Convivendo com a Gazeta e o Fim de Semana | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
54198 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Conto HAYEK, de Maurício Limeira, é selecionado em coletânea da Editora Persona
>>> Os Três Mosqueteiros - Um por Todos e Todos por Um
>>> Sesc 24 de Maio recebe o projeto Parlavratório - Conversas sobre escrita na arte
>>> Cia Caravana Tapioca faz 10 anos e comemora com programação gratuita
>>> Eugênio Lima dirige Cia O GRITO em novas intervenções urbanas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
>>> A história de Chieko Aoki
>>> Uma história do Fogo de Chão
>>> BDRs, um guia
>>> Iggor Cavalera por André Barcinski
Últimos Posts
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
>>> Indistinto
>>> Mais fácil? Talvez
>>> Riacho da cacimba
>>> Mimético
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Sultão & Bonifácio, parte I
>>> Fui pra Cuba
>>> Sobre o preço dos livros 1/2
>>> No altar do vento
>>> Hamlet... e considerações sobre mercado editorial
>>> Novos Melhores Blogs
>>> The Romantic Poets, by Kevin Mundy
>>> Mais pressão na caldeira
>>> Manual para revisores novatos
>>> É suave a noite
Mais Recentes
>>> Os amores difíceis de Italo Calvino pela Companhia das Letras (1992)
>>> Os amores difíceis de Italo Calvino pela Companhia das Letras (1992)
>>> Os amores difíceis de Italo Calvino pela Companhia das Letras (1992)
>>> Muito prazer fale português do Brasil de Glaucia Roberta Rocha Fernandes pela Disal (2021)
>>> O beijo e outras histórias de Antón Tchekhov pela Círculo do Livro
>>> Sob o Sol-Jaguar de Italo Calvino pela Companhia das Letras (1995)
>>> O que Einstein disse a seu cozinheiro - vol. 2: Mais ciência na cozinha de Robert L. Wolke pela Zahar (2003)
>>> O que Einstein disse a seu cozinheiro - vol. 1: A ciência na cozinha de Robert L. Wolke pela Zahar (2003)
>>> O Poder do Silêncio de Eckhart Tolle pela Sextante (2016)
>>> O Poder do Agora de Eckhart Tolle pela Sextante (2002)
>>> O Toque de Midas de Colleen McCullough pela Bertrand Brasil (2007)
>>> O Comite da Morte de Noah Gordon pela Rocco (1996)
>>> La Bodega de Noah Gordon pela Rocco (2008)
>>> Xama a historia de um medico no seculo XIX de Noah Gordon pela Rocco (1993)
>>> O Rabino de Noah Gordon pela Rocco (1994)
>>> O Rabino de Noah Gordon pela Rp (2021)
>>> O Fisico - A epopeia de um medico medieval de Noah Gordon pela Rocco (1993)
>>> O Silencio dos Inocentes ( capa dura) de Thomas Harris pela Altaya Record (1989)
>>> Hannibal de Thomas Harris pela Record (1999)
>>> O Jardim de Ossos de Tess Gerritsen pela Record (2009)
>>> O Clube Mefisto de Tess Gerritsen pela Record (2016)
>>> Gestão Empresarial de Taylor aos Nossos Dias de Ademir Antonio Ferreira e Outros pela Pioneira (2000)
>>> O Dominador de Tess Gerritsen pela Record (2016)
>>> Pão Diário 15 de Vários Autores pela Rtm (2012)
>>> Cadernos da Pós-Graduação Cinema e Fotografia de Instituto de Artes Unicamp pela UniCamp (2006)
COLUNAS >>> Especial O fim dos jornais

Sexta-feira, 5/6/2009
Convivendo com a Gazeta e o Fim de Semana
Julio Daio Borges

+ de 9900 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Na época da faculdade, a Gazeta era o jornal de quem queria trabalhar em empresas de consultoria ou bancos. Você ia participar dos processos de seleção e lá estava o exemplar do dia, logo na recepção. Nas entrevistas, todo mundo dizia que lia. Podia até ser mentira, mas conferia sempre algum prestígio. Era antes do ano 2000, não havia Valor Econômico.

Influenciado por esse ambiente, comecei a ler o caderno "Economia", do Estadão. Durou pouco tempo, porque o interesse não era genuíno.

A Gazeta eu fui ler, com mais atenção, quando fiz meu primeiro estágio de verdade, numa empresa de consultoria. Confesso que não lembro, agora, de nada do "hard news" de então, mas lembro bastante do "Caderno Fim de Semana", o caderno de cultura editado pelo Daniel Piza.

A empresa em que eu trabalhava, depois de alguns meses, incorporou um novo sócio, considerado, anos seguidos, o "melhor executivo do Brasil" (pela Exame). No dia do anúncio da nova sociedade - que inclusive mudaria a empresa de nome -, muitos estavam em polvorosa, porque esperavam ser manchete... na Gazeta Mercantil.

Deixei de ser estagiário na tal empresa, mas continuei comprando a Gazeta, na sexta-feira, por causa do "Fim de Semana". Foi ainda como estagiário que li sobre a morte do Paulo Francis na Gazeta Mercantil: um texto do Daniel Piza que acabava com "meu afeto, por você, jamais se encerrará" (evocando o livro de memórias do próprio Francis).

Andava tão emocionado que, naquele mesmo dia, enviei um fax exaltado ao Daniel Piza (o e-mail era incipiente ainda). O Daniel, mais moderno do que eu supus, respondeu com uma mensagem eletrônica amigável e iniciamos uma correspondência a partir dali.

Na primeira vez em que falei, mais longamente, com o Daniel Piza, perguntei sobre o "Caderno Fim de Semana". Como era editar, como era aquela época, por que acabou... Ele me contou de como era diagramar "na mão", das encadernações que estava preparando (para guardar sua coleção) e da tentativa de convertê-lo em revista. O "Caderno Fim de Semana", como era nessa época, acabou no ano 2000.

Lembro também de como reverenciávamos o "Fim de Semana" na pré-história do Digestivo. Eu era um colunista independente ainda, que disparava textos por e-mail, mas já me reunia, no O'Malley's, com dois dos primeiros Colunistas do futuro site. O assunto era, inevitavelmente, a Gazeta - e o Daniel, sem querer, fazia parte das nossas conversas, porque era, justamente, a "ponte" entre aquele nosso mundo de recém-formados e o olimpo do jornalismo cultural, de Paulo Francis, Ivan Lessa, Millôr Fernandes...

Trabalhando em banco, ainda na era pré-Digestivo, me embrenhei, mais uma vez, no terreno do business e quis assinar um jornal de economia. Mas não assinei a Gazeta - apesar de toda a história pregressa com o "Fim de Semana" -, assinei o Valor Econômico, que era novo, mais moderno, e que oferecia todo tipo de promoção no início.

O Valor talvez tenha sido a última grande aposta do jornalismo impresso brasileiro. Era uma joint venture entre Organizações Globo e Grupo Folha, mais ou menos como o UOL tinha sido entre o mesmo Grupo Folha e a Abril. E se o jornalismo impresso teve uma "bolha", aquela foi sua última, porque o Valor não poupou em contratações, encadernando a Economist e a BusinessWeek toda semana e promovendo uma verdadeira campanha para conquistar leitores... da Gazeta.

Em 2002, divulgando um curso de crítica musical do Luís Antônio Giron, relembrei, já aqui no Digestivo, o que era ler "Caderno Fim de Semana" da Gazeta Mercantil. O Giron e o Daniel Piza gostaram muito, mas o pessoal do "Fim de Semana" - que ainda existia (e eu nem sabia direito) -, nem tanto. Encontrei com uma jornalista, que até se tornou próxima depois, e ela, entre rindo e debochando, soltou: "Ah, então foi você quem matou o 'Fim de Semana'?".

Pra você ver como as mortes da Gazeta são como as mortes de Quincas Berro d'Água (e eu não me surpreenderia se ela ressuscitasse, ainda uma vez, para morrer de novo...). Enfim, nessa mesma época (início dos anos 2000), até apareceu um jornalista-blogueiro (e, não, o contrário), desancando a Gazeta - que, desde o fim do milênio passado, era conhecida por atrasar salários e ficar devendo para ex-empregados.

E até eu terminei publicando no "Fim de Semana"... Foi numa época em que emplaquei no Estadão e no Globo (meados dos anos 2000). Fui editado pelo hoje temível Arnaldo Lourençato (atual crítico de gastronomia da Veja São Paulo). Um sujeito que me pareceu afável, quando o conheci numa saída de concerto no teatro Alfa. Era um texto meu sobre o Plínio Marcos. Disposto a fazer a minha lição de casa, até li peças do dramaturgo. Com o "Fim de Semana" já combalido, não me pareceu um grande feito, mesmo na época (muito menos em termos de remuneração), mas era uma espécie de homenagem, que eu prestava, a um caderno que havia me dado muito...

E republicamos antigos textos do "Fim de Semana", aqui no Digestivo. Do Giron e do Ivan Lessa, por exemplo. Fico pensando que, com a interrupção da Gazeta e o fim do InvestNews, talvez o Digestivo Cultural seja o último reduto para esses textos (ou talvez, em alguns casos, o Observatório da Imprensa).

Muita gente hoje me conhece como um ardente defensor da internet, da blogosfera etc. - com uma posição bastante crítica em relação aos jornais impressos e aos velhos jornalistas. Mas eu, obviamente, já li jornais e, inclusive, me formei através deles (antes de haver a internet).

Contudo, vale reforçar que, mesmo evocando saudosamente os bons tempos da Gazeta (ou, ao menos, os tempos em que eu a lia), não retrocedo em nenhum ponto sobre o que disse acerca do "fim dos jornais". A internet evoluiu muito. Não tem mais sentido editar jornais impressos. Mesmo que fosse o "Caderno Fim de Semana", da Gazeta Mercantil...!


Julio Daio Borges
São Paulo, 5/6/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Em defesa da arte urbana nos muros de Fabio Gomes


Mais Julio Daio Borges
Mais Acessadas de Julio Daio Borges em 2009
01. A Lógica do Cisne Negro, de Nassim Nicholas Taleb - 4/12/2009
02. Lendo Dom Quixote - 2/10/2009
03. Convivendo com a Gazeta e o Fim de Semana - 5/6/2009
04. Verdades e mentiras sobre o fim dos jornais - 29/5/2009
05. O Free, de Chris Anderson - 16/10/2009


Mais Especial O fim dos jornais
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
8/6/2009
20h34min
A internet e a falta de boas estratégias publicitárias pôs fim num dos marcos do jornalismo econômico brasileiro (na forma impressa). Uma pena é que muitas reportagens encontradas no impresso, que eram bem analisadas e com vários textos de profissionais de quilate, se resumiu a três ou quatro parágrafos para serem lidos por leitores apressados no site.
[Leia outros Comentários de Amábile Grillo]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Guia dos Mil Presentes
Betty Chateaubriand
Códex
(2003)



Vade Mecum Edição Especial 2014
Thomson Reuters/rt
Thomson Reuters/rt
(2014)



Elas Escrevem Contos, Crônicas e Poemas
Hanna Liis-baxter
Andross
(2010)



A Moreninha - Serie Bom Livro
Joaquim Manuel de Macedo
Atica
(1993)



É Dando Que Se Recebe
Carlos Eduardo Novaes
Ática
(1994)



Organizações de Aprendizagem Educação Continuada e a Empresa do Futur
Humberto Mariotti
Atlas
(1999)



Ser Protagonista Química 2ºano Ensino Medio
Julio Cesar Foschini Lisboa
Sm Didático
(2014)



Redimidos - da Miséria, da Enfermidade e da Morte
Kenneth E. Hagin
Graça Editorial
(2004)



El Acero En La Construccion
Jose Pinos Calvet
Reverte
(1969)



Grammar Practice 1 a Complete Grammar Workout For Teen Students
Herbert Puchta
Helbling
(2012)





busca | avançada
54198 visitas/dia
2,2 milhões/mês