Revolusséries | Luís Fernando Amâncio | Digestivo Cultural

busca | avançada
26083 visitas/dia
757 mil/mês
Mais Recentes
>>> Teatro do Incêndio realiza encontro com Os Favoritos da Catira e Samba de Umbigada
>>> Cozinha prática: Miyoko Schinner lança guia para preparar e armazenar ingredientes básicos veganos
>>> Tordesilhas traz ao Brasil "As Invernas" prestigiado romance espanhol que mescla gêneros literários
>>> Monahyr Campos no Sarau do Ó
>>> Últimas vagas para oficinas gratuitas de música e ballet em Horizontina
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Revolusséries
>>> Mais espetáculo que arte
>>> Thoreau, Mariátegui e a experiência americana
>>> Meu querido aeroporto #sqn
>>> Essas moças de mil bocas
>>> Como uma Resenha de 'Como um Romance'
>>> Quem é mesmo massa de manobra?
>>> Imprimam - e repensem - suas fotografias
>>> Um Cântico para Rimbaud, de Lúcia Bettencourt
>>> Longa vida à fotografia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
>>> Ajudando um amigo
>>> Ebook gratuito
>>> Poesia para jovens
>>> Nirvana pra todos os gostos
>>> Diego Reeberg, do Catarse
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Lançamento e workshop em BH
Últimos Posts
>>> Convite para as coisas que não aconteceram
>>> Faca de estrelas
>>> Estalactites
>>> A economia que a politicagem comeu
>>> "Duas Ninfas", processo de criação da pintura
>>> Se correr o bicho pega. Se ficar o bicho come...
>>> Suores
>>> DOIS POEMETOS E UM SONETO INÉDITO
>>> O encontro improvavel
>>> Trêmulo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Sonoridade imortal de Mozart
>>> Melhores Clipes do AC/DC
>>> A vida sem assento
>>> Dot.com, de Luís Galvão Teles
>>> Sujando os dedos de graxa
>>> Apresentação
>>> O projeto da Amauta
>>> Reid Hoffman por Tim Ferriss
>>> O chamado de Cthulhu
>>> Harry Potter e o Gladiador
Mais Recentes
>>> Você na telinha - Como usar a mídia a seu favor
>>> Educação Financeira - Como educar seu filho
>>> O clube das segundas esposas
>>> O Amor do Espírito
>>> Pretinha, Eu?
>>> O Vale das Utopias
>>> História de Mulheres na Bíblia
>>> O Poder da Oração no Casamento
>>> Para entender a versificação espanhola e gostar dela
>>> Comédias Para se Ler na Escola
>>> Municipalização do ensino no Brasil (novo)
>>> A Chama Viva do Amor- A Festa do Espírito Santo
>>> Os princípios de liderança de Jack Welch
>>> O manual do novo gerente
>>> Bórgia: o poder e o incesto
>>> Bórgia: tudo é vaidade
>>> Bórgia: as chamas da fogueira
>>> Bórgia: sangue para o Papa
>>> The walking dead
>>> Como fazer amgos e influenciar pessoas na era digital
>>> Os milionários do Gênesis
>>> Brasil: 100 comentários
>>> Era uma vez uma empresa
>>> Como se tornar um lider servidor
>>> O homem mais rico da Babilônia
>>> A arte de ganhar dinheiro
>>> Um bom professor faz toda a diferença
>>> Os segredos da mente milionária
>>> Casais inteligentes enriquecem juntos
>>> Sonho Grande
>>> Os cães nunca deixam de amar
>>> O maior vendedor do mundo
>>> Economia e espiritualidade
>>> O milionário Moisés
>>> Design Thinking
>>> A estratégia do oceano azul
>>> Mais esperto que o diabo
>>> O milionário Josué
>>> Psicologia Econômica
>>> Monstros e monstrengos do Brasil
>>> Decifrando o Enigma do Eu-Em busca da Autodescoberta
>>> O Espírito do Xamanismo- Uma visão contemporânea de uma Tradição milenar
>>> A Palavra Sagrada para o Reavivamento Matinal
>>> O Santíssimo Nome de Jesus
>>> Viverás em Mim
>>> Vinde, Ó Espírito de Deus
>>> O tapete do rei Salomão
>>> Como ler o Livro dos Salmos -Espelho da Vida do Povo
>>> Parapsicologia Hoje e Amanhã
>>> Conversas no Adro da Igreja
COLUNAS

Terça-feira, 21/3/2017
Revolusséries
Luís Fernando Amâncio

+ de 300 Acessos

O bom de ficar mais velho - e não é fácil encontrar vantagens - é bater no peito e dizer sobre algum assunto: eu vi isso acontecer. Porque o tempo passa e é inevitável que coisas, sejam elas quais forem, aconteçam. Coisas boas, coisas ruins, o diabo a quatro. O tempo não fica parado. Às vezes passa mais devagar, é verdade. Quando eu volto do almoço para o serviço, por exemplo, sei que as 17 horas vão demorar uma pequena eternidade para chegar. Mas chegam. E rapidinho são 18 e eu estou em casa, me sentindo com o ânimo de um folião na Quarta-feira de Cinzas, depois de ser atropelado por um trio elétrico. Cadê os físicos para explicarem essa macumba?

Enquanto eles não chegam, vamos seguir o raciocínio. Coisas acontecendo. São muitas. Só que raramente a gente percebe o que está mudando, não damos o valor às pequenas revoluções do dia a dia. Sabem o motivo? Porque estamos ocupados demais com outros assuntos.

Mas não. Esta não é uma crônica sobre as mazelas da vida contemporânea, sobre a correria dos nossos dias, blá blá blá. Usamos essa desculpa desde antes da queda da Bastilha. Mas a real é a seguinte: em 2017, as pessoas esquecem de levar o cachorro para passear, do aniversário de casamento, o filho na escolinha de futebol, de pagar o IPTU, de dizer o sagrado e sempre necessário #foraTemer de cada dia, por um único motivo, que não é o trabalho, não são os estudos, não é o trânsito, tampouco a filantropia. O motivo da nossa correria atende pelo nome de Netflix.

Caramba. Como a humanidade viveu sem isso até aqui? Eu sou do tempo em que para ver séries era preciso sintonizar nas madrugadas da TV aberta, ou levar o prato da macarronada de domingo para a sala, enquanto Celso Portiolli fazia jogos com os telespectadores nos intervalos. Intervalos, lembram deles?

Assistir série era um passatempo de poucos. As pessoas até nos discriminavam. "Sabe fulano? Ele é até legal. Mas assiste série, sabe, esses programas americanos, com risadas no fundo? Acho isso meio chato".

Mas o tempo têm a velocidade do Flashe não há revolução mais forte do que as silenciosas. Hoje em dia, meus amigos cultivam séries de estimação. E não é uma ou duas. São dezenas! Há série para se ver sozinho, em casal e até aquelas, para toda família. Série de humor, para descontrair; série de episódios com reviravolta, para ficar impressionado; série de terror, pra dormir com medo; Black Mirror, pra temer os caminhos da humanidade; tem até série novelão, pra quem prefere uma A Usurpadora que talks in English. Enfim, há séries à rodo. Inclusive séries ruins.

Há relatos de que a frase "você vem sempre por aqui?" foi substituída nas baladas por "você assiste Game of Thrones?". Também fiquei sabendo que há pessoas que assistem séries com aceleração de quadros para poder ver mais. Tempo era dinheiro, agora significa séries.

Os seriados já existiam antes da Netflix e dominam canais pagos da tv brasileira há algumas décadas. Também há os dvds com temporadas completas, os downloads ilegais e, insisto, as madrugadas do SBT. Mas o Netflix (há outros serviços de streaming, eu sei), com um preço mais justo do que o cobrado pelas operadoras de canais pagos, além de sua acessibilidade mais dinâmica aos dias atuais, massificou o processo.

Seguir algumas séries virou pressão social. Houve um tempo em que eu pensava que acompanhar o futebol era o que me ajudava a interagir com metade das pessoas que conheço. Hoje, refazendo os cálculos, concluo que a outra metade só me dá bom dia porque sabe que eu vi Breaking Bad.

Será que, se vivesse hoje, ao invés de criticar a revolução industrial, Charles Chaplin abordaria a revolução das séries em Tempos Modernos?

Não sei. Só sei que, se você chegou ao fim dessa crônica, provavelmente resistiu a uma janela em seu navegador aberta no Netflix. Obrigado pela leitura. Agora, vai lá, coloca sua vida em dia. Ou seja, pode terminar aquela temporada da série que está assistindo.


Luís Fernando Amâncio
Belo Horizonte, 21/3/2017


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Longa vida à fotografia de Fabio Gomes
02. Píramo e Tisbe de Ricardo de Mattos
03. A selfie e a obsolescência do humano de Marta Barcellos
04. Aqui sempre alguém morou de Elisa Andrade Buzzo
05. YouTube, lá vou eu de Adriane Pasa


Mais Luís Fernando Amâncio
Mais Acessadas de Luís Fernando Amâncio
01. Tricordiano, o futebol é cardíaco - 26/4/2016
02. Nos tempos de Street Fighter II - 31/5/2016
03. Radiohead e sua piscina em forma de lua - 28/6/2016
04. Desbloqueie seu cartão, aumente seu pênis - 15/9/2015
05. Em nome dos filhos - 31/1/2017


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




THE TRAITOR
LAVR DIVOMLIKOFF
CORGI
(1977)
R$ 39,00
+ frete grátis



40 ANOS DE TEATRO (VOLUME 2) MÁRIO NUNES
MÁRIO NUNES
SNT
R$ 80,00



HERMANN Y DOROTEA - JOHANN W. GOETHE (LITERATURA ALEMÃ)
JOHANN W. GOETHE
ESPASA
(2000)
R$ 7,00



FUNERAL PARA UM AMIGO MINI SÉRIE EM 4 EDIÇÕS COMPLETA 1 AO 4 1994
SÉRGIO FIGUEIREDO PINTO E OUTROS
ABRIL
(1994)
R$ 45,00



UM ESTUDO EM VERMELHO
CONAN DOYLE
ÀTICA
(2004)
R$ 10,00



GUIA PRÁTICO DE POSICIONAMENTO EM MAMOGRAFIA
RENATO DIMENSTEIN ET ALLI
SENAC
(2005)
R$ 17,00



COMENTÁRIO DO EVANGELHO SEGUNDO SÃO JOÃO
J. C. RYLE
METODISTA
(1957)
R$ 65,00



EM BUSCA DO PERISPÍRITO
RENATO ZANOLA
CELD
(1998)
R$ 15,90
+ frete grátis



SUCESSO SEM STRESS
DR.ARTUR ZULAR
BEST SELLER
(2000)
R$ 6,00



ANARQUISTAS, GRAÇAS A DEUS - COL. SUPERSELLERS RECORD
ZÉLIA GATAI
RECORD
(1979)
R$ 5,90





busca | avançada
26083 visitas/dia
757 mil/mês