Setembro | Nemo Nox | Digestivo Cultural

busca | avançada
34692 visitas/dia
773 mil/mês
Mais Recentes
>>> Sessão da peça infantil
>>> Consulado Geral da Hungria promove na capital paulista:
>>> Monja Cohen, Rabino Schlesinger e Gilberto Dimenstein vão debater sobre a mentira como um obstáculo
>>> Caixa de Fuxico estreia Cabeças Trocadas, da obra de Thomas Mann, na SP Escola de Teatro
>>> Saraus do Plástico Bolha
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um Furto
>>> Mais outro cais
>>> A falta que Tom Wolfe fará
>>> O massacre da primavera
>>> Reflexões sobre a Liga Hanseática e a integração
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
>>> Cães, a fúria da pintura de Egas Francisco
>>> O Vendedor de Passados
>>> A confissão de Lúcio: as noites cariocas de Rangel
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES II
>>> Honra ao mérito
>>> Em edição 'familiar', João Rock chega à 17ª edição
>>> PATÉTICA
>>> Presságios. E chaves III
>>> Minha história com Philip Roth
>>> Lars Von Trier não foi feito para Cannes
>>> O brasileiro e a controvérsia
>>> Greve de caminhoneiros e estupidez econômica
>>> Publicando no Observatório de Alberto Dines
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Jackie O., editora
>>> Daumier, um caricaturista contra o poder
>>> A deliciosa estética gay de Pierre et Gilles
>>> Não estou lá, com Cate Blanchett
>>> Little Joy, o disco
>>> O Vendedor de Passados
>>> O que é crítica, afinal?
>>> O massacre da primavera
>>> Feedback risonho
>>> Parangolé: anti-obra de Hélio Oiticica
Mais Recentes
>>> E se... Você Começasse a Agir?
>>> Choques Cósmicos: Transformando Crises em Oportunidades de Crescimento
>>> Elite da Tropa
>>> A Sabedoria de São Bento para o nosso Tempo
>>> A Reunificação da Alemanha: do Ideal Socialista ao Socialismo Real
>>> Miséria da Filosofia
>>> Crônica de um Amor Louco
>>> O Correio Continua
>>> Os Adoradores do Sol
>>> Eat Pray Love
>>> Pronto Socorro
>>> Ego e Arquétipo
>>> Mulheres Cheias de Graça
>>> Manual Completo de Ascensão
>>> Religião, Psicoterapia e Aconselhamento Espiritual
>>> O poder cósmico da mente
>>> Éléments de Syntaxe Structurale - Lucien Tesnière
>>> História do cerco de Lisboa
>>> Estate Gardens of California
>>> Raios de luz espiritual ensinos esotéricos
>>> O Morro das Ilusões
>>> Introduccion Al Oleo
>>> Kg 200 - O Esquadrão Fantasma
>>> História dos Clubes de Cabo Frio
>>> Poesia Portuguesa Erótica e Satírica Séculos XVIII e XIX
>>> A Revolta de Seis de Setembro (a Ação de S. Paulo)
>>> Gramática grega
>>> Almanaque de Sorocaba 1950
>>> Derivativos no Brasil
>>> Tornar-se Pessoa
>>> Eneagrama para os Pais
>>> O Rio de Janeiro do Meu Tempo - 5 Volumes - Luiz Edmundo
>>> La Novela Picaresca Española - Angel Valbuena y Prat
>>> Coleção Fernando Sabino 12 Volumes Editora Record 1984
>>> A Grande Aventura de Cousteau - 37 Volumes - Jacques Cousteau
>>> Manual Completo de Análise Transacional
>>> Panelinha
>>> Comer Bem
>>> Almanaque Light
>>> don quijote de la mancha I
>>> don quijote de la mancha II
>>> True colors
>>> Yôga Antigo Para Iniciantes
>>> The Hound of the Baskervilles
>>> Felicidade Roubada
>>> Dom Quichote de la Mancha - Cervantes / Dom Quixote
>>> Aspectos surrealistas em O Agressor de Rosário Fusco
>>> Bíblia de Jerusalém - Antiguo Testamento - Nuevo Testamento (em espanhol)
>>> Revista Língua Portuguesa 30 Volumes - do nº 1 ao 30
>>> Os Mistérios de Paris
COLUNAS

Quarta-feira, 28/8/2002
Setembro
Nemo Nox

+ de 3200 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Como seu personagem Zelig, Woody Allen sempre gostou de se fingir de outra pessoa, assumindo personalidades cinematográficas de outros diretores, ao mesmo tempo como homenagem, paráfrase e experimentação. De pastiche de documentário (Um Assaltante Bem Trapalhão) a arroubos fellinianos (A Rosa Púrpura do Cairo), sem deixar de lado flertes com o expressionismo alemão (Shadows and Fog) e com os musicais (Everyone Says I Love You), ele passou por muitas estéticas. Mas o diretor que mais vezes Allen tentou emular foi sem dúvida Ingmar Bergman. Filmes como A Midsummer Night's Sex Comedy ou Interiors são paráfrases diretas do cineasta sueco. Mas seu filme mais próximo do universo bergmaniano é sem dúvida Setembro (September, EUA, 1987).

Tudo se passa durante um fim-de-semana numa casa de campo em Vermont, e a ação é sempre claustrofóbica, impedida de sair ao ar livre ou mesmo de vislumbrar uma janela aberta. Lane (Mia Farrow) é uma mulher que ainda luta contra os fantasmas da pré-adolescência: aos quatorze anos, assassinou a tiros o amante da mãe. E é justamente essa mãe, Diane (Elaine Stritch), atriz aposentada com planos de botar sua vida em livro, que aparece para pisotear as últimas e raquíticas flores do jardinzinho interior de Lane. As diferenças entre as duas não poderiam ser maiores. Enquanto Lane é um prodígio de introversão e culpa, sua mãe necessita desesperadamente de uma platéia para cada um de seus gestos e pensamentos, como se sem o testemunho do público sua vida não existisse.

Circulando em volta desta dupla central e antagônica, temos uma coleção de coadjuvantes que parecem saídos do poema de Drummond. Howard (Denholm Elliott) é o vizinho-professor-de-francês-em-fim-de-carreira apaixonado por Lane, que por sua vez se apaixonou pelo inquilino-publicitário-que-quer-ser-escritor Peter (Sam Waterston), que tenta conquistar a amiga-casada-com-filhos-mas-romanticamente-frustrada Stephanie (Dianne Wiest), que retribui as atenções e aumenta a carga de tensão no ar. Fazendo par com Diane, temos seu namorado Lloyd (Jack Warden), um físico aposentado que traz o contraponto científico para as discussões psicológicas e só confirma a inutilidade de qualquer ação humana frente ao caos geral do universo.

Completamente feito em estúdio, numa brilhante combinação âmbar dos esforços do diretor de fotografia Carlo Di Palma e do diretor de arte Santo Loquasto, Setembro teve um percurso conturbado. Depois de terminadas as filmagens, Allen resolveu que poderia fazer melhor e simplesmente decidiu refilmar tudo. Alguns atores se recusaram e outros não puderam comparecer por já terem compromissos assumidos. Assim, Sam Waterston ganhou o papel que era de Sam Shepard, Elaine Stritch substituiu Maureen O'Sullivan, e Denholm Elliott passou a ser o vizinho que antes era interpretando por Charles Durning, deixando o papel de Lloyd para Jack Warden.

Ao contrário de muitos filmes de Woody Allen, aqui a miséria humana nunca chega a ser engraçada, nem mesmo através do sarcasmo ou do humor negro. Quando muito, podemos enxergar ironia em algumas situações, mas definitivamente Setembro não é um filme para sorrisos. Mesmo assim, paradoxalmente poderia ser considerado uma história otimista. Basicamente, Setembro é um filme sobre insegurança. Insegurança emocional, insegurança intelectual, insegurança existencial. E a conclusão, ultrapassados os conflitos apresentados, é que a única resposta é seguir em frente. Apesar do título, a ação se passa toda em agosto. Setembro é o que há de vir.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Nemo Nox é editor do blog Por um Punhado de Pixels e do site Burburinho, onde este texto foi originalmente publicado.


Nemo Nox
Washington, 28/8/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Na hora do batismo de Marta Barcellos
02. Notas sobre a Escola de Dança de São Paulo - I de Elisa Andrade Buzzo
03. Nos brancos corredores de Mercúrio de Elisa Andrade Buzzo
04. Como Passar Um Ano Sem Facebook de Dani Arrais
05. A utopia das paredes de vidro de Carla Ceres


Mais Nemo Nox
Mais Acessadas de Nemo Nox em 2002
01. O apanhador no campo de centeio - 8/7/2002
02. Dilbert - 7/6/2002
03. Um Bonde Chamado Desejo - 22/10/2002
04. Os Impossíveis - 11/9/2002
05. Modelos de beleza - 28/10/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
1/9/2002
1.
18h13min
O cara ruim de texto hein? Vai escrever mal assim em miami! putz.
[Leia outros Comentários de Robson]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




COLÔNIA CECÍLIA - RENATA PALLOTTINI (TEATRO ANARQUISTA)
RENATA PALLOTTINI
ACHIAMÉ
(2001)
R$ 10,00



HISTÓRIA DO DIREITO
VICENTE BAGNOLI ET AL
CAMPUS - ELSEVIER
(2009)
R$ 40,90



BACEN - APOSTILA PREPARATÓRIA - TÉCNICO NÍVEL MÉDIO
AUTOR OBCURSOS
OBCURSOS
(2009)
R$ 39,90



OS NOVOS DESEJOS
MIRIAN GOLDENBERG
RECORD
(2000)
R$ 13,90



OS GOONIES
STEVEN SPIELBERG
RECORD
(1985)
R$ 12,99



OUTRAS MORADAS
ADELICE SOUZA ET AL.
EPP PUBLICAÇÕES / PUBLICIDADE
(2007)
R$ 15,00



PEQUENA HISTÓRIA DE D. PEDRO II
COLEÇÃO BRASIL Nº 10
MEC
R$ 8,97



O PROFETA TRICOLOR
NELSON RODRIGUES
COMPANHIA DAS LETRAS
(2002)
R$ 50,00



MANGÁ YUKI - VINGANÇA NA NEVE Nº 2
KAZUO KOIKE - KAZUO KAMIMURA
CONRAD
R$ 7,00



A CONSTRUÇÃO DO ESPETÁCULO
LUIZ NORONHA E ROGÉRIO FAISSAL
AEROPLANO
(2000)
R$ 15,00





busca | avançada
34692 visitas/dia
773 mil/mês