A obra-prima de Raymond Chandler | Maurício Dias | Digestivo Cultural

busca | avançada
31843 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Abdominal terceirizado - a fronteira
>>> Cinema é filosofia
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Mulher no comando do país! E agora?
>>> YouTube, lá vou eu
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Bar azul - a fotografia de Luiz Braga
>>> Eu + Você = ?
>>> Virtudes e pecados (lavoura arcaica)
>>> Pela estrada afora
Mais Recentes
>>> Novo código civil brasileiro de Coordenação; Giselle de Melo Braga Tapai e colaboradores pela Revista dos tribunais (2003)
>>> Execução de Pré Executividade de Marcos Valls Feu Rosa pela Sergio Antonio Fabris (1996)
>>> O desafio do escombro : nação, identidades e pós-colonialismo na literatura da Guiné-Bissau de Moema Parente Augel pela Garamond (2007)
>>> Processo de Execução de Levenhagen pela Atlas (1986)
>>> Processo de Execução de Humberto Theodoro Júnior pela Leud (1999)
>>> Execução direito processual civil ao vivo de Humberto Theodoro Júnior pela Aide (2000)
>>> Teoria e prática do processo de execução de Orlando Fida e Carlos A.M. Guimarães pela Led (2019)
>>> Lei de execução Fiscal Comentada e Anotada Lei 6.830 de 22 /09/1980 de Maury Ângelo Bottesini e outros pela Revista dos Tribunais (2000)
>>> Execução Fiscal de José Afonso da Silva pela Revista dos Tribunais (1975)
>>> A Execução contra fazenda pública de Wanderley José Federighi pela Saraiva (1996)
>>> Execução Civil (Princípios Fundamentais) de José Miguel Garcia Medina pela Revista dos Tribunais (2002)
>>> Da arrementação e da Execução de Severiano Ignacio de Aragão pela Leud (1998)
>>> Execução Forçada de Cláudio Nunes do Nascimento pela Saraiva (1974)
>>> Fraude a Execução de José Sebastião de Oliveira pela Saraiva (1986)
>>> Fraude de Execução e Garantias Fundamentais do Processo de Sergio Coelho Junior pela Lumen Juris (2006)
>>> Prática do processo de execução de Severiano Ignacio de Aragão pela Idéia Jurídica (2001)
>>> Execução contra fazenda pública fundada em título extrajudicial de Juraci Inês Chiarini Vicente pela Forense (2001)
>>> Da execução e dos Embargos de João Roberto Farizato pela Led (1996)
>>> Execução de Luiz Guilherme Marinoni e Sergio Cruz Arenhart pela Revista dos Tribunais (2007)
>>> O Novo processo de execução de Luiz Fux pela Forense (2008)
>>> A Reforma da execução do título extrajudicial de Humberto Theodoro Júnior pela Forense (2007)
>>> Manual das Execuções de Jônatas Milhomens e Geraldo Magela Alves pela Forense (1999)
>>> Manual das Execuções de Jônatas Milhomens e Geraldo Magela Alves pela Forense (2001)
>>> A consciência do impacto nas obras de Cruz e sousa e de Lima Barreto de Cuti pela Autêntica (2009)
>>> Execução no Código de processo Civil de José Antonio de Castro pela Saraiva (1983)
>>> Crédito Hipotecário na execução movida por terceiro de Haroldo Pabst pela Revista dos Tribunais (1978)
>>> Intervenção de Terceiros de José Antonio Alem pela Leud (1989)
>>> Embargos de Terceiros de José Antonio Alem pela Leud (1987)
>>> Embargos de Devedor de José Antonio Alem pela Leud (1986)
>>> Embargos de terceiro de Edson Prata pela Leud (1987)
>>> Das intervenção de terceiros de Jônatas Milhomens pela Forense (1985)
>>> Intervenção de Terceiros de Athos Gusmão Carneiro pela Saraiva (2001)
>>> Intervenção de Terceiros de Athos Gusmão Carneiro pela Saraiva (1983)
>>> Intervenção de Terceiros de Athos Gusmão Carneiro pela Saraiva (1986)
>>> Pluralidade de partes e intervenção de Terceiros de José Raimundo Gomes da Cruz pela Revista dos Tribunais (1991)
>>> Como se Preparar para exame de ordem 1ª Fase (Civil) de Fernando Tartuce e Fernando Sartori pela Métado (2007)
>>> Como se Preparar para exame de ordem 1ª ( Fase Processo Penal) de Vauledir Ribeiro Santos pela Métado (2007)
>>> Código de processo Civil Reformado de J. E. Carreira Alvim pela Del Rey (1995)
>>> Instituições de processo Civil de Renato Riotaro Takiguthi pela Saraiva (1977)
>>> As inovações no código de processo de Humberto Theodoro Júnior pela Forense (1995)
>>> Processo Civil Procedimentos Especiais de Thereza Christina Nahas pela Atlas (2006)
>>> Do chamamento a autoria Denunciação da Lide de Antonio Carlos de Araujo Cintra pela Revista dos Tribunais (1973)
>>> Das citações e das intimações de João Roberto Parizatto pela Leud (1990)
>>> Os prazos processuais de Norma Chrissanto Dias pela Lumen Juris (2003)
>>> As inovações no código de processo de Humberto Theodoro Júnior pela Forense (1995)
>>> A ação civil pública na nova ordem constitucional de Édis Milaré pela Saraiva (1990)
>>> Alinhamentos da nova reforma do cpc de José Rogério Cruz e Tucci pela Revista dos Tribunais (1997)
>>> O advogado e sua identidade profissional em risco de Ivan Alkmim pela Destaque (2001)
>>> Declaração de Insolvência de Onaldo Campos pela Saraiva (2019)
>>> Repertório de jurisprudência e doutrina sobre processo cautelar de Arruda Alvim Nelson Luiz Pinto pela Revista dos Tribunais (2019)
COLUNAS

Terça-feira, 21/1/2003
A obra-prima de Raymond Chandler
Maurício Dias

+ de 10100 Acessos

Se você gosta dos filmes noir de Billy Wilder e John Huston; se gosta de Tarantino e seu séqüito de imitadores; ou de filmes tão dispares quanto Blade Runner ou Los Angeles, Cidade Proibida, é melhor tratar de conhecer logo o pai da matéria, o homem que influenciou todos eles: o escritor americano Raymond Chandler (1888-1959), alguém capaz de agradar a nomes tão diversos quanto o crítico literário e escritor Edmund Wilson ou o roqueiro Lou Reed.

Chandler é quase que unanimemente tido como o maior autor da literatura policial. Na verdade, ele é bem mais que isso. Recentemente estive relendo O Longo Adeus (1953), seu melhor livro. A densidade, o humor e a ironia da obra me fizeram confirmar algo que há muito já desconfiava: com a possível exceção de William Faulkner, Chandler é o maior autor de romances americano do século XX. Com certeza é muito melhor que Hemingway, apesar de ter sido de certa forma influenciado pelos diálogos secos do autor de Os Assassinos e O Velho e o Mar.

O fato é que O Longo Adeus, mais ainda do que os demais livros de Chandler, não é bem um livro policial, mas um apanhado de observações sobre a sociedade americana entremeado por uma trama policialesca para agradar ao grande público. E especialmente neste livro, a trama policial funciona como uma argumentação a favor da lealdade, de sua grandeza moral, da necessidade dela como cimento da vida em sociedade. O personagem principal de todos os romances de Raymond Chandler, o detetive particular Philip Marlowe é um sir Galahad, que percorre desde a high society até os becos mais imundos com uma fé inabalável no seu dever de agir corretamente, ainda que sabendo que neste mundo tem-se que jogar duro. Este confronto de sua noção do que é certo contra sua acurada visão de mundo - pois Marlowe não é um imbecil, ele sabe onde vive - é a força motriz das suas muitas observações, recheadas quase sempre de uma certa amargura.

Magnífica é a descrição que o criador Chandler faz da criatura Marlowe em um ensaio que aqui foi publicado ao final da edição de A Simples Arte de Matar (L&PM Editores), coletânea de contos onde já se delineava algo do personagem Marlowe, embora ele ainda não fosse assim chamado: " ... nas ruas sórdidas da cidade grande precisa andar um homem que não é sórdido, que não se deixou abater e não tem medo. Neste tipo de história o detetive deve ser este homem. Ele é o herói; ele é tudo. (...) Não me interessa sua vida particular; ele não é nem um eunuco nem um sátiro; penso que ele poderia seduzir uma duquesa e tenho certeza de que não se aproveitaria de uma virgem; se é um homem honrado em uma coisa, é um homem honrado em todas as coisas".

E voltando a O Longo Adeus, a trama é complexa: tudo começa casualmente quando Philip Marlowe socorre Terry Lennox, um bêbado caído no estacionamento de uma boate. Inicia-se uma amizade, que será abruptamente terminada quando Lennox se envolve em problemas e Marlowe o ajuda a fugir para o México. Após o desfecho destra trama, aparentemente o livro recomeça do zero, e Marlowe vai trabalhar para um escritor alcoólatra. Mas as histórias acabam se interligando ao final, e mais que isso não posso contar.

A história, apesar de bem construída, não é o principal. A qualidade do texto em si é que impressiona. E como já disse no texto Escrita e Artes Visuais (publicado aqui no Digestivo), prefiro me calar diante da perfeição, deixar que ela fale por si mesma. Seguem trechos dos ótimos diálogos de O Longo Adeus, extraídos da edição - de bolso - que ainda pode ser encontrada nas livrarias, a da L&PM Pocket, com bela tradução de Flávio Moreira da Costa:

Dito por um multimilionário sexagenário:

"- ... Nós vivemos no que se chama de democracia, regida pela maioria do povo. Uma idéia ótima se chegasse a funcionar. O povo elege, mas são as máquinas partidárias que nomeiam, e as máquinas partidárias, para serem eficientes, precisam de muito dinheiro. Alguém precisa dar este dinheiro a eles e este alguém, seja um indivíduo, um grupo financeiro, um sindicato ou o que você quiser, espera alguma coisa em troca." (...; pág. 252)

O mesmo multimilionário:

"- ... Não se pode esperar qualidade de pessoas cujas vidas são uma sujeição à falta de qualidade. Não se pode ter qualidade com produção em massa. Não se deseja isso porque demoraria muito a chegar. Portanto, para substituir isso há o estilo. Que é um logro comercial com a intenção de produzir coisas obsoletas e artificiais. A produção de massa não poderia vender seus produtos no ano que vem a não ser que faça o que vendeu este ano ficar fora de moda. Temos as cozinhas mais brancas e os banheiros mais brilhantes do mundo. Mas na adorável cozinha branca a dona-de-casa americana média não consegue cozinhar uma refeição boa de se comer, e o adorável banheiro brilhante é sobretudo um receptáculo para desodorantes, laxativos, soníferos e produtos desta quadrilha de vigaristas que se chama indústria de cosméticos. Nós fazemos as embalagens mais bonitas do mundo, Sr. Marlowe. O que está lá dentro é, na maior parte, lixo." (pág. 253)

Dito por um escritor de romances históricos best sellers:

"- ... Uma vez tive um secretário homem. Despedi-o. Me incomodava ficando sentado por aí esperando eu criar alguma coisa. Cometi um erro. Devia tê-lo deixado ficar. Iam começar a dizer por aí que eu era homossexual. Os garotos inteligentes que escrevem resenhas de livros, porque não conseguem escrever mais nada, iam se encarregar de espalhar a notícia e minha carreira estaria feita. É preciso cuidar da carreira da gente, você sabe. São todos uns veados, todos eles. A bicha é o juiz artístico da nossa era, meu chapa. O pervertido é que está por cima agora." (pág. 270)

Diálogo entre o mesmo escritor e Marlowe:

"- Sabe de uma coisa? Não passo de um mentiroso. Meus personagens têm quase dois metros de altura e minhas heroínas têm calos no bumbum de tanto deitar na cama com os joelhos pra cima. Laços e fitas, espadas e carruagens, elegância e gentileza, duelos e mortes galantes. Tudo mentira. Usavam perfume em vez de sabonete, os dentes delas apodreciam porque nunca os escovavam, as unhas eram negras da sujeira dos estábulos. A nobreza francesa mijava nas paredes dos corredores de mármores de Versalhes, e quando finalmente se conseguia tirar as várias roupas de baixo da adorável marquesa, a primeira coisa que a gente notava era que ela precisava tomar um banho. Deveria escrever assim.

- E por que não?

- Claro; e iria morar numa casa de cinco cômodos em Compton....se tivesse sorte." (pág. 271)

Em que outro livro policial se encontraria comentários deste tipo?


Maurício Dias
Rio de Janeiro, 21/1/2003


Mais Maurício Dias
Mais Acessadas de Maurício Dias em 2003
01. A obra-prima de Raymond Chandler - 21/1/2003
02. Picasso e Matisse: documentos - 10/6/2003
03. Uma teoria equivocada - 14/10/2003
04. Quentin Tarantino: violência e humor - 29/7/2003
05. Por onde anda a MPB atualmente? - 20/5/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ANJOS CABALÍSTICOS
MONICA BUONFIGLIO
OFICINA CULTURAL ESOTÉRICA
(1993)
R$ 4,90



O PASSARO DE PRATA UMA HISTORIA PARA AQUELES QUE SONHAM
JOYCE PETSCHEK
PENSAMENTO
R$ 7,00



PLATÃO E A EDUCAÇÃO
JAYME PAVIANI
AUTÊNTICA
(2008)
R$ 27,00



QUALIDADE DE VIDA NAS BORDAS URBANAS
REBECA MARIA RAMOS TABOSA UND JOSÉ AUGUSTO SILVEIRA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 293,00



VIOLÊNCIA DO MUNDO
EDGAR MORIN
RECORD
(2004)
R$ 23,00
+ frete grátis



NA LUZ DO EVANGELHO
SEBASTIÃO ANSELMO - PELO ESPÍRITO TETSUE
PETIT
(1993)
R$ 5,00



DIÁRIO DAS EMOÇÕES
ANNA LLENAS
BENVIRÁ
(2015)
R$ 17,00



OXFORD ADVANCED LEARNER'S DICTIONARY OF CURRENT ENGLISH
A.S. HORNBY
OXFORD
(1974)
R$ 16,50



O SEQUESTRO DO SANTA MARIA
LUDENBERGUE GÓES
CIA DOS LIVROS
(2011)
R$ 21,00



FRENCH IMPRESSIONISTS - DRAWINGS OF THE MASTERS
SELEÇÃO IRA MOSKOWITZ E MAURICE SÉRULLAZ
SHOREWOOD PUBLISHERS
R$ 39,90





busca | avançada
31843 visitas/dia
1,0 milhão/mês