Os clássicos e o leitor de hoje | Lolita Beretta | Digestivo Cultural

busca | avançada
50081 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Balé de repertório, D. Quixote estará no Teatro Alfa dia 27/1
>>> Show de Zé Guilherme no Teatro da Rotina marca lançamento do EP ZÉ
>>> Baianas da Vai-Vai são convidadas de roda de conversa no Teatro do Incêndio
>>> Airto Moreira e Flora Purim se despedem dos palcos em duas apresentações no Sesc Belenzinho
>>> Jurema Pessanha apresenta sambas clássicos e contemporâneos no teatro do Sesc Belenzinho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> O melhor da Deutsche Grammophon em 2021
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
Últimos Posts
>>> Brega Night Dance Club e o afrofuturismo amazônico
>>> Fazer o que?
>>> Olhar para longe
>>> Talvez assim
>>> Subversão da alma
>>> Bons e Maus
>>> Sempre há uma próxima vez
>>> Iguais sempre
>>> Entre outros
>>> Corpo e alma
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Na minha opinião...
>>> Tempo vida poesia 4/5
>>> Torce, retorce, procuro, mas não vejo...
>>> Lambidinha
>>> Lambidinha
>>> 12 tipos de cliente do revisor de textos
>>> A Grande História da Evolução, de Richard Dawkins
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Malcolm, jornalismo em quadrinhos
>>> PETITE FLEUR
Mais Recentes
>>> Jogos para a Estimulação das Múltiplas Inteligências de Celso Antunes pela Vozes (1999)
>>> Por Amor de Nossos Filhos - de Dietmar Rost pela Paulinas (1985)
>>> O jogo do anjo de Carlos Ruiz Zafón pela Objetiva (2011)
>>> Reflexões Sobre O Ensino Da Leitura E Da Escrita de Ana Teberosky e Beatriz Cardoso pela Unicamp (1991)
>>> Reflexões Sobre O Ensino Da Leitura E Da Escrita de Ana Teberosky e Beatriz Cardoso pela Unicamp (1991)
>>> Os 100 Segredos dos Bons Relacionamentos de Davd Niven pela Sextante (2003)
>>> Minha Vida de Walter Sandro pela Wgs Group (2004)
>>> Minha Vida de Walter Sandro pela Wgs Group (2004)
>>> Apologia de Sócrates-Banquete-Platão de Platão pela Martin Claret (2008)
>>> Manual de Direito Penal volume 3 de Julio Fabbrini Mirabete pela Atlas (1987)
>>> Motivação e Sucesso de Walter Sandro pela Wgs Group (1990)
>>> Manual de Direito Penal volume 2 de Julio Fabbrini Mirabete pela Atlas (1987)
>>> Cigarros Coleção Doutor Drauzio Varella de Drauzio Varella pela Gold (2009)
>>> Teoria Geral da Administração de Antonio Cesar Amaru Maximiano pela Atlas (2000)
>>> Matemática Financeira de João Carlos dos Santos pela Educacional (2015)
>>> Contabilidade de Gisele Zanardi P Wagner Luiz V Willian F dos Santos pela Educacional (2015)
>>> Elementos de Direito Constitucional de Michel Temer pela Revista Dos Tribunais (1983)
>>> Solanin 2 - Pocket de Inio Asano pela L&pm Pocket (2006)
>>> Niño y adolescentes creciente en contextos de pobreza de Irene Rizzini, Maria Helena Zamora e Ricardo Fletes Corona pela Puc (2006)
>>> Solanin 1 - Pocket de Inio Asano pela L&pm Pocket Manga (2006)
>>> 25 Anos do Menino Maluquinho - Já? Nem Parece! de Ziraldo pela Globinho (2006)
>>> Todos os Milhões do Tio Patinhas - Volume 1 de Vitaliano; Fausto pela Panini Comics (2020)
>>> Chavez Nuestro de Rosa Miriam Elizalde e Luis Báez pela Abril
>>> Nos labirintos da moral de Mario Sergio Cortella e Yves de La Taille pela Nos labirintos da moral (2005)
>>> Minha Imagem -Romance Espirita de Schellida / Eliana Machado Coelho pela Lumen (2013)
COLUNAS

Terça-feira, 12/4/2011
Os clássicos e o leitor de hoje
Lolita Beretta

+ de 8100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Publicar um texto, hoje, passa quase que apenas pelo desejo do autor. Blogs, redes sociais, portais de jornalismo e de escritores independentes, estão, felizmente, a serviço do texto e de sua divulgação quase instantânea. Eu, por exemplo, li o texto "A rentável miséria da literatura" aqui no Digestivo Cultural, porque recebi, minuto após minuto, tweets que o mencionavam, e geralmente de modo positivo. Foram mais de 1000 acessos, só numa manhã.

Num determinado momento, a repercussão do texto fez com que a pergunta "Por que não transformar os clássicos em literatura de massa?" chegasse à minha tela de computador. Foi aí que parei para escrever, até porque, como disse no início, publicar um texto hoje... "A rentável miséria da literatura" gerou diálogo. Interlocução. Quem leu e passou adiante produziu uma "resposta" ao texto. E este é um dos grandes objetivos de qualquer texto. Que ele seja respondido, da forma como o leitor puder e quiser: citando trechos na internet, recomendando-o a um amigo, buscando outra leitura na área, indo ao dicionário procurar que diabos significa "insurretos", e por aí vai.

Mas a minha pergunta diante desse texto ― a minha "resposta", conforme Bakhtin e outros teóricos da área, ― é: estamos declarando o empobrecimento da literatura com lentes que representam a nossa época? Por exemplo: será que um personagem de Goethe diz algo sobre o que se entende por poemas e "direito à existência literária" nos dias de hoje? E, se concordamos que a literatura está, sim, empobrecendo, quantas outras formas de expressão artísticas não estão ganhando espaço e sendo reinventadas a cada dia?

É natural que algumas coisas percam e outras ganhem espaço na medida em que há uma alteração radical dos hábitos e das formas de interação que conhecemos. Que poder tem um livro, e mais ainda, um clássico, para que chame mais atenção que um "i" alguma coisa? Muito. Mas uma tela de celular oferece muito mais interação do que os livros, da forma como estes têm chegado aos jovens (futuros) leitores.

O que tem sido feito na sala de aula é um caminho atrapalhado, inverso, que afasta os jovens do universo dos livros. Ao invés de trabalhar na árdua e contínua conquista de leitores, a escola os obriga a passar por leituras que pouco lhe dizem respeito e que naturalmente geram um certo repúdio aos livros. Isso sem contar os efeitos sobre a autoestima, visto que grande parte das leituras exigidas são incompreensíveis à maioria dos jovens.

Eis que a escola insiste no erro: Machado de Assis quase sempre surge como uma das primeiras leituras obrigatórias de um adolescente. Mas Machado não representa e não dialoga com quase nada do universo do jovem contemporâneo. Não inicialmente. Não sem um trabalho e um repertório prévios a esta leitura. E mais: o professor prefere ignorar esse estranhamento dos alunos a entendê-lo, discuti-lo, e, para facilitar o processo, oferece leituras qualificadas de estudiosos que explicam o que o autor quis dizer para todos aqueles que não entenderam nada.

Um ponto importante é que a busca e o interesse pelos clássicos devem ser o resultado de muita leitura. Leituras que tenham tido significado para o leitor, que tenham, em algum momento, envolvido o leitor de modo a lhe dizer: "Ei, ler um livro pode ser muito bacana!". Para chegarmos a isso, porém, precisamos de professores que se engajem verdadeiramente na formação do leitor. Se não houver um trabalho escolar cotidiano que estimule e desenvolva o diálogo com o que se lê, dificilmente se chega a formar um leitor de clássicos. Mas também: e, se não ler os clássicos, que problema tem? Os clássicos nunca foram de massa.

O que a maioria dos best-sellers oferece é essa leitura confortável, de iniciante. Nela, não há aprofundamento, tampouco a criação de um conflito no leitor. Porque ler mais e ler os clássicos é também se defrontar com obstáculos, com leituras nem sempre fáceis de si mesmo e do mundo.

Não podemos negar que é algo muito positivo ver o número de leitores sempre aumentando. As livrarias que freqüento estão sempre cheias, e cheias dos mais variados leitores. Os clássicos, os grandes autores, estão, sim, nas estantes e vitrines. Geralmente, com capas bonitas, reedições de luxo, comentadas. Acontece que a maioria sempre acaba escolhendo o livro ao lado. Estes leitores, que não são poucos, estão sendo preparados para que tipo de leitura? Ou melhor: para desenvolver que tipo de relação com o que é lido? Por acaso este leitor dialoga, de fato, com o que está lendo?

Volto à "rentável miséria da literatura": este diálogo que estamos tendo aqui tem como pano de fundo todo um repertório de leitura de ambos os lados. Imagino que todos ou quase todos os leitores do Digestivo Cultural já leram algum clássico. Foram leitores estimulados e formados para ter uma interação efetiva com o que lêem. Mas daí para se cobrar do outro esta mesma paixão pela leitura é algo quase cruel. Porque falta, antes disso, uma escola a lhe oferecer uma base que permita que seja ele próprio a decidir o que vai ler...

Nota do Editor
Este texto é, naturalmente, uma resposta a "A rentável miséria da literatura".


Lolita Beretta
Porto Alegre, 12/4/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Saudade de ser 'professor' de Filosofia de Cassionei Niches Petry
02. Caras e bocas e um bolo abatumado de Marcelo Spalding
03. Concerto Campestre, um clássico contemporâneo de Gabriela Vargas
04. Desconstruindo o Russo de Julio Daio Borges
05. Fellini de Maurício Dias


Mais Lolita Beretta
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
27/5/2011
11h53min
Respondendo à pergunta "Que poder tem um livro, e mais ainda, um clássico, para que chame mais atenção que um 'i' alguma coisa?", tem o poder dos vinhos de primeira, que só os paladares apurados conseguem apreciar, enquanto o resto se contenta com cachaça. É preciso bom-gosto, refinamento intelectual, inteligência etc. para ler e apreciar um clássico. O "resto" lê qualquer coisa, quando lê.
[Leia outros Comentários de Gil Cleber]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Português Linguagens 7ª Série Manual Professor
Willian Roberto Cereja Thereza Cochar Magalhães
Atual
(2006)



Economia Bandida (lacrado)
Loretta Napoleoni
Bertrand Brasil
(2010)



DEF 2000/01 Dicionário de Especialista farmacêuticas
Não informado
Jornal Brasileiro de Medicina
(2000)



Finanças Corporativas
José Carlos Franco de Abreu Filho
Fgv
(2008)



Teoria do Reforço para Professores
Madeline Hunter
Vozes
(1981)



Guerra Civil
Stuart Moore
Novo Século
(2016)



Como Lidar com a Mídia
Paulo Henrique Amorim
Geração
(2019)



Completa Biblioteca do Ensino Atual - História, Soc., Filos e Psic.
Não informado
Difusão Cultural do Livo
(2006)



O Caso - Sem Aviso - O Bagalô - Segundas Chances
r Lee Child - David Rosenfelt - Sarah Jio - Nick Trout
Seleções Reader`s Digest
(2015)



Brasil Iluminado
Gustavo Soares
Arteensaio
(2011)





busca | avançada
50081 visitas/dia
1,9 milhão/mês