Fellini | Maurício Dias | Digestivo Cultural

busca | avançada
69289 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Mostra de Teatro traz quatro peças para assistir on-line
>>> Festival Som na Faixa apresenta edição online com atrações da música instrumental
>>> Leituras Urbanas começa novo ciclo literário
>>> Unil oferece abordagem diferenciada da gramática a preparadores e revisores de texto
>>> Conversas no MAB com Sergio Vidal e Ana Paula Lopes
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> A busca
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Papa Francisco
>>> Pequena notável
>>> Notas de leitura sobre Inácio, de Lúcio Cardoso
>>> USP: 75 anos de histórias várias
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Minicursos na PUC Minas
>>> 7 de Setembro
>>> Dublinenses
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> A Lógica do Cisne Negro, de Nassim Nicholas Taleb
Mais Recentes
>>> Cinquenta tons mais escuros de E L James; Juliana Romeiro pela Intrinseca (2015)
>>> Esta Terra Tem Dono - Esta Tierra Tiene Dueño - Co Yvy Oguereco Yara de Alcy Cheuiche pela Age (2012)
>>> A Odisseia da Filosofia: Uma Breve História do Pensamento Ocidental de José Francisco Botelho pela Abril (2015)
>>> Pureza mortal de Nora Roberts; J. D. Robb; Renato Motta pela Bertrand Brasil (2011)
>>> A Hisótira da Ciência Para Quem Tem Pressa: De Galileu a Stephen Hawking em 200 Páginas de Nicola Chalton; Meredith MacArdle pela Valentina (2017)
>>> Contos da seleção o principe e o guarda de Kiera Cass; Cristian Clemente pela Seguinte (2014)
>>> 1808 de Laurentino Gomes pela Planeta do Brasil (2007)
>>> Dublinenses de James Joyce pela Biblioteca Folha (2003)
>>> Viaje a Ixtlan de Carlos Castaneda pela Fondo de Cultura Económica (2009)
>>> História do amor no Ocidente de Denis de Rougemont pela Ediouro (2003)
>>> As cidades invisíveis - coleção biblioteca folha de Italo Calvino pela Biblioteca Folha (2003)
>>> O evangelho segundo o espiritismo de Allan Kardec pela Ide (2004)
>>> Breves Respostas para Grandes Questões de Stephen Hawking pela Intrínseca (2018)
>>> Presença do Vinho no Brasil. um Pouco de História de Carlos Ernesto Cabral de Mello pela Cultura (2018)
>>> Uberizacao de Tom slee pela Elefante (2020)
>>> O Processo de Franz Kafka pela 1117 (2012)
>>> União 100 anos - Receitas que fazem nossa história de Açucar União pela Gold (2000)
>>> Os Miseráveis de Victor Hugo; Walcyr Carrasco pela Moderna (2012)
>>> La Religión Dentro de los Límites de la Mera Razón de Immanuel Kant pela Alianza Editorial (2009)
>>> A Dama das Camélias de Alexandre Dumas Filho pela Nova Alexandria (2015)
>>> Mentes Inquietas: TDAH - Desatenção, Hiperatividade e Impulsividade de Ana Beatriz Barbosa Silva pela Objetiva (2004)
>>> A primeira história do cristianismo de Daniel Marguerat pela Paulus, Loyola (2003)
>>> As erras mais primitivas da terra (Tomo 1 e 2) de G. H. Pember pela Ed Clássicos (2003)
>>> The Witcher Livro 1: O Último Desejo de Andrej Sapkowski pela WMF Martins Fontes (2011)
>>> O Hobbit de J. R. R. Tolkien pela WMF Martins Fontes (2013)
>>> O Silmarillion de J. R. R. Tolkien pela WMF Martins Fontes (2011)
>>> Livro de Uma Sogra – Obra Completa Nº 5 de Aluísio Azevedo pela Waldré (1982)
>>> O Mulato de Aluísio Azevedo pela Ática (1992)
>>> Os Lusíadas de Luís de Camões pela Abril (1979)
>>> Os Trabalhadores do Mar de Victor Hugo pela Abril (1979)
>>> Decamerão (2 volumes) de Giovanni Boccaccio pela Abril (1981)
>>> Relações entre a Igreja e o Estado de Rafael Llano Cifuentes pela José Olympio (1989)
>>> A Interpretação do Homem de Renato Kehl pela Francisco Alves (1951)
>>> Envelheça Sorrindo de Renato Kehl pela Francisco Alves (1949)
>>> O Milagre de Lourdes de Ruth Cranston pela Melhoramentos (1955)
>>> Diário de um pároco de aldeia de Georges Bernanos pela Agir (1964)
>>> A Doutrina Social da Igreja de G. C. Rutten, O. P. pela Agir (1947)
>>> Maria e o Evangelho de Jean Galot pela Aster (1961)
>>> O que sobrou do paraíso? de Jean Delumeau pela Companhia das letras (2003)
>>> Senhores de engenho, judeus em Pernambuco colonial 1542-1654 de José Alexandre Ribemboim pela 20-20 Comunicação (2002)
>>> Os magnatas do tráfico negreiro de José Gonçalves Salvador pela Pioneira, Edusp (1981)
>>> A comunidade judaico-cristã de Mateus de Anthony J. Saldarini pela Paulinas (2000)
>>> A Formação da Terra - Biblioteca Salvat de Grandes Temas de Vários Colaboradores pela Salvat (1979)
>>> As origens do Novo Testamento de C. F. D. Moule pela Paulinas (1979)
>>> Mártires do coliseu romano de Emma Leslie pela Aeebar (1984)
>>> Filosofia para entender teologia de Diogenes Allen e Eric Springsted pela Paulus, Academia cristã (2011)
>>> Nigella Bites de Nigella Lawson pela Ediouro (2019)
>>> Minidicionário da Língua Portuguesa de Francisco da Silveira Bueno pela FTD (1996)
>>> Desenho Técnico de Thomas E. French pela Globo (1958)
>>> Métodos de Ensaios nas Indústrias de Celulose e Papel de Alfred Halward e Outro pela Brusco
COLUNAS

Sexta-feira, 13/12/2002
Fellini
Maurício Dias

+ de 2900 Acessos
+ 1 Comentário(s)

"Fellini é um garoto do interior que nunca chegou de fato à Roma. Ainda sonha com ela. E devíamos todos agradecer muitíssimo esses sonhos." Orson Welles, em entrevista a Peter Bogdanovitch.

O provincianismo de Federico Fellini pode ser notado em suas mais fortes influências, os quadrinhos - numa época em que os quadrinhos eram muito mais banais, salvo raras exceções - e o circo - ao qual prestaria homenagens em "A Estrada da Vida" (1954) e no semidocumentário feito para TV "I Clowns" (1971). A imagem por ele construída de sua mulher, a atriz Giulietta Masina, em seus primeiros filmes célebres, como "A Estrada da Vida" ou "Noites de Cabíria" (1957, Oscar de filme estrangeiro e prêmio de melhor atriz em Cannes) são definitivamente populistas, mostrando grande simpatia e comiseração pelos ingênuos e apalermados.

Mas vamos falar do começo. Fellini deixou a cidade natal aos dezessete anos, foi para Florença tentar vender charges para uma revista satírica, e acabou colaborando como desenhista de histórias em quadrinhos. Em 1939, foi para Roma estudar direito - e como bom garoto de província, foi acompanhado da mamãe, que era nativa da capital. Graças a uma confusão nos arquivos militares, conseguiu escapar de prestar serviço na guerra - mas, talvez, "confusão nos arquivos" seja um eufemismo para suborno ou troca de favores obtida por sua família. Ninguém em sã consciência quer o filho indo pra guerra.

Em Roma, escreveu esquetes para teatro, canções para o teatro de revista, monólogos para cômicos famosos. Chegou a trabalhar, até, em fotonovelas, assim como - pasmem - Michelângelo Antonioni. A Itália estava arrasada pela guerra, qualquer serviço era bem vindo.

Sua amizade com o ator Aldo Fabrizi o levou ao cinema quando Rossellini chamou Fabrizi para trabalhar em "Roma, Cidade Aberta" (1945), marco do cinema-mundial, filme chave do neo-realismo italiano. (Este movimento seria um dos grandes pais do cinema novo brasileiro, ao utilizar atores não profissionais e mostrar, num forte contexto social, todas as mazelas da sociedade, evitando-se ao máximo maquiar a realidade. No filme de Rossellini, por exemplo, mostra-se que Roma estava de fato arrasada, e a cidade-ruína é parte integrante da narrativa.). Fellini foi indicado para o Oscar como um dos roteiristas do filme. Voltaria a trabalhar como roteirista no filme seguinte do diretor, "Paisá" (1946).

Em seguida, escreveu roteiros para Alberto Lattuada, até surgir a chance de co-dirigir um filme com este, "Mulheres e Luzes" (1950).

Em muitos dos filmes de Fellini, podem-se ver as reminiscências de sua infância e juventude passadas na região da Emilia Romana, na cidadezinha de Rimini - o que nos possibilita chamar suas memórias de "Rimini-scências". No belo "Os Boas Vidas" (1953), mostra-se a juventude na província, e o drama dos que, por ambicionar algo maior na vida, têm que deixar a cidade natal - algo que sentiu na própria carne. Com este filme, ganhou prêmio em Berlim. Anos depois, em "Amarcord" (1974, Oscar de filme estrangeiro) - uma de suas obras-primas, em que o título significa "Eu me recordo" num dialeto local - voltaria a mostrar uma Itália governada por Mussolini - recheada com o culto à sua personalidade e a perseguição aos dissidentes, bem como a colaboração da Igreja em todo o processo. No entanto, ele os retratou com ternura e um humor peculiar.

Em "A Doce Vida" (1960), vemos uma sociedade degradada pela vida fútil e hedonista. O personagem principal - Guido, um repórter de fuxicos - vive à caça de notícias e mulheres pelas ruas da cidade eterna, ao mesmo tempo em que está preso a um relacionamento patético com uma neurótica ignorante. O único personagem do filme que pode ser descrito como alguém de índole aparentemente boa - o sujeito que recebia artistas e intelectuais em sua casa - enlouquece, mata seus filhos pequenos, e suicida-se em seguida. Marcello Matroianni, pela primeira vez, empresta seu belo rosto ao personagem que, no fundo, é Fellini - um Fellini ideal e sedutor, como o próprio diretor talvez desejasse ser. A cena de Anita Ekberg molhadinha na Fontana di Trevi é um dos clássicos do cinema. A modelo Nico, que depois viraria musa do rock nas mãos de Andy Warhol, aparece num pequeno papel interpretando a si mesma.

O melhor filme de Fellini, "8 e ½" (1963, Oscar de filme estrangeiro), mostra um diretor de cinema em crise. A ação se dá, sem distinções claras, no plano do presente, do passado e do delírio, algo como o que Nelson Rodrigues e Ziembinsky tinham feito aqui quase vinte anos antes, na célebre montagem teatral de "Vestido de Noiva". Um filme deslumbrante, onde o diretor tem a audácia de assumir publicamente o lado chauvinista, bígamo e neurótico que quase todo homem no fundo carrega dentro de si. Este filme, como "A Doce Vida", está disponível em vídeo. Mas perdem muito em tela pequena. Os clássicos tinham que ser reexibidos em circuito, ao menos, de cinco em cinco anos. O gosto do diretor pelo grotesco pode ser encontrado principalmente em seus filmes mais tardios, "Satyricon" (1969), "Casanova" (1976) - ambos algo enfadonhos - , e "Cidade das Mulheres" (1980). Felliniano virou adjetivo, amplamente usado.

Em Satyricon, ele começou também a onda de alojar seu nome já famoso ao título do filme (Ex. Casanova se chamou Il Casanova di Federico Fellini), no que pode ser visto como uma bela jogada de marketing - e também como culto à personalidade, como ele havia visto acontecer com o Duce Mussolini na década de 30.

Na década de 80, uma última obra-prima, "E La Nave Va", um filme extremamente lírico, onde um navio é um microcosmo da sociedade italiana à época da primeira guerra. Fellini brinca com a artificialidade do cinema, nos mostrando que o seu mar é, na verdade, plástico azul, e o navio só balança por força de engenhos hidráulicos.

Pouco antes de morrer, Fellini voltaria aos seus amados quadrinhos, escrevendo argumentos para os belos desenhos de Milo Manara. Na morte, sua eterna companheira Giulietta o seguiria em menos de um mês. Não podiam ficar muito tempo longe um do outro.


Maurício Dias
Rio de Janeiro, 13/12/2002


Mais Maurício Dias
Mais Acessadas de Maurício Dias
01. 100 homens que mudaram a História do Mundo - 16/3/2004
02. Crítica à arte contemporânea - 20/5/2002
03. A obra-prima de Raymond Chandler - 21/1/2003
04. Escrita e Artes Visuais - 21/11/2002
05. Picasso e Matisse: documentos - 10/6/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
14/12/2002
14h47min
Vi pela primeira vez o classico 8,5 numa mostra de cinema italiano no National Film Theatre aqui em Londres. Realmente magnifico. Quem vier passar as festas aqui, nao deixe de dar uma olhada... Ah, em janeiro, semanas e semanas dedicadas a outro genio, Bergman. Como a sala escura e a telona fazem diferenca... podiam fazer mais mostras retrospectivas no Brasil.
[Leia outros Comentários de Arcano9]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




REVISTA BRASILEIRA DE MEDICINA VOL. 16
A. DA SILVA MELLO
REVISTA BRASILEIRA DE MEDICINA
(1959)
R$ 55,83



ILUSTRATION OF ACUPUNTURA & MOXIBUSTION TREATMENT FOR COMMON DESE
ZHANG JIANHUA (COMPILER)
JIANGXI SCIENCE AND TECHNOLOGI
(2010)
R$ 58,28



UMA NOVA FACE - UM ROSTO MAIS JOVEM SEM CIRURGIAS
GREGORY BAYS BROWN
PRESTIGIO
(2005)
R$ 8,39



TUDO TEM SEU PREÇO
ZIBIA GASPARETTO
VIDA E CONSCIENCIA
(2002)
R$ 10,00



O CANTO DOS MEUS AMORES - 5086
ARMANDO NOGUEIRA
DUNYA
(1998)
R$ 8,00



O GRANDE DESAFIO DA EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA 7 BILHÕES
JOÃO B. PEIXOTO
BIBLIOTECA DO EXÉRCITO
(1978)
R$ 9,90



ARCHITECTURE NOW! RESTAURANTS & BARS
PHILIP JODIDIO
TASCHEN ESPAÑA
(2009)
R$ 300,00
+ frete grátis



NASCIDO PARA VENCER
JAMES E. JONGEWARD
BRASILIENSE
(1978)
R$ 26,00
+ frete grátis



O MUNDO EGÍPCIO - DEUSES, TEMPLOS E FARAÓS - VOLUME 1
EDIÇÕES DEL PRADO
DEL PRADO
(1996)
R$ 6,90



QUANDO O PASSADO NÃO PASSA
ELISA MASSELI
VIDA E CONSCIÊNCIA
(1999)
R$ 9,00





busca | avançada
69289 visitas/dia
2,0 milhão/mês