Viver para contar - parte 2 | Marcelo Barbão | Digestivo Cultural

busca | avançada
42708 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 2/12/2002
Viver para contar - parte 2
Marcelo Barbão

+ de 4400 Acessos
+ 1 Comentário(s)

(Começa aqui)

O ano de 1948 pode ser considerado um marco na Colômbia, era o começo de uma violência que vem se arrastando, com poucas exceções, até os dias de hoje. Enquanto se realizava a Conferência Paranamericana (precursora da Organização dos Estados Americanos) na cidade de Bogotá, o principal líder liberal, Jorge Eliécer Gaitán, foi assassinado.

Era o dia 9 de abril de 1948 e o início de um período extremo. Em poucos dias, milhares de pessoas são mortas, seus corpos empilhados nas ruas da capital. Gaitán era um populista amado pelas massas, o que explica esta reação. Os enfrentamentos entre o povo e o exército são constantes.

O governo conservador de Ospina Pérez era visto como responsável pelo assassinato. O episódio ficou conhecido como o "Bogotazo" e serviu como pretexto para um reação conservadora violentíssima que levou a 15 anos de perseguições, assassinatos e formação de guerrilhas liberais. Todo este período histórico colombiano, conhecido como "La Violencia", só terminou em 1953, quando os militares deram um golpe e conseguiram um armistício parcial com alguns grupos da guerrilha.

Toda essa situação foi um preâmbulo para o ressurgimento da guerrilha na década seguinte quando os camponeses radicalizados, influenciados pelo maoísmo e pelo guevarismo, deram origem a vários grupos que atuaram até os anos 80/90, além dos dois exércitos guerrilheiros que continuam ativos até hoje: as FARC e a ELN.

Em 1958, depois de cinco anos de regime militar, liberais e conservadores unem-se para a volta ao regime democrático. Mas era uma democracia controlada. Os partidos revezavam-se e dividiam o poder. Um dos motivos para a opção pela guerrilha era este regime fechado que impedia o crescimento e a participação de qualquer outro partido político.

E o incrível de tudo isso é que Gabriel García Márquez estava em Bogotá exatamente no dia 9 de abril de 1948, perto do restaurante El Gato Negro, onde Gaitán foi assassinado, e testemunhou toda a violência que aconteceu depois.

Gabo ainda não era jornalista, muito menos um ativista político, e conta que ficou assustadíssimo com tudo o que via. As imagens ficaram gravadas para sempre, inclusive uma estranha figura que Márquez, agora, vê como um dos principais agitadores que levaram o povo a protestar no Palácio de Governo. As suspeitas de que tudo aquilo foi uma armação (muito provavelmente dos próprios conservadores para reprimir os liberais) o perseguem desde então. Mas, os conservadores acusaram dois participantes da Conferência Panamericana pelo assassinato e violência decorrentes: o chanceler da Guatemala, Luis Cardosa y Aragon e o ativista estudantil Fidel Castro.

E "La Violencia" pode ser um marco, porque a fuga de García Márquez para Cartagena significa o início de sua carreira jornalística, antecessora da literária.

Os anos passados na região caribenha da Colômbia foram importantes para Márquez. Além do trabalho jornalístico em alguns periódicos regionais como El Universal ou o El Heraldo da vizinha cidade de Barranquilla. Longe da violência que assolava o resto do país, Márquez conseguiu dar os primeiros passos, tímidos e confusos, é verdade, na carreira literária.

Não podemos esquecer que o jovem escritor já havia publicado alguns contos em revistas literárias de Bogotá durante sua curta estadia. Mas é durante este longo verão caribenho que ele produz sua primeira novela (que, por acaso, não foi publicada no Brasil) chamada La Hojarasca. É durante este período que Gabo vive a aventura que abre seu livro de memórias: a viagem com a mãe até a cidade natal de Aracataca para a venda da propriedade dos avós. Não é à toa que Gabriel García Márquez abre suas memórias com este "retorno": a influência da região caribenha na sua vida literária é mais do que evidente. O mar, plantações de banana, Macondo, as lendas e costumes da região povoam suas histórias de realismo fantástico.

Pode ser este o momento onde tudo começa. Mesmo assim, o jovem jornalista, boêmio e festeiro, ainda sentia-se perdido e pouco confiante em sua capacidade. Uma timidez que permanecerá mesmo depois de se tornar um jornalista famoso. E isso acontece quando, de volta a Bogotá, ele começa a escrever para o famoso El Espectador.

Mas, o sucesso jornalístico não se reverte em sucesso na área literária e seu original de La Hojarasca é rejeitado pela famosa editora Losada de Buenos Aires. E dizer que isso não desanimou Márquez seria uma mentira. A vantagem daquele tempo (perdido nos dias de hoje) é que os jornais não eram dominados pela ditadura dos manuais de redação e da padronização "por baixo", assim os repórteres eram considerados escritores e podiam desenvolver seus temas e sua escrita. Quantos Garcías estão sendo assassinados diariamente nas "linhas de montagem" das redações dos jornais da nossa época?

E é com uma bagagem que inclui: um livro, muitos contos e milhares de idéias na cabeça que Gabriel García Márquez embarca para a Europa. Com o objetivo de permanecer duas semanas, acaba ficando alguns anos.

E aqui, para infelicidade de todos, termina o primeiro volume das memórias de García Márquez. Haja paciência para esperar o próximo.

Para ir além
Vivir para contarla
Gabriel García Márquez
Editorial Sudamericana - Buenos Aires
579 páginas


Marcelo Barbão
São Paulo, 2/12/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020) de Renato Alessandro dos Santos
02. Eu me pergunto para onde vai a imprensa... de Adriana Carvalho
03. Aproximações políticas, ontem e hoje de Lucas Rodrigues Pires
04. Concurso de popstars mostra novo caminho na TV de Arcano9


Mais Marcelo Barbão
Mais Acessadas de Marcelo Barbão em 2002
01. Viver para contar - parte 1 - 18/11/2002
02. Cuentos da Espanha - 23/9/2002
03. Tiques nervosos na ponta da língua - 25/7/2002
04. A idolatria do século XXI - 19/8/2002
05. Viver para contar - parte 2 - 2/12/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/6/2006
15h58min
Simplesmente adorei a resenha sobre este maravilhoso livro e, mais particularmente, a segunta parte. Acabei de comecar minha faculdade e nunca consegui colocar em palavras tao perfeitas algo sobre o jornalismo de hoje como voce fez. Tambem estou impaciente para o proximo livro!
[Leia outros Comentários de Paulina Vespasiano]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A CONSTITUINTE DE 1934 E A REPRESENTAÇÃO PROFISSIONAL
ANA LUCIA DE LYRA TAVARES
FORENSE (RJ)
(1988)
R$ 18,28



ALBERTINA DESAPARECIDA
MARCEL PROUST
NOVA FRONTEIRA
(1989)
R$ 21,00



CORAÇÕES OUSADOS N° 92
DIANA PALMER
HARLEQUIN
(2014)
R$ 10,00



ENSINAMENTOS DOS PRESIDENTES DA IGREJA
GORDON B. HINCKLEY
A IGREJA DE JESUS CRISTO DOS
(2016)
R$ 50,00



O MÉDICO E SEU TRABALHO - RESULTADO DA REGIÃO NORDESTE E SEUS ESTADOS
MAURO BRANDÃO CARNEIRO E OUTROS - COORD.
CFM
(2005)
R$ 6,28



POLIFONISTAS PORTUGUESES DUARTE LOBO FILIPE DE MAGALHÃES FRANCISCO ...
JOSÉ AUGUSTO ALEGRIA
BERTRAND
(1984)
R$ 17,64



BRASILEIRO, SIM SENHOR
JOÃO CARLOS AGOSTINI
MODERNA
(2000)
R$ 20,00



O NEGOCIADOR
FREDERICK FORSYTH
RECORD
R$ 5,50



A MÃO E A LUVA- CLÁSSICOS DA LITERATURA
MACHADO DE ASSIS
CIRANDA CULTURAL
R$ 7,00



MENSAGENS DE AMOR E SABEDORIA
SEICHO TANIGUCHI
SEICHO NO IE
(1995)
R$ 5,00





busca | avançada
42708 visitas/dia
1,4 milhão/mês