Nadia Boulanger (1887-1979) | Lauro Machado Coelho

busca | avançada
46024 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> De quantos modos um menino queima?
>>> Mastigar minhas relações
>>> Vaguidão específica
>>> As pedras de Estevão Azevedo
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> Festa na floresta
>>> A crítica musical
>>> 26 de Julho #digestivo10anos
>>> Por que escrevo
>>> História dos Estados Unidos
Mais Recentes
>>> Coleção para gostar de ler de Varios pela Atica (1985)
>>> Grande Enciclopédia de Modelismo - Cor e Pintura de Walquir Baptista de Moura - Produção pela Século Futuro
>>> Meu pequeno fim de Fabrício Marques pela Segrac (2002)
>>> Grande Enciclopédia de Modelismo - Materiais e Ferramentas de Walquir Baptista de Moura - Produção pela Século Futuro
>>> Livro Dicionário Enciclopédico Veja Larousse - Volume 1 de Eurípedes Alcântara , Diretor Editorial pela Abril (2006)
>>> O diário de Larissa de Larissa Manoela pela Harper Collins (2016)
>>> Corpo de delito de Patricia Cornwell pela Paralela (2000)
>>> A Arte da guerra de Sun Tzu pela Pé da letra (2016)
>>> O fio do bisturi de Tess Gerritsen pela Harper Collins (2016)
>>> A garota dinamarquesa de Davdid Ebershoff pela Fabrica 231 (2000)
>>> Uma auto biografia de Rita Lee pela Globo livros (2016)
>>> Songbook Caetano Veloso Volume 2 de Almir Chediak pela Lumiar
>>> A Sentinela de Lya Luft pela Record (2005)
>>> O teorema Katherine de John Green pela Intriseca (2006)
>>> Louco por viver de Roberto Shiyashiki pela Gente (2015)
>>> A ilha dos dissidentes de Barbara Morais pela Gutemberg (2013)
>>> Sentido e intertextualidade de Emanuel Cardoso Silva pela Unimarco (1997)
>>> Mistérios do Coração de Roberto Shinyashiki pela Gente (1990)
>>> Interrelacionamento das Ciências da Linguagem de Monica Rector Toledo Silva pela Edições Gernasa (1974)
>>> Sociologia e Desenvolvimento de Costa Pinto pela Civilização Brasileira (1963)
>>> O Coronel Chabert e Um Caso Tenebroso de Honoré de Balzac pela Otto Pierre Editores (1978)
>>> O golpe de 68 no Peru: Do caudilhismo ao nacionalismo? de Major Victor Villanueva pela Civilização Brasileira (1969)
>>> Recordações da casa dos mortos de Fiodor Dostoiévski pela Nova Alexandria (2006)
>>> Elric de Melniboné: a traição ao imperador de Michael Moorcock pela Generale (2015)
>>> O Príncipe de Nicolau Maquiavel pela Vozes de Bolso (2018)
>>> Deuses Americanos de Neil Gaiman pela Conrad (2002)
>>> Deus é inocente – a imprensa, não de Carlos Dorneles pela Globo (2003)
>>> Memórias do subsolo de Fiodor Dostoiévski pela 34 (2000)
>>> Songbook - Tom Jobim, Volume 3 de Almir Chediak pela Lumiar (1990)
>>> Comunicação e contra-hegemonia de Eduardo Granja Coutinho (org.) pela EdUFRJ (2008)
>>> Caetano Veloso Songbook V. 1 de Almir Chediak pela Lumiar
>>> Origami a Milenar Arte das Dobraduras de Carlos Genova pela Escrituras (2004)
>>> O vampiro Lestat de Anne Rice pela Rocco (1999)
>>> Nova enciclopédia ilustrada Folha volume 2 de Folha de São Paulo pela Publifolha (1996)
>>> Esperança para a família de Willie e Elaine Oliver pela Cpb (2018)
>>> Leituras do presente de Valdir Prigol pela Argos (2007)
>>> Insight de Daniel C. Luz pela Dvs (2001)
>>> Política e relações internacionais de Marcus Faro de Castro pela UnB (2005)
>>> Harry Potter e a Pedra Filosofal de J. K. Rowling pela Rocco (2000)
>>> Infinite Jest de David Foster Wallace pela Back Bay Books (1996)
>>> Nine Dragons de Michael Connelly pela Hieronymus (2009)
>>> The Innocent de Taylor Stevens pela Crown Publishers (2011)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> Filosofia Para Crianças e Adolescentes de Maria Luiza Silveira Teles pela Vozes (2008)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> Vida de São Francisco de Assis de Tomás de Celano pela Vozes (2018)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
ENSAIOS

Segunda-feira, 16/11/2009
Nadia Boulanger (1887-1979)
Lauro Machado Coelho

+ de 5900 Acessos

Há exatos 30 anos, em 22 de outubro de 1979, com 92 anos, Nadia Boulanger falecia na França. Professora e mentora de grandes músicos ― entre os quais o brasileiro Almeida Prado e o regente principal da Osesp Yan Pascal Tortelier ― Boulanger foi uma das mais influentes personalidades musicais do século XX.

O brasileiro Almeida Prado, que foi seu aluno, fala da maneira casual como ela lhe falava: "Hoje terminaremos a aula um pouquinho mais cedo, porque Gabriel vem jantar". Esse amigo, de quem Nadia Boulanger falava com tanta intimidade, era Gabriel Fauré. Porque, pelo salão da Rue Ballu, em Fontainebleau, onde morava essa mestra extraordinária, passou todo o mundo musical que estava em Paris entre as décadas de 1920 e 1970 do século passado. De Fauré, que foi seu professor, a Astor Piazzolla e Philip Glass, que foram seus alunos, todos estimavam e respeitavam "Mademoiselle Fontainebleau", uma grande dama absolutamente singular.

Em um delicioso documentário que Bruno Monsaingeon fez sobre ela, quando Nadia completou 90 anos ― e que a mostra tão lúcida quanto aos 30 ―, Leonard Bernstein conta um episódio curioso. Um dia, trouxe-lhe uma canção que acabara de compor. Tocou-a e ela o ouviu atentamente. Quando ele terminou, Nadia perguntou: "E se você trocasse aquela nota assim assim?" Lennie o fez e, de repente, confessa, algo transfigurou inteiramente a melodia: "Essa era Nadia Boulanger!", conclui Bernstein. "Era capaz de, à primeira audição, detectar onde estava o problema e de dar a sugestão exata para corrigi-lo."

Pudera, estava no sangue! Sua avó, Marie-Julie, era cantora, e o avô, Frédéric, um grande violoncelista. O pai, Ernest, aluno de Charles-Valentin Alkan, ganhou o Prix de Rome de 1835 e, na capital italiana, conheceu a princesa russa Raíssa Nishiétskaia, que seria a mãe de Nadia e Lili Boulanger. Esta era uma compositora talentosíssima, a única mulher a ganhar o Prix de Rome, em 1913. Morreu em 15 de março de 1918, com apenas 25 anos, e deixou uma obra pequena, mas que nos faz lamentar a termos perdido tão jovem. Foi por achar que nunca poderia igualar o gênio da irmã que Nadia renunciou à composição. E tornou-se a mais notável professora de seu tempo. Tão exigente com seus alunos quanto consigo mesma ― a ponto de Yehudi Menuhin tê-la chamado de "a terna tirana", na biografia dela que publicou, em 1977, em colaboração com Alan Kendall.

Existe, na Wikipedia, uma lista de 47 alunos notáveis de Mme. Boulanger ― entre eles Almeida Prado, Cláudio Santoro e Egberto Gismonti. E ela está incompleta, pois nem Nadia e nem Annette Dieudonné, sua companheira da vida inteira, se preocuparam em registrar a procissão de estudantes que passaram pelas suas mãos. Mas o compositor americano Virgil Thomson, que foi a Paris aprender com ela, dizia: "Toda cidade americana tem duas coisas: uma máquina de vender chicletes e um aluno de Nadia Boulanger". Por exemplo, o maestro Yan-Pascal Tortelier, atual titular da Osesp, de São Paulo, diz que duas pessoas foram fundamentais para a sua formação musical: o seu pai, o violoncelista Paul Tortelier, e "Mademoiselle".

Ela tinha apenas seis anos ao entrar no Conservatório de Paris, onde estudou órgão com Alexandre Guilmant e Louis Vierne, composição com Fauré e Charles-Marie Widor. O seu espírito rebelde impediu-a de vencer o Prix de Rome de 1908, pois em vez da fuga pedida aos candidatos, ela apresentou um quarteto de cordas. Apesar da opinião de Camille Saint-Saëns, que estava na banca, deram-lhe apenas o segundo prêmio e, depois disso, ela não concorreu mais ― o Prix de Rome perdeu muito com isso, diga-se de passagem.

Antes da morte de Lili, ela tinha tentado a composição orientada pelo compositor Raoul Pugno, com quem trabalhou dez anos. Tinha uma autocrítica patológica ― resultado do respeito pelo gênio da irmã ― mas chegou a completar uma Rapsódia para piano e orquestra, o ciclo de canções Les heures claires e a ópera La ville morte. A morte de Pugno, em 1914, e o início da I Guerra Mundial impediram a estreia desse drama lírico, e a partitura permaneceu inédita (ainda se possui a redução vocal e a orquestração dos atos I e III). O resgate dessas composições deveria ser tema de grande interesse para os pesquisadores franceses da atualidade.

A escrita de "Mademoiselle" era nitidamente pós-impressionista, pois ela não escondia de ninguém "desconfiar muito do atonalismo". Mas isso não a impedia de apreciar muito a música de Ígor Stravinsky, de quem regeu a primeira apresentação do Dumbarton Oaks em Washington, em 1938; e de estar aberta às tendências que marcaram a evolução da música contemporânea, nunca se recusando a debater, com isenção, as ideias dos serialistas, da música eletroacústica ou dos minimalistas.

Regia desde 1912 ― época em que isso era totalmente incomum para uma mulher ― e teve nas mãos a batuta da Filarmônica de Nova York, da Sinfônica de Boston, da Philadelphia Orchestra, da Hallé de Manchester e da Sinfônica da BBC. Em sua primeira turnê pelos Estados Unidos, regeu a estreia da Sinfonia para órgão e orquestra de Aaron Copland, um dos muitos que tinham se sentado ao lado de seu piano para beber-lhe as palavras.

Se os franceses a respeitam, nada se compara à veneração que os Estados Unidos têm por ela. De 7 a 9 de outubro de 2004, em homenagem aos 25 anos de sua morte, o American Music Research Center, da Universidade do Colorado, organizou um ciclo de concertos e de conferências para relembrá-la. E o cartaz que anunciava esses eventos trazia a reprodução de Orphée et Eurídice, a litografia que Rainier e Grace de Mônaco encomendaram a Marc Chagall, em 1967, para presentear Nadia no dia de seu 80º aniversário. O seu papel como pedagoga; a música de Lili, de que ela foi uma constante e devotada divulgadora; a música de várias gerações de compositores que passaram pelas suas mãos: todos os aspectos da vida e da obra de "Mademoiselle Fontainebleau" foram dissecados. Questões que devem voltar a apaixonar quem se lembra dela, neste mês de outubro em que se completam 30 anos de que o piano da Rue Ballu se calou.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado na Revista Concerto de outubro de 2009. Lauro Machado Coelho é jornalista, crítico musical e autor de vários livros, sendo o mais recente Sinfonia fantástica ― Vida e obra de Hector Berlioz, lançado este mês.


Lauro Machado Coelho
São Paulo, 16/11/2009

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Populares e eruditos de João Marcos Coelho


Mais Lauro Machado Coelho
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PASSAGEM NA VIDA
FERNANDO ILHARCO MORGADO
MAGINAR
(2004)
R$ 29,90



POLÍTICA E GOVERNO
KARL DEUTSCH
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA
(1983)
R$ 65,00



DISPARIDADES ECONÔMICAS INTER- REGIONAIS, CAPACIDADE DE OBTENÇÃO
FERNANDO ANDRÉS BLANCO COSSIO
BNDES (RJ)
(1998)
R$ 29,00



MAIS COMEDIAS PARA LER NA ESCOLA
LUIS FERNANDO VERISSIMO
OBJETIVA
(2012)
R$ 9,90



PRINCÍPIOS DE ORGANIZAÇÃO APLICADOS ÀS ATIVIDADES INDUSTRIAIS
HENRY P DUTTON
ATLAS
(1956)
R$ 4,90



CONVENÇÃO EUROPÉIA DE DIREITOS HUMANOS
JOSÉ A F LOPES DE LIMA
MIZUNO
(2007)
R$ 10,00



HISTORIA DEL HOMBRE
G. H. R. V. KOENIGSWALD
ALIANZA
(1972)
R$ 10,00



AS CINCO PESSOAS QUE VOCÊ ENCONTRA NO CÉU
MITCH ALBOM
SEXTANTE
(2004)
R$ 7,00



UM OLHAR DOCENTE PARA UMA EDUCAÇÃO FÍSICA CONTEMPORÂNEA
NESTOR BERTINI JUNIOR
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 454,00



VERITAS
WILLIAM LASHNER
RECORD
(2000)
R$ 10,00





busca | avançada
46024 visitas/dia
1,1 milhão/mês