Avatar 3D e as tecnologias visuais do novo milênio | Marcelo Spalding | Digestivo Cultural

busca | avançada
71417 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Teatro: Sesc Santo André traz O Ovo de Ouro, espetáculo com Duda Mamberti no elenco
>>> PianOrquestra fecha a temporada musical 2021 da Casa Museu Eva Klabin com o espetáculo online “Colet
>>> Primeira temporada da série feminina “Never Mind” já está completa no Youtube da Ursula Monteiro
>>> Peça em homenagem à Maria Clara Machado estreia em teatro de Cidade Dutra, na periferia de São Paulo
>>> Campanha Sonhar o Mundo traz diversificada programação elaborada pelos museus paulistas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
Últimos Posts
>>> Entre outros
>>> Entre o corpo e a alma, o tempo
>>> O tempo é imbatível
>>> Consciência
>>> A cor da tarja é de livre escolha
>>> Desigualdades
>>> Novembro está no fim...
>>> Indizível
>>> Programador - Trabalho Remoto que Paga Bem
>>> Oficinas Culturais no Fly Maria, em Campinas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Pai e Filho
>>> Solaris, o romance do pesadelo da ciência
>>> E o Doria virou político...
>>> A ABSTRATA MARGEM
>>> Salvem os jornais de Portugal
>>> Irmãos Amâncio
>>> Chris Cornell
>>> Nosso Primeiro Periscope
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Contra os intelectuais
Mais Recentes
>>> Circulação Global de Precedentes - Vol 1 (lacrado) de Ruitemberg Nunes Pereira pela Lumen Juris (2010)
>>> Vida Minha - Autobiografia de Domingos Oliveira pela Record (2014)
>>> Maktub de Paulo Coelho pela Rocco (2005)
>>> Sentença Cível - da Preparação para o Concurso Da.... (lacrado) de Flávio da Silva Andrade pela Lumen Juris (2014)
>>> Por um Triz - Cultura e Educação (lacrado) de Editora Paz e Terra pela Paz e Terra (2002)
>>> O Livro da Pizza de Vincenzo Buonassisi pela Círculo do Livro (1982)
>>> Na Margem do Rio Pietra Sentei e Chorei de Paulo Coelho pela Rocco (2005)
>>> Las Posturas Claves En El Hatha Yog - Vol 2 (lacrado) de Ray Long pela Blume-acanto-naturart (2009)
>>> A Agonia do Grande Planeta Terra de Hal Lindsey pela Mundo Cristão
>>> Os Eixos da Linguagem (lacrado) de Luiz Costa Lima pela Iluminuras (2015)
>>> Robinson Crusoé uma Aventura de um Náufrago numa Ilha Deserta de Daniel Defoe / Julek Heller pela Companhia das Letrinhas (2016)
>>> Novo Dicionário Básico da Língua Portuguesa Folha / Aurélio de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira pela Nova Fronteira (1988)
>>> Os Papéis de Picasso de Rosalind e Krauss pela Iluminuras (2000)
>>> Vozes e Visões de Rodrigo Garcia Lopes pela Iluminuras (2000)
>>> Rango Coisa Feia de Edgar Vasques pela L&pm (1989)
>>> Introdução à Manufatura - Série Tekne (lacrado) de Michael Fitzpatric pela Bookman (2013)
>>> Tabelas do Curso Prático de Concreto Armado 1 Volume de Aderson Moreira da Rocha pela Científica (1955)
>>> O Que Te Impede de Viver Feliz (lacrado) de José Eduardo Tófoli pela Lumen Juris (2020)
>>> Os Remédios Florais do Dr. Bach de Dr. Eduardo Bach pela Pensamento
>>> My Grandma and I de P. K. Hallinan pela Worthykids (2002)
>>> A Sábia Ingenuidade de Dr. João Pinto Grande de Yuri Vieira pela Record (2017)
>>> Marilyn de Norman Mailer pela Record (2013)
>>> A Criança Problema de Joseph Roucek pela Pegasus (2010)
>>> Amor Nunca É Demais de Helen Van Slyke pela Circulo do Livro (1985)
>>> Os Novos 52 -universo Dc Nº 37 de Dc Comics pela Panini
COLUNAS >>> Especial Futuro do Cinema

Quinta-feira, 4/3/2010
Avatar 3D e as tecnologias visuais do novo milênio
Marcelo Spalding

+ de 5000 Acessos

Eu também vi Avatar 3D. E gostei. O enredo é fraco, embora haja alguns componentes ideológicos interessantes neste primeiro grande sucesso de bilheteria do século XXI, mas o que chama mesmo a atenção é a tecnologia 3D. Ainda que não seja o primeiro longa em terceira dimensão, parece evidente que será reconhecido como tal pela História do Cinema, pois foi o primeiro filme em terceira dimensão para milhões e milhões de espectadores.

A obra, neste aspecto, já se tornou histórica, e assim como um dia os diretores tiveram de se adaptar ao som, e depois à cor, agora terão de se adaptar também à imagem tridimensional. Não é uma tarefa fácil. Nunca foi.

Reza a lenda que quando os irmãos Lumiére exibiram seu primeiro filme, A chegada do trem na estação, os espectadores pularam assustados das cadeiras com medo que o trem atravessasse a tela e atropelasse quem estivesse diante dela (confira abaixo o filme):

Claro que hoje, cento e quinze anos depois, isso é motivo de piada, mas com o 3D nossa geração está revivendo um pouco essa sensação de estranhamento. Prova disso foi uma sessão de cinema que assisti no Alpen Park, em Canela, RS. Era uma animação computadorizada com 20 minutos de duração em que um helicóptero cai em perigosas montanhas e um homem precisa fugir dos perigos. Além dos óculos 3D, a sala de cinema era equipada com cadeiras que se mexem e soltam ar e até mesmo água, ampliando a experiência sensorial para o que chamam de 4D.

Dessa forma, não houve quem não gritasse quando o helicóptero caiu e a cadeira balançou, assim como não foram poucos os que se levantaram assustados quando o personagem se viu cercado de um monte de ratos e, repentinamente, sentimos um arzinho nas pernas simulando a invasão dos bichanos. Ou, e esta é para mim a cena mais simbólica, quando flechas foram arremessadas contra os espectadores e estes, ainda que não levantassem assustados da cadeira, mexiam a cabeça de um lado para o outro como se desviando das flechas.

Ainda que essa sessão do Alpen Park fosse uma mera demonstração da tecnologia, com um filme de enredo tolo e gráficos rudimentares, tenho certeza que nunca mais vou sentir a mesma sensação, pois uma vez familiriazados com a nova experiência, com o novo código instaurado pelo meio, não somos mais surpreendidos e passamos a assimilar as experiências sensoriais como normais.

Em Avatar, por exemplo, muitos espectadores sentiram falta de cenas que explorassem mais a terceira dimensão, como flechas vindo em direção à tela ou mais tomadas abertas com o cenário do planeta Na'vi. São, certamente, espectadores que já assistiram outras animações e até alguns filmes com a tecnologia. Por outro lado, essa economia de efeitos permite que a história se desenvolva por si só, ficando a tecnologia a serviço da história a ser contada, e não o contrário.

O próprio fato de a história se desenrolar em outro planeta, com outra paisagem, outros habitantes, outras tecnologias é importante do ponto de vista da construção ficcional, pois o estranhamento do público ao se deparar com as cenas em terceira dimensão está de acordo com o estranhamento dos humanos diante de um lugar inexplorado e perigoso. Os bichos se tornam maiores, as texturas mais visíveis, a profundidade, inalcançável.

Falta ainda, é claro, um bom diretor que transforme a tecnologia em partícipe da narrativa, como um dia Hitchcock transformou a trilha sonora em personagem de seus filmes. Avatar impressiona mais pelo pioneirismo do que por criar novas experiências sensoriais, mas sem dúvida é o primeiro passo de tantos outros.

Num mero exercício de futurologia, eu diria que o novo milênio será de imagens, assim como o anterior foi de palavras. Isso não significa que a palavra irá perder importância, mas a imagem se tornará cada vez mais capaz de informar com rapidez, comunicar com agilidade. Jornais e revistas já têm muito mais espaço para fotografias, boxes e infográficos do que para textos, sem falar nos livros didáticos que às vezes parecem um catálogo de supermercado.

Além das evoluções tecnológicas, porém, parece que o maior desafio será evitar a vulgarização das imagens com a repetição dos mesmos clichês à exaustão. Italo Calvino, em Seis propostas para o próximo milênio, já alertava para o risco da massificação das imagens:

"Vivemos sob uma chuva ininterrupta de imagens; os media todo-poderosos não fazem outra coisa se não transformar o mundo em imagens multiplicando numa fantasmagoria de jogos de espelhos ― imagens que em grande parte são destituídas da necessidade interna que deveria caracterizar toda imagem, como forma e como significado, como força de impor-se à atenção, como riqueza de significados possíveis. Grande parte dessa nuvem de imagens se dissolve imediatamente como os sonhos que não deixam traços na memória; o que não se dissolve é uma sensação de estranheza e mal-estar".

O cinema, jovem arte com pouco mais de cem anos, neste terceiro milênio certamente evoluirá muito e ao fim e ao cabo se tornará algo muito diferente do que é hoje, talvez com o espectador sentindo até cheiro e gosto, talvez com o espectador participando ativamente das cenas, talvez com sensores instalados por todo o corpo ou o espectador entrando numa cabine. Nada disso, porém, irá garantir o sucesso ou a qualidade de um filme, assim como Avatar não é um grande filme apenas pelos efeitos 3D, e consegue ser um bom filme apesar da dúzia de clichês presentes. É a construção narrativa, é a elaboração inteligente e a profundidade do conflito que fazem um filme. O cinema, não por acaso, é uma sequência de imagens que conta uma história. Não o contrário.

Nota do Editor
Leia também "Avatar e um mundo novo".


Marcelo Spalding
Porto Alegre, 4/3/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. High School Musical e os tweens de Rafael Fernandes
02. Nanda Rovere por Nanda Rovere de Nanda Rovere
03. Picasso e Matisse: documentos de Maurício Dias


Mais Marcelo Spalding
Mais Acessadas de Marcelo Spalding em 2010
01. O hiperconto e a literatura digital - 8/4/2010
02. A quem interessa uma sociedade alienada? - 2/9/2010
03. Free: o futuro dos preços é ser grátis - 11/11/2010
04. Bastardos Inglórios e O Caso Sonderberg - 27/5/2010
05. O espiritismo e a novela da Globo - 30/9/2010


Mais Especial Futuro do Cinema
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Pedagogia do Sucesso
João Batista Araújo e Oliveira
Saraiva
(1999)



Nossos Índios Nossos Mortos
Edilson Martins
Codecri
(1978)



O Controle Judicial de políticas Públicas
Américo Bedé Freire Júnior
Revista dos Tribunais
(2005)



Brasil a Trajetória de um País Forte
Alcides Domingues Leite Júnior
Trevisan
(2009)



Riquezas da mensagem cristã
D. Cirilo Folch Gomes
Lumen Christi
(1981)



1591 - A santa Inquisição na Bahia e Outras Estórias
Nélson de Araújo
Nova Fronteira
(1991)



Luka na Casa da Biza
Lia Campos Ferreira
Do Escritor
(2004)



Trismus na Antártica Volume 2
Patrick Van God
Edições Marítimas



Maravilhas do Conto Humorístico
Mariano Torres
Cultrix
(1959)



Misterio? Misteriosos Amor
Odette de Barros Mott
Atual
(1986)





busca | avançada
71417 visitas/dia
1,9 milhão/mês