Cidades do Algarve | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
105 mil/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Novo livro de Nélio Silzantov, semifinalista do Jabuti de 2023, aborda geração nos anos 90
>>> PinForPeace realiza visita à Exposição “A Tragédia do Holocausto”
>>> ESTREIA ESPETÁCULO INFANTIL INSPIRADO NA TRAGÉDIA DE 31 DE JANEIRO DE 2022
>>> Documentário 'O Sal da Lagoa' estreia no Prime Box Brazil
>>> Mundo Suassuna viaja pelo sertão encantado do grande escritor brasileiro
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
Colunistas
Últimos Posts
>>> Glenn Greenwald sobre a censura no Brasil de hoje
>>> Fernando Schüler sobre o crime de opinião
>>> Folha:'Censura promovida por Moraes tem de acabar'
>>> Pondé sobre o crime de opinião no Brasil de hoje
>>> Uma nova forma de Macarthismo?
>>> Metallica homenageando Elton John
>>> Fernando Schüler sobre a liberdade de expressão
>>> Confissões de uma jovem leitora
>>> Ray Kurzweil sobre a singularidade (2024)
>>> O robô da Figure e da OpenAI
Últimos Posts
>>> Salve Jorge
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Feliz Natal, Charlie Brown!
>>> O dinossauro de Augusto Monterroso
>>> Marketing de cabras
>>> Simplesmente tive sorte
>>> Sete tecnologias que marcaram meu 2006
>>> Maria Helena
>>> Sombras
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Aconselhamentos aos casais ― módulo II
>>> Perfil (& Entrevista)
Mais Recentes
>>> Elas e as Letras de Aldirene Máximo e Julie Veiga (org.) pela Versejar (2018)
>>> América Latina hoje: conceitos e interpretações de José Maurício Domingues e Maria Maneiro pela Civilização Brasileira (2006)
>>> Biblioteca de Ouro da Literatura Universal - O Cortiço - Tomo 1 de Aluísio Azevedo pela Minha (1988)
>>> Encadernado em capa dura: Wolverine - Thor - Camelot 3000 de Chris Claremont. Frank Miller. Walter Simonson. Mike W. Barr e Brian Bolland pela Abril Jovem (1987)
>>> Evolução Sócio-Econômica do Brasil de Otto Alcides Ohlweiler pela Tchê! (1988)
>>> Avenida Presidente Vargas: Um desfile pela história do Brasil de Eduardo Bueno. Paula Taitelbaum. Fernando Bueno e Dudu Contursi pela Arco (2010)
>>> A Mangueira da nossa infância de Alexandre Nobre pela Ficções (2012)
>>> Sobre a universidade de Max Weber pela Cortez (1989)
>>> Em Busca do Tempo Perdido vol 4 de Marcel Proust pela Nova Fronteira (2014)
>>> A relíquia de Eça de Queirós pela Ática (1999)
>>> Acqua Toffana de Patrícia Melo pela Companhia das Letras (1994)
>>> Anjos travados de Zé Elias pela n/d (1984)
>>> Legado de Mateus Ornellas e Lua Costa pela Independente (2016)
>>> Trato de Sara Lambranho pela Fundação Clóvis Salgado (2013)
>>> O Perfume de Patrick Süskind pela Círculo do Livro (1985)
>>> O Mestre de Quéops de Albert Salvaó pela Ediouro (2000)
>>> Garten der Lüste de Hieronymus Bosch pela Prestel (2003)
>>> A Cidade e as Serras de Eça de Queiroz pela Ática (2009)
>>> Inimigo Rumor 20 de Vários autores pela 7 letras/ Cosac Naify (2007)
>>> As Aventuras de Tartufo do Majestoso Mississipi de Phyllis Shalant pela Bertrand Brasil (2008)
>>> Bellini e a esfinge de Tony Bellotto pela Companhia das Letras (1995)
>>> The Black Angel de John Connolly pela Pocket Books International (2005)
>>> Na Casamata de Si de Pedro Tostes pela Patuá (2018)
>>> Cineastas e Imagens do Povo de Jean-Claude Bernardet pela Brasiliense (1985)
>>> Médée de Pier Paolo Pasolini pela Arléa (2007)
COLUNAS

Quinta-feira, 20/9/2018
Cidades do Algarve
Elisa Andrade Buzzo
+ de 2700 Acessos

Toda cidade tem um braço de rio, forte, anguloso, caudaloso, rindo da gente, escorrendo-se à vontade, sem se importar comigo, marinheiro de primeira viagem, na tentativa de abraçar suas margens, tocar suas águas inclinando o corpo da ponte.

Toda cidade tem um pedaço de mar, que adentra pelos cantos de uma península recortada de falésias, que colore de azul-nuvem as pontas de um cabo guarnecido de um farol acastanhado, enfurece e venta fresco pelas furnas salpicadas de espuma, que brinca de esconde-esconde com sua presença variada na estrada, com uma faixa de areia pedregosa onde as conchas se ralam e rolam até virar um pozinho fino multicolorido, uma onda verde e suave para se nadar peito, em cujo raso circundam filetes de peixe de um cinza metálico.

Toda cidade tem um centro histórico desenhado numa geometria suave de prédios baixos, avarandados pequenos e recolhidos, cafés com esplanada, restaurantes adoráveis com baldes de peixe recém-pescados, tortas de maçã que se desmancham, limonadas com morango, calçadas de pedra portuguesa em desenhos geométricos, de flores ou peixinhos, cabeleireiros ornamentados com cabeças artificiais, ou uma rosa monumental e crianças matreiras nas portas, velhos como sentinelas nas sacadas baixas, sem contar a camada mais antiga de edifícios de janelas emolduradas com pedra, paredes brancas ou azulejadas, simples gradeado, um arco monumental com seu grande relógio redondo como entrada, compridos gravetos enfeixados nos ninhos abandonados de cegonhas.

Toda cidade tem uma ruazinha estreita, em que um gato assoma na janela, um ruído de televisão sai da porta entreaberta, em cidades nelas há sorveterias al-ice, expondo gelados azuis, papelarias com artigos antigos e vitrines escuras, canetas de sardinha, para-sóis na rua do Comércio, cortinas tapando o árduo sol, até mesmo vilas atapetadas que recebem ingleses e sua mala de tacos de golfe; apenas os indícios de presença humana, mas em total tranquilidade como uma vila de fantasmas silenciosos e ausentes.

Como aqueles que, numa praça, principal, as cidades têm, em forma de uma estátua, uma sombra preta viajante, infante, navegador, astrônomo, contornada pelo limite do metal escuro, um dedo apontando, uns braços abertos ou uma fronte altiva, todos no saudosismo da descoberta e da perda das riquezas do mundo.

Em cada cidade há uma igreja ou igrejinha, mesmo sé antiquada com caveiras esculpidas no topo dos arcos, capela ou capelinha de ossos, com crânios e fêmures quebrados, muitos buracos para esmola, um velário democrático que aceita qualquer salário na Nossa Senhora da Graça, relicários guardando certas pérolas dos homens, turíbulos e navetas aposentados, em metal precioso e maciço, pequenos museus com anjos pousados e santos compenetrados.

Toda cidade tem uma vida que começa e recomeça, num capítulo de sonho em que um olhar temporário a atravessa em cheio e se alegra e se entristece, toda cidade tem um ar com um quê de lar, é para morar e se recostar em cada cômodo seu, todo cais, e cada esquina, um quebra-cabeças, em que estranhos grupos de peças se reúnem e dispersam em séria comoção.


Elisa Andrade Buzzo
Lisboa, 20/9/2018

Quem leu este, também leu esse(s):
01. A Casa das Aranhas, de Márcia Barbieri de Jardel Dias Cavalcanti
02. A medida do sucesso de Fabio Gomes
03. Gerald Thomas: cidadão do mundo (parte I) de Jardel Dias Cavalcanti
04. O problema da Petrobras são vários de Julio Daio Borges
05. 'Um Conto Chinês' e o absurdo da vida de Carina Destempero


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2018
01. Mais outro cais - 7/6/2018
02. O dia em que não conheci Chico Buarque - 21/6/2018
03. As palmeiras da Politécnica - 6/12/2018
04. Minha plantinha de estimação - 15/3/2018
05. Primavera para iniciantes - 3/5/2018


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Pareidolia
Luiz Franco
Escape
(2016)



Der Seewolf
Jack London
Deutsche Buch-Gemeinschaft
(1954)



Livro de bolso Guerra Primeira Guerra Mundial Pocket Encyclopaedia 886
Michael Howard
Lpm
(2013)



Invente alguma coisa
Chuck Palahniuk
Leya
(2020)



Automóveis de Ouro para um Povo Descalço
Vasconcelos Torres
Brasília
(1977)



Iniciação ao Estudo da Sociologia
Caroline B. Rose
Zahar
(1976)



A sabedoria do não 334
Mariliz Vargas
Rosea Nigra
(2009)



Curso Completo de Fotografia 1
Diversos
Rio Gráfica
(1981)



Intervalos
Francisco C. Xavier
O Clarim
(1981)



Privatização das Prisões
João Marcello de Araujo Junior
Revista dos Tribunais
(1995)





busca | avançada
105 mil/dia
2,0 milhão/mês