Minha plantinha de estimação | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
67999 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Teatro Sérgio Cardoso recebe As Conchambranças de Quaderna de Ariano Suassuna
>>> “Meus bichos do sertão”, da artista mineira Maria Lira, em exposição na AM Galeria
>>> Maurício Limeira fará parte do DICIONÁRIO DO PROFUNDO, da Ao Vento Editorial
>>> Longa documental retrata música e territorialidade quilombola
>>> De Priscila Prade, Exposição Corpo em Quarentena abre dia 4/10
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
>>> A história de Chieko Aoki
>>> Uma história do Fogo de Chão
>>> BDRs, um guia
>>> Iggor Cavalera por André Barcinski
Últimos Posts
>>> Brasileira muda paisagens de Veneza com exposição
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
>>> Indistinto
>>> Mais fácil? Talvez
>>> Riacho da cacimba
Blogueiros
Mais Recentes
>>> FLIPS
>>> Digestivo no Podcrer
>>> Casamento atrás da porta
>>> Aida, com Lorin Maazel e a Symphonica Toscanini
>>> 10º Búzios Jazz & Blues III
>>> A Lógica do Cisne Negro, de Nassim Nicholas Taleb
>>> Tubo de Ensaio
>>> Caso Richthofen: uma história de amor
>>> Lei do Sexagenário
>>> Desglobalização
Mais Recentes
>>> O negócio dos livros: Como grandes corporações decidem o que você lê de André Schiffrin pela Casa da Palavra (2006)
>>> Jesus Cristo Veio na Carne é de Deus de Centro Bíblico Verbo pela Paulus (2019)
>>> Inexistência da Doença de Masaharu Taniguchi pela Seicho-no-ei (2015)
>>> Jesus a Vida Completa de Juanribe Pagliarin pela Bless Press (2012)
>>> Poemas para Ler na Escola de João Cabral de Melo Neto pela Objetiva (2010)
>>> O Juiz do Turbante Dourado e a Senhora das Agulhas de Francisco Fernandes de Araújo pela Pontes (2007)
>>> Juntando as Peças Liderança na Prática de Maércio Rezende pela Saint Paul (2010)
>>> Kundu de Morris West pela RioGráfica (1986)
>>> O Livro da Saúde - Enciclopédia Médica Familiar de Benjamin F. Miller pela Seleções (1976)
>>> After the Fall de Arthur Miller pela Bantam Books (1967)
>>> João Sendo João de João Guilherme pela Planeta (2016)
>>> Juquinha, Eterno de Fabiano Candido pela Autografia (2018)
>>> Josué e a Vida Depois da Virgula de Delcio O. Meireles pela Imprensa da Fé
>>> A Jornada - Devocionário de Vários Colaboradores pela Ed. Z3 (2010)
>>> A Jornada - Sabedoria e Cuidado de Deus Capa de Ricardo Agreste da Silva pela Zz3 (2014)
>>> Percy Jackson - Ladrão de Raios de Rick Riordan pela Intrinseca (2008)
>>> The Adventures of Tom Sawyer de Mark Twain pela Oxford Bookworms (2008)
>>> O fim dos tempos de Thomas M Campion pela Arqueiro (2019)
>>> Tex Coleção 471 - Morte no Rio de G. L. Bonelli pela Mythos (2013)
>>> Tex 386 de Bonelli pela Mythos (2015)
>>> Tex o Pueblo Escondido de G. L. Bonelli - A. Galleppini pela Mythos (2015)
>>> Dragon Ball Nº 13 de Akira Toriyama pela Panini (2012)
>>> Aventura no Império do Sol de Silvia Cintra Franco pela Ática (1989)
>>> Um Rosto no Computador de Marcos Rey pela Ática (1994)
>>> Um inimigo em cada esquina de Raul Drewnick pela Ática (2001)
COLUNAS

Quinta-feira, 15/3/2018
Minha plantinha de estimação
Elisa Andrade Buzzo

+ de 4000 Acessos

Quando aqui cheguei, ela já era moradora com raízes fincadas, situadas num pequeno vaso dentro de um aquário de vidro. Dele, saíam-lhe galhinhos de um leve verde, de estrias engraçadas e felpudas como patas dóceis de uma aranha vegetal. E havia folhas, estas verde-escuras, planas, alisadas, amoldando-se ao cruel formato de boca arredondada e estreita de sua limitada morada. Uma vareta sustentava o caule, preso por uma pequena piranha de cabelo, que eu ajustava periodicamente para que ela não pendesse totalmente ao peso de seu crescimento.

Estávamos sozinhas e juntas. Não sabia eu como alimentá-la da melhor forma. Também não quis perguntar, não busquei orientações, nem lhe sabia o nome, nada. Apenas dois seres vivos incomunicáveis respirando do mesmo ar, tomando do mesmo sol, sorvendo a mesma umidade, bebendo da mesma água, seivando ao nosso modo silencioso e discreto. À noite, nossas respirações se uniam num compasso de espera da manhã próxima, em que eu furtivamente e com dificuldade a abandonava rumo a aventuras próximas, enquanto ela iniciava a fotossíntese, maravilhoso processo do qual eu permanecia alijada. Escondida de mim ela o fazia, talvez para não me fazer sentir inferior diante de seus admiráveis dotes de sobrevivência no planeta.

Mentiria se dissesse que nela prestasse muita atenção de início. Quantas vezes quando dela me lembrava o fundo do aquário se entrava completamente seco, marcado por manchas de água evaporada ou mesmo sugada. Ainda, mudei-a de lugar; por quê? Não tenho uma resposta consciente, julguei apenas que ela não se sentisse cômoda o suficiente em cima da mesa, que eu e ela necessitávamos de outros espaços, mudanças quaisquer de ângulo, acesso diverso ao mundo lá fora. Então foi deixada no chão, mas não de qualquer jeito, ajeitosamente disposta ao lado da parede de vidro, podendo observar o sul do bairro, estender suas células prescrutadoras ao amanhecer, entardecer e anoitecer, quem sabe os únicos eventos que lhe façam sentido.

Talvez ainda sentisse que ela merecesse estar o mais perto possível de onde deveria estar: o chão, a terra, garras fincadas na natureza. Alguns de seus pequenos galhos secaram complemente, sugerindo uma contraposição entre os tenros galhos aracnídeos e a palha de bicho-pau desses membros mortos. Estaria ela prestes a morrer, já teria ela morrido, sendo aos poucos transformada em secura? Seria um crime irresponsável matar uma planta por falta de cuidados. O contrário aconteceu, alguma forma de vida milagrosa, de continuidade de frescura trabalhava oculta no entrelaçado compacto de raízes dentro do vaso. Eu a levava até a pia da cozinha, e respingava água em suas folhas simulando um chuvisco brincalhão.

Inesperadamente surgiram bolinhas, várias, pendendo pesadas de dois galhos. Túrgidas, gordas, como mãos e pés delicados e aveludados de bebês. Nem vermelhos, nem vinhos, num tom de magenta imprevisível, compacta floração, tombando charmosas de seus pedúnculos lisos e limpos, prestes a explodir o gradativo segredo de articuláveis pétalas. Forma de vida, como a minha, aqui encontrada, terráquea, à minha entretecida; pois cuidado chama cuidado, vida chama vida, com surpresa em poucos dias, talvez em poucas horas, quem sabe em minutos, ou agora mesmo, ao deixar este texto e ao me prender nela e contemplar com olhos de lagarto este pedaço vegetal, como eu retirado de sua mãe-floresta, eu adivinhe suas partes encarnadas abertas, expectantes, trêmulas no ar parado da casa, com seus olhos recém-nascidos.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 15/3/2018


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Planejamento de Daniel Bushatsky


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2018
01. Mais outro cais - 7/6/2018
02. O dia em que não conheci Chico Buarque - 21/6/2018
03. As palmeiras da Politécnica - 6/12/2018
04. Minha plantinha de estimação - 15/3/2018
05. Primavera para iniciantes - 3/5/2018


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Bê-a-bá do Consumidor: Dicas para Compras e Reclamações
Professor Rizzato Nunes
Método - Casa do Direito
(2006)



Contos de Vista
Elisa Lucinda
Global
(2004)



Olhar Estrangeiro New York
Lenira Fleck
Território das Artes
(2007)



Sucessão Trabalhista Conseqüências Nas Relações de Emprego
Patrícia Manica Ortiz
Thomson
(2005)



Administração de Sistemas de Informação
Ivo Soares Melo
Pioneira
(1999)



Direito do Trabalho Versão Universitária
Renato Saraiva
Metodo
(2008)



O Universo de Harry Potter de A a Z
Aubrey Malone
Nova Fronteira
(2013)



Guard Your Tongue
Chofetz Chaim
Benei Yakov
(1975)



Beleza para a Vida Inteira
Cristiana Arcangeli
Senac
(2002)



A Voz do Coração
Suzanne Marllit
Brasileira





busca | avançada
67999 visitas/dia
2,2 milhões/mês