O que aprendi | Nelson Pereira dos Santos

busca | avançada
74271 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Designer e arquiteto brasileiro, Giovanni Vannucchi participa da VIIBienal Ibero-americana de Design
>>> Risorama anuncia retorno aos palcos com grandes nomes do humor nacional em São Paulo
>>> Inspirado nas Living Dolls, espetáculo de Dan Nakagawa tem Helena Ignez como atriz convidada
>>> As Caracutás apresentam temporada online de Tecendo Diálogos com bate-papo e oficina
>>> Obra de referência em nutrição de plantas ganha segunda edição revista e ampliada
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
Colunistas
Últimos Posts
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Três Irmãs
>>> Sempre procurei a harmonia
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> O ensaísta Machado de Assis
>>> Entrevista com Claudio Willer
>>> Os narradores de Eliane Caffé
>>> 7 de Setembro
>>> 8º Salão do Livro
>>> Show him what he is like
>>> Machado polímata
Mais Recentes
>>> Flamenco: Uma Viagem em Busca da Alma Espanhola de Jason Webster pela Rocco (2005)
>>> Estressado, eu? de Ana Maria Rossi pela RBS Produções (2004)
>>> Slam Dunk - Volume 2 de Takehiko Inoque pela Conrad (2005)
>>> Slam Dunk - Volume 11 de Takehiko Inoque pela Conrad (2006)
>>> Slam Dunk - Volume 5 de Takehiko Inoque pela Conrad (1990)
>>> Slam Dunk - Volume 4 de Takehiko Inoque pela Conrad (2005)
>>> Sistema Prisional: Colapso Atual e Soluções Alternativas de Rogério Greco pela Impetus (2015)
>>> Deuses Romanos e Outras Mitologias de Herma Wilson pela Hunter Books (2016)
>>> Os Varões Assinalados - Completo de Tabajara Ruas pela Mercado Aberto (1995)
>>> Viagem pitoresca através do Brasil de Johann Moritz Rugendas pela Circulo do livro
>>> Chico Bento Moço - O Último Dia Da Rosinha de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2015)
>>> Introdução ao antigo testamento Vol 1 e 2 de A. Bentzen pela Aste (1968)
>>> Monica Teen- The love Of An Angel de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2012)
>>> O Cachorrinho Samba de Maria José Dupré pela Ática (2006)
>>> Psicanálise e religião de Erich Fronm pela Livro íbero americano ltda (1962)
>>> Da Auto-estima a Individuação: Psicologia e espiritualidade de Jean Monbourquette pela Paulinas (2008)
>>> Vida: Oportunidade de Aprender de Alzemiro Rufino de Matos pela Editares (2014)
>>> Turma Da Mônica Jovem - Mônica E O Cavaleiro de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2008)
>>> O Matrimônio Perfeito de Samael Aun Weor pela Igb (2011)
>>> Transcendente de Lesley Livingston pela Jangada (2016)
>>> 50 Ideias de Filosofia que Você Precisa Conhecer de Ben Dupré pela Planeta (2015)
>>> O Rosto de Cristo: A Formação do Imaginário e da Arte Cristã de Armindo Trevisan pela Age (2003)
>>> A Sustentabilidade nos Tempos de Pandemia de Flavio Horowitz pela Brazil Publishing (2020)
>>> Ilíada de Homero pela L&Pm (2011)
>>> História Medieval de Cibele Carvalho pela Intersaberes (2016)
>>> Chico Bento Moço-Bravura Indomável de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2015)
>>> Outlander: A Libélula no Âmbar - Livro 2 de Diana Gabaldon pela Saída de Emergência (2014)
>>> Turma Da Monica Jovem-O Dono Do Mundo de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2009)
>>> Chico Bento Moço- O Manto Misterioso de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2015)
>>> Outlander: A Cruz de Fogo Livro 5 - Parte 2 de Diana Gabaldon pela Arqueiro (2017)
>>> Chico Bento Moço- Um Caipira na Corte do Rei Artur de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2008)
>>> Turma da Mônica Jovem -Surge Uma Estrela de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2008)
>>> Turma da Mônica Jovem - Fortes Emoções de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2008)
>>> Outlander: Os Tambores do Outono Livro 4 - Parte 2 de Diana Gabaldon pela Arqueiro (2016)
>>> Outlander: Os Tambores do Outono Livro 4 - Parte 1 de Diana Gabaldon pela Arqueiro (2016)
>>> Turma da Mônica Jovem -Eles Cresceram de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2008)
>>> Turma da Mônica Jovem - Novos Desafios! de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2008)
>>> Outlander: O Resgate no Mar Volume 3 - Parte 1 de Diana Gabaldon pela Saída de Emergência (2015)
>>> A História Não Contada dos Estados Unidos de Oliver Stone; Peter Kuznick pela Faro Editorial (2015)
>>> Turma da Mônica Jovem - O brilho de Um Pulsar de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2009)
>>> O Deus crucificado de Jurgen Moltmann pela Academia Cristã (2010)
>>> Chico Bento Moço- A Árvore da Vida de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2015)
>>> Paulo e Estêvão - Edição em Formato Grande de Francisco Cândido Xavier pela Feb (2013)
>>> Turma da Mônica Jovem - O Dono do Mundo de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2009)
>>> Os Sentidos da Paixão de Adauto Novaes ( Org. ) pela Companhia das Letras (2009)
>>> Jerusalém no tempo de Jesus de Joachim Jeremias pela Academia Cristã , Paulus (2010)
>>> Apóstolo Paulo: Vida, obra e teologia de Jurgen Becker pela Academia Cristã , Efatá (2020)
>>> O Mundo de Sofia: Romance da História da Filosofia de Jostein Gaarder pela Companhia das Letras (1995)
>>> Estudos no novo testamento de Joachim Jeremias pela Academia Cristã , Efatá (2020)
>>> O príncipe de Nicolau Maquiavel pela L&Pm (2011)
ENSAIOS

Segunda-feira, 1/6/2009
O que aprendi
Nelson Pereira dos Santos

+ de 4000 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Eu tinha 20 anos e fui a Paris de navio com uma bolsa do governo francês para estudar cinema. O cargueiro italiano demorou tanto para chegar que acabei perdendo o prazo da matrícula. Fiquei por lá quatro meses e ia toda tarde à Cinemateca assistir filmes. Foi minha melhor escola de cinema, um curso completo de realismo francês dos anos 30. Me formei em direito. Já trabalhava com cinema e só faltava uma matéria para eu pegar o diploma: direito processual civil. O professor da prova oral me disse para escolher sobre o que falar. Ele sacou que eu não era do ramo. Perguntou o que eu queria da vida e falei do cinema. Me fez jurar que eu nunca seguiria a carreira de direito. Em troca, me aprovou na hora. Depois, quando as coisas davam errado, me lembrava da promessa feita ao professor e nunca desisti do cinema. O dinheiro do aluguel garanti como jornalista e professor.

Minha mãe é a pessoa mais importante da minha vida. "Se não comer tudo, não vai ao cinema." Domingo, a sessão começava à uma da tarde e ia até as sete da noite: dois filmes, mais um seriado, desenho animado e trailer do filme seguinte. Eu era moleque e não queria perder nada, detestava me atrasar e perder o começo do filme. A macarronada era servida ao meio-dia em ponto. Eu engolia rápido e limpava o prato. Meus pais eram fanáticos por cinema. A palavra cinéfilo nem existia, mas era isso que eles eram.

Meu desafio como diretor é escolher o ator certo. Depois de escolhido, o negócio é com ele. Saímos juntos, vamos a um botequim e conversamos sobre o filme. O ofício do ator é sagrado e interfiro o mínimo possível. É meu jeito de trabalhar. Admiro a coragem dos atores.

Saí do Partido Comunista em 1956, depois que fui a um festival em Praga com Rio, 40 Graus. Lá, o movimento antistalinista crescia com a publicação do Relatório Kruschev, que denunciava os crimes do Stálin. Mas o pessoal do partido no Brasil dizia que era intriga da imprensa burguesa. Eu simplesmente caí fora daquele subterrâneo e não me arrependo. Nunca mais me filiei a nenhum partido político.

Como Era Gostoso o Meu Francês foi proibido por causa da nudez frontal do Arduíno Colasanti. Mais tarde, o Jarbas Passarinho, ministro da Cultura, quis liberar o filme e mostrou para os bispos da CNBB. Umas freiras assistiram e disseram que a única coisa imoral do filme era a cena em que um francês mata o outro.

Ficam dizendo que nos filmes que fiz em Parati só rolava droga, mas o que tinha mesmo era cachaça depois da filmagem. Não dá para fumar maconha e trabalhar, comandar equipe, enquadrar um plano. Maconha se fuma para ficar numa boa. Minha equipe tem liberdade de fazer o que bem quiser, mas não me venha atrapalhar a filmagem.

Fui convidado a fazer um longa sobre a dupla sertaneja Milionário e José Rico, Estrada da Vida. A ideia era fazer um filme tipo Nashville, uma visão irônica da música caipira, mas me lembrei de como meu pai gostava dessas músicas e decidi fazer um filme respeitoso. Recomendei à minha equipe ouvir música sertaneja até acostumarem os ouvidos. Eram jovens vindos da USP e só queriam rock. Na estreia, os camaradas de esquerda não acreditaram. O filme foi exibido num festival na Itália. Cheguei no final da sessão. Na saída, um amigo uruguaio me viu e atravessou a rua para não cruzar comigo. Em plena ditadura, não me perdoaram por fazer um filme sem ideologia política.

Carlos Vereza é disciplinado em todos os detalhes. No primeiro dia de filmagem de Memórias do Cárcere, estávamos prontos para rodar: centenas de figurantes, os integralistas, os estudantes, a polícia. Me chega o assistente de direção ao pé do ouvido: "Vereza não vai filmar." Reclamava que o figurino estava incompleto. Exigia cueca samba-canção, apesar de aparecer completamente vestido em cena. Pedi que arrumassem um pijama qualquer. Cortamos a calça na altura da coxa e fizemos a bainha. Meu pai era alfaiate. Minha mãe era filha de alfaiate.

Quando Memórias do Cárcere foi exibido em Cannes, o escritor francês Le Clézio, que ganhou o último Nobel de Literatura, escreveu um ensaio de seis páginas na revista Le Nouvel Observateur exaltando o filme. Ele circulava pelo festival incógnito e entrava numa sessão aleatoriamente.

Namoros, mulheres, atrizes? Essa eu pulo. Me casei muito cedo, aos 20 anos. Mas não foi um problema, pelo contrário. O casamento me deu mais liberdade para trabalhar em paz, para criar meus filmes, cuidar das minhas coisas. Eu e minha mulher tivemos algumas rusgas, separações temporárias, mas nossa união prevaleceu por 50 anos, até a morte dela.

Há muita mitologia com a parafernália do cinema. Para mim, cinema é quadro: em cima, embaixo, esquerda e direita. Você tem que combinar tudo dentro desse espaço. Se o cinema evoluiu, não foi pela tecnologia, mas pela linguagem inovadora. O filme era mudo e sem cor, depois ficou sonoro e colorido. Isso não torna um filme mais interessante em sua essência. Mas quando os italianos vieram com o neorrealismo, ou quando os franceses criaram a Nouvelle Vague, aí, sim, foi um marco. A evolução se deu no nível das ideias, da concepção do filme, e não dos equipamentos. A literatura não melhorou por causa do computador.

Nunca saí na porrada em set de filmagem. Não deixo ninguém brigar comigo. Se eu não fosse cineasta, seria diplomata. Estou ficando um pouco ranzinza, não suporto mais frescurinhas, marcação de foco, muita gente em volta, longas esperas.

O maior filme de todos os tempos? A obra do Buñuel como conjunto, ou qualquer filme dele.

Eu diria a um garoto que está começando: tenha a pretensão de transformar as coisas sem se submeter a uma filiação partidária, como fez a minha geração. Isso embaça a visão.

Acredito em Deus de vez em quando, ou quando pega fogo no motor do avião. Não me chateio com bobagem porque o tempo é curto.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado na revista piauí de novembro de 2008.


Nelson Pereira dos Santos
Rio de Janeiro, 1/6/2009

Quem leu este, também leu esse(s):
01. De onde vêm os blogs? de Vanessa Decicino
02. 68 e a Música Nova de João Marcos Coelho
03. As noites do Cine Marachá de Antônio do Amaral Rocha
04. O código dos gênios de Luís Antônio Giron


Mais Nelson Pereira dos Santos
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
6/7/2009
10h39min
De manhã, café, Digestivo Cultural e o texto do Nelson... Tomou-me de assalto esta paixão pelo cinema desde os tempos em que a palavra cinéfio inexistia. Nelson é um exemplo máximo de persistência e superação, porque sabemos bem como os filmes produzidos no Brasil foram vistos ao longo dos anos. Para os que pensam que a arte - literaturas, textos, produções fílmicas - não tem valor em sociedades subalternas, como a nossa, Nelson traz uma resposta categórica, no entanto, não sei se todos saberão lê-la... O trabalho do cineasta é incrível, um legado para as futuras gerações e para os que escrevem sobre cinema. Algumas de suas obras funcionam como um monumento de pedra, que resguarda a memória do povo brasileiro, em outras palavras, nosso Estado-Nação, indicando a prática de um trabalho minucioso, criterioso e com o profissionalismo de um apaixonado pela sétima arte. É uma alegria para nós, cinéfilos, a presença de Nelson Pereira, no circuito cinematográfico brasileiro.
[Leia outros Comentários de Flávio A. Nantes]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ABRAHAM LINCOLN - OS ANOS DA PRADARIA OS ANOS DA GUERRA
CARL SANDBURG
ITATIAIA
(1965)
R$ 20,00



PORTUGUÊS DE OLHO NO MUNDO DO TRABALHO VOLUME ÚNICO
ERNANI TERRA/ JOSÉ DE NÍCOLA
SCIPIONE
(2009)
R$ 13,00



PORTUGUES LINGUAGENS 9° ANO
WILLIAM CEREJA - CAROLINA DIAS VIANNA
ATUAL
(2018)
R$ 79,90



DONO UM CAMINHO REVOLUCIONÁRIO
MARCELO TOLEDO
ALTA BOOKS
(2013)
R$ 43,00



O OCEANO PACÍFICO OS FILHOS DO CAPITÃO GRANT III
JULIO VERNE
VILLA RICA
(2005)
R$ 8,90



BITS AND PIECES
LUIS FERNANDO VERISSIMO
RIOCELL
R$ 6,90



PROPEDEUTICA RESPIRATORIA
EDUARDO MONTEIRO
O PENSAMENTO
(1925)
R$ 24,50



DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO NO CONE SUL
FÉLIX ALFREDO LARRAÑAGA
ADUANEIRAS
(2002)
R$ 10,00



BIOLOGIA VOLUME ÚNICO
J LAURENCE
NOVA GERAÇÃO
(2007)
R$ 7,00



MANUAL MÉDICO MEDICAMENTOS GENÉRICOS UM GUIA DE CONSULTAS....
ADIB DOMINGOS JATENE FABIO AUGUSTO E OUTROS
LEMOS
(2002)
R$ 7,90





busca | avançada
74271 visitas/dia
2,0 milhões/mês