Uma entrevista literária | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
38549 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Pensando sozinho
>>> Minha casa, minha cama, minha mesa
>>> Aranhas e missangas na Moçambique de Mia Couto
>>> Novos Melhores Blogs
>>> Reflexões para um mundo em crise
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> A volta de Steve Jobs à Apple
>>> Muitos amores ao mesmo tempo
>>> O Brasil não é a Seleção Brasileira
>>> Para tudo existe uma palavra
Mais Recentes
>>> As Formas e a Vida: Estética e Ética no Jovem Lukács (1910-1918) de Carlos Eduardo Jordão Machado pela Unesp (2004)
>>> As Formas e a Vida: Estética e Ética no Jovem Lukács (1910-1918) de Carlos Eduardo Jordão Machado pela Unesp (2004)
>>> Supernatural - O Guia De Caca De Bobby Singer de David Reed pela Gryphus (2012)
>>> Os Heróis do Olimpo, Vol. 02 - O Filho de Netuno de Rick Riordan pela Intrínseca (2012)
>>> Os Heróis do Olimpo, Vol. 01 - O Herói Perdido de Rick Riordan pela Intrínseca (2014)
>>> O Diário de um Mago de Paulo Coelho pela Sextante (2012)
>>> Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban de J.K. Rowling pela Rocco (2019)
>>> C++: Como Programar (Com CD-ROM) de H. M. Deitel pela Bookman (2001)
>>> Contos de Imaginação e Mistério de Edgar Allan Poe pela Tordesilhas (2012)
>>> Golem e o Gênio - Uma Fábula Eterna de Helene Wecker pela Darkside Books (2015)
>>> O Físico - Edição Capa dura (Novo - Embalado) de Noah Gordon pela Rocco (2018)
>>> Por Que Calar Nossos Amores? - Poesia Homoerótica Latina de Raimundo Carvalho pela Autêntica (2017)
>>> O universo numa casca de noz de Stephen Hawking pela Intrínseca (2016)
>>> Supernatural - O Livro Dos Monstros, Espíritos, Demônios e Ghouls de Alex Irvine pela Gryphus (2011)
>>> O Espiritismo - a Sciencia Condemna de Dr. Jacob Huddleston Slater pela Autor
>>> Tratado de La Naturaleza Humana - V. 3 e último de David Hume pela Calpe (1923)
>>> Assassins Creed, Vol. 4 - Revelações de Oliver Bowden pela Galera Record (2013)
>>> A Revelação de Baháullah - Vols. 1 e 2 - Bagdá 1853 - 1863 de Adib Taherzadeh pela Bahai do Brasil (2002)
>>> Assassins Creed, Vol. 02 - Irmandade de Oliver Bowden pela Galera Record (2012)
>>> Em Busca da Satisfação dos Interesses da Vítima Penal de Alline Pedra Jorge pela Lumenjuris (2005)
>>> Acontece por Acaso de Pedro Luis Schlindwein pela Autores Paranaenses (2019)
>>> The Dictionary of Dreams and Their Meanings de Richard Craze pela Hermes House (2005)
>>> As Chaves do Reino, Vol. 04 - O Furioso Quinta-Feira de Garth Nix pela Fundamento (2010)
>>> As Chaves do Reino, Vol. 03 - Quarta-feira Submersa de Garth Nix pela Fundamento (2009)
>>> As Chaves do Reino, Vol. 2 - O Horrível Terça-Feira de Garth Nix pela Fundamento (2009)
>>> As Chaves do Reino, Vol. 01 - Sr. Segunda-Feira de Garth Nix pela Fundamento (2008)
>>> Hipnose - Descubra o poder da sua mente de Pyong Lee pela Outro Planeta (2018)
>>> A Chave para Rondo de Emily Rodda pela Fundamento (2010)
>>> As Crônicas das Irmãs Bruxas, Vol. 01 - Enfeitiçadas de Jessica Spotswood pela Arqueiro (2014)
>>> Trilogia Fronteiras do Universo, Vol. 01 - A Bússola de Ouro de Philip Pullman pela Objetiva (1995)
>>> Trilogia Fronteiras do Universo, Vol. 02 - A Faca Sutil de Philip Pullman pela Objetiva (1997)
>>> Assassins Creed, Vol. 05 - Renegado de Oliver Bowden pela Galera Record (2012)
>>> Os Heróis do Olimpo, Vol. 05 - O Sangue do Olimpo de Rick Riordan pela Intrínseca (2014)
>>> Sonho Febril de George R. R. Martin pela Leya (2019)
>>> Juízo Final: Odisseia dos Deuses de Horst Schadeck pela Chiado (2018)
>>> The Mystery of the Missing Antimatter de Helen R. Quinn pela Princeton University Press (2007)
>>> São José da Terra Firme de Gilberto Gerlach e Osni Machado pela Cultura Turismo São José (2004)
>>> Geometry - the Easy Way de Lawrence S. Leff pela Barrons (1997)
>>> A Solução Anabólica para Fisiculturistas de Dr. Mauro Di Pasquale pela Phorte (2006)
>>> Fallen, Vol. 3.5 - Apaixonados, Histórias de amor de Fallen de Lauren Kate pela Galera Record (2012)
>>> The Black Atlantic de Paul Gilroy pela Verso (1993)
>>> Fallen, Vol 03 - Paixão de Lauren Kate pela Galera Record (2016)
>>> Nos Céus de Paris - O romance da Vida de Santos Dumont de Alcy Cheuiche pela LPM Pocket (2001)
>>> Perda de uma Chance e Responsabilidade Civil dos Profissionais de Lisiane Lazzari Pietroski pela Conceito (2013)
>>> Acampamento Shadow Falls, Vol. 1 - Nascida à Meia-Noite de C.C. Hunter pela Jangada (2011)
>>> Comentários à Lei 11. 419/06 e as Práticas Processuais por Meio de Alexandre Atheniense pela Juruá (2010)
>>> Fallen, Vol. 04 - Êxtase de Lauren Kate pela Galera Record (2012)
>>> Administrando para Obter Resultados de Peter Drucker pela Thomson Pioneira (1998)
>>> Fallen, Vol. 01 de Lauren Kate pela Galera Record (2010)
>>> Clínica e Política: Subjetividade e Violão dos Direitos Humanos de Cristina Rauter / Eduardo Passos pela : Ifb Te Corá (2002)
COLUNAS

Sexta-feira, 11/12/2015
Uma entrevista literária
Marta Barcellos

+ de 2800 Acessos

Na primeira vez em que os papéis se inverteram - e me transformei de entrevistadora em entrevistada -, percebi estar ocupando um lugar muito estranho. Como jornalista, eu já tinha elaborado (um pouco) as questões em torno da dificuldade de perguntar, de seduzir o entrevistado para os próprios interesses (não necessariamente os dele), e da importância de uma edição honesta das respostas (a "redução" é inevitável).

Na inversão, seria fácil criticar - como em geral fazem os entrevistados, que, naturalmente, não elaboram as dificuldades inerentes à função do jornalista.

Por isso, aqui, só vou contar (enquanto não elaboro melhor) que a maior parte das entrevistas que tenho dado, depois de ganhar o Prêmio Sesc 2015 na categoria contos, foi por e-mail, por sugestão dos entrevistadores. Que a primeiríssima não foi publicada, não sei por quê. E que esta entrevista abaixo, concedida por e-mail, resultou na ótima matéria "Prêmios de 2015 são das mulheres", de Leonardo Cazes, publicada no Globo em 28 de novembro. Mas apenas um parágrafo foi utilizado, como já acontecera outras vezes comigo (estando dos dois lados da situação, diga-se).

Deleuze fala como é difícil "se explicar" numa entrevista: "A maior parte do tempo, quando me colocam uma questão, mesmo que ela me interesse, percebo que não tenho estritamente nada a dizer. As questões são fabricadas, como qualquer outra coisa." Isso porque as questões em geral são voltadas para o futuro, ou para o passado, nunca para os "devires". Especificamente numa entrevista literária, ele diz, há um dualismo entrevistador-entrevistado, seguido de outros, como homem-escritor, vida-obra, intenção-significação da obra etc:

"Há sempre uma máquina binária que preside a distribuição dos papéis e que faz com que todas as respostas devam passar por questões pré-formadas, já que as questões são calculadas sobre as supostas respostas prováveis segundo as significações dominantes." (Diálogos, de Gilles Deleuze e Claire Parnet).

Depois desta breve reflexão, que sem dúvida reduz bastante o valor da entrevista a seguir, ei-la, na íntegra (os leitores adoram entrevistas, bem sei):



- Você ganhou o Prêmio Sesc e publicou o seu primeiro livro de contos. Como foi o seu caminho até essa estreia literária? Já tinha tentado publicar de outras maneiras? Quais eram suas expectativas em relação ao livro?

Sempre escrevi. Primeiro foram pilhas de diários, depois vieram as reportagens em jornal e, com o surgimento da internet, as crônicas em um blog e no portal Digestivo Cultural. Quando saí labuta de jornal diário, depois de vinte anos em redação, busquei o caminho da profissionalização como escritora: entrei para o Laboratório de Vivência Literária, liderado por Luiz Ruffato, e fiz o mestrado em Literatura na PUC-Rio, com uma pesquisa sobre criação literária. Com esta nova base, me senti mais segura para escrever ficção. Na prática, foram cinco anos escrevendo o "Antes que seque", enquanto estudava e buscava uma voz própria para narrar as minhas histórias.

Neste caminho do jornalismo para a literatura, era importante conquistar uma espécie de aval, ter um sinal de que estava no caminho certo, de que tinha encontrado a minha voz própria na literatura. Não queria ser mais uma jornalista brincando de fazer ficção. Busquei o caminho dos concursos literários por acreditar neles, em sua idoneidade (ainda mais quando se usam pseudônimos, como no caso do Prêmio Sesc).

Atualmente, não é difícil publicar. Existem editoras pequenas e autopublicação a baixo custo. O difícil é ser levada a sério, ser lida de verdade, conseguir algum tipo de inserção no ambiente e no mercado literário. Por isso insisti no caminho dos prêmios, antes de partir para a publicação por uma editora pequena. Com o Prêmio Sesc, obtive não só uma chancela como a publicação pela Editora Record, com distribuição nacional e tiragem de 2 mil exemplares - um luxo no Brasil, ainda mais para um livro de contos.

Quanto às expectativas, o livro já começou a ser lido, comentado, a receber resenhas, a afetar as pessoas. Ganhou vida própria. Algumas "devoraram" e agora estão me cobrando o próximo livro. Pela primeira vez sinto uma responsabilidade, como se não dependesse mais de mim a opção de dar continuidade à carreira de escritora.

- O seu livro reúne 24 contos sobre 12 mulheres. Isso foi algo deliberado ou simplesmente aconteceu? De que forma o fato de você ser mulher influencia a sua escrita e os contos do livro?

O "Antes que seque" tem na verdade 22 contos, dos quais apenas cinco com foco narrativo masculino. De fato, no livro dominam as narrativas com ponto de vista feminino e as personagens mulheres fortes, porque foram estas as histórias que me afetaram no processo de criação literária, que me atravessaram. Acredito, porém, que buscar o ponto de vista do "outro", do diferente de si próprio, é um exercício do escritor - nem sempre fácil. Por enquanto, tenho encontrado no universo feminino um lugar de muitas possibilidades literárias. Talvez, justamente por se tratar de uma minoria, e não do poder dominante, seja um lugar de observação até mais interessante - se não houver preconceitos ou rótulos.

Agora, importante: a condição feminina, em sua complexidade, em suas armadilhas e limitações impostas historicamente pela sociedade, está presente porque atravessam as histórias e as personagens. Não está no livro na forma de denúncia ou de qualquer tentativa de fazer uma literatura feminina, feminista ou engajada. É literatura, ponto.

- Estudos apontam que as mulheres são minoria não só entre escritores, mas também entre personagens de romances. Há cerca de um ano, a escritora Luísa Geisler criticou, num artigo, a baixa representatividade de autoras mulheres em antologias, premiações e festivais. Você concorda com essa avaliação? Se sim, a que você atribui isso?

Obviamente a baixa representatividade das mulheres na literatura está relacionada ao preconceito. Não é algo consciente: o machismo está enraizado na sociedade, em todos nós. Mais em alguns setores da sociedade do que em outros. Parece mais "natural", por exemplo, eleger um escritor homem para representar a literatura brasileira em um evento. A mulher é a exceção, aquela que não é homem, enquanto o escritor homem, com seu personagem masculino e seus "temas" masculinos, parece produzir uma literatura mais "universal". É uma bobagem, claro: a boa literatura não tem gênero. Mas muita gente rotula o livro escrito por mulher como "mulherzinha", sem nem ler.

Isso está começando a mudar. Como acontece em outros setores da sociedade, para "chegar lá", enfrentando preconceitos e barreiras, as mulheres escritoras investem em formação: lotam as oficinas literárias. Nas universidades, onde começam a surgir graduações e pós-graduações em formação do escritor, elas também veem uma oportunidade. Não são tão confiantes, ainda temem não serem levadas a sério, não conseguirem entrar nas panelinhas masculinas, mas estão buscando o caminho da profissionalização.

O Prêmio Sesc deste ano foi exemplar disso. Das 1.966 inscrições, apenas um terço foi de mulheres. Pela primeira vez, foram duas premiadas (eu e Sheyla Smanioto), e com algo em comum: Sheyla fez a oficina literária do Marcelino Freire, enquanto eu fiz o Laboratório de Vivência Literária do Luiz Ruffato. Ambas acabamos de concluir um mestrado em Literatura, com pesquisas sobre criação literária, ela na Unicamp e eu na PUC-Rio. Se você observar os censos no Brasil, é assim que começa: as mulheres até superam os homens na escolaridade, mas ainda têm dificuldade para chegar ao topo (ao reconhecimento literário, aos festivais de literatura etc).

- Este ano, surgiu um clube de leitura, "Leia mulheres", que já está presente em nove cidades do Brasil. Você acha que iniciativas como essa são importantes? Você acredita que a própria tomada das ruas e das redes pelas mulheres este ano de alguma forma pode afetar a literatura e o mercado editorial?

Todo tipo de iniciativa para equilibrar a balança e "desnaturalizar" o preconceito é importante. O problema precisa ser primeiro reconhecido. Os curadores, críticos, jurados de concursos literários, leitores (e leitoras) precisam estar atentos ao próprio machismo, este que está enraizado na nossa cultura e vê a mulher como exceção em ambientes historicamente masculinos. Acredito muito nos novos movimentos feministas, na sua potência e na sua criatividade. Com certeza essa tomada de consciência vai ser refletir também no mercado editorial.



Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 11/12/2015


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2015
01. Contra a breguice no Facebook - 5/6/2015
02. Uma entrevista literária - 11/12/2015
03. Dando conta de Minas - 7/8/2015
04. Quem é o abutre - 6/2/2015
05. O gueto dos ricos - 20/3/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O MUNDO EM PORTUGUÊS - UM DIÁLOGO
FERNANDO HENRIQUE CARDOSO, MARIO SOARES
PAZ E TERRA
(1998)
R$ 25,00



A ARTE MESTIÇA ESCOLA CUSQUENHA DE PINTURA (EDIÇÃO BILÍNGUE)
MANUEL JULIO VERA DEL CARPIO

R$ 60,00



OXFORD ESCOLAR PARA ESTUDANTES BRASILEIROS DE INGLÊS - PORTUGUÊS-INGLÊS INGLÊS-PORTUGUÊS - EDIÇÃO ATUALIZADA
OXFORD
OXFORD
(2013)
R$ 35,00



OBRAS
EL MARQUES DE SANTILLANA
ESPASA
(1956)
R$ 30,28



KERNEL ONE STUDENTS BOOK TWO VOLUME PART B
ROBERT O NEILL
LONGMAN
(1978)
R$ 14,00



LACRIMOSA
HELTON CENCI
NOVO SECULO
(2010)
R$ 6,00



MANUAL DE CONTABILIDADE DAS SOCIEDADES POR AÇÕES
SERGIO DE IUDICIBUS E OUTROS
ATLAS
(2000)
R$ 40,00



FOR LOVE OF EVIL
PIERS ANTHONY
AVON BOOKS
(1988)
R$ 20,00



O CONDE ENFEITIÇADO
JULIA QUINN
ARQUEIRO
(2015)
R$ 19,90



USE A CABEÇA! SERVLETS & JSP
BRIAN BASHAM-KATHY SIERRA E BERT BATES
ALTA BOOKS
(2005)
R$ 69,90





busca | avançada
38549 visitas/dia
1,3 milhão/mês