Os dias podem ser páginas? | Marisa

busca | avançada
80183 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Contos do Índio e da Floresta estreia dias 03 e 04 de outubro na Sympla Streaming
>>> “Conversa de Criança – Coronavírus” discute o acolhimento das emoções das crianças durante pandemia
>>> São Paulo ganha grafitti gigante que propõe reflexão sobre igualdade racial
>>> Buena Onda Reggae Club faz maratona de shows online a partir de 1ª de outubro
>>> Filó Machado e Felipe Machado dividem o palco em show online pelo CulturaEmCasa
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Infeliz Dia dos Namorados
>>> Deepak Chopra Speaker Series
>>> Nota Bene
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Comer é viver
>>> Sugerido para adultos?
>>> Ação e Romance
>>> O Conselheiro também come (e bebe)
>>> Kurt Cobain; ou: I Miss the Comfort in Being Sad
>>> O melhor de 2008 ― literatura e cinema
Mais Recentes
>>> Dinâmicas de Leitura Para Sala de Aula de Mary Rangel pela Vozes (1990)
>>> Força Interior - Ensinamentos práticos para uma vida melhor de Carlos França pela Circulo do Livro (1988)
>>> Castas, estamentos e clases sociais de Sedi Hirano pela Alfa-Omega (1974)
>>> Word Perfect vocabulary for fluency de Mark Harison pela Nelson (1990)
>>> Plotinus Ennead III de Plotinus; A.H.Armstrong pela Loeb (1967)
>>> Volar Sobre El Pantano - novela de valores para superar la adversidad y triunfar de Carlos Cuauhtémoc Sánchez pela Selectas Diamante (1995)
>>> 200 Sonetos de Luis Vaz de Camões pela Lepm (2001)
>>> Academia Goiana de Letras - História e Antologia de Coelho Vaz pela Kelps (2008)
>>> O Poder Infinito da Oração - Descoberta da força capaz de produzir milagre de Lauro Tevisan pela Mente
>>> Não Mato por Prazer de John Godey pela Nova Época (1974)
>>> A Outra América: Pobreza nos Estados Unidos de Michael Harrington pela Civilização Brasileira (1964)
>>> O Vôo da Borboleta de Morah Lofts pela Melhoramentos (1987)
>>> Encontros Com Homens Notáveis de G. I. Gurdjieff pela Pensamento (1980)
>>> A Morte no Japão de Ian Fleming pela Globo (1965)
>>> Um de Richard Bach pela Record (1988)
>>> Os Grandes Clássicos da Literatura: Elogio da Loucura - O Livre Arbítrio de Erasmo de Roterdã – Artur Schopenhauer pela Novo Brasil (1982)
>>> Esconde-Esconde de James Patterson pela Best Seller / Círculo do Livro (1997)
>>> Sherlock Holmes: O Ritual Musgrave e Outras Aventuras de Sir Arthur Conan Doyle pela Melhoramentos (2006)
>>> Platero e Eu de Juan Ramón Jimenez pela Rio Gráfica (1987)
>>> O Original de Jean-Jacques Fiechter pela Record (1996)
>>> Aura de Carlos Fuentes pela L&PM (1981)
>>> As Ninfas do Vale de Gibran Khalil Gibran pela Catavento (1978)
>>> A Brincadeira de Milan Kundera pela Nova Fronteira (1986)
>>> A Rainha de Provence de Jean Plaidy pela Record (1993)
>>> Esfinge de Robin Cook pela Círculo do Livro (1987)
>>> Cérebro de Robin Cook pela Círculo do Livro (1997)
>>> A Ira dos Anjos de Sidney Sheldon pela Nova Cultural (1985)
>>> Nada Dura Para Sempre de Sidney Sheldon pela Círculo do Livro (1998)
>>> Um Estranho no Espelho de Sidney Sheldon pela Círculo do Livro (1987)
>>> O Outro Lado da Meia-Noite de Sidney Sheldon pela Círculo do Livro (1989)
>>> Palavras que Curam - A força terapêutica das hist. bíblicas de Walther H, Lechler/Alfred Meier pela Prestígio (2006)
>>> A História da Primeira Guerra Mundial. 1914-1918 - Com 4 Volumes de David Stevenson pela Novo Século (2018)
>>> Wild Cards: Ases Nas Alturas - Livro 2 de George R. R. Martin pela Leya (2013)
>>> Wild Cards: Guerra aos Curingas - Livro 9 de George R. R. Martin pela Leya (2018)
>>> Wild Cards: Luta de Valetes - Livro 8 de George R. R. Martin pela Leya (2017)
>>> Wild Cards: Ás na Manga: Livro 6 de George R. R. Martin pela Leya (2017)
>>> Pense e Enriqueça - para Mulheres Texto Completo de Sharon Lechter pela CDG Grupo Editorial (2017)
>>> Atitude Mental Positiva de Napoleon Hill pela CDG Grupo Editorial (2015)
>>> O Caso dos Dez Negrinhos de Agatha Christie pela Círculo do Livro (1975)
>>> Mistério no Caribe de Agatha Christie pela Nova Cultural (1964)
>>> Sebastiana Quebra Galho Guia Prático das donas de casa 16ªed. de Nenzinha Machado Salles pela Civilização Brasileira (1994)
>>> Assassinato no Expresso do Oriente de Agatha Christie pela Nova Fronteira
>>> Cem Anos de Solidão de Gabriel García Marquez pela Sabiá (1971)
>>> Melhor que comprar sapatos de Cristiane Cardoso pela Unipro (2015)
>>> Imposto sobre a propriedade territorial rural de Dejalma de Campos pela Atlas (1993)
>>> Archi de soleil de Patrick Bardou e Varoujan Arzoumanian pela Parenthèses (1978)
>>> Passo a passos de Ioberto Tatsch Banunas pela Sulina (1997)
>>> A máquina de fazer espanhóis- 2ª ed. de Valter Hugo Mãe pela BIblioteca Azul- Globo (2016)
>>> Memórias 2º volume - A Aliança Liberal e a Revolução de 1930 de João Neves da Fontoura pela Globo (1963)
>>> Sofrimento como lidar? de Adriano Rocha pela Conselho (2014)
COMENTÁRIOS

Quinta-feira, 15/8/2002
Comentários
Leitores


Os dias podem ser páginas?
Se assim podem, quero voltar para as páginas do início dos anos 70, ali estava toda a vida que hoje são só lembranças. Com saudades, MM

[Sobre "Amando quem não existe"]

por Marisa
15/8/2002 às
22h07 200.207.161.251
(+) Marisa no Digestivo...
 
Paulo Coelho e Agatha Christie
Tanto Paulo Coelho quanto Agatha Christie vendem muitos livros, Sandra, mas eu acho que os motivos são completamente diferentes. O leitor de Paulo Coelho é normalmente mal orientado. Ele escreve mal, de fato, e a profundidade de sua meditação é a mesma de um pires. Agatha Christie, no entando, produziu uma literatura policial de excelente qualidade e, nesse estilo, é um clássico. Eu, pelo menos, considero ambos como literatura.
A você, Felipe, meu muito obrigado, sempre. Beijos e abraços,
Eduardo

[Sobre "Demorou"]

por Eduardo
15/8/2002 às
21h19 200.213.203.195
(+) Eduardo no Digestivo...
 
que palavara linda
Caro Alexandre, Ótimo texto, só esse espero que o planeta Hercóbulus não acabe com população terrestre Nossa que palavara linda, Polissemica, mas alguém sabe o que isso? Eu procurei em dois dicionários eu não encontrei. Caso tenha alguma ídeia sobre o que esse amontoados de sílbas signifca, fico grato. Abraços Otávio

[Sobre "Falsos intelectuais"]

por Otavio
15/8/2002 às
20h36 200.246.210.5
(+) Otavio no Digestivo...
 
desde já, fã
Ótimo artigo. Mais uma vez, parabéns pela clareza, coragem e objetividade das idéias. Abraços do seu, desde já, fã.

[Sobre "Demorou"]

por Felipe Tavares
15/8/2002 às
19h33 200.173.133.60
(+) Felipe Tavares no Digestivo...
 
um assunto muito complexo
Júlio, acho perfeitamente válido o espírito do seu texto a respeito de direito autoral, dizendo a pura verdade: direito autoral é uma questão de honestidade (talvez, nem mesmo de cultura). Contudo, é um assunto bem complexo. Por um lado, precisamos levar em conta aquele direito autoral que tem como objetivo ressarcir os investimetos e gastos feitos para se chegar a uma criação efetivamente boa e útil. Evidentemente, isso se aplica mais ao mundo das criações tecnológicas, mas tem aspectos de mérito bem mais legítimos do que nas criações meramente psicológicas ou espitituais ou subjetivas, ou ainda, com qualquer nome que se queira dar. E o maior mérito está ligado a um esforço objetivo bem maior, envolvendo períodos de tempo bem maiores, investimentos e gastos concretos. Por outro lado, devemos pensar nas criações que resultam mais do "talento" do que da "competência", e neste caso, não podemos fechar os olhos para o fato de que, via de regra, não há gastos nem investimentos e, geralmente, não envolve períodos de tempo muito longos. Muito bem. Neste caso das criações que saem do talento, a preocupação não se dá em relação a gastos, investimentos, esforços objetivos, nem nada. O que se procura corrigir é simplesmente o fato de que terceiros não devem lucrar com algo que tenha sido pelo talento do autor. Paradoxalmente, no primeiro caso das criações tecnológicas, resultantes portanto mais da "competência" do que do talento, que inequivocamente tem mais mérito objetivo, a própria lei estabelece um limite bem curto de tempo durante o qual ocorre o "ressarcimento" (royalties). Quando muito, se não estou enganado, uns 5 anos. Já no segundo caso, o do talento, a lei prevê 60 anos de "ganhos" que nada têm a ver com ressarcimento. Enfim, na comparação entre "competência" e "talento", aparecem três agravantes beneficiando o "talento": (1) Exige menos tudo (2) Protege por 60 anos!!! (3) Demonstra preocupação em que os outros não usufruam, que é quase "mesquinha", embora legítima até certos limites. Então, Júlio, Direito Autoral é um assunto muito complexo e, em geral, muito mal interpretado, ou seja, sempre com muitoas propósitos de premiar muito mais uma "idéia" do que um "arregaçar mangas", que envolve despesa, investimento e período longo de trabalho objetivo e quase sempre exaustivo. Não sei se ajudo em alguma coisa com este tipo de análise, mas minha intenção é boa. Parabéns pela sua matéria. Um quente abraço. Haroldo Amaral

[Sobre "A pirataria, a numeração e o mercado da música"]

por Haroldo Amaral
15/8/2002 às
18h40 200.191.105.147
(+) Haroldo Amaral no Digestivo...
 
Pela eleição de Raimundo Santa
Paulo Coelho é um autor comparável à Agatha Christie, no meu entender. Não é literatura mas é popular, e não faz mal a ninguém ler os livros desses autores. Em seu texto o Eduardo esqueceu de citar o general Lyra Tavares, eleito imortal pela mesma Academia Brasileira de Letras que agora abre seu flanco ao popular. Aliás, depois de Paulo Coelho esperamos que a ABL escolha agora como imortal Raimundo Santa Helena, que faz belas poesias de cordel e é conhecidíssimo aqui no Rio de Janeiro.

[Sobre "Demorou"]

por Sandra Chaves
15/8/2002 às
15h55 200.255.169.1
(+) Sandra Chaves no Digestivo...
 

Cara Adriana, como aerofobo devo concordar que nao pode haver animal mais carinhoso e dedicado que o cao. Nos deveriamos toma-los como exemplo de moral e conduta.

[Sobre "Homens, cães e livros"]

por Aguinaldo Silva
15/8/2002 às
12h45 200.246.210.4
(+) Aguinaldo Silva no Digestivo...
 
Juízo
Caro Helion. Acho que você está exagerando o alcance de um espaço de comentários como esse. Eu não teria como provar completamente aqui a existência de juízo de valor na arte. Para isso é melhor você ler Hegel e Kant. Aliás, se você quiser abolir juízo de valor na arte, terá de fazê-lo com tudo o mais, pois o juízo é um conceito ontológico, ou seja, aplicável a tudo que existe, a tudo que é. Quanto ao que você disse sobre Villa Lobos, está tão absurdamente equivocado que mal dá pra acreditar. O puxa-saco é aquele que elogia e divulga uma suposta forma de arte até a exaustão e (isso é importante) muito além do que ela merece e sem usá-la na confecção de nada que a transcenda. Villa Lobos não foi nada disso.

[Sobre "Babação do popular"]

por Evandro Ferreira
14/8/2002 às
14h28 200.167.234.227
(+) Evandro Ferreira no Digestivo...
 
Do mais elevado ao mais baixo
Sobre esta sua frase: “A função da universidade em um país normal seria estudar tudo que a humanidade já produziu, na ordem de importância do mais elevado ao mais baixo”. Se você me definir qual o “país normal” que já chegou a uma conclusão definitiva sobre esta seqüência “do mais elevado ao mais baixo”, eu dou a mão à palmatória. Não vale citar a Rússia stalinista ou a Alemanha hitlerista. Esses definiram claramente o que era “mais elevado” e “mais baixo”. Mas não acredito que sejam os modelos que você defende.

[Sobre "Babação do popular"]

por Helion
14/8/2002 às
12h41 200.154.218.232
(+) Helion no Digestivo...
 
Villa babando o ovo
Caro Evandro, obrigado antes de mais nada pela sua resposta./// Você pode ter ouvido muitas vezes esse argumento de que “o erudito de hoje é o popular de ontem”. Não acho que isso seja sempre correto, mas de qualquer forma, nos casos em que se aplica, não se trata apenas de um cansativo argumento, uma vez que a repetição excessiva, e mesmo a vulgarização do mesmo, não o esvazia de seus elementos de verdade./// Antes de examinar o seu exemplo, gostaria de descartar para meu argumento o debate sobre a “superioridade” ou a “maior riqueza” de Villa Lobos face à música popular, pois se trata de longa discussão, para qual não há parâmetros objetivos. E eu não advoguei nenhuma pretensa superioridade, da parte de um dos dois “pólos”. Acho que isso só se presta a polêmicas pouco frutíferas, e na qual os argumentos de natureza diretamente ideológica se superpõem às considerações de caráter propriamente artístico ou cultural./// Não sei se você conhece a série francesa de CDs “Villa-Lobos par Lui-Même”, que reúne as gravações feitas por Villa regendo na França em fins dos anos cinqüenta (caso não conheça, posso fazer-lhe uma cópia). A caixa inclui a gravação de uma divertida conferência do maestro em 1959, “Qu´est-ce qu´un Chôros?”, na qual ele explica aos franceses o que é uma roda de choro, e como elas o influenciaram, inclusive imitando com a voz os diversos instrumentos e fazendo referências à cachaça e ao clima nelas reinante. Você consideraria isso uma “babação de ovo do choro”? Em caso positivo, estaria pronto a retirar de Villa-Lobos a designação de erudito, e de relegá-lo à vala dos socialistas medíocres?/// Muitos defensores do popular efetivamente gostariam de vê-lo como peça de museu. Mas não todos. Villa-Lobos, Mário de Andrade, Hermínio Bello de Carvalho, não estão entre estes. Um abraço, Helion

[Sobre "Babação do popular"]

por Helion
14/8/2002 às
12h38 200.154.218.232
(+) Helion no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DE LÉTHIQUE AU DROIT: ETUDE DU CONSEIL DETAT
CONSEIL DETAT (FRANÇA)
LA DOCUMENTACION FRANÇAISE
(1988)
R$ 19,28



INSTITUIÇÕES DE DIREITO CIVIL- VOL 1
CAIO DA SILVA PEREIRA
FORENSE
(1983)
R$ 41,31



UN BON PETIT DIABLE
COMTESSE DE SÉGUR
CASTERMAN
(1980)
R$ 8,00



CONVERSE COM O SEU CÃO
SARAH WHITEHEAD
MANOLE
(2009)
R$ 25,00



DEWEY UM GATO ENTRE LIVROS
VICKI MYRON; HELENA LONDRES
GLOBO
(2008)
R$ 9,90



O ARCANO NOVE E TERRA DAS SOMBRAS (VIRA-VIRA SARAIVA)
MEG CABOT
BEST BOLSO
(2010)
R$ 15,00



TEXTBOOK OF OTOLARYNGOLOGY
DAVID D. DEWEESE WILLIAM H. SAUNDERS
THE C V MOSBY
(1982)
R$ 31,98



REFLEXÕES DO COTIDIANO - VOLUME 2
MÁRIO AMATO
ZEPPELINI
(2001)
R$ 5,00



LÚCIO CARDOSO: POESIA COMPLETA
EDIÇÃO CRÍTICA ÉSIO MACEDO RIBEIRO
EDUSP
(2011)
R$ 59,90



LA CAREZZA DEL DESTINO
ELISA S. AMORE
NORD
(2013)
R$ 5,00





busca | avançada
80183 visitas/dia
2,2 milhões/mês