Eu e o cursinho pré-vestibular | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
55373 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Unil oferece abordagem diferenciada da gramática a preparadores e revisores de texto
>>> Conversas no MAB com Sergio Vidal e Ana Paula Lopes
>>> Escola francesa de Design, Artes e Comunicação Visual inaugura campus em São Paulo
>>> TEATRO & PODCAST_'Acervo e Memória', do Célia Helena, relembra entrevista com Nydia Licia_
>>> Projeto Cultural Samba do Caxinha cria arrecadação virtual para gravação de seu primeiro EP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O do contra
>>> American Dream
>>> Todas as Tardes, Escondido, Eu a Contemplo
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Delicado, vulnerável, sensível
>>> De Kooning em retrospectiva
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> Aquele apoio
>>> A forca de cascavel — Angústia (Fuvest)
Mais Recentes
>>> Babbitt de Sinclair Lewis pela Nova Cultural (2002)
>>> Pesquisa FAPESP Nº 261 de Diversos Autores pela Fapesp (2017)
>>> Ana Karênina de Tolstói pela Nova Cultural (2002)
>>> Havia Gigantes Na Terra de Zecharia Sitchin pela Madras (2014)
>>> Pesquisa FAPESP Nº 260 de Diversos Autores pela Fapesp (2017)
>>> Divergente de Veronica Roth pela Rocco (2012)
>>> A Divina Comédia de Dante pela Nova Cultural (2002)
>>> Xeque E Mate - Xadrez Sem Mistério E Com Muito Suspense de Gilberto Milos Júnior & Davy D'Israel pela Adonis (2000)
>>> Rock Jazz Bossa Poética de João Dutra pela Do Autor (2014)
>>> Os Melhores Poemas de Mário de Andrade de Gilda de Mello e Souza pela Globo (1993)
>>> Revista Internacional de Espiritismo - RIE, Ano LXXV, Número 07, Agosto de Vários Colaboradores pela O Clarim (2000)
>>> Antes Que a Saudade Chegue de Sady Figueira pela Evangraf (2001)
>>> A Gata do Rio Nilo de Lia Neiva pela José Olympio (1999)
>>> Convergente de Veronica Roth pela Rocco (2014)
>>> III Prêmio Proex/UFPA de Literatura - Antologia Poesias, Crônicas e Contos de Vários Autores pela Ufpa (2013)
>>> Revista Galileu, Ano 12, Número 154, Maio de Vários Colaboradores pela Globo (2004)
>>> Quinze Anos (A Juventude Como Ela É) de Carlos Heitor Cony pela Tecno Print (1973)
>>> Fazendo meu filme 3 - Roteiro Inesperado de Fani de Paula Pimenta pela Gutenberg (2013)
>>> Revista Força Aérea Nº 05 de Diversos Autores pela Action (1996)
>>> Histórias Extraordinárias de Edgar Allan Poe pela Nova Cultural (2003)
>>> Revista Força Aérea Nº 03 de Diversos Autores pela Action (1996)
>>> Mulherzinhas de Louisa May Alcott pela Nova Cultural (2003)
>>> Decamerão de Boccaccio pela NOVA Culltural (2003)
>>> Historia Da Filosofia- Os Pensadores de Bernadette Siqueira abrão pela Nova cultural (2004)
>>> Revista Força Aérea Nº 49 de Diversos Autores pela Action (2007)
>>> Os Trabalhadores do Mar de Victor Hugo pela Nova Cultural (2002)
>>> Os Pensadores Husserl de Abril Cultural pela Abril Cultural (1980)
>>> Revista Força Aérea Nº 45 de Diversos Autores pela Action (2006)
>>> A Mulher de Trinta Anos de Balzac pela Nova Cultural (2003)
>>> Transformação Social da Humanidade de Samael Aun Weor pela Gnose (1986)
>>> Revista Força Aérea Nº Especial 01 de Diversos Autores pela Action (2003)
>>> Os Sertões de Euclides da Cunha pela Nova Cultural (2002)
>>> O Último Czar: a Vida e a Morte de Nicolau II de Edvard Radzinsky pela Best Seller (1992)
>>> Arquipélago Gulag de Alexandre Soljenítsin pela Círculo do Livro (1975)
>>> Nova Enciclopédia Católica (12 volumes) de Vários Autores pela Renes (1969)
>>> Diário íntimo e outros escritos de piedade de João XXIII pela Livraria Morais (1964)
>>> Louis XVI and Marie Antoinette during the Revolution de Nesta H. Webster pela G. P. Putnam´s Sons (1938)
>>> Apontamentos de História Eclesiástica de Dom Jaime de Barros Câmara pela Vozes (1942)
>>> O Cardeal Newman de Pe. M. Teixeira Leite Penido pela Vozes (1946)
>>> Um pastor luterano foi ver Pio XII de Richard Baumann pela Mensafé (1957)
>>> História Geral das Civilizações (17 volumes) de Maurice Crouzet pela Difusão Europeia do Livro (1965)
>>> História das Américas (14 volumes) de Ricardo Levene (Dir); Pedro Calmon (Dir) pela W. M. Jackson (1964)
>>> Gestão Estratégica em Farmácia Hospitalar de Sonia Lucena Cipriano, Vanusa Barbosa Pinto e Cleuber Esteves Chaves pela Atheneu (2009)
>>> Prourgen – Ciclo 2 Módulo 4 de Vários Autores pela Artmed / Panamericana (2009)
>>> O Acaso e a Necessidade de Jacques Monod pela Vozes (1971)
>>> Técnicas Básicas em Biologia Molecular de Maristella de Oliveira Azevedo... (et al.)(Orgs.) pela Unb (2003)
>>> Claud Jacq – Coleção Pensamento Contemporâneo Nº 4 de Maria Andréa Loyola e Marilena Corrêa pela Uerj (2004)
>>> Ivanhoé de Walter Scott pela Nova Cultural (2003)
>>> National Geographic Brasil Nº 233 - Edição Especial de Diversos Autores pela National Geographic (2019)
>>> O Ateneu de Raul Pompéia pela Nova Cultural (2003)
COLUNAS

Sexta-feira, 22/2/2008
Eu e o cursinho pré-vestibular
Ana Elisa Ribeiro

+ de 7000 Acessos
+ 5 Comentário(s)

Quando decidi que profissão seguiria, lembro de confiar a meus pais o segredo. Sim, segredo. É que gente inteligente, para outros parentes, só deveria seguir carreiras da moda ou então aquelas mais óbvias. A minha, embora fosse antiga e tradicional, não se enquadrava nas categorias mencionadas. Com meus pais, que são quem me conhece, o segredo estaria guardado e a escolha, fora do alcance dos julgamentos limitadíssimos daquelas pessoas.

No final do ensino médio, depois de muita insistência minha e de meu irmão, meu pai resolveu pagar um intensivão de cursinho pré-vestibular. A indústria dos concursos exercia pressão sobre os estudantes, de forma que parecia impossível conseguir uma vaga na universidade pública sem passar por aqueles auditórios semi-escolares. Escolhemos o cursinho da moda e assistimos às aulas no turno da noite.

O melhor que tirei daquela experiência foi uma amizade duradoura que fizemos naquelas carteiras. Nosso amigo pegava carona conosco e prestava vestibular para Ciência da Computação, uma espécie de novidade entre as áreas de conhecimento. Víamos aulas-espetáculo de Biologia, Física, Química, História, Matemática, Português, Literatura (que, para a escola, curiosamente, são coisas diferentes!), Redação (opa, mais uma divisão!) e se me esqueci de alguma matéria, perdoem-me os vestibulandos.

Lemos livros, discutimos teorias, repetimos fórmulas, decoramos musiquinhas, fizemos provas simuladas e matamos algumas aulas. Quando tudo parecia insuportável, pensávamos no campus verdinho da universidade e no futuro a ser conquistado. Não sabíamos exatamente o que nos esperava, mas diziam os adultos que era bom.

Fiquei quatro sofridos meses naquele cursinho. Passei por lá como um projétil. Não fiz qualquer vínculo (exceto com nosso amigo, aliás, amigo até hoje). Cumpri o que deveria e passei no vestibular. Não era lá o curso mais difícil, mas fiquei entre os dez primeiros entre centenas de concorrentes. Na faculdade privada em que fiz provas antes, fiquei em segundo lugar. Quando saiu o resultado dos exames e marcaram o dia de matrícula, meu pai me fez uma proposta: "se passar na universidade pública, pode ficar com o dinheiro da matrícula e da primeira mensalidade (ou prestação, não sei) da escola privada. Nem quero saber o que você fará. Tome a decisão". O que ocorria era que, obviamente, a matrícula da faculdade particular deveria ser feita antes do resultado da universidade pública. Era, portanto, de fato, uma decisão a ser tomada.

Não fiz matrícula. Pensei, arrisquei, deixei que minha autoconfiança emergisse. Fiquei com a grana e comprei discos, não sei mais. Comprei livros também. Saí com amigos e paguei uma conta mais alta. Não me lembro. Esperei o resultado do vestibular público com ardências no pescoço. Mas passei, ainda bem. Passei. Levei trote da família, ganhei os parabéns e até abraços calorosos dos irmãos. Estava dentro. Mas foi aí que tive uma tristeza: estampado no jornal estava meu nome, ANA ELISA RIBEIRO, na lista dos aprovados por mérito do cursinho! Que lástima. A escola pública que me havia formado, constituído e amadurecido não tinha departamento de marketing, ora vejam. Mas o cursinho, claro, tinha.

Meu nome naquela lista só não era mais absurdo (foi assim que eu senti) do que o nome do meu amigo, candidato a Biologia, que havia freqüentado o cursinho por duas semanas. Não sabíamos se era motivo de risada ou de raiva. Sequer as musiquinhas com fórmulas de física haviam me servido para alguma coisa. As aulas de literatura eram muito menos do que eu havia lido até ali, sem contar que o professor maldizia nossa literatura o tempo todo. As correções de redação que aconselhavam a falta completa de criatividade e os padrões insossos de parágrafo me pareciam anti-aulas de produção de texto, burrificação.

A lembrança disso tudo está viva. Muito mais do que eu supunha. E veio à tona porque, nos dias que correm, vendo televisão, deparei com propagandas de cursinhos. O pré-vestibular da moda não é mais aquele que cursei, mas a propaganda continua a mesma. Equipes de professores sorridentes abraçam alunos aprovados e carecas. Belos jovens pulam com roupas sujas de tinta. Livros são jogados para o alto, como se entrar na universidade fosse a parte mais difícil. E uma música emocionante funciona como fundo para frases de vitórias e nomes de alunos, seguidos da colocação alcançada. Nunca se viu tanta gente em primeiro lugar. Nunca se soube de tanto primeiro lugar geral. Neste momento, as vedetes são as universidades federais ou as católicas. E, para minha surpresa, lá estava, na propaganda de um cursinho, a aluna que tirou primeiro lugar nacional no ENEM, entre mais de um milhão de alunos. A jovem, ex-aluna de uma escola pública, constava, como sempre, da listinha de aprovados por mérito do cursinho. Será que o direito não tem um enquadramento para isso? Deve até ter. Repare-se que não se trata do cursinho que se apropria da aprovação do estudante no vestibular, mas da apropriação de um primeiro lugar no ENEM, uma avaliação nacional que afere competências desenvolvidas ao longo do ensino médio! O estômago da gente precisa ser forte. Minha avó já sabia disso.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 22/2/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Lançamento de Viktor Frankl de Celso A. Uequed Pitol
02. Como eu escrevo de Jardel Dias Cavalcanti
03. Literatura e infância de Pilar Fazito
04. Gênios de Luiz Rebinski Junior
05. Gênio: apontamentos ensaísticos de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2008
01. Uísque ruim, degustador incompetente - 8/8/2008
02. Trocar ponto por pinto pode ser um desastre - 3/10/2008
03. Substantivo impróprio - 25/4/2008
04. Minha coleção de relógios - 31/10/2008
05. Confissões de uma doadora de órgãos - 7/3/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
22/2/2008
02h13min
Passei por situação semelhante, Ana. É óbvio que o cursinho ajuda, mas acho que vale mais a formação do colégio. Resta o consolo de que o que fica, na memória, são os anos do colégio. Os meses no cursinho são esquecidos fácil, fácil.
[Leia outros Comentários de Rafael Rodrigues]
22/2/2008
08h52min
como professor de cursinho, mas contrário a esse tipo de propaganda que você comenta, concordo inteiramente com o que você escreveu. na equação do mercado, a soma nunca confere e a desordem dos fatores deteriora o produto. meu abraço.
[Leia outros Comentários de caio/luiz carlos]
22/2/2008
12h00min
Entendo o que você quer dizer. Confesso que, quando li as características dos comerciais, realmente achei que se tratava de um cursinho de minha cidade (Manaus). O que mais me chama atenção é o fato de que a maioria dos alunos não possui essa visão mais crítica, chegando a participar do comercial do cursinho e atribuindo a sua vitória ao mesmo, esquecendo de sua formação escolar. Uma pena. Conheço pessoas que vivem em cursinhos e nunca passaram em concursos, da mesma forma que conheço outras que sempre passam em ótimos lugares e nunca sentaram numa cadeira de pré-vestibular.
[Leia outros Comentários de Amandio Silva]
27/2/2008
11h11min
Oi, Ana: isso já virou indústria, né? Eu também tive esta experiência com duas semanas de aula espetáculo. Mas, eu quero mesmo é te dar os parabéns, te desejar boa sorte na defesa e um sucesso tremendo. Não vejo a hora de ler sua tese. Abs
[Leia outros Comentários de Fátima Franco]
27/2/2008
16h28min
O estômago tem que ser forte mesmo, Ana. Pior até que a indiferença pelo ensino público é o entusiasmo que muita gente tem pelo ensino privado no Brasil, e por um modelo de ensino privado fajuto, quase caricato. Outro dia escutei um "gênio" dizendo que nós devíamos ter mesmo as universidades todas privadas como nos EUA. Pouca gente sabe, mas a maior parte do sistema americano é PUBLICA, não federal como no Brasil, mas estadual e municipal. E mais, as boas universidades privadas daqui vivem de fundos de investimento construídos com contribuições de alunos - a mensalidade não dá nem para o cafezinho, mesmo porque elas precisam oferecer bolsas aos alunos bem qualificados que não têm recursos próprios. Desculpa ocupar esse espaço com esse tipo de desabafo.
[Leia outros Comentários de Paulo Moreira]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ANARQUISMO E ANARCOSSINDICALISMO
GIUSEPPINA SFERRA
ATICA
(1987)
R$ 22,12



NARUTO- VOLUME 12
MASASHI KISHIMOTO
PANINI COMICS
(1999)
R$ 20,00



PARA VIVER UM GRANDE AMOR
VINICIUS DE MORAES
FOLHA DE SÃO PAULO
(2008)
R$ 6,90



TABUAS DE ESTATISTICA E MATEMATICA.
BUSSAB E SEVERO.
BRASILIENSE.
(1974)
R$ 12,00



A PROSPERIDADE ESTÁ PRÓXIMA
HERMAN KAHN
NOVA FRONTEIRA
(1982)
R$ 5,00



DIÁRIO DE UM BANANA 5: A VERDADE NUA E CRUA
JEFF KINNEY
VERGARA E RIBA
(2016)
R$ 44,90



QUESTAO AGRARIA NO BRASIL
JOAO PEDRO STEDILE
ATUAL
(1997)
R$ 8,00



COMO FALAR COMO UM PROFISSIONAL
LEON FLETCHER
RECORD
(1983)
R$ 5,00



PSICANÁLISE: ONTEM E HOJE
REVISTA BRASILEIRA DE PSICANÁLISE VOL 37 Nº 4
RBP
(2003)
R$ 19,28



PARTE GENERALE - CHIRURGIA DEL CAPO, DEL COLLO, DEL TORACE E DELLA COL
LUIGI WULLSTEIN MAX WILMS SCHLOFFER TILMA...
TORINENSE
(1914)
R$ 71,07





busca | avançada
55373 visitas/dia
2,0 milhões/mês