Por um 2015 sem carteiradas | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
38320 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Nasi in blues no Bourbon
>>> De vinhos e oficinas literárias
>>> Michael Jackson: a lenda viva
>>> Gente que corre
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Reinaldo Azevedo no Fórum CLP
>>> Introdução ao filosofar, de Gerd Bornheim
>>> Companheiro dileto
>>> O Vendedor de Passados
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Sexta-feira, 9/1/2015
Por um 2015 sem carteiradas
Marta Barcellos

+ de 2300 Acessos

O Brasil de 2014 foi marcado por fortes emoções na política e no futebol, mas, em minha retrospectiva pessoal, nada aparece como mais sintomático do país que somos do que a carteirada do juiz que se julgava deus. A história foi divulgada no início de novembro, quando ainda estávamos atordoados com as emoções da Copa e das eleições: o juiz João Carlos de Souza Corrêa mandara prender, numa blitz da Lei Seca, uma agente de trânsito que ousou lembrá-lo da natureza não divina de seus poderes. Diante da carteirada, ela observou: é juiz mas não é deus.

A partir daí, todos conseguimos facilmente imaginar o juiz enfurecido, primeiro em sua ira bêbada, depois em sua vingança calculada (no processo judicial em que conseguiu penalizar a funcionária com uma multa). Tudo para provar que tem, sim, e pode usufruir dos poderes que acredita lhe terem sido outorgados (por deus?), ou ter conquistado (por mérito?).

A piada pronta da carteirada divina serviu para que outras semelhantes passassem a ser denunciadas. Isso mesmo, 'semelhantes', apesar de todo o estardalhaço da primeira delas na mídia. Apenas um mês depois, outro juiz deu ordem de prisão a três funcionários da TAM que o impediram de entrar atrasado em um voo, cujos procedimentos de embarque haviam sido encerrados. E, como se um exemplo negativo inspirasse o outro, no antepenúltimo dia do ano um tenente da Aeronáutica também resolveu dar voz de prisão a um funcionário da mesma companhia aérea, pelo mesmo motivo de não ter conseguido atrasar o voo para que tivesse o privilégio de embarcar com a família.

(Aqui uma pergunta-parênteses se impõe: o quanto as "autoridades" estão acostumadas a embarcar atrasadas em aeronaves, depois de devidamente identificadas?)

O lado positivo disso tudo é a percepção de que deixamos de nos intimidar tanto com as carteiradas, provavelmente porque confiamos mais nas instituições que zelam pelo velho preceito da igualdade entre nós. Vale lembrar, o "sabe com quem está falando" é tão antigo quanto o Brasil, usado sem cerimônia pelos bem nascidos da elite, cujos privilégios se estabeleciam desde a origem. Quando confundidos com o "resto", uma situação em si só constrangedora para eles, não hesitavam em apresentar suas credenciais, em geral o nome de família.

O que me intriga é que as carteiradas agora envolvam também alguma dose de "mérito". Explico. Os estudantes que conseguem entrar nas melhores faculdades de direito em geral são oriundos de famílias mais abastadas, porém não basta isso para se tornar juiz: é preciso um conhecimento excepcional, muita dedicação e uma inteligência acima de média para chegar aos primeiros lugares dos concursos públicos. Ou seja, não basta ser filhinho de papai. É preciso mérito para vencer uma disputa acirrada e sem direito a carteiradas - pelo menos durante o processo.

Mas eis que um dia, depois desta competição feroz na qual provou sua superioridade sobre tantos que sucumbiram pelo caminho, aqueles que não passaram pelo funil do mérito, eis que um dia este estudante "chega lá". Ele passou no vestibular para medicina na USP, o mais difícil do país; ele tirou o primeiro lugar no concurso público para iniciar uma brilhante carreira de juiz. Alcançando esta nova etapa - na qual, em muitos países, aí sim ele deveria sentir a responsabilidade de precisar provar à sociedade o seu valor -, lhe parece tudo conquistado. Ele "chegou lá", venceu, o futuro está garantido. Para completar, ele encontrará neste topo um ambiente de corporativismo, uma espécie de irmandade de vencedores que saberão se proteger do "resto", aqueles que não passaram pelo funil e não compreendem a natureza (quase divina) de um valor avalizado por dura competição (terrena).

Não se trata aqui de generalizar. A grande maioria dos juízes não dá carteirada, nem se julga acima do bem e do mal, assim como apenas uma minoria dos estudantes de medicina da USP esteve envolvida em episódios de estupros e acobertamentos. O que proponho aqui, neste raciocínio, é apenas questionar a eficácia de processos de seleção nos quais dificilmente se conseguirá avaliar a simples capacidade de se colocar no lugar dos outros - algo tão, tão imprescindível em profissões com estas.

Uma pesquisa com executivos de empresas certa vez constatou que os mais altos postos de comando com frequência são ocupados por profissionais com algum grau de psicopatia. A explicação era relativamente simples: para "chegar lá", na presidência, por exemplo, quase sempre é necessária uma boa dose de insensibilidade em relação aos outros. Claro que um psicopata na presidência também representa um risco para as companhias, que passaram a ficar mais atentas a outras características (não tão "vencedoras" e mais "humanas") entre os executivos que pretendem promover.

Pode ser utopia, mas, nestes tempos de aquecimento global, em que as ameaças pairam sobre uma coletividade, está mais do que na hora de valorizarmos outros tipos de competências/inteligências em nossas lideranças, e também nos postos chaves da nossa sociedade. A competição e o individualismo podem ter mostrado sua eficiência no sistema capitalista, mas as novas gerações começam a perceber os riscos dessa fórmula, e a limitação que ela impõe para o futuro. Um futuro que será, sempre, coletivo.



Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 9/1/2015


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Oswald de Andrade e o homem cordial de Celso A. Uequed Pitol
02. Submissão, oportuno, mas não perene de Guilherme Carvalhal
03. Leblon de Marta Barcellos
04. O 'casamento' de Martin Scorsese e DiCaprio de Eduardo Maretti
05. Philomena de Marta Barcellos


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2015
01. Contra a breguice no Facebook - 5/6/2015
02. Uma entrevista literária - 11/12/2015
03. Dando conta de Minas - 7/8/2015
04. O gueto dos ricos - 20/3/2015
05. Quem é o abutre - 6/2/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DECIDA-SE PELO SUCESSO
NOAH ST. JOHN
CULTRIX
(2003)
R$ 29,90



TEEN VILLAGE 1
DAVID SPENCER
MACMILLAN
(2008)
R$ 10,00



DO FUTURO - FATOS, REFLEXÕES, ESTRATÉGIAS
ANTONIO PASQUALI
UNISINOS
(2004)
R$ 7,90



RECIFE DOS HOLANDESES
JULIETA DE GODOY LADEIRA
ÁTICA
(1990)
R$ 4,42



O HÓSPEDE DE DRÁCULA COLEÇÃO MINI BIBLIOTECA
BRAM STOKER
PUBLICAÇÕES EUROPA - AMÉRICA
(1996)
R$ 21,78



O CAVALEIRO DOS SETE REINOS HISTÓRIAS DO MUNDO DE GELO E FOGO
GEORGE R.R. MARTIN
LEYA
(2017)
R$ 42,00



A VERDADEIRA HISTÓRIA DE MARIA MADALENA
DAN BURSTEIN J. DE KEIJZER
EDIOURO
(2006)
R$ 74,00



O LAVATER DAS SENHORAS
EDOUARD HOCQUART
IMPRENSA OFICIAL
(2010)
R$ 31,99



O CANTOR PRISIONEIRO
ROGÉRIO BORGES; ASSIS BRASIL
MODERNA
(2004)
R$ 10,00



JUSTIÇA E COMPORTAMENTOS DE CIDADANIA NAS ORGANIZAÇÕES UMA ABORD
ARMÉNIO REGO
SÍLABO
(2000)
R$ 39,70





busca | avançada
38320 visitas/dia
1,3 milhão/mês