Um erro emocional, de Cristovão Tezza | Daniel Lopes | Digestivo Cultural

busca | avançada
72073 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> OSC Usina da Imaginação, de SC, apresenta obras de crianças e jovens produzidas na pandemia
>>> Poeta paulista lança “O que habita inabitáveis lugares” abordando as relações humanas durante a pand
>>> Biografias e Microrroteiros do Parque
>>> MONUMENTOS NA ARTE: O OBJETO ESCULTÓRICO E A CRISE ESTÉTICA DA REPRESENTAÇÃO
>>> Cia Triptal faz ensaios abertos para Pedreira das Almas, de Jorge Andrade
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
Últimos Posts
>>> Mundo Brasil
>>> Anônimos
>>> Eu tu eles
>>> Brasileira muda paisagens de Veneza com exposição
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O lado A e o lado B de Durval Discos
>>> Stabat Mater, de Giovanni Battista Pergolesi
>>> Açaí com jabá - curta-metragem
>>> End User: We read the manuals
>>> Vivo
>>> Águas de Março
>>> Quando o virtual cai na real
>>> Um Amor Anarquista
>>> ego shots fazem bem à saúde
>>> Curso de Criação Literária
Mais Recentes
>>> O Espetacular Homem-Aranha: Homem-Aranha Nunca Mais! de Stan Lee / John Romita pela Panini Comics (2016)
>>> Imaginários - Volume 1 de Alex Mir pela Draco (2013)
>>> RexMundi : o rio subterrâneo - Livro Dois de Arvid Nelson pela Dark Horse (2008)
>>> Em Chamas - Jogos Vorazes de Suzanne Collins pela Rocco (2011)
>>> A Esperança - Jogos Vorazes de Suzanne Collins pela Rocco (2011)
>>> Livro de receitas para mulheres tristes de Héctor Abad pela Companhia Das Letras (2012)
>>> Bestiarius 1 2 e 3 de Masasumi Kakizaki pela Planet Manga
>>> O labirinto dos ossos 1 de Rick Riordan pela Ática (2009)
>>> Obras Completas de Fiodor Dostoiévski pela José Olympio (1960)
>>> Uma nota errada 2 de Gordon Korman pela Ática (2010)
>>> Dos delitos e das penas de Cesare Beccaria pela Martin Claret (2014)
>>> Não me abandone jamais de Kazuo Ishiguro pela Companhia Das Letras (2016)
>>> O livro dos abraços de Eduardo Galeano pela L&Pm Pocket (2018)
>>> Kyoto de Yasunari Kawabata pela Estação Liberdade (2006)
>>> Minha Luta 1 e 2 de Karl Ove Knausgard pela Companhia Das Letras
>>> Um novo dia para amar de Célia Xavier De Camargo pela Petit (2016)
>>> Nascida à meia-noite de C.C. Hunter pela Jangada (2011)
>>> Levada ao Entardecer de C.C. Hunter pela Jangada (2012)
>>> 10 Obras de Machado de Assis pela Edigraf
>>> Super interessante: nazismo-como ele pôde acontecer de Eduardo Szklarz pela Abril (2014)
>>> O livro secreto da maçonaria de Otávio Cohen pela Abril (2015)
>>> Box o Diário da Princesa de Meg Cabot pela Record
>>> Se eu morrer antes de você de Allison Brennan pela Universo Dos Livros (2011)
>>> A ditadura da beleza e a revolução das mulheres de Augusto Cury pela Sextante (2005)
>>> Poemas de alberto caeiro de Fernando Pessoa pela L&Pm Pocket (2015)
COLUNAS

Terça-feira, 23/11/2010
Um erro emocional, de Cristovão Tezza
Daniel Lopes

+ de 4500 Acessos

A nova ficção de Cristovão Tezza coloca frente a frente o famoso escritor paulista Paulo Donetti e sua jovem e bela fã curitibana Beatriz. Na noite seguinte à que se conheceram ― em um jantar entre Paulo, um amigo e a companheira deste, exatamente Beatriz ―, Paulo aparece no apartamento da admiradora com um vinho, uma pasta de textos e uma declaração fria: "Cometi um erro emocional".

Paulo, que estava em Curitiba apenas de passagem, resolve se estender mais um pouco na cidade; está apaixonado por Beatriz, quer que ela lhe ajude na revisão de seu novo livro e quer antes de tudo o mais abrir e tomar com ela o vinho que trouxe. Se sua estadia na capital paranaense vai mesmo durar, se vai ser bem-sucedida, se o trabalho de revisão vai funcionar, não sabemos, nunca saberemos. Mas sabemos que o vinho foi tomado até o final. E só uma garrafa não bastou. Durante a noite (o romance decorre em uma única noite), outro será aberto, vindo da despensa de Beatriz.

Você pensa, "OK, lá vamos nós acompanhar conversas tenras e conversas (e oxalá atos) sacanas entre esses dois". Mas não. Eles pouco se falam (e ainda menos se tocam). Testam um ao outro, tocam-se as mãos muito rara, leve e ligeiramente, e têm imensa dificuldade em ir além disso. Ambos são pessoas extremamente inseguras e ansiosas. Aqui está a estranha beleza dessa ficção: os personagens rememoram consigo mesmos seus passados, anseiam em compartilhar as lembranças um com o outro, mas na hora de se abrir... quase nada sai. O encontro não acabará com eles sabendo muito mais da vida um do outro, mas nós leitores, sim, saberemos de muita coisa, e é inevitável parar a leitura de vez em quando para tentar decidir se aquele relacionamento teria mesmo alguma chance de durar mais que uma noite, ou uma semana.

Paulo e Beatriz já experimentaram o divórcio. Paulo é um autor reconhecido, mas de vida pessoal medíocre, e guarda no histórico uma miserável inveja do amigo a quem ajudou a lançar o primeiro livro e que depois tomou luz própria; no início da adolescência, chegou a fugir de casa, mas acabou "recuperado" pelo pai, personagem que, na memória do filho, tem ares de onipotência. Beatriz perdeu o pai, a mãe e o irmão em um acidente de automóvel, enquanto empreendiam uma viagem da qual ela foi forçada a não participar devido à prova de uma matéria do curso de Letras, ministrada por uma professora amarga e carrasca; graças a essa figura deplorável, Beatriz sobreviveu. A perda da família não é o único trauma do passado de Beatriz. No de Paulo, também há um punhado, se bem que menos dramáticos. O incômodo desses ocorridos se amplifica durante a leitura, exatamente pela ânsia e ausência de comunicação entre os personagens. É de longe o livro mais sufocante de Cristovão Tezza, escritor de resto afeito a histórias desencadeadas por entradas de supetão ― em Trapo, o professor aposentado que recebe à noite, em casa, a incumbência da mãe de um jovem suicida de investigar os escritos do filho; em O fantasma da infância, o fracassado ex-amigo que irrompe na casa do bem-sucedido burocrata, ameaçando revelar para sua família os podres de seu passado comum.

Em Um erro emocional (Record, 2010, 192 págs.), risos, suspiros e olhares que se desligam das ações do outro são os indícios de que, se palavras não estão saindo, é certo que elas correm de um lado para o outro das cabeças, evocando imagens e traçando planos. A maior parte das poucas frases ditas são banais, tolas, erráticas, constrangedoras até. Mesmo os pensamentos são por vezes cortados, atropelados por outros mais prementes. Momentos-chave do passado e momentos estáticos do presente revezam-se na narrativa. O ponto de vista salta o tempo todo de um personagem para outro.

Sabem Esperando Godot? Pois é. No texto de Tezza é como se Paulo estivesse esperando Beatriz, e vice-versa, e como se nenhum jamais viesse a aparecer. Pensamos, "Que comportamento esdrúxulo, o desses dois!". Mas talvez não. É como se primeiro eventos fundamentais do passado precisassem ser recordados, elaborados e remoídos em solidão antes que as vidas presentes pudessem ser retomadas e talvez entrelaçadas naquela noite, naquele apartamento. Ora, será que não é isso o que todos nós fazemos quando imaginamos estar prestes a se engajar com alguém especial em uma relação com chances de durar por muito tempo? Apenas nunca sentimos a pressão de ter que passar por todo o processo em uma noite só, e ainda por cima na presença desse alguém. Então, apesar de tudo, pode ser que Beatriz e Paulo estejam menos perdidos do que imaginam.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no blog coletivo Amálgama.

Para ir além






Daniel Lopes
Teresina, 23/11/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Crime e mistério nas letras nacionais de Luis Eduardo Matta
02. Estamos Salvos de Rennata Airoldi
03. Origem do Terror de André Pires
04. Pare, Lola, Pare - e veja este filme de Daniela Sandler
05. Eu só quero chocolate de Marcelo Brisac


Mais Daniel Lopes
Mais Acessadas de Daniel Lopes
01. Não gostar de Machado - 3/6/2008
02. Quem é Daniel Lopes - 28/2/1984
03. Chris Hedges não acredita nos ateus - 1/7/2008
04. O romance espinhoso de Marco Lacerda - 11/7/2007
05. Umas e outras sobre Franz Kafka - 27/8/2007


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




As Origens e a História das Ordens de Cavalaria
Kevin L. Gest
Madras
(2012)



Peregrinos Retiro Popular
Dom Alberto Taveira Corrêa
Canção Nova
(2011)



O Legado de Gutenberg ,e Industria Grafica Brasileira com edição integral da Biblia Sagrada Novo Testamento
Max Schrappe
Ripasa
(2001)
+ frete grátis



Você
Coleção Segredos do Coração
Ciranda Cultural
(2009)



Crescer Não é Fácil
José Roberto Mendonça de Barros
Campus
(2012)



Die Suche Nach Dem Regenbogen
Judith Merkle Riley
Bastei Lubbe
(1994)



O Sermão da Montanha
Lourenço Diaféria
Feb
(2010)



Encontro Com o Futuro
Arthur C. Clarke
Pallas Sa
(1975)



La Curacion de las Endermedades Mediante El Poder del Pensamiento
Kate Atkinson Boehme
Victor Hugo
(1956)



Doenças dos Pássaros e Outras Aves
Deila Maria Ferreira Scharra
Cátedra
(1987)





busca | avançada
72073 visitas/dia
1,8 milhão/mês