Microcontos ou micropoemas? | Annita Costa Malufe

busca | avançada
33461 visitas/dia
922 mil/mês
Mais Recentes
>>> Comédia dirigida por Darson Ribeiro, Homens no Divã faz curta temporada no Teatro Alfredo Mesquita
>>> Companhia de Danças de Diadema leva projeto de dança a crianças de escolas públicas da cidade
>>> Cia. de Teatro Heliópolis encerra temporada da montagem (IN)JUSTIÇA no dia 19 de maio
>>> Um passeio imersivo pelos sebos, livrarias e cafés históricos do Rio de Janeiro
>>> Gaitista Jefferson Gonçalves se apresenta em quinteto de blues no Sesc Belenzinho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> Nenhum Mistério, poemas de Paulo Henriques Britto
>>> Nos braços de Tião e de Helena
>>> Era uma casa nada engraçada
>>> K 466
>>> 2 leituras despretensiosas de 2 livros possíveis
>>> Minimundos, exposição de Ronald Polito
>>> Famílias terríveis - um texto talvez indigesto
>>> O Carnaval que passava embaixo da minha janela
Colunistas
Últimos Posts
>>> Dicionário de Imprecisões
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
Últimos Posts
>>> Virtuosismo
>>> Evanescência
>>> Um Certo Olhar de Cinema
>>> PROCURA-SE
>>> Terras da minha terra
>>> A bola da vez
>>> Osmose vital
>>> Direções da véspera V
>>> Sem palavras
>>> Kleber Mendonça volta a Cannes com 'Bacurau'
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Banana Republic
>>> Em terra de cego, quem tem olho é Pelé
>>> O MP3 aconselha
>>> Cultura pop
>>> Monteiro Lobato: fragmentos, opiniões e miscelânea
>>> Super-heróis ou vilões?
>>> Borges: uma vida, por Edwin Williamson
>>> Garanto que você não vai gostar
>>> Stan Lee - o reinventor dos super-heróis
>>> A poética anárquica de Paulo Leminski
Mais Recentes
>>> Amigos Íntimos, Rivais Perigosos de Duane Schultz, Ph.D pela Rocco (1991)
>>> Postais do Abismo - Segredos da droga em Hollywood de Carrie Fisher pela Nova Cultural (1989)
>>> O Apicultor - Um Romance de Mexence Fermine pela Objetiva (2001)
>>> O Bosque das Ilusões Perdidas de Alain-Fournier pela Círculo do Livro (1972)
>>> Thais de Anatole France pela Martin Claret (2006)
>>> A Lua de Mel de Knut Faldbakken pela Nórdica (1990)
>>> O Cerco de Krishnapur de J.G. Farrell pela Record (1973)
>>> Os Diamantes São Eternos de Ian Fleming pela Civilização Brasileira (1965)
>>> Exel 2010 - Avançado de Richard Martelli e Maria Silvia Mendonça Barros pela Senac São Paulo (2013)
>>> Brasil--pais do presente--socialismo cristao brasileiro. de Augusto ariston e jesus chediak. pela Pi (2001)
>>> Shopping centers de Mario cerveira filho pela Saraiva (1999)
>>> Divina comédia (Com Ilustrações de Sandro Boticelli) de Dante Alighieri pela Ateliê/Unicamp (2011)
>>> Dinâmica da Contra-revolução na Europa: 1870-1956 de Arno J. Mayer pela Paz e Terra (1977)
>>> Dialectic For Beginners de Carlos Cirne Lima pela Edipucrs (1997)
>>> Democracia, agência e estado: Teoria com intenção comparativa de Guillermo Alberto O. Donnell pela Paz e Terra (2010)
>>> Crime e Castigo de Fiódor Dostoievski pela 34 (2005)
>>> Conservadorismos, Fascismos e Fundamentalismos: Análises Conjunturais de Ronaldo Almeida e Rodrigo Toniol (Orgs.) pela Unicamp (2018)
>>> Condomínio do Diabo de Alba Zaluar pela Ufrj (1996)
>>> Combate nas Trevas de Jacob Gorender pela Ática (1998)
>>> Coisas da Cosa Nostra: A Máfia Siciliana Vista Por Seu Pior Inimigo de Giovanni Falcone; Marcelle Padovani pela Rocco (2012)
>>> Cidade Aberta de Teju Cole pela Cia. das Letras (2012)
>>> Carta Aberta Aos Gurus Da Economia Que Nos Julgam Imbecis de Bernard Maris pela Bertrand Brasil (2000)
>>> Abismo de Kurt Falkenburger pela Clube do Livro (1980)
>>> Anchieta: A restauração de um Santuário de Org. Carol de Abreu pela Ministério da Cultura - IPHAN (1998)
>>> Cimarron de Edna Ferber pela Abril Cultural (1983)
>>> A Chave de Rebeca de Ken Follett pela Círculo do Livro (1986)
>>> Le Grand Meaulnes de Alin-Fournier pela Livre de Poche (1983)
>>> Harry Potter e o Cálice de Fogo de J. K. Rowling pela Rocco (2000)
>>> Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban de J. K. Rowling pela Rocco (1999)
>>> O Amor Não Term Hora de Cynthia Freeman pela Record (1986)
>>> De Olho em Zumbi dos Palmares - Histórias, símbolos e memória social de Flávio dos Santos Gomes pela Claro Enigma (2011)
>>> Nei Lopes - Retratos do Brasil Negro de Oswaldo Faustino pela Selo Negro (2019)
>>> Cisne de Leonardo de Kren Essex pela Suma (2006)
>>> Diga Espelho Meu de Stanley Ellin pela Record (1972)
>>> Pecar e perdoar: Deus e o Homem na História de Leandro Karnal pela Harper Collins (2014)
>>> Dinastia de Robert S. Elegant pela Círculo do Livro (1977)
>>> The Wicca Handbook de Eileen Holland pela Samuel Weiser (2000)
>>> O Guerrilherio de Baker Street de B. Sweet-Escott pela Bloch (1965)
>>> A Filha do Milionário de Dorothy Eden pela Nova Cultural (1987)
>>> The Wicca Bible - The definitive guide to Magic and The Craft de Ann-Marie Gallagher pela Sterling Publishing - New York (2005)
>>> "Batman: Vigilantes de Gotham - N° 28: Viver e Morrer em Gotham City... de Vários pela Dc Comics: Abril (2000)
>>> Batman: Vigilantes de Gotham - N° 41: Gotham City: Contagem Regressiva para o Fim...! de Dennis Oneil: Argumento pela Dc Comics: Abril (2000)
>>> Batman: Vigilantes de Gotham - N° 26: Mulher Gato Ano Dois de Alan Grant: Argumento pela Dc Comics: Abril (1998)
>>> Batman: Vigilantes de Gotham - N° 23: Batman - Procedimento Padrão de Alan Grant: Argumento pela Dc Comics: Abril (1998)
>>> As Grandes Correntes da Mística Judaica de Gershom Scholem pela Perspectiva (1972)
>>> Batman: Vigilantes de Gotham - N° 19: Justiça Cega! de Jerry Ordway: Argumento pela Dc Comics: Abril (1998)
>>> Batman: Vigilantes de Gotham - N° 16: Azrael - Anjo Em Guerra! de Jerry Ordway: Argumento pela Dc Comics: Abril (1998)
>>> Batman: Vigilantes de Gotham - N°13: Batman Contra o Anjo Vingador de São Dumas! de Dennis Oneil: Roteiro pela Dc Comics: Abril (1997)
>>> Batman: Vigilantes de Gotham (N. 10): Retorno de Alfred: A Conspiração Inglesa de Alan Grant: Roteiro pela Dc Comics: Abril (1997)
>>> Os Quatro Elementos e os Caminhos da Energia de Karen Hamaker-Zondag pela Nova Fronteira (1989)
ENSAIOS

Segunda-feira, 21/2/2005
Microcontos ou micropoemas?
Annita Costa Malufe

+ de 17200 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Uma coleção de pequenas frases engraçadinhas. É um pouco com esta impressão que fecho o livro Os Cem Menores Contos Brasileiros do Século, organizado pelo escritor recifense, residente em São Paulo, Marcelino Freire. Lembro-me que, quando o livro saiu (há quase um ano), chamou-me atenção nas prateleiras das livrarias, como um pequeno e bonito livro-objeto ideal para "dar de presente": a edição da Ateliê Editorial é impecável, com uma capa dura vermelha e de um tamanho que cabe na palma da mão. O conteúdo também algo adequado para uma lembrancinha despretensiosa: minicontos que são mais piadinhas curtas, rápidas "sacadas" de poucas linhas.

O livro parte de uma idéia interessante: convidar cem escritores brasileiros para escreverem um "conto" com apenas 50 letras. Parte, ainda, de um genial microconto, de Augusto Monterroso, com o qual Marcelino abre a edição: "Quando acordou, o dinossauro ainda estava lá". Gostaria de ressaltar o fato de que este, que seria o mais famoso microconto do mundo, é citado por Ítalo Calvino em seu Seis Propostas para o Próximo Milênio, no capítulo em que ele fala sobre a importância da "rapidez" na literatura. Vale retomar o trecho todo de Calvino: "Borges e Bioy Casares organizaram uma antologia de Histórias breves e extraordinárias. De minha parte, gostaria de organizar uma coleção de histórias de uma só frase, ou se uma linha apenas, se possível. Mas até agora não encontrei nenhuma que supere a do escritor guatemalteco Augusto Monterroso: 'Cuando despertó, el dinosaurio todavia estaba allí'".

Acredito que, embora não tenha citado, Marcelino Freire conheça o texto de Calvino e tenha tido a feliz idéia de realizar o desejo expresso pelo escritor italiano. Entretanto, vale retomar a fala de Calvino e acrescentar que, na coletânea de que trato aqui, este microconto, parece-me, segue insuperável. Muitos dos textos enviados pelos escritores brasileiros restringem-se ao mero jogo de palavras, ao trocadilho, ou a simples tiradas pretensamente humorísticas. E a grande maioria parece derivada do poema-piada que tanto se proliferou nos anos 70, especialmente com a dita poesia marginal, e que ali, naquele contexto, já aparecia mais bem resolvido em diversos poetas.

Basta pescar ao acaso poemas de alguns representantes desta geração que começou a escrever nos anos 60/70, e que participaram da agitação cultural destes tempos, para encontrar exemplares ideais do conceito de miniconto que perdura no livro — e com menos de 50 letras! Um poema de Cacaso, de Beijo na Boca (1975) como (título em caixa alta): "'SINA'/ o amor que não dá certo sempre está por perto"; ou: "'ORGULHO'/ decresça e/ apareça". Ou de Paulo Leminski: "— que tudo se foda,/ disse ela,/ e se fodeu toda" (de La Vie em Close). Ou mesmo de Francisco Alvim — ótimos exemplos curtíssimos como: "'VISITA'/ Não bateram na porta/ Arrombaram" (de Lago, Montanha). E ainda: "'MAS'/ é limpinha"; ou: "'ÓRFÃO'/ Sou./ De muitos pais, de/ muitas mães" (de Elefante).

Enfim, poemas bastante precisos, que poderiam ser tidos como "microcontos", e que parecem conter mais poder de síntese, concisão, mais humor e mesmo mais "ação", no sentido dramático, do que muitos dos contos do livro. Julio Cortázar, talvez um dos maiores contistas já surgidos entre nós latino-americanos, refletindo sobre a arte do conto, coloca-a ao lado da fotografia: o conto, como a foto, recorta um fragmento bem preciso e delimitado da realidade e, no entanto, deve fazer com que este fragmento tenha o poder de oferecer uma espécie de explosão que transcenda, rompa os limites da câmera, do texto. Diz ele [no ensaio "Alguns aspectos do conto"]: "(...) o fotógrafo ou o contista se vêem obrigados a escolher e limitar uma imagem ou um acontecimento que sejam significativos, que não apenas tenham um valor em si mesmos, mas que sejam capazes de funcionar no espectador ou no leitor como uma espécie de abertura (...)". Abertura esta que leva a nossa sensibilidade e inteligência para além do episódio narrado literariamente.

Este é um bom modo de olhar para um conto, ainda mais quando se trata de contos extremamente curtos, em que esta habilidade de delimitação e abertura é de fato posta à prova. Opto por falar aqui dos microcontos do livro que, ao meu ver, cumpriram muito bem a proposta contida na historieta do dinossauro de Monterroso e se mostraram como soluções felizes. Soluções estas que, de certa forma, apontam para a explosão e a abertura às quais Cortázar se refere.

É o que encontramos na densidade do aparentemente inocente texto de Luiz Ruffato: "'ASSIM': Ele jurou amor eterno./ E me encheu de filhos./ E sumiu por aí.". Ou na ironia de Dalton Trevisan, que se insere em toda uma tradição de personagens da nossa literatura, de Machado, passando por Nelson Rodrigues e pelo próprio Dalton: "— Lá no caixão.../ — Sim, paizinho./ — ...não deixe essa aí me beijar." Em ambos, uma critica social que passa pelo olhar e a vida do povo brasileiro, que encontramos de modo tão semelhante em Chico Alvim. E que podemos ver também no descontraído: "'CRIAÇÃO'/ No sétimo dia, Deus descansou./ Quando acordou, já era tarde.", de Tatiana Blum.

Há ainda o humor desconcertante de: "'QUEM'/ Sim, doutor, eu estou louco./ Mas quem é esse/ que diz eu estou louco?" (Sérgio Sant'Anna) — microhistória que encarna o próprio problema da não-identidade do louco, mas também a identidade de quem fala: se eu não tenho eu, quem é o eu que isto enuncia? E há o humor quase trágico de: "'ADEUS'/ Então disse:/ — Viver era isso?/ E fechou lentamente os olhos." (Miguel Sanches Neto); e de: "'MAS O RIO CONTINUA LINDO'/ Pensa o desempregado/ ao pular do Corcovado." (Antonio Torres). Humor um tanto "tragicômico" que podemos encontrar em diversos outros textos, quase como uma prevalência do tom escolhido pelos autores convidados.

De certo modo, este também é o tom usado por Millôr Fernandes. No entanto, como o título não entrava na conta das 50 letras, Millôr aproveitou, e escreveu o que talvez seja um dos mais interessantes textos da coletânea: "'EMOCIONANTE RELATO DO ENCONTRO DE TEODORO RAMIREZ, COMANDANTE DE UM NAVIO MISTO, DE CARGA, PASSAGEIROS E PESCA, DO CARIBE, NO MOMENTO EM QUE DESCOBRIU QUE A BELA TURISTA INGLESA ERA, NA VERDADE, UMA PERIGOSA TERRORISTA CUBANA, QUE TENTAVA PENETRAR NUM PORTO DO SUL DA FLÓRIDA, PARA DINAMITAR A ALFÂNDEGA LOCAL, E PROCUROU FORÇÁ-LA A FAVORES SEXUAIS'/ — Capitão, tem que me estuprar em 1/2 minuto; às 8, seu navio explode". Brincadeira divertida, que inverte a proposta do livro, e que, por contraste com os outros textos, acaba sendo ainda mais engraçada.

Termino esta pequena resenha ressaltando a importância de livros que apresentem um gênero híbrido, que contribua para borrar as fronteiras dos gêneros literários tradicionais, como é o caso destes Os Cem Menores Contos Brasileiros do Século. Os microcontos aqui apresentados são contos ou poemas? Claro que não cabe responder. Vale deixar ecoando mais um trecho de Cortázar, para quem o conto é um gênero de dificílima definição, gênero enfim "tão secreto e dobrado sobre si mesmo, caracol da linguagem, irmão misterioso da poesia em outra dimensão do tempo literário".

Para ir além






Annita Costa Malufe
São Paulo, 21/2/2005

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Lembranças de Ariano Suassuna de Leandro Carvalho
02. Harold Ramis (1944-2014) de Marcel Plasse
03. A Cultura do Consenso de André Forastieri
04. Delírios da baixa gastronomia de Ruy Castro
05. Psicodelia para Principiantes de José Augusto Lemos


Mais Annita Costa Malufe
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/4/2005
14h50min
Parabéns à autora. Gostei muito do texto que me introduziu no mundo (muito inteligente) dos microcontos ou micropoemas!
[Leia outros Comentários de Cesar Luiz Pasold]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




FITA AZUL DE MARIA ANO V MAIO E JUNHO Nº60 - 61
FEDERAÇÃO MARIANAS
FEDERAÇÃO MARIANAS
(1958)
R$ 12,00



APONTAMENTOS PARA FUTURO
NELSON MANDELA , DESMOND TUTU
RAACO
(2018)
R$ 15,00



REDAÇÃO -PARA CONCURSOS
MARCELO PORTELLA
VESTCON
(2007)
R$ 9,70



A LISTA NEGRA
JENNIFER BROWN
GUTENBERG
(2012)
R$ 32,00



ESCOLAS INCLUSIVAS
ELISANGELA DA SILVA BERNARDO, HELENICE MAIA
MARSUPIAL
(2016)
R$ 40,00



ANTARCTICA COM A FOLHA ARTES
VARIOS AUTORES
COSAC NAIFY
(1998)
R$ 150,00



CARTAS A CHE GUEVARA - O MUNDO, TRINTA ANOS DEPOIS
EMIR SADER
PAZ / TERRA
(2003)
R$ 16,80



RETRATO DO BRASIL - ENSAIO SOBRE A TRISTEZA BRASILEIRA
PAULO PRADO
JOSÉ OLYMPIO
(1962)
R$ 50,00
+ frete grátis



FATORES DE RISCO PARA O BAIXO PESO AO NASCER
RAFAELLA MARIA MONTEIRO SAMPAIO UND FRANCISCO JOSÉ MAIA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 230,00



EM MEIA HORA... A MORTE
FRANCISCO MARTÍN MORENO
PLANETA
(2014)
R$ 18,28





busca | avançada
33461 visitas/dia
922 mil/mês