Roçando a poesia de Alberto Beuttenmüller | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> Festa na floresta
>>> A crítica musical
>>> 26 de Julho #digestivo10anos
>>> Por que escrevo
>>> História dos Estados Unidos
>>> Meu Telefunken
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O apanhador no campo de centeio
>>> Curriculum vitae
Mais Recentes
>>> Recordações da casa dos mortos de Fiodor Dostoiévski pela Nova Alexandria (2006)
>>> Elric de Melniboné: a traição ao imperador de Michael Moorcock pela Generale (2015)
>>> O Príncipe de Nicolau Maquiavel pela Vozes de Bolso (2018)
>>> Deuses Americanos de Neil Gaiman pela Conrad (2002)
>>> Deus é inocente – a imprensa, não de Carlos Dorneles pela Globo (2003)
>>> Memórias do subsolo de Fiodor Dostoiévski pela 34 (2000)
>>> Songbook - Tom Jobim, Volume 3 de Almir Chediak pela Lumiar (1990)
>>> Comunicação e contra-hegemonia de Eduardo Granja Coutinho (org.) pela EdUFRJ (2008)
>>> Caetano Veloso Songbook V. 1 de Almir Chediak pela Lumiar
>>> Origami a Milenar Arte das Dobraduras de Carlos Genova pela Escrituras (2004)
>>> O vampiro Lestat de Anne Rice pela Rocco (1999)
>>> Nova enciclopédia ilustrada Folha volume 2 de Folha de São Paulo pela Publifolha (1996)
>>> Esperança para a família de Willie e Elaine Oliver pela Cpb (2018)
>>> Leituras do presente de Valdir Prigol pela Argos (2007)
>>> Insight de Daniel C. Luz pela Dvs (2001)
>>> Política e relações internacionais de Marcus Faro de Castro pela UnB (2005)
>>> Harry Potter e a Pedra Filosofal de J. K. Rowling pela Rocco (2000)
>>> Infinite Jest de David Foster Wallace pela Back Bay Books (1996)
>>> Nine Dragons de Michael Connelly pela Hieronymus (2009)
>>> The Innocent de Taylor Stevens pela Crown Publishers (2011)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> Filosofia Para Crianças e Adolescentes de Maria Luiza Silveira Teles pela Vozes (2008)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> Vida de São Francisco de Assis de Tomás de Celano pela Vozes (2018)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
>>> Astrologia e Fatalismo Magnetismo e Hipnose de Ferni Genevè pela Fase (1983)
>>> Práticas da leitura de Roger Chartier (org.) pela Estação Liberdade (2001)
>>> Universo em Desencanto A Verdadeira Origem da Humanidade Vol 1 de Não Informada pela Mundo Racional
>>> Matemática Financeira de Roberto Zentgraf pela Ztg (2002)
>>> Como Negociar Qualquer Coisa Com Qualquer Pessoa Em Qualquer Lugar do Mundo de Frank L. Acuff pela Senac (1998)
>>> Morte e Vida Severinas: das Ressurreições e Conservações ... Ed. Ltda. de Nelci Tinem e Luizamorim: Organização pela Impre. Univ. J. Pessoa (2012)
>>> Mais Trinta Mulheres que Estão Fazendo a Nova Literatura de Luiz Ruffato pela Record (2005)
>>> Príncipe Sidarta A Fuga do Palácio de Patricia Chendi pela Rocco (2000)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Smart Work Why Organizations Full Of Intelligent People ... de Steven A. Stanton pela Do Autor (2016)
>>> Estatística Objetiva de Roberto Zentgraf pela Ztg (2001)
>>> Diários Messiânicos: uma Experiência de Extensão Universitária de Bruno Cesar Euphrasio de Mello pela Univ. Federal Rgs. (2015)
>>> The Lost Symbol de Dan Brown pela Doubleday (2009)
>>> Dez Dias de Cortiço de Ivan Jaf pela Ática (2009)
>>> Medicina do Além Um Presente de Jesus para a Humanidade de Fabio Alessio Romano Dionisi pela Dionisi (2014)
>>> Energia Renovável de Dme pela Dme
>>> São João Paulo Grande Seus Cinco Amores de Jason Evert pela Quadrante (2018)
>>> At Risk de Patricia Cornwell pela Little Brown And Company (2006)
COLUNAS

Terça-feira, 30/11/2010
Roçando a poesia de Alberto Beuttenmüller
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 2900 Acessos


LIANA TIMM© (http://timm.art.br/)

A pele da palavra é o nome do livro de poesias que Alberto Beuttenmüller publicou este ano pela Editora Aquariana, de São Paulo. Além dos poemas, o livro traz uma série de textos críticos escritos por Benedito Nunes, Nelly Novaes Coelho, Helio Pólvora e Mário Chamie. Ainda somos presenteados com uma belíssima narrativa de dois encontros entre o poeta e ninguém menos que Jorge Luis Borges ― o primeiro, no Brasil, em 1970, e o segundo, na Argentina, em 1977.

O livro reúne poemas datados de 1963 até 2009. Sentimos falta de uma explicação numa apresentação sobre o sentido da divisão do livro em várias partes, com poemas de datas diversas e títulos diversos como, por exemplo, "Parte 1 ― Poemas em progresso, 1991-2009", "A pele da palavra, opus 1, 1991-2009", "Cidades, 1963-2007", "Sociedades, 1980-2007", "Inéditos, 1963-2007" etc. Deduzimos dessa colocação dos capítulos que são poemas selecionados de outras obras, agora reunidos nesta edição de 2010, contando ainda com a publicação de inéditos de várias épocas, pois a data inicial dos referidos poemas é de 1963.

Benedito Nunes situa a poesia de Beuttenmüller dentro de uma prática que "se afirma insuflando na linguagem comum, sob a continuidade aparentemente arrítmica da prosa, uma nova retórica, que valorize, ao lado da exploração interna das palavras, os nexos sintáticos". E num jogo interessante, lúdico, sua poesia realmente se faz nessa brincadeira de nexos, que busca significar e insignificar, multiplicar sentidos ou esvaziá-los quando necessário, como nos seguintes versos: "Como cobra despela-se/ In-signi-fica-se,/ como apelo e atropelo".

Essa liberdade, primeiro de se fazer rítmica, depois livre das regras lógicas, acrescenta ao poema a mesma velocidade do mundo, suas contradições, seus agenciamentos desordenados, seu bric-a-brac, seu jogo de linguagem, suas formas-valise, sua verbo-visualidade (como no poema "Mulher", que tem o formato plástico de um santo).

Lendo assim os poemas, eles nos maravilham de dois pontos de vista: sua forma entrecortada, como as paisagens/arquiteturas das cidades modernas, e por sua musicalidade, também, entrecortada, como as guitarras sensuais do rock ou as improvisações nervosas do jazz.

O delírio erótico é outro elemento constante nos poemas, que se faz presente em jogos de palavras, quase verdadeiros cruzamentos dos sexos: "às vezes, pele por pele, às vezes sexo por nexo (...) por entre as pernas/ da palavra amor/ a pele expele/ sexo na palavra".

Essa dimensão do erótico pode ser deliciado no poema "Milão", que reproduzo abaixo, onde a mistura das partes da cidade, seu sol, calor e arquitetura levam seus habitantes à cópula geradora da vida.

"Milão
Entre as coxas do verão: Milão
Nas ruas nuas
Seios a romper blusas de sedas
Olhares eróticos na tarde
Na santidade do Duomo
Seios e sexos em cio
O verão de Milão
É pai de muita gente"

Mesmo em poemas tão valises, onde as palavras são agrupadas em seu sentido sonoro, Eros não deixa de participar, inclusive alocando visualidade e sonoridade. É o caso, por exemplo, do poema "Avalovara", dedicado a, evidentemente, Osman Lins. Veja trecho:

"Aveverso
Avesexo
Falopalavra
Avefalo
Avesseixo"

Esse apreço pela forma visual do poema e seu sentido pode ser visto no poema "Barca de Niterói", que também traz a denúncia da alienação da vida sob o capitalismo. O poema, do qual reproduziremos apenas trechos, tem o formato visual das famosas barcas que fazem o percurso Rio-Niterói (aqui não reproduzimos o formato).

"Barca de Niterói
O que mais dói na Barca de Niterói?
Grand moinho dentado
A sanguessugar o mar
O que nos rói na barca de Niterói?
O menino sem sapato
Ou aquele outro sem pé?
(...)
Funcionários funcionando
Como fuças funcionais
Entre bancos e abraços
Mastigando o tempo
De nada ter que fazer
(...)
Tudo ficou do outro lado
Como nos corrói a barca de Niterói
Dos olhos e mãos
Rolam ampulhetas cansadas
Cansadas de ser cansadas
Na barca de Niterói"

Um poema bastante forte dentro do livro é "Katatruz", espécie de máquina devoradora, que percebe e consome, sob o silêncio da madrugada, as vidas, paixões, injustiças, contradições, amor, sonhos, desejos... enfim, a totalidade da qual é feita toda a vida humana. Espécie de catadora de lixo ou restos humanos "a máquina nos fere", espécie de "máquina maquiavélica", nos cata nos instantes de mentira, verdade, delírio, solidão, desprezo, desespero.

As imagens construídas pelo poema são, por vezes, assustadoras, de uma máquina impiedosa a catar nossos dissabores, e pior, a revelá-los em nossa sina de amargurados seres que penam sobre a terra e sofrem sob a égide do Capital. Em alguns momentos somos tão parecidos com a própria "Katatruz" que sentimos seus braços mecânicos como nossos, sentimos sua voracidade como nossa, sentimos seu desejo destruidor como nosso.

Há momentos de lirismo amoroso no livro, que justificam o seu título, nos quais o prazer nos toca pelo jogo de aliterações das palavras e por seu significado amoroso imediato. É o caso do poema "Poema da amada":

"Navego, como se em voo cego,
a bela paisagem do teu corpo
alço-me por entre montes e vales
entre grutas florestas
vagueiam meus lábios vulgares
pelo pulsar anseio de teus seios
onde perco meu mapa e minha rota:
na laguna úmida do teu plexo,
na solidão do teu sol solitário.
Alço-me pela montanha do teu púbis
em plena floresta negra adentro
umedeço-me em teus grandes lábios
sacio a minha sede nesse teu oásis
de teu fremente corpo só miragem
com minhas impudicas mãos impunes
tateio toda tua geografia
mas
nada descubro nesse corpo-fogo
porque tu mulher mais que amada
tu és mais que o obscuro segredo
do insano clarão do meu desejo.

O que é constante na poesia de Beuttenmüller é a ideia da construção de uma possibilidade da liberdade de pensar o mundo se encontrar com a possibilidade da liberdade da língua traçar nexos verbais-sonoros coerentes com essa reflexão. Sua poesia é o resultado, portanto, de uma reflexão de mão dupla, entre linguagem e mundo, que se realiza de forma contundente, por vezes divertida, mas no mais das vezes ácida, irônica e incômoda.


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 30/11/2010


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2010
01. Poesia sem ancoradouro: Ana Martins Marques - 23/3/2010
02. Rimbaud, biografia do poeta maldito - 10/8/2010
03. 29ª Bienal de São Paulo: a politica da arte - 12/10/2010
04. A letargia crítica na feira do vale-tudo da arte - 5/1/2010
05. Inhotim: arte contemporânea e natureza - 2/3/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ALDNY FAYA
MARIA ESTAVA MORTA 4989
DO AUTOR
R$ 10,00



DEPOIS DO SILÊNCIO
RAUL MARQUES
7 LETRAS
(2009)
R$ 19,00



POMPOAR - A ARTE DE AMAR
STELLA ALVES
MADRAS
(2008)
R$ 27,23



MUITO ALÉM DA HIERARQUIA
PEDRO MANDELLI
GENTE
(2007)
R$ 25,00



A COROA DE ORQUÍDEAS E OUTROS CONTOS DE A VIDA COMO ELA É
NELSON RODRIGUES
COMPANHIA DAS LETRAS
(1993)
R$ 15,00



MILAGRES: DEUS FAZ COISAS EXTRAORDINÁRIAS NA VIDA DE QUEM TEM FÉ
ESTEVAM HERNANDES
THOMAS NELSON - VIDA MELHOR
(2013)
R$ 23,86



HISTÓRIA DE ROMA
MÁRIO CURTIS GIORDANI
VOZES
(1972)
R$ 28,00



OAB NACIONAL 1ª FASE - TEORIA UNIFICADA
SIMONE DIOGO CARVALHO FIGUEIREDO
SARAIVA
(2010)
R$ 15,50



TEMAS DE HOJE PROBLEMAS DE SEMPRE
RICHARD SIMONETTI
CORREIO FRATERNO
(1996)
R$ 6,90



A VERDADE DE CADA UM - 1ª ED.
ZÍBIA GASPARETTO / ESPÍRITO LUCIUS
VIDA E CONSCIÊNCIA
(1996)
R$ 11,00





busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês