O humor da Belle Époque | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
55507 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Sexta-feira, 1/11/2002
O humor da Belle Époque
Gian Danton

+ de 3400 Acessos

Existe uma linha dos estudos históricos que tem como filosofia usar os produtos culturais criados pela sociedade para estudar e compreender uma certa época. É o que faz Elias Thomé Saliba, em Raízes do Riso, recentemente lançado pela editora Companhia das Letras. O volume analisa a representação humorística na época da Belle Époque brasileira.

Elias Thomé Saliba é professor livre-docente na USP. É autor do volume 3 da História da Vida Privada no Brasil, "A Dimensão Cômica na Vida Privada na República".

O livro parece, para um leitor desavisado, uma simples coletânea de piadas, mas passa longe disso. É, na verdade, um estudo aprofundado da cultura e da história brasileira. Saliba não quer apenas mostrar o riso nacional, mas demonstrar que o que esse riso tem de brasileiro.

A preocupação com a questão da identidade é revelada logo no início, quando é contada uma piada na qual um francês, um inglês e um alemão são convidados a escreverem sobre o camelo.

O francês vai ao Jardim Botânico, fica por lá meia-hora, conversa com o guarda, joga pão ao camelo, cutuca o bicho com a ponta do guarda-chuva e, ao voltar para casa, escreve um folhetim cheio de observações picantes e espirituosas.

O inglês prepara-se para a aventura e organiza uma expedição ao Oriente, onde passa três anos e produz um grosso volume, repleto de fatos, mas sem ordem ou conclusão.

Quanto ao alemão, tranca-se num quarto e lá produz uma obra em vários volumes intitulada "A Idéia do camelo deduzida da concepção do Eu".

Saliba arrisca deduzir como o brasileiro reagiria ao desafio: adiaria indefinidamente o estudo, iria para a praia, tomaria uma cerveja e, depois de muito conversar com os amigos sobre o camelo, comporia um samba intitulado "Eu não sou camelo não".

É justamente compreender essa essência do brasileiro, através do humor, que Saliba pretende com seu livro.

Como o volume é resultado de um trabalho científico, antes ele passeia pelas principais definições do que vem a ser humor.

A mais famosa é a do filósofo Henri Bérgson, segundo o qual o cômico nascia do contraste entre os elementos mecânicos e vivos. Como se vê, uma definição muito influenciada pelos fatos ocasionados pela revolução industrial. Os desajustes entre as mudanças e as reações das pessoas a elas estão na base do humor. Exemplo disso é a cena, comum em muitos filmes mudos, da pessoa que se empenha de pequenas ocupações cotidianas, mas as coisas foram embaralhadas ou trocadas de lugar: mete a caneta no tinteiro e sai cola, acredita sentar-se na cadeira e cai. Em suma, age em decorrência de um ritmo ou hábito adquiridos e não consegue se adequar às mudanças.

Uma definição talvez mais interessante seja a de Luigi Pirandello. Para ele, o risível tem suas bases, na época da revolução industrial, nas imprevisíveis rupturas de realidade.

Para ele, o riso nasce da percepção do contrário. Como exemplo, temos uma velha que se pinta, veste-se como moça e pinta os cabelos. Ao vê-la, temos a percepção de que ela não é nem uma velha respeitável, nem uma moça, e dessa percepção do inusitado da situação, surge o riso. Mas o riso também nasce de um sentimento de superioridade.

Entretanto, para Pirandello, a percepção do contrário pode transformar-se num "sentimento do contrário" no momento em que aquele que ri procura conhecer os motivos pelos quais a velha procura mascarar sua velhice. Nesse momento há uma percepção, por parte daquele que ri, de que também ele pode ficar velho e fazer o possível para reconquistar a juventude perdida. Nesse momento, o riso se transforma em sorriso. O cômico se transforma em humor. Para passar de um para outro, é necessário renunciar ao distanciamento e à superioridade.

Exemplo disso é Dom Quixote. Suas atitudes são cômicas, mas Cervantes o descreve como se também ele, Cervantes, fosse um pouco Quixote.

O escritor russo Nicolai Gogol também apresenta essa guinada. Seus personagens são cômicos, desajeitados, perdedores, mas Gogol se compadece deles. É o riso entre lágrimas.

Para Pirandello, essa característica do humor poderia ser usada para conscientizar o público, leva-lo a rever suas próprias premissas e preconceitos. Não é à toa que o conceito de obra aberta, de Umberto Eco, valoriza tanto o humor.

Essa capacidade de conscientização e de crítica social do humor vai ser explorada do Saliba. Raízes do Riso trata da Belle Époque porque foi uma época que no Brasil o humor tornou-se a principal forma de protesto contra os desvios da República. Os humoristas, que sonharam com a abolição e o regime republicano, viam seus sonhos transformarem-se em pesadelo (na verdade, o Brasil passou da monarquia direto para a ditadura militar, sem qualquer transição democrática). Os intelectuais do período eram chamados de mosqueteiros da sátira, ou Dom Quixote da comédia.

Em nossa época, de disputa eleitoral, vale a pena resgatar uma dessas reflexões críticas sobre o pleito. De autoria de Guimarães Passos e publicada originalmente no semanário O Filhote, o poema abaixo narra as desventuras de um brasileiro de sotaque lusitano num dia de eleição e mostra que público e privado sempre foram inseparáveis na democracia brasileira:

José, natural das Ilhas,
que fala cerrado e grosso,
disse anteontem para as filhas:
votem o diavo du almoço!

Beijam se andam mais dipressa!
Bamos! Preciso cumer,
Porque a eleição já cumeça;
Quero cumprir meu deber!

A amásia dele, mulata,
Acode: Que é, seu Zezinho?
Jesus! Este home me mata...
Pro que é que sai tão cedinho?

E o Zé, palpando a barriga:
Tenho presssa d'almuçar!
Saiva você, rapariga,
Que o seu home bai botar!

E ela: Você botar? Iche!...
Seu Zezinho, tome nota!
Não caia n'algum espiche:
Há tanto tempo não bota!

Para ir além





Gian Danton
Macapá, 1/11/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. On the Road, 60 anos de Luís Fernando Amâncio
02. Lançamento de Viktor Frankl de Celso A. Uequed Pitol
03. Alice in Chains, por David De Sola de Luís Fernando Amâncio
04. Ao Abrigo, poemas de Ronald Polito de Jardel Dias Cavalcanti
05. Gerald Thomas: Cidadão do Mundo (parte IV) de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2002
01. A Teoria Hipodérmica da Mídia - 19/7/2002
02. A teoria do caos - 22/11/2002
03. Público, massa e multidão - 30/8/2002
04. A maçã de Isaac Newton - 16/8/2002
05. O filósofo da contracultura - 18/10/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SAFARI DE ESTRATÉGIA
HENRY MINTZBERG; BRUCE AHLSTRAND; JOSEPH LAMPEL
BOOKMAN COMPANHIA
(2005)
R$ 60,00



RECEITA PARA A MORTE
NERO BLANC
EDIOURO
(2004)
R$ 17,00
+ frete grátis



FRANÇA
GLOBO
LONELY PLANET
(2012)
R$ 16,00



FUNDAMENTOS DE PERÍCIA CONTÁBIL VOL 18
VÁRIOS AUTORES
ATLAS
(2006)
R$ 20,00



INFLAÇÃO E DEFLAÇÃO - TEORIA DA DINÂMICA ECONÔMICA - COLEÇÃO OS PENSAD
JOHN MAYNARD KEYNES MICHAL KAECKI PAULO ISRAE...
ABRIL
(1978)
R$ 23,69



PEQUENOS GUIAS DA NATUREZA - MAR E VIDA MARINHA LITORAL ...
PÂMELA FOREY E CECÍLIA FITZSIMONS
PLATANO
(1994)
R$ 37,00



ABLA 35 ANOS EM MOVIMENTO
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE LOCADORAS DE VEICULOS
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE LOCAD
(2012)
R$ 65,00



O TESTAMENTO
DENCAN JONNY
CLUBE DO LIVRO
(1966)
R$ 6,00



RESISTÊNCIA E SUBMISSÃO
DIETRICH BONHOEFFER
PAZ E TERRA
(1968)
R$ 95,00



VENTO SUDOESTE
LUIZ ALFREDO GARCIA ROZA
COMPANHIA DAS LETRAS
(1999)
R$ 12,00





busca | avançada
55507 visitas/dia
1,4 milhão/mês