para a estrutura criada por um gigante como o Google, não há problema algum em oferecer algo Grátis mesmo que você nunca clique em anúncio algum: seu amigo irá clicar, ou o amigo de seu amigo, e por aí vai.

Ou seja ― e esse é o ponto central do argumento de Chris Anderson ―, é possível ganhar dinheiro, e mais dinheiro, com o Grátis. "As pessoas estão ganhando muito dinheiro sem cobrar nada. Não nada por tudo, mas nada pelo suficiente para criarmos uma economia tão grande quanto a de um país de tamanho razoável pelo preço de $0,00".

O autor traz alguns exemplos históricos e atuais de negócios que conseguiram lucrar a partir do Grátis, começando pelo inventor das gelatinas e por King Gillette, que dispensa apresentações. Em resumo, poderíamos dizer que há quatro modelos principais:

Subsídios cruzados diretos: quando uma empresa oferece um aparelho de celular porque vai ganhar com as ligações, por exemplo. Esse é o caso clássico do grátis no século XX.

O mercado de três paticipantes: quando alguém usa o serviço e outro paga, caso clássico da publicidade nos meios de comunicação. Você não paga nada para assistir TV, mas alguém está pagando à empresa em troca de sua atenção no horário comercial. Essa estratégia, que hoje parece óbvia, demorou muito para ser definida como o melhor modelo de negócios para as rádios no seu surgimento, conforme conta bem o autor. E é interessante notar que na internet ela não funciona com a mesma lógica que na grande mídia: aqui em geral as empresas cobram por clique, por resultado, e não um alto valor único pela exibição de um anúncio.

Freemium: este talvez seja o mais revolucionário modelo de negócios para o grátis: há duas versões do mesmo produto, a versão grátis e a versão paga. Na versão grátis o usuário em geral pode fazer muita coisa, mas se ele estiver muito adaptado ao programa, ou jogo, ou site, talvez ele aceite pagar alguns dólares para ter novas funções ou alguns privilégios. É como se uma danceteria permitisse a entrada grátis para todo mundo, mas cobrasse pela área VIP. Claro que no exemplo da danceteria seria um caos, afinal dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço, mas como bits não são corpos, na internet o espaço de armazenamento é quase grátis, e é por isso que o Club Penguim, o Hattrick e o Ikariam, por exemplo, podem ser jogados sem pagarmos nenhum centavo.

Mercados não monetários: qualquer coisa que as pessoas resolvem dar sem expectativa de pagamento. É o caso da Wikipedia. Em geral há uma fundação ou governo por trás para sustentar esse mercado, mas também pode ser apenas uma estratégia de isca: uma corretora de valores pode ter um belo portal com notícias sobre a Bolsa para atrair consumidores e expor seus serviços, por exemplo.

Grandes empresas, as citadas pelo livro, provaram que esses modelos de negócios podem ser mesmo muito lucrativos, pois além de resultado financeiro eles rendem dois dividendos que Anderson reputa como extremamente importantes na era digital: atenção e reputação. Basta vermos o valor de mercado do Facebook e do Twitter, totalmente desproporcional ao que conseguem faturar com seus produtos. Mas o autor apenas insinua, sem entrar em detalhes, que para as pequenas empresas, para os habitantes de sua cauda longa, a situação não é tão simples.

Ocorre que na internet as marcas que lideram seus segmentos acabam sendo quase monopólios, criando empresas gigantescas com as quais é muito difícil concorrer. Conte nos dedos: Microsoft, Apple, Google, Sun, Yahoo!, Amazon, eBay, PayPal, Facebook, Twitter e por aí vai. Isso se dá por causa da escala; nesse tipo de negócio, quanto mais você puder trabalhar em escala (com milhões de usuários e não milhares), mais diluído ficarão os custos fixos (mais próximos de zero) e a receita daqueles que pagarem serão suficientes para gerar receita, receita essa que permite altos investimentos em pesquisa, desenvolvimento e publicidade, atraindo ainda mais usuários e realimentando o processo.

Não por acaso a última frase do livro é: "os empreendedores da Web precisam inventar não somente produtos que as pessoas adorem, como também produtos pelos quais elas pagarão. O Grátis pode ser o melhor preço, mas não pode ser o único". Curioso, nesse aspecto, que o próprio livro de Anderson no Brasil não seja disponibilizado gratuitamente. Porque no livro ele cita diversas vezes sua própria experiência, dizendo que a obra está disponível em versão e-book, à venda em PDF ou na versão impressa, porque sua principal fonte de receita são palestras customizadas a determinada empresa ou instituição que queira contratá-lo. Agora, no Brasil, se você acessar a versão do Scrib do livro, verá a antipática mensagem: "Sorry, this content is geographically restricted".

Mais do que atrapalhar os argumentos do próprio livro de Anderson, essa estratégia mostra como nossas editoras estão despreparadas para lidar com o mercado digital, agindo como as jurássicas gravadoras de CDs e DVDs, insistindo em manter indústrias físicas centradas em meia dúzia de privilegiados e dificultando o surgimento de um mercado digital amplo e diversificado. Mas isso é outra história que abordarei em uma outra coluna.

Nota do Editor
Leia também "A polêmica em torno do Free, de Chris Anderson" e "O Free, de Chris Anderson".

Para ir além


Marcelo Spalding
Porto Alegre, 11/11/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O dia que nada prometia de Luís Fernando Amâncio
02. Amy Winehouse: uma pintura de Jardel Dias Cavalcanti
03. Teoria dos jogos perdidos de Vicente Escudero
04. Simplesmente tive sorte de Daniel Bushatsky
05. Cupido era o nickname dele de Ana Elisa Ribeiro


Mais Marcelo Spalding
Mais Acessadas de Marcelo Spalding em 2010
01. O hiperconto e a literatura digital - 8/4/2010
02. A quem interessa uma sociedade alienada? - 2/9/2010
03. Free: o futuro dos preços é ser grátis - 11/11/2010
04. Bastardos Inglórios e O Caso Sonderberg - 27/5/2010
05. O espiritismo e a novela da Globo - 30/9/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Ritos de Passagem de Nossa Infância e Adolescência
Fanny Abramovich
Summus
(1985)
R$ 15,00



A lição final
Randy pausch
Agir
(2017)
R$ 19,00



O Coruja
Aluísio Azevedo
Global
(2008)
R$ 5,00



Viva Com Esperança
Mark Finley e Peter Landless
Casa Publicadora
(2014)
R$ 5,00



Confissões de uma Ex
Lynda Curnyn
Harlequin
(2006)
R$ 12,00



O Segredo de Uma Familia Feliz
Watch Tower Bible
Sociedade Torre de Vigia
(1996)
R$ 5,00
+ frete grátis



Atividades na Pré Escola
Idalina Ladeira Ferreira e Sarah P. Souza Caldas
Saraiva
(2003)
R$ 9,90



Cat & Mouse
James Petterson
Little Brown And Company
(1997)
R$ 12,00



Porta dos Fundos
Fábio Porchat, Gregorio Duvivier
Sextante
(2013)
R$ 20,00



A Gnose Cristã Do Século XX
Samael Aun Weor
Edisaw
(2010)
R$ 45,00





busca | avançada
79822 visitas/dia
2,4 milhões/mês