Beijinho no ombro | Marcelo Centauro | Digestivo Cultural

busca | avançada
51146 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Evoluir celebra o mês das crianças com contação de história
>>> Editora H1 chega com proposta de modelo híbrido de apresentação de conteúdo
>>> CONCERTO OSESP MASP TEM NOVA APRESENTAÇÃO GRATUITA DIA 20 DE OUTUBRO
>>> 14ª Visões Urbanas tem Urbaninhas com quatro espetáculos para crianças
>>> Visões Urbanas permanece online em sua 14ª edição
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
Últimos Posts
>>> Mundo Brasil
>>> Anônimos
>>> Eu tu eles
>>> Brasileira muda paisagens de Veneza com exposição
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
Blogueiros
Mais Recentes
>>> José Moutinho
>>> Palavra na Tela – Crítica
>>> Paternidade
>>> Soul Bossa Nova
>>> Walking Dead - O caminho dos mortos na cultura pop
>>> Anomailas, por Gauguin
>>> Público, massa e multidão
>>> Saints and Sinners
>>> Teledramaturgia ao vivo
>>> Os narradores de Eliane Caffé
Mais Recentes
>>> Just in Time Mrp II Opt de Henrique L. Corrêa e Irineu G. N. Gianesi pela Atlas (1996)
>>> Economics de Michael Parkin pela Addison Wesley Longman (1999)
>>> Cold-Case Christianity - A Homicide Detective Investigates the claims of the gospels de J. Warner Wallace pela David Cook (2013)
>>> Operations and Supply Management The Core de F. Robert Jacobs e Richard Chase pela McGraw-Hill (2010)
>>> Orgulho e Preconceito de Jane Austen pela Pé da Letra (2021)
>>> The Wiki Way - Quick Collaboration on the Web de Bo Leuf - Ward Cunningham pela Addison Wesley (2004)
>>> Becky Bloom - Delírios De Consumo Na 5ª Avenida de Sophie Kinsella pela Record (2002)
>>> Gossip Girl Vol. 6- É Você que Eu Quero de Cecily von Ziegesar pela Record (2007)
>>> Curso de Direito Comercial - Direito de Empresa de Fábio Ulhoa Coelho pela Saraiva (2014)
>>> Direito Civil Brasileiro - Contratos e Atos Unilaterais vol. 3 de Carlos Roberto Gonçalves pela Saraiva (2012)
>>> Dicionário de Biblioteconomia e Arquivologia de Murilo Bastos da Cunha- Cordélia Robalinho Cavalcanti pela Briquet de Lemos (2008)
>>> A Year of Being Single de Fiona Collins pela Hq (2016)
>>> The Brightest Star in the Sky de Marian Keyes pela Penguin Books (2011)
>>> Contos Sombrios de Gabriel Maia pela Linhas Tortas (2019)
>>> Essentials of Marketing de McCarthy e Perreault pela Sixth Edition
>>> Java como Programar de Deitel pela Prentice Hall (2005)
>>> Leis do Amor de Francisco Candido Xavier pela Feb (1965)
>>> Seara dos Médiuns de Francisco Candido Xavier pela Feb (1985)
>>> Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim de Valter Turini pela O Clarim (2009)
>>> Os Segredos do Casarão de Elizabeth Artmann pela Petit (1999)
>>> A Segunda Chance... de Alfredo Pardini pela O Clarim (2009)
>>> O Segredo das Bem Aventuranças de José Lázaro Boberg pela Eme (2009)
>>> Sementes e Contos de Lauro Pereira pela Procriart (1985)
>>> Segue-Me!... de Francisco Cândido Xavier pela O Clarim (1978)
>>> Direito Civil Brasileiro - Direito Família vol. 6 de Carlos Roberto Gonçalves pela Saraiva (2013)
COLUNAS

Terça-feira, 1/4/2014
Beijinho no ombro
Marcelo Centauro

+ de 8000 Acessos

Nunca acompanhei a carreira da Valesca Popozuda, mas devo confessar que ela me é uma figura simpática. Não por sua atividade artística, que mal conheço, menos ainda por sua bunda, que dispensa comentários, mas por uma imagem - talvez falsa - de mulher liberada. Infelizmente, mulher falando abertamente de sexo é tabu, continua sendo, e por isso ela acaba por desempenhar uma função necessária. Além disso, quando vez ou outra defende posições favoráveis ao casamento gay, acentua sua veia liberal quanto aos costumes, o que é importante, sobretudo com o crescimento do fanatismo religioso no Brasil. Por outro lado, entretanto, sinto-me capaz de apontar elementos na sua imagem que não me agradam muito, mas isso seria irrelevante frente ao que sua nova canção me despertou.

Cá entre nós, li algumas vezes a letra de "Beijinho no ombro", vi o vídeo na internet, e não consegui concatenar perfeitamente todos os versos. É certo que me falta o conhecimento contextual (por exemplo, de sua história como artista, do funk) para uma compreensão adequada, pois não posso supor que um clipe que, quando o procurei, havia sido visto por 8.989.335 pessoas possa ser tão enigmático como me pareceu. Felizmente, não pretendo fazer uma exegese da canção, não usarei meu tempo para tanto. Escrevo, porém, porque alguns versos me levaram a visualizar com clareza algo que há muito me incomoda e, dado que só sei pensar escrevendo, tive de vir ao papel.

Basicamente, o que me salta aos olhos na música é a oposição entre o sucesso e a inveja, ou melhor, é o fato de o eu lírico (posso usar esse termo?) se colocar na posição do êxito absoluto, ancorado na fé em Deus, e acreditar que as invejosas (perdedoras, como dizem os norte-americanos?) estão a todo tempo a observar seus passos. É como se, assim me parece, o eu lírico estivesse no centro do mundo, concentrasse todas as atenções e, mais do que isso, almejasse essa notoriedade, já que admite o desejo de que todas as inimigas tenham vida longa "pra que elas vejam cada dia mais nossa vitória" (em meio à egolatria da letra, esse "nossa" é curioso. Nós quem? Ela e Deus?).

Acho muito interessante esse desejo de notoriedade, em especial quando acompanhado da crença de que as outras pessoas nos invejam. Pergunto: o que nossas vidas têm de invejável? Considero a minha tão comum, tão besta, tão arroz com feijão que não consigo conceber que ninguém queira estar em meu lugar, exceto talvez quem passe fome ou esteja desempregado. Pelas conquistas que julgo ter tido, umas poucas, duas ou três, se tanto, não nutro louvor e sinceramente acredito que são equivalentes às realizações de alguns amigos, as quais acompanhei com alegria. Não me coloco acima, também não me coloco abaixo. No fundo, acho nossas vidas muito semelhantes, vejo a miséria humana repartida em todas elas.

Ademais, ser invejado deve ser terrível, suponho eu, e não vejo mérito algum nisso. Se a franqueza me é permitida, acho extremamente tacanho alguém dizer que os outros lhe têm inveja. Isso implica se colocar acima, se julgar importante - e quem de fato o é? Todo esse papo de inveja, no entanto, revela o quanto, para muitos de nós, a vida anônima, simples, soa sem graça. Parece que é problema ser comum. Não é à toa que no clipe a Valesca Popozuda seja uma rainha e tenha uma águia no espaldar de seu trono e um tigre a seus pés. Um plebeu passeando com seu cachorro não chamaria atenção alguma. É preciso ser especial, superior, de preferência único! Ser comum é ser ninguém. Dá-lhe presunção! Como antídoto, será que vale lembrar Montaigne? "Por mais alto que seja o trono que ocupemos, sempre estaremos sentados sobre nosso cu."

Nota do Editor:
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no blog Armadura de Vento.


Marcelo Centauro
Itabira, 1/4/2014


Mais Marcelo Centauro
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




1808: como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a história de Portugal e do Brasil
Laurentino Gomes
Planeta do Brasil
(2007)



A Historia Mais Longa Do Mundo - Infanto
Rosane Pamplona
Brinque book
(2009)



Fort of Apocalypse 2
Yu Kuraishi e Kazu Inabe
Jbc
(2017)



Paisagem Vista do Trem
Antonio Calloni
Papirus 7 Mares
(2008)



Como Sair Dessa
Márcia Prado Sartorelli e Outros
Ftd
(1999)



O Direito é Legal
Lamartino Franca de Oliveira
Ltr



Transformando Crise Em Oportunidade
João Paulo dos Reis Velloso
José Olympio
(2007)



Yakuza - Um levantamento explosivo do submundo japonês do crime
David Kaplan & Alec Dubro
Record
(1986)



Um Artista do Mundo Flutuante
Kazuo Ishiguro
Rocco
(1989)



Werner Herzog: o Cinema Como Realidade
Lúcia Nagib
Estação Liberdade
(1991)





busca | avançada
51146 visitas/dia
1,8 milhão/mês