Os dilemas da globalização | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
41731 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
>>> Jack Ma e Elon Musk
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Marco Lisboa na Globonews
>>> Bibliotecas públicas, escolares e particulares
>>> O Vendedor de Passados
>>> Entre a crise e o espectro do humor a favor
>>> Dicas para a criação de personagens na ficção
>>> Tiros, Pedras e Ocupação na USP
>>> Oficina de conto na AIC
>>> Crônica em sustenido
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> O julgamento do mensalão à sombra do caso Dreyfus
Mais Recentes
>>> A comunicação com além de Rubens B. Figueiredo pela Fase (1982)
>>> Darkness at Noon de Arthur Koestler pela The Macmillan Company (1946)
>>> Cartas Esotericas de Vandeto pela Pensamento
>>> Le Langage Secret des Symboles de David Fontana pela Solar (1993)
>>> From Bethlehem to Calvary de Alice A. Bailey pela Lucis Publishing (1937)
>>> Methodologies of Hypnosis de Peter W. Sheehan pela Lea (1976)
>>> La vida Interna de C.W. Leadbeater pela Glem (1958)
>>> Madru o filho das Estrelas de Frederik Hetmann pela Circulo do Livro (1984)
>>> O Livro do Juízo Final de Roselis Von Sass pela Ordem do Graal na Terra (1976)
>>> História das Religiões de Charles Francis Potter pela Universitária (1944)
>>> Faca sem Ponta, Galinha sem Pé de Ruth Rocha pela Nova Fronteira (1983)
>>> Diccionario de Astrologia de Nicolás de Vore pela Argos S.A. (1951)
>>> Ramsés - o Filho da Luz de Christian Jacq pela Berttrand Brasil (1999)
>>> O Reino dos Deuses de Geoffrey Hoddson pela Feeu (1967)
>>> Introdução ao Estudo do Novo Testamento Grego de William Carey Taylor pela Juerp (1966)
>>> São José de Anchieta de Gabriel Romeiro e Guilherme Cunha Pinto pela Círculo do Livro S.A. (1978)
>>> Na terra da Grande Imagem de Mauricio Collis pela Civilização - Porto (1944)
>>> Oito Syntheses Doutrinarias de Vários pela Roland Rohe (1929)
>>> O Livro do Juízo Final de Roselis Von Sass pela Ordem do Graal na Terra (1976)
>>> Vietnam a Guerrilha Vista por Dentro de Wilfred G. Burchett pela Record (1968)
>>> O Papa e o Concílio de Janus pela Elos
>>> Cristianismo Rosacruz ( Em 02 volumes) de Max Heindel pela Kier (1913)
>>> A Grande pirâmide revela seu segredo de Roselis Von Sass pela Ordem do Graal na Terra (1972)
>>> Obras Interpretação Sintética do Apocalipse de Cairbar Schutel pela O Clarim (1943)
>>> Poesias Completas de Mário de Andrade pela Martins (1974)
>>> As Cruzadas - Livro 1 - a Caminho de Jerusalém de Jan Guillou pela Berttrand Brasil (2006)
>>> O Romance da Astrologia ( Em 03 volumes) de Omar Cardoso pela Iracema
>>> A Grande Caçada de Robert Jordan pela Intrinseca (2014)
>>> Livro Vermelho dos Pensamentos de Millôr de Millôr Fernandes pela Nordica (1974)
>>> Outra Você de Newton Tornaghi pela Rio de Janeiro (1977)
>>> Emagreça Comendo de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva (1993)
>>> Rosa e Lotus Invocações Espirituais de Molinero Yogakrisnanda pela Mandala
>>> Fim dos Tempos de Omar Cardoso pela Artenova (1975)
>>> magia y Sacrificio en la historia de las Religiones de H. Hubert y M. Mauss pela Lautaro (1946)
>>> Apenas uma Sombra de Mulher de Fernando do Ó pela Federação Espírita Brasileira (1950)
>>> Quando tudo falha de Rodolpho Belz pela Casa Publicadora Brasileira (1984)
>>> O Capataz de Salema / Antônio Conselheiro / Marechal, Boi de Carro de Joaquim Cardozo pela Agir/MEC (1975)
>>> La Isla Magia de W.B. Seabrook pela Cenit S.A. (1930)
>>> Un Nuevo Modelo Del Universo de Pedro Ouspensky pela Sol (1950)
>>> La Puerta ( Egipto) de Vários pela Obelisco (1990)
>>> Arpas Eternas (Em 03 volumes) de Hilarion de Monte Nebo pela Fraternidad Cristiana (1952)
>>> Muitas vidas muitos Mestres de Brian L. Weiss M.D. pela Salamandra (1991)
>>> O Sentido da Vida de Valfredo Tepe pela Mensageiro da Fé Ltda (1971)
>>> A aurora cósmica de Eric Chaisson pela Francisco Alves (1984)
>>> Deus Fala a seus Filhos de Elenore Beck pela Verbo Divino (1993)
>>> Encontro com a Alma Gêmea de Paulo Kronemberger pela Novo Milênio (1993)
>>> The Reincarnation Workbook de J.H. Brennan pela The Aquarian Press (1989)
>>> A Granja do Silêncio de Paul Bodier pela Federação Espírita Brasileira
>>> Os Astros Governam nossa Vida de Perpétuo Horário pela Pensamento
>>> La vida de Buda de A. Ferdinand Herold pela Lautaro (1944)
COLUNAS

Segunda-feira, 8/11/2010
Os dilemas da globalização
Gian Danton

+ de 13100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

A globalização é um dos temas mais importantes e controversos da atualidade. Aplaudida por alguns e criticada por outros, ela é um fenômeno complexo que, se por um lado, rompe as fronteiras, por outro, estimula o ultra-nacionalismo; se por um lado cria padrões de beleza, por outro lado permite a emergência de pessoas e fatos que fogem do padrão.

O conceito surgiu na década de 1960, fruto das reflexões de Marshall McLuhan. O filósofo percebeu que o mundo estava se transformando numa espécie de aldeia em decorrência do desenvolvimento dos meios de comunicação de massa.

Segundo McLuhan, a aldeia é um agrupamento de pessoas limitado pelo alcance da voz do líder. Os fatos importantes eram sabidos imediatamente e havia um grande envolvimento com eles, já que geralmente tratavam de pessoas conhecidas.

O desenvolvimento das mídias audiovisuais estavam criando condições para que todo o mundo se transformasse numa aldeia, já que o discurso de um líder poderia ser ouvido e visto não só em um país, mas no mundo todo.

Por outro lado, a TV e as canções populares estavam devolvendo às pessoas o envolvimento com os fatos. Os protestos, nos EUA, contra a guerra do Vietnã são exemplo disso. A imagem, de forte carga simbólica, da jovem hippie colocando uma flor no cano do rifle do soldado que fora reprimir a manifestação pacifista é uma metáfora do novo mundo em que problemas locais (como a guerra em um pequeno país da Ásia) estavam se tornando cada vez mais globais.

O conceito, inaugurado por McLuhan, foi resgatado pelos economistas da década de 1980 no que ficou conhecida como globalização.

Trata-se de uma visão econômica e administrativa em que as empresas funcionam em rede, com as sedes servindo à matriz e a matriz servindo às sedes.

O lema dessa estratégia administrativa foi resumida no neologismo "glocal": pensar globalmente e agir localmente. Dois princípios básicos nortearam essa estratégia: a padronização e a segmentação por interesses.

A padronização é uma forma de aproveitar a economia de escala. Exemplo disso foram os personagens de quadrinhos, agora migrando para o cinema. O Super-Hombre do México e o Super-Homem do Brasil passam a ser chamados de Superman, o que economiza na produção de material publicitário e fortalece a marca.

Essa padronização se reflete no consumo e até mesmo na questão estética.

Pessoas, no Brasil, Índia e China usam as mesmas roupas, tomam Coca-Cola e comem no McDonald's . E a maioria delas tem os mesmos ídolos, lançados pela indústria da moda e cinema, que divulgam um padrão estético de mulheres magras, de pele branca sem defeitos.

O outro ponto é o da segmentação. Antigamente, o elemento mais importante na hora de segmentar um público era sua proximidade geográfica. Hoje, esse fator é pouco importante diante do crescimento da segmentação psicográfica. Os consumidores são vistos como grupos de interesses. As pessoas preocupadas com saúde consomem Activia em São Paulo, Macapá ou Curitiba e são alvos das mesmas estratégias de marketing.

Nessa nova realidade, ser cidadão é equivalente a ser consumidor. Ter liberdade significa ser livre para escolher seu produto predileto.

O dinheiro no mundo global é migrante, saindo rapidamente de um local onde os lucros tornaram-se baixos na direção de maiores lucros.

Esse conjunto de fatores cria um novo tipo de imperialismo. Se até a década de 1970 o colonialismo cultural era no sentido Norte-sul (como EUA-América Latina), hoje ele se dá muitas vezes de forma regional, com centros de produção audiovisual, como São Paulo, impondo suas culturas a locais periféricos. Até mesmo a cultura dos locais periféricos deve ser mostrada do ponto de vista das sedes. Essa situação foi denunciada no Amapá em 2009 pelo movimento Farinha pouca, meu pirão primeiro, que protestava contra a transferência de recursos para que cineastas do eixo Rio-São Paulo viessem filmar no Amapá, sendo que o Estado não conta nem mesmo com um edital de incentivo à produção local.

O sociólogo Armand Martellart resumiu essa situação na frase: "o sul encontrou seus nortes e o norte encontrou seus suis".

Mas a globalização é um fenômeno complexo. Se por um lado ela impõe uma padronização cultural, por outro lado ela permite a emergência de culturas locais e de fatos que não se encaixam no padrão estabelecido. O recente sucesso de Susan Boyle é um exemplo disso. Outro exemplo é o recente interesse pela cultura do Afeganistão e sucesso de livros como O caçador de pipas. As mesmas mídias que permitem a padronização, dão voz a protestos anti-globalização e anti-consumo, como o grupo Adbusters, que faz protestos e ridiculariza anúncios mostrando o vazio e o perigo da lógica do consumo sem controle.

Num mundo em que tudo interessa a todos, os protestos são globais. Na época da guerra do Iraque, a Coca-Cola e o McDonald's, símbolos máximos dos EUA e da globalização, foram alvos de manifestações, algumas violentas, por parte de pessoas que discordavam da guerra.

Nessa aldeia global, até mesmo o trabalho rompe as fronteiras. O brasileiro Carlos Saldanha dirigindo desenhos animados de sucesso nos EUA é exemplo disso, mas talvez a melhor metáfora do novo tipo de trabalho seja o paraense Bené Nascimento, que, morando na cidade nova, na região metropolitana de Belém, desenha alguns dos mais importantes heróis da DC, em especial da Liga da Justiça.

Mas se permite a emergência de artistas locais se destacando na produção cultural mundial, como nos casos acima, a mesma realidade cria uma legião de trabalhadores genéricos importantes no conjunto, mas descartáveis individualmente. Para esses, sobram baixos salários e exploração. A fábrica chinesa responsável pela produção do iPhone, por exemplo, já registrou 10 tentativas de suicídio apenas este ano.

Se, por um lado, a globalização acaba com as fronteiras entre os países, por outro lado ela estimula o nacionalismo, como tem acontecido na Bolívia e na Venezuela. Curiosamente, esse novo tipo de nacionalismo muitas vezes usa os mecanismos da comunicação global, como o fez o comandante Marcos no México na década de 1990. Sintomático o fato do presidente Hugo Chaves, da Venezuela, ter criado uma conta no Twitter.


Gian Danton
Macapá, 8/11/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Guerras sujas: a democracia nos EUA e o terrorismo de Humberto Pereira da Silva
02. Brasileiros aprendendo em inglês de Carla Ceres
03. Os clássicos e o leitor de hoje de Lolita Beretta
04. Saudades de Jorge Amado de Luis Eduardo Matta
05. Religião prêt-à-porter de Verônica Mambrini


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2010
01. Os dilemas da globalização - 8/11/2010
02. Glauco: culpado ou inocente? - 29/3/2010
03. 2009: intolerância e arte - 4/1/2010
04. Maria Erótica e o clamor do sexo - 25/10/2010
05. As fronteiras da ficção científica - 3/5/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
8/11/2010
08h20min
A questão é que a globalização resume-se em exploração da mão de obra do mundo de forma precarizada, na transformação das matérias-primas em produtos de forma fragmentada pelo mundo, e na distribuição desses produtos no mercado. Os produtos passam a ser mais baratos. Porém, os trabalhadores têm seus seguros sociais precarizados, e muitos trabalham em condições subhumanas. Seus sindicatos são frágeis e os seus direitos conquistados são negados. Portanto, a globalização não acompanha a internacionalização dos direitos dos trabalhadores do mundo. Os salários são diferentes, os seguros sociais são diferentes, e este é o nó cego.
[Leia outros Comentários de Manoel Messias Perei]
12/11/2010
03h24min
A Nova Ordem Mundial foi recentemente reestabelecida pelo presidente Bush pai, e depois ratificada pelo Buscha do filho. Escandalosamente globalizando em petrodólares, dominaram a área, para a infelicidade do Saddam Hussein que se opôs, como agora o Irã, Chaves e outros grupos dominadores, agora brigando entre si mesmos! Então depois da GLOBALIZAÇÃO econômica virá Política, tentando unir os USA à CEE e depois o restante, para tentarem finalizar com a Globalização filosófica... Isto seria o DOMÍNIO TOTAL já desejado pelos Illuminatis, e as grandes famílias aliadas. Correm por fora, mentiras do aquecimento global e outros cenários, eles são os premiados... Não será impossível, depois, o contato de primeiro grau com a chefia de fora, tentando o golpe final, ajuda para a traição!
[Leia outros Comentários de Celito Medeiros]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




LIÇÕES DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL-VOL. 3
ALEXANDRE FREITAS CÂMARA
LUMENJURIS
(2002)
R$ 41,31
+ frete grátis



CANÇÃO PARA DÉBORA
LUCI GUIMARÃES WATANABE
FTD
(1990)
R$ 8,00



A CALDEIRA DO DIABO
GRACE METALIOUS
ABRIL CULTURAL
(1984)
R$ 4,10



DISCURSO DO MÉTODO - SÉRIE L&PM CLÁSSICOS
DESCARTES
L&PM
(2013)
R$ 18,82



LUZIA HOMEM
DOMINGOS OLIMPIO
ATICA
(1978)
R$ 6,00



NAS PROFUNDEZAS DO MAR SEM FIM
JACQUELYN MITCHARD
ROCCO
(1998)
R$ 9,90



CONSENSO E CONFLITO: EDUCAÇÃO FÍSICA BRASILEIRA 2ª EDIÇÃO
VITOR MARINHO
SHAPE (RJ)
(2005)
R$ 28,82



ENQUANTO A CHUVA CAÍA
CHRISTINE M (M)
NOVO CONCEITO
(2014)
R$ 17,00



A HOLANDA NO TEMPO DE REMBRANDT
PAUL ZUMTHOR
COMPANHIA DAS LETRAS
(1989)
R$ 15,00



PROJETO ÁPIS : LÍNGUA PORTUGUESA 5
VARIOS
ATICA
(2017)
R$ 154,00





busca | avançada
41731 visitas/dia
1,1 milhão/mês