A proposta libertária | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
39901 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> SÁBADO É DIA DE AULÃO GRATUITO DE GINÁSTICA DA SMART FIT NO GRAND PLAZA
>>> Curso de Formação de Agentes Culturais rola dias 8 e 9 de graça e online
>>> Ciclo de leitura online e gratuito debate renomados escritores
>>> Nano Art Market lança rede social de nicho, focada em arte e cultura
>>> Eric Martin, vocalista do Mr. Big, faz show em Porto Alegre dia 13 de abril
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
>>> Alma nordestina, admirável gênio
>>> Estrada do tempo
>>> A culpa é dele
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Vamos comer Wando - Velório em tempos de internet
>>> Cinema em Atibaia (IV)
>>> Curriculum vitae
>>> Entrevista com Milton Hatoum
>>> Discutir, debater, dialogar
>>> Eu e o Digestivo
>>> A lei da palmada: entre tapas e beijos
>>> A engenharia de Murilo Rubião
>>> Qualidade de vida
>>> O pior cego é o que vê tevê
Mais Recentes
>>> Teoria Geral Do Processo de Candido Rangel Dinamarco pela Malheiros Editores / Juspodivm (2008)
>>> Chekisty Historia Da Kgb de Dziak, John J, pela Imago (1998)
>>> Principios Basicos Do Saneamento Do Meio de Anesio Rodrigues de Carvalho pela Senac (2005)
>>> Aprenda Inglês Sem Mestre de Maria margarida morgado pela Presença (2009)
>>> Mestre Kim - Cidadão do Mundo de Yong Min Kim e Janir Hollanda pela Daedo (2016)
>>> Livro de Ouro do Yoga de Andre De Rose pela Ediouro (2019)
>>> O homem mais rico da Babilônia de George S Clason pela HarperCollins (2020)
>>> A Mesa com Carybé. O Encantamento dos Sabores e das Cores da Bahia de Solange Bernabó pela Senac Nacional (2007)
>>> Os Contos de Beedle, o Bardo de J. K. Rowling pela Rocco (2008)
>>> Regulamentos de Tráfego Aéreo - Vôo Visual de Plínio Jr pela Asa (1996)
>>> Chronos: Viajantes do Tempo Volume I de Rysa Walker pela Darkside (2017)
>>> Homem-Aranha: Tormento de Todd McFarlane pela Panini Comics (2013)
>>> Os Maiores Clássicos do Homem-Aranha - Vol. 5 de Todd McFarlane pela Panini Comics (2007)
>>> Os Maiores Clássicos do Homem-Aranha - Vol. 6 de Todd McFarlane pela Panini Comics (2007)
>>> Os Cem Melhores Contos Brasileiros do Século de Italo Moriconi (seleção) pela Objetiva (2001)
>>> O Casamento de Nelson Rodrigues pela Nova Fronteira (2016)
>>> O Colecionador de Borboletas de Cecília Mouta pela Novo Século (2012)
>>> O Modelo Toyota: 14 Princípios de Gestão do Maior Fabricante do Mundo de Jeffrey K. Liker pela Bookman (2005)
>>> Ela Que Não Está de Daniel Senise pela Cosac & Naify (1998)
>>> Anjos da Neve de James Thompson pela Record (2013)
>>> Assistentes Virtuais Inteligentes e Chatbots de Leôncio Teixeira Cruz pela Brasport (2018)
>>> Linguagem Do Corpo. Beleza E Saude de Cristina Cairo pela Mercuryo Jovem (2007)
>>> Todos Os Nomes de José Saramago pela Planeta Deagostini (2003)
>>> Oliver Twist de Charles Dickens pela Principis (2019)
>>> Cozinha Mágica de Márcia Frazão de Marcia Frazão pela Prestigio (2007)
COLUNAS

Sexta-feira, 5/2/2016
A proposta libertária
Gian Danton
+ de 35100 Acessos

Dias desses fiz uma postagem sobre o juiz parado na blitz da lei seca que processou a agente de trânsito que disse que ele não era Deus (recentemente a sentença foi confirmada e a agente terá de pagar 5 mil reais de indenização ao juiz). Para meu espanto, alguém viu a postagem e comentou que o tal juiz era um anarquista. Mais: defendeu que a corrupção que vemos hoje é resultado do anarquismo. Chegou a dizer que estávamos rumando para uma ditadura anarquista. Seria mais ou menos como dizer que vegetarianos têm como objetivo fazer as pessoas comerem carne. Expliquei (ou ao menos tentei) a ele o equívoco do uso da expressão só para descobrir que ele era um defensor da “intervenção militar constitucional”. Ao final, deixou uma ameaça: “Quando acontecer a intervenção, saberei onde te encontrar”.

Embora seja interpretado equivocadamente como sinônimo de bagunça, desordem e até de ditadura (razão pela qual muitos preferem a expressão “libertário”), o anarquismo é uma doutrina política heterogênea que engloba os mais variados grupos e filosofias, que vão do socialismo revolucionário ao capitalismo. O anarquismo capitalista, por exemplo, é representado pelo libertarianismo, uma corrente neo-liberal que prega a ideia de estado mínimo e imposto mínimo, com mínima intervenção do estado na vida dos indivíduos e na economia. Outro exemplo é Gandhi, que foi fortemente influenciado pelos ideias anarquista e tornou célebre a estratégia da resistência civil e da não-violência (vale lembrar que Gandhi nunca quis ocupar nenhum cargo público).

Unindo essas diversas correntes, uma ideia básica: a de que o estado será sempre ocupado por pessoas que usaram o poder em benefício próprio e que quanto mais concentrado o poder estiver nas mãos de algumas pessoas, pior será para a sociedade. Em contrapartida, quanto mais distribuído o poder, melhor para todos. Em outras palavras: a ideologia libertária é o oposto do fascismo, seja ele de direita ou esquerda.

Filosoficamente podemos remontar às teorias de Hobbes e Rousseau.

Hobbes argumentava que o homem é o lobo do próprio homem. De forma simplista: o homem é mau. Se não houver alguém fiscalizando-o, impedindo-o de praticar o mal, o homem inevitavelmente irá enveredar pelas maiores barbaridades. Esse pensamento, na época, serviu de desculpa para os regimes absolutistas. Se o homem é mau, justifica-se a existência de um rei todo poderoso para manter a sociedade sob controle e impedir que as pessoas se matem umas às outras. Essa é a premissa básica do fascismo.

Rousseau, ao contrário, dizia que o homem é, originalmente bom. Se ele se torna mau, é porque foi corrompido pela sociedade. Em outras palavras: as próprias estruturas criadas para impedir a maldade humana, na verdade acabavam provocando-a.

Em outras palavras: o poder corrompe e quanto mais poder alguém tiver, mais corrupta essa pessoal será. A ideia básica da proposta libertária é de que o poder é uma droga, que vicia, e o viciado fará de tudo para permanecer no poder. O fascismo é baseado na coersão. Essa coerção pode ser a simples ameaça de violência física ou, o que é muito mais efetivo, a ameaça de não pertencer ao grupo. Relatos de observadores do nazismo dizem que os comícios de Hitler eram pensados para criar um sentimento grandioso de grupo e fazer com que os que não pertenciam a esse grupo se sentissem excluídos e culpados. A “grande Alemanha estava sendo construída” e quem não era nazista estava de fora desse sentimento.

Um exemplo dessa conformidade ao grupo foi a experiência levada a cabo pelo psicólogo Solomon Asch na década de 1950. Ele reunia em uma sala oito pessoas, oito das quais eram atores orientados a dar respostas erradas. Em seguida, eram mostrados dois cartões. Um deles mostrava uma linha e, no outro, três linhas de tamanhos diversos, uma das quais era igual ao do outro cartão. O psicólogo perguntava qual era a linha que correspondia ao tamanho do outro cartão. Ao verem todo o grupo darem a resposta errada, mesmo em uma situação tão clara, a maioria das pessoas acompanhava o grupo. Apenas 25% contrariava o grupo e dava respostas certas.

O experimento mostrou como a coerção do grupo pode levar as pessoas a fazerem algo nitidamente errado. É impossível ler sobre esses e outros experimentos sem lembrar a ideia de Rousseau, de que o ser humano é corrompido pela sociedade. Quanto maior a concentração de poder dessa sociedade, maior o poder de uma ou algumas poucas pessoas terão sobre o grupo e maior a coerção que exercerão.

Se o fascismo é baseado na coerção, a proposta libertária é baseada na consensualidade. A liberdade individual, inclusive liberdade de pensamento, é um elemento mais relevante que a adesão ao grupo. A pessoa participa do grupo porque quer, não porque foi coagida a isso.

O fascismo é a base ideológica de todas as ditaduras e regime totalitários, tanto de esquerda quanto de direita. Já a visão libertária deu origem desde o movimento de resistência civil de Gandhi e Martin Luther King às proposta de democracia semi-direta, como na Suécia e Suíça, em que cidadãos comuns podem propor leis e até pedir o impeachment de governantes. Não por acaso, a Suíça era a terra natal de Rousseau.


Gian Danton
Curitiba, 5/2/2016

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Zizitinho Foi Para o Céu de Marilia Mota Silva
02. Madame Bovary, Flaubert e a permanência no tempo de Aline Pereira
03. Canto Infantil Nº 2: A Hora do Amor de Daniel Aurelio


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton
01. Uma norma para acabar com os quadrinhos nacionais? - 25/7/2014
02. A Teoria Hipodérmica da Mídia - 19/7/2002
03. Público, massa e multidão - 30/8/2002
04. A teoria do caos - 22/11/2002
05. A proposta libertária - 5/2/2016


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




30 Anos : Avanços e Conquistas das Mulheres
Vários Autores
Sjdc
(2016)



Col 12 Fábulas de Ouro - o Patinho Feio (1993)
Maltese Editora
Maltese
(1993)



Moderna Plus Literatura - Caderno do Estudante Parte 3 - 10ª Ed
Maria Luiza M. Abaurre
Moderna
(2011)



Livro - As 14 Pérolas Budistas
Ilan Brenman; Ionit Ziberman
Brinque-book
(2009)



O Autodidata
Marco Antonio
Lge
(1999)



Antologia Escolar de Contos Brasileiros
Herberto Sales
Ediouro
(2000)



Bela Distração (vol. 1 Irmãos Maddox)
Jamie Mc Guire
Verus
(2016)



Antologia e Fogo Morto - Resumo Textos e Comentários (vestibular)
Manuel Bandeira e José Lins do Rego
Nucleo
(1989)



Dialogos I- Menon Banquete Fedro
Platao
Ediouro



Simbad
Mauricio de Sousa
Girassol
(2015)





busca | avançada
39901 visitas/dia
1,6 milhão/mês