A questão do fim do livro | Marcelo Spalding | Digestivo Cultural

busca | avançada
49568 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 29/7/2010
A questão do fim do livro
Marcelo Spalding

+ de 3900 Acessos


LIANA TIMM© (http://timm.art.br/)

O debate sobre o fim do livro está realmente palpitante, trazendo consigo uma leva de livros ― sim, o bom e velho livro ―, que prometem abordar de frente o tema. A questão dos livros (Companhia das Letras, 2010, 232 págs.), de Robert Darnton, publicado nos Estados Unidos em 2009 e já traduzido pela respeitável Companhia das Letras, é um deles.

Apresentado como "um livro sobre livros, uma apologia descarada em favor da palavra impressa e seu passado, presente e futuro", traz uma reunião de ensaios e artigos do professor universitário nova-iorquino que fez carreira em projetos acadêmicos e dirigindo bibliotecas. Como todo livro de reunião de ensaios e artigos acadêmicos, há uma boa dose de repetição, redundâncias, por vezes desgastando o leitor que fica com a sensação de que só precisaria ter lido um ou outro ensaio, e não a obra inteira.

Ainda assim a obra traz algumas reflexões importantes e toca nos principais temas sobre a questão dos livros na contemporaneidade, inclusive seu fim e digitalização: "o futuro, seja ele qual for, será digital. O presente é um momento de transição, onde modos de comunicação impressos e digitais coexistem e novas tecnologias tornam-se obsoletas rapidamente". E a biblioteca?, questiona. "Esta pode parecer a instituição mais arcaica de todas. Ainda assim, seu passado guarda bons presságios para seu futuro".

Lançando mão do olhar de historiador, Darnton afirma que houve quatro mudanças fundamentais na tecnologia da informação desde que os humanos aprenderam a falar. A primeira foi a invenção da escrita, tida como alguns pesquisadores como o avanço tecnológico mais importante da história da humanidade. A segunda foi a substituição do pergaminho pelo códice, logo após o início da era cristã. O códice, por sua vez, foi transformado pela invenção da impressão com tipos móveis, na década de 1450. E a comunicação eletrônica, por fim, quarta e grande mudança, aconteceu "ontem, ou anteontem, dependendo dos seus parâmetros":

"Disposta dessa forma, a velocidade das mudanças é de tirar o fôlego: da escrita ao códice foram 4300 anos; do códice aos tipos móveis, 1150 anos; dos tipos móveis à internet, 524 anos; da internet aos buscadores, 17 anos; dos buscadores ao algoritmo de relevância do Google, 7 anos; e quem pode imaginar o que está por vir no futuro próximo?"

O Google, aliás, está no centro da discussão do autor sobre o futuro do livro, graças ao ambicioso projeto Google Search Books. Darnton conta que em julho de 2007 ficou sabendo que Harvard estava envolvida em conversas secretas com o Google a respeito de um projeto que planejava digitalizar milhões de livros, começando com o acervo de Harvard e outras três bibliotecas universitárias, para então disponibilizar as edições digitais no mercado. O projeto já estava se desenvolvendo há alguns anos, tanto que em outubro de 2005 havia sido movida uma ação judicial contra o Google por um grupo de autores e editores que afirmavam ter seus direitos autorais infringidos.

O autor vê muitos méritos no projeto, hoje em pleno funcionamento, que irá facilitar o acesso a livros em qualquer parte do mundo, chegando a comparar a internet ao ideal iluministra de divulgação do conhecimento (aliás, a enciclopédia foi um símbolo iluminista como a Wikipedia é um símbolo da Era Digital). Mas também lembra que o Google já controla os meios de acesso à informação on-line da maioria dos americanos (GoogleSearch, Orkut, YouTube, GoogleMaps, GoogleImages.), e que com a desistência da Microsoft de atuar na digitalização de livros e o acordo feitopelo Google na justiça, apenas ele tem recursos tecnológicos, jurídicos e financeiros para um projeto dessa monta, impedindo qualquer outra iniciativa semelhante de atingir proporções parecidas. E "o que acontecerá se o Google der preferência à lucratividade em detrimento do acesso?", questiona Darnton. Segundo os termos do acordo feito entre a Justiça Americana e o Google, nada.

Outra linha de batalha do autor é a questão dos periódicos científicos, convertidos nos Estados Unidos numa indústria organizada e ambiciosa capaz de sugar todos os recursos possíveis das bibliotecas, pressionadas pelos alunos a adquirir os periódicos mesmo que as assinaturas anuais ultrapassem 10 mil dólares (eu já havia escrito sobre essa questão no Brasil em "Quanto custa rechear seu Currículo Lattes"). Com isso, as bibliotecas deixam de investir no que o autor chama de monografias, que seriam trabalhos acadêmicos de conclusão de cursos de graduação ou pós editados em formato de livro.

Como uma tentativa de recuperar esse tipo de produção, o autor relata sua participação no projeto Gutemberg-e, cujo objetivo era publicar teses de doutorado recriadas para publicação na internet em forma de livro eletrônico. Diferentemente do que imaginavam, os custos para uma publicação eletrônica se mostraram mais altos que os custos para a publicação impressa, graças às complexidades técnicas, o custo com direito de aquisição de imagens, sons, vídeos etc. Ainda assim o projeto conseguiu um aporte financeiro importante e por alguns anos foi realizado, sem, entretanto, a repecussão e o retorno esperados pelos investidores. Com isso o projeto foi interrompido, mas segundo Darnton foi uma bela amostra de como é possível aproveitar as novas tecnologias para disseminação do conhecimento em novas formas, com nova estrutura, diferente da estrutura livresca. Para ele, o Projeto Gutemberg-e passou por dificuldades por estar a frente do seu tempo, tanto que o próprio Darnton está envolvido na criação de um livro eletrônico sobre sua tese de doutorado.

A concepção de Darnton para seu livro eletrônico é interessante: uma construção piramidal em que o leitor pode ir se aprofundando de acordo com seu interesse específico em determinados temas, ou ler apenas a superfície do trabalho integral. O projeto, que tem se mostrado extremamente complexo na elaboração, ainda é apenas um projeto, mas demonstra como o acadêmico apaixonado por livros percebe a função distinta do que é publicado nas novas tecnologias e do que é publicado em livro.

Na parte sobre o passado do livro, vale mencionar uma resenha sobre o livro Double Fold: Libraries and the Assault on Paper, de Nicholson Baker. Baker se insurge contra a política norte-americano de liberar espaços nas bibliotecas através da microfilmagem. Para tanto era aplicada a técnica da dobradura dupla: se a página do livro fosse dobrada duas vezes e quebrasse, o livro estava condenado. Com isso a capa era retirada e as páginas escaneadas em microfilme, depois sendo o papel descartado. Assim milhares de livros sumiram das bibliotecas e, o que para Baker é imperdoável, coleções inteiras de jornais desapareceram, restritas que estão apenas aos microfilmes.

A questão é: quanto tempo irão durar os microfilmes? Há garantia de que eles estarão intactos pelos próximos cem anos de chuva, sol, calor, umidade? Os livros, embora um pouco amarelecidos, estão preservados por mais de cem anos e nada leva a crer que não permanecerão inteiros pelos próximos cem, até porque o leitor folheia páginas, não dobra páginas. E o microfilme? E as mídias digitais?

Como se percebe, são questões bastante diversas, embora todas ligadas à questão do livro, e parece mesmo que precisaríamos um livro eletrônico em formato piramidal para esgotarmos cada aspecto, ou pelo menos compreender toda sua complexidade. O fato é que o fim ou não do livro é uma questão quase insignificante diante do que se tem feito com a informação e o conhecimento na Era Digital, suas novas formas, sua preservação, sua circulação. Não é o fetiche pelo cheiro ou a forma do papel o que está em jogo. E é bom estarmos atento a isso.

Para ir além






Marcelo Spalding
Porto Alegre, 29/7/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Tecnologias e borboletas de Ana Elisa Ribeiro
02. Entrevista com o poeta mineiro Carlos Ávila de Jardel Dias Cavalcanti
03. A poesia afiada de Thais Guimarães de Jardel Dias Cavalcanti
04. Essas moças de mil bocas de Elisa Andrade Buzzo
05. Longa vida à fotografia de Fabio Gomes


Mais Marcelo Spalding
Mais Acessadas de Marcelo Spalding em 2010
01. A quem interessa uma sociedade alienada? - 2/9/2010
02. O hiperconto e a literatura digital - 8/4/2010
03. Free: o futuro dos preços é ser grátis - 11/11/2010
04. Bastardos Inglórios e O Caso Sonderberg - 27/5/2010
05. O espiritismo e a novela da Globo - 30/9/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SÓBRIO: VENÇA A DEPENDÊNCIA DO ÁLCOOL E MANTENHA A DIGNIDADE
JOHN G. COONEY
NOVA ERA
(2006)
R$ 7,90



A HOSPEDEIRA
STEPHENIE MEYER; RENATO AGUIAR
INTRINSECA
(2009)
R$ 10,00



A HISTÓRIA DOS TRES PORQUINHOS
RUBENS ALVES
PAULUS
(1999)
R$ 9,00



PASSWORD - ENGLISH DICTIONARY FOR SPEEKERS OF PORTUGUESE
MARTINS FONTES
MARTINS FONTES
(1995)
R$ 15,00



CURSO AVANÇADO DE PROCESSO CIVIL VOL 2
LUIZ RODRIGUES WAMBIER (COORDENAÇÃO)
REVISTA DOS TRIBUNAIS (SP)
(2002)
R$ 24,28



COMPREENDENDO A LEITURA
FRANK SMITH
ARTMED
(2003)
R$ 72,00



ATLAS COMPACTO DAS DOENÇAS DO NARIZ E DOS SEIOS DA FACE
MICHAEL HAWKE E RENATO ROITHMANN
SMITHKLINE BEECHAM
(1998)
R$ 10,00



O BISPO - A HISTÓRIA REVELADA DE EDIR MACEDO
DOUGLAS TAVOLARO
LAROUSSE
(2007)
R$ 8,00



POÉTICA
ARISTÓTELES
EDIPRO
(2014)
R$ 24,67



OS MISERÁVEIS DE MOSCOU
NATALYA LOWNDES
RECORD
(1988)
R$ 10,00





busca | avançada
49568 visitas/dia
1,2 milhão/mês