Nosso Lar | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
34641 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Rosangela Lyra lança canal sobre política no YouTube
>>> Andrea e Bia Jabor fazem a Festa da Árvore neste domingo!
>>> Alfabetização visual comemora 10 anos com mostra de fotografias feitas por pessoas com deficiência
>>> Musical jovem AVESSO reestreia em janeiro e traz fortes emoções no conflito de gerações
>>> Leandro Sapucahy comanda Reveillon 2019 no Jockey Club/RJ
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As palmeiras da Politécnica
>>> Como eu escrevo
>>> Goeldi, o Brasil sombrio
>>> Do canto ao silêncio das sereias
>>> Vespeiro silencioso: "Mayombe", de Pepetela
>>> A barata na cozinha
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O Voto de Meu Pai
>>> Inferno em digestão
>>> Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos
Colunistas
Últimos Posts
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
Últimos Posts
>>> Canções de amor
>>> A verdade? É isso, meme!
>>> Ser pai, sendo filho - poema
>>> A massa não entende
>>> ARCHITECTURA
>>> Os Efeitos Colaterais do Ano no Mundo
>>> A Claustrofobia em Edgar Allan Poe - Parte I
>>> Casa de couro V
>>> Heróis improváveis telefonam...
>>> Um lance de escadas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Cantiga de amigo
>>> Um repórter a mil calorias por dia*
>>> Bill Evans Trio on Jazz 625
>>> Poesia, Crônica, Conto e Charge
>>> Os Vingadores versus... Collin Powell
>>> Um Coração Simples, de Flaubert, por Milton Hatoum
>>> A Virada, de Stephen Greenblatt
>>> A Virada, de Stephen Greenblatt
>>> Goeldi, o Brasil sombrio
>>> Por que a beleza importa
Mais Recentes
>>> As Aventuras de Popeye de E. C. Segar pela Presença (1973)
>>> Paulette de Wolinski e G. Pichard pela Grilo (1973)
>>> As Férias de Iznogud de Goscinny e Tabary pela Rge (1968)
>>> A vida literária no Brasil durante o Romantismo de Ubiratã Machado pela Eduerj (2001)
>>> As Aventuras do Califa Harrum Al Mofadah o Grão-vizir Iznogud de Goscinny e Tabary pela Record (1987)
>>> O Amigo da Onça - A Obra Imortal de Péricles pela Busca Vida (1987)
>>> A Vida do Super Homem: de Krypton à Terra, a Espetacular Saga do Maior de DC Comics pela Ebal (1983)
>>> Dr. Macarra: um Playboy na Feb de Carlos Estêvão pela Record (1981)
>>> Help! - Sistema de Consulta Interativa - História do Brasil de Laura Tetti (coord.) pela O Estado de S. Paulo (1997)
>>> Amantes e Cartomantes de Paulo Centenaro pela Editado pelo Autor (2001)
>>> Minha Vida - Uma Vida com Desafios Vale a Pena Ser Vivida de Marcus Nogueira pela O Lutador (2018)
>>> Ratobúrguer de David Walliams pela Intrínseca (2013)
>>> Superação de Hermógenes pela Record (1982)
>>> Terapia do Conto - Para Curar o Coração de Paula Furtado pela Girassol (2012)
>>> Novos Roteiros em Educação de Krishnamurti pela Cultrix (1980)
>>> Histórias Bilíngues - Cinderela de Marcela Grez pela Girassol Brasil Edições (2013)
>>> Haja luz de Ponte para a liberdade pela Ponte para a liberdade (2005)
>>> Disney Frozen Magical Story de Disney Enterprises pela Parragon Books (2015)
>>> Pai Patrao & Recanto - Romance Italiano impecável! de Gavino Ledda pela Berlendis & Vertecchia (2004)
>>> Sonhos Em Amarelo - O garoto que não esqueceu Van Gogh de Luiz Antonio Aguiar pela Melhoramentos (2007)
>>> O Pequeno Assassino de Bradbury pela L&PM (1991)
>>> O olho do furacão de Murillo Nunes de Azevedo pela Civilização brasileira (1973)
>>> O Estranho Mundo de Zé do Caixão de José Mojica Marins / R. F. Lucchetti / Nico Rosso pela L&PM (1987)
>>> Roma Antiga de Martin César Feijó pela Ática (1994)
>>> Serm Asas ao Amanhecer de Luciana Scotti pela Melhoramentos (2003)
>>> Poesia Africana de Lingua Portuguesa de Livia Apa, Maria Daskalos pela Lacerda (2003)
>>> El plano astral y el plano mental de C. W. Leadbeater pela Teorema (1986)
>>> Memoria, politica y pedagogia de Graciela Rubio Soto pela Lom (2013)
>>> Mulheres Apaixonadas de D. H. Lawrence pela Abril Cultural (1979)
>>> Histoire de Ma Vie de George Sand pela Stock (1949)
>>> Lolita de Vladimir Nabokov pela O Globo (2003)
>>> Cuentos de la Alhambra de Whashington Irving pela Padre Suarez (1967)
>>> Libro de Manuel de Julio Cortázar pela Bruguera (1981)
>>> A Incrível e Triste História de Cândida Eréndira e sua Avó Desalmada de Gabriel garcia Márquez pela Círculo do Livro (1975)
>>> Le Communisme Utopique, Le Mouvement de Mai 1968 de Alain Touraine pela Seuil (1972)
>>> Dicionário Ediouro Espanhol - Português Português - Espanhol de Éverton Florenzano pela Ediouro
>>> Les Structures du Hasard de Jean-Louis Boursin pela Du Seuil
>>> Amor É Prosa Sexo É Poesia de Arnaldo Jabor pela Objetiva (2009)
>>> As relações Perigosas de Choderlos de Laclos pela Globo (1987)
>>> O Idiota de Fiodór Dostoiévski pela Martin Claret (2005)
>>> 201 Mensagens para o Amor da Minha Vida de Diana Lerner pela Vergara & Riba (2007)
>>> Tragédia Grega, Estudo Literário II Volume de H. D. F. Kitto pela Arménio amado (1972)
>>> Hegel de Roland Corbisier pela Civilização Brasileira (1981)
>>> O Anarquismo e a Democracia Burguesa de Malatesta, Bakunin, Engels e outros pela Global (1980)
>>> Teoria da História de Maria Beatriz Nizza da Silva (Org.) pela Cultrix (1976)
>>> Sobre la Esencia de la Libertad Humana de Federico Schelling pela Juarez (1969)
>>> Alrededor del Cuanto de L Ponomariov pela Editorial Mir (1974)
>>> Teeteto de Platão pela Inqérito
>>> Griegos y Persas, El Mundo Mediterráneo en la Edad Antigua I de Hermann Bengtson pela Siglo Veintuno (1972)
>>> A Importância do Ato de Ler de Paulo Freire pela Cortez (1986)
COLUNAS

Segunda-feira, 20/9/2010
Nosso Lar
Gian Danton

+ de 4100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Nosso Lar é um dos grandes best-seller brasileiros. Escrito pelo espírito André Luiz, através do médium Chico Xavier, popularizou a literatura espírita com a história de um médico em uma colônia espiritual. Publicado em 1944, o livro já vendeu mais de 2 milhões de exemplares e gerou uma versão cinematográfica assinada por Wagner de Assis (A Cartomante).

Bastante conhecido, o enredo do livro inicia com o narrador chegando ao Umbral após a sua morte. O relato lembra muito as descrições do inferno católico, com o protagonista assediado por formas diabólicas de expressões animalescas. Ele sofre ali por oito anos, até finalmente ser levado para a colônia espiritual de Nosso Lar. A grande falta do médico, que o leva ao Umbral, é o ceticismo e o orgulho, que fazem com que ele demore tanto a pedir ajuda.

Uma vez na colônia, André Luiz é iniciado nos mistérios da vida espiritual, da cura, da comunicação com os vivos etc. Há, em todo o livro, um excesso de adjetivos que atrapalha a leitura: o aposento é confortador; as luzes, cariciosas. Mas essa característica, hoje considerada um vício de linguagem, era comum na maioria dos autores antigos. Fora isso, o livro passaria tranquilamente por uma boa obra de ficção científica da primeira metade do século XX.

A linguagem antiquada foi facilmente resolvida na versão cinematográfica com uma bem pensada atualização. Mas a história apresentava um outro problema: um certo caráter de"diário de viagem", que torna difícil sua adaptação para a sétima arte. Um filme precisa ter uma trama, com conflitos e uma estrutura narrativa que caminha na direção da resolução do conflito.

Em Nosso Lar, todos são bons demais e não existe uma possível figura de vilão. Da mesma forma, não há um destino que represente o conflito, já que os personagens gozam de livre-arbítrio. Em suma: não há quase nenhum conflito visível na obra original. Como transportar isso para o cinema sem que o resultado seja duas horas de sono?

O diretor Wagner de Assis optou por focar a narrativa no conflito interno dos personagens (apenas sugerida no livro), especialmente André Luiz e Eloísa, uma moça que aparece rapidamente no livro se lamentando de ter morrido antes de casar e de saber que seu noivo encontrou uma nova esposa.

André Luiz luta contra a arrogância, o egoísmo e o ceticismo (e, no final do filme, contra o ciúme), e Eloísa quer a todo momento voltar para seu noivo. Boa parte da narrativa se sustenta nessa sustentação. André será capaz de ultrapassar seus conflitos internos, e, dessa forma, ajudar a moça, fazendo com a que a trama paralela se una à principal num roteiro bem costurado.

Ou seja: o diretor optou por uma inteligente estrutura narrativa, que prende o espectador exatamente pela identificação. Alguns talvez se identifiquem com André, outros com Eloísa.

Se o roteiro é competente e enxuto, a direção é outro ponto forte. Os efeitos especiais são grandiosos (o filme custou 20 milhões de reais, boa parte deles gastos com efeitos), mas usados em favor da narrativa. Não há efeitos apenas pelo efeito, como Hollywood muitas vezes tem feito. Entretanto, muitos que assistiram à fita comentaram que gostaram de ver esse nível de efeitos num filme nacional de FC ou fantasia.

O diretor também trabalha muito bem a imagem, em ótimas cenas sem diálogos, como no reencontro de André Luiz com sua esposa. Com pouquíssimas falas, toda a tensão da situação é repassada aos espectadores.

Há algumas cenas que chamam a atenção dos mais atentos: quando começa a II Guerra Mundial, a colônia espiritual recebe centenas de desencarnados. A maioria deles usando a estrela de Davi (judeus), mas há também pessoas com outros símbolos usados em campos de concentração, o que se relaciona com os ensinamento de Chico Xavier de que o sofrimento liberta. A mesma cena traz um conteúdo de tolerância religiosa que se reflete também na cena da sala do governador, cujas paredes ostentam símbolos das principais religiões terrenas.

Sobre a questão da II Guerra, Chico conta, no livro, que os nazistas, ao morrerem na guerra, fugiam dos que iam resgatá-los, chamando-os de "fantasmas da cruz". Esse ponto, no entanto, não foi explorado pelo filme.

Outro aspecto curioso da versão cinematográfica é inverter o paradigma convencional do ser humano com relação à dualidade vida-morte. Em Nosso Lar, vemos personagens chorando e lamentando a partida de entes queridos que vão reencarnar. Nesse ponto o roteiro foi particularmente eficiente ao mostrar que vida e morte são apenas dois lados da mesma moeda em um ciclo de reencarnações. Chega, inclusive, a brincar com isso, como na cena em que uma senhora reclama que o marido estava sempre muito doente, "Mas morrer que é bom, nada!".

Nosso Lar conta com uma equipe internacional: o fotógrafo suíço Ueli Steiger (O dia depois de amanhã, Godzilla, 10.000 a.C), os canadenses da Intelligent Creatures para os efeitos especiais (Watchmen), a diretora de arte brasileira Lia Renha (A muralha, Hoje é dia de Maria, Auto da Compadecida), e o músico Philip Glass (As horas, O ilusionista).

É um filme que irá agradar tanto aos espíritas quanto aos não espíritas ou simples simpatizantes da doutrina. Mesmo aqueles que forem assisitir Nosso Lar apenas como um filme de ficção científica provavelmente irão gostar. Prova disso é que apenas 5 dias após o lançamento ele já ultrapassou a marca de um milhão de espectadores.


Gian Danton
Macapá, 20/9/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O papel aceita tudo de Jardel Dias Cavalcanti
02. A imaginação do escritor de Renato Alessandro dos Santos
03. A Garota do Livro: uma resenha de Heloisa Pait
04. Nós, os afogados, de Carsten Jensen de Ricardo de Mattos
05. A trilogia Qatsi de Guilherme Carvalhal


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2010
01. Os dilemas da globalização - 8/11/2010
02. Glauco: culpado ou inocente? - 29/3/2010
03. 2009: intolerância e arte - 4/1/2010
04. Maria Erótica e o clamor do sexo - 25/10/2010
05. As fronteiras da ficção científica - 3/5/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
23/9/2010
11h57min
Uma resenha correta e sem partidarismos. Será o nosso futuro compartilhar tudo o que é considerado bom, mesmo vindo de diferentes doutrinas? Parabéns.
[Leia outros Comentários de Cilas Medi]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




LA DOROTEA/LA TERCERA CELESTINA - LOPE DE VEGA (TEATRO ESPANHOL)
LOPE DE VEGA
BÉRGUA
(1933)
R$ 35,00



DE VITÓRIA EM VITÓRIA
HAROLD CABALLEROS
PROFETIZANDO VIDA
R$ 22,00



O PODER DO SILÊNCIO
ECKHART TOLLE
SEXTANTE
(2010)
R$ 7,00



SOB A LUZ DAS ESTRELAS
A. J. CRONIN
RECORD
R$ 7,00



O DESPERTAR DA TERRA - O CÉREBRO GLOBAL
PETER RUSSELL
CULTRIX
(1995)
R$ 35,00



O QUE É VIDA? 50 ANOS DEPOIS. ESPECULAÇÕES SOBRE O FUTURO DA BIOLOGIA
MICHAEL P. MURPHY, LUKE A. J. O'NEILL (ORGS.)
UNESP/CAMBRIDGE
(1997)
R$ 20,00



CORES - ELIANE KRUSCHEWKY
ELIANE KRUSCHEWSKY
VJ
(2011)
R$ 149,00



O PEQUENO FILÓSOFO
GABRIEL CHALITA
GLOBO
(2011)
R$ 4,90



LOS ESTRENOS TEATRALES DE FEDERICO GARCÍA LORCA (1920-1945) - TEATRO ESPANHOL
MARIA FRANCISCA VILCHES DE FRUTOS E DRU DOUGHERTY
TABAPRESS
(1992)
R$ 25,00



TRATADO DE DIREITO PRIVADO - TOMO 4
PONTES DE MIRANDA
BOOKSELLER
(2000)
R$ 9,90





busca | avançada
34641 visitas/dia
1,1 milhão/mês