Literatura Falada (ou: Ora, direis, ouvir poetas) | Fabio Gomes | Digestivo Cultural

busca | avançada
52947 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> O Buraco d’Oráculo leva dois espetáculos de seu repertório a praça em São Miguel Paulista
>>> Eleições 2022: Bolsonaro ganha no Nordeste e Lula no Sul e Sudeste, mas abstenções ganhará em todo o
>>> Paisagens Sonoras (1830-1880)
>>> III Seminário Sesc Etnicidades acontece no Sesc 24 de Maio nos dias 10, 11 e 12 de agosto.
>>> Longa nacional 'Dog Never Raised' estreia no 50º Festival de Gramado
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
Colunistas
Últimos Posts
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
Últimos Posts
>>> Os chinelos do Dr. Basílio
>>> Ecléticos e eficazes
>>> Sarapatel de Coruja
>>> Descartável
>>> Sorria
>>> O amor, sempre amor
>>> The Boys: entre o kitsch, a violência e o sexo
>>> Dura lex, só Gumex
>>> Ponto de fuga
>>> Leite, Coalhada e Queijo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Górgias, de Platão, por Daniel R.N. Lopes
>>> Brothers Gather Round
>>> Poesia em Fibonacci
>>> Freud pela Companhia das Letras
>>> Parangolé: anti-obra de Hélio Oiticica
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> O novo sempre vem
>>> Música para olhar
>>> Uma outra visão do jornalismo
>>> Perry Rhodan - 50 anos de aventuras espaciais
Mais Recentes
>>> After the Fact: Two Countries, Four Decades, One Anthropologist de Clifford Geertz pela Harvard University Press (1996)
>>> Princípios de Economia Volumes 1 e 2 de Alfred Marshall pela Abril Cultural (1982)
>>> Museu a Arte Moderna de São Paulo de Não Consta pela Banco Safra
>>> Princípios de Economia Política Volume 1 de Stuart Mill pela Abril Cultural (1983)
>>> Livro - a Billion Voices de David Moser pela Penguin (2016)
>>> O Canto da Praça de Ana Maria Machado pela Atica (2002)
>>> Livro - Sonho Grande: Como Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Bet... de Cristiane Correa pela Primeira Pessoa (2013)
>>> O Rei Artur e os Cavaleiros da Távola Redonda de Ana Maria Machado; Sir Thomas Malory pela Scipione (1997)
>>> Livro - Criatividade e Dependência na Civilização Industrial de Livro - Celso Furtado pela Circulo do Livro (1978)
>>> Anonimato: O Importante não á a Fama (Com autógrafo) de Acyr Campos pela Chiado (2016)
>>> A Religião Civil do Estado Moderno de Nelson Lehmann da Silva pela Thesaurus (1985)
>>> O Existencialismo é um Humanismo de Jean-Paul Sartre; Vergílio Ferreira pela Editorial Presença (1978)
>>> Feijão, Angu e Couve: Ensaio Sobre a Comida dos Mineiros de Eduardo Frieiro pela Itatiaia (1982)
>>> História da Arte de German Bazin pela Martins Fontes (1980)
>>> Dengue no Brasil: Doença Urbana de Dr. Timerman & Outros pela Limay (2012)
>>> Movimentos da Arte Moderna: Realismo de James Malpas pela Cosac & Naify (2001)
>>> Chico Bento Nº 274 de Mauricio de Souza pela Globo (1997)
>>> Reporteros Brasil - Libro del Alumno 4 de Leandro Sangy (Autor) pela Difusión (2020)
>>> Reporteros Brasil - Libro del Alumno 4 de Leandro Sangy (Autor) pela Difusión (2020)
>>> Pamela e Satã ou Virtude ainda recompensada de Upton Sinclair pela Melhoramentos
>>> Filosofia e Sociologia - Volume Único de Marilena Chauí (Autor), Pérsio Oliveira (Autor) pela Atica (2019)
>>> Chico Bento Nº 261 de Mauricio de Souza pela Globo (1997)
>>> Van Gogh: Obra Completa de Pintura - Volume I de Ingo F. Walther; Rainer Metzger pela Taschen (2006)
>>> Limite Zero de Joe Vitale pela Rocco (2009)
>>> Chico Bento Nº 121 de Mauricio de Souza pela Globo (1991)
COLUNAS

Segunda-feira, 11/5/2020
Literatura Falada (ou: Ora, direis, ouvir poetas)
Fabio Gomes

+ de 27800 Acessos

Nestes tempos de quarentena em função da pandemia de Covid-19, quase todos os estados brasileiros - e também alguns municípios - lançaram editais emergenciais de socorro à classe artística, que viu sua renda desabar vertiginosamente logo no começo das (indispensáveis) medidas restritivas. Teatros foram fechados, deixando sem palco atores e músicos; também estão sem funcionar cinemas e livrarias, estas impactando no rendimento de escritores. Embora um ou outro dos editais emergenciais tenha se voltado apenas para a classe dos músicos, a maioria deles buscou contemplar também os profissionais da área de Literatura, possibilitando-lhes remuneração pela realização de recitais, oficinas e debates transmitidos via streaming, seja em vídeos gravados, ou mesmo em lives, seja publicando textos (em geral poemas) em redes sociais. 

Nem todas as iniciativas visando valorizar a poesia no âmbito da quarentena, porém, são de iniciativa da esfera pública. Um projeto de destaque é o 40 Poemas, que iniciou as postagens no Instagram em 3 de abril e conclui em 12 de maio. Aqui o foco é trazer um(a) autor(a) lendo seu poema em áudio (outro diferencial num campo onde têm predominado os vídeos) - ouça por exemplo Mary Paes lendo "Devaneios Loucos"

Já no Mato Grosso do Sul, 14 poetas se uniram para criar o projeto Poema na Quarentena MS, que difere um pouco de outras iniciativas similares: primeiro, porque nos vídeos postados desde o dia 6 de maio um autor lê um texto de outro, num rodízio até se completarem os 14; segundo, porque o projeto não tem uma página própria, você localiza os vídeos no Facebook através da hashtag #poemanaquarentenams

De tudo que foi falado até agora, nada chega a ser novidade: nem a presença de poesia na internet, muito menos a gravação de autores lendo seus próprios textos. O que é raro sim são projetos onde um poeta lê poemas alheios. Além do exemplo sul-mato-grossense citado logo acima, o único outro exemplo que conheço é... meu: toda quarta posto um vídeo lendo autores brasileiros cuja obra esteja em domínio público, na série Rapidola Clássico; claro que podem haver outros cuja existência me escape, peço que quem conheça me indique para que eu possa incluí-los no texto. De todo modo, os exemplos que vou mencionar a seguir são de autores interpretando sua própria criação (não pretendo, porém, esgotar o assunto, dadas as dificuldades de se proceder a um levantamento que conseguisse abranger tudo o que se fez neste campo). 

O que pode ser definido como novidade, não do pandêmico 2020, mas da internet em si, é a possibilidade de a poesia chegar ao público na voz do autor sem que seja necessário um suporte físico, como o LP ou o CD. Ou seja, havia a necessidade de o poeta precisar convencer uma gravadora a (ou ser convidado por uma para) lançar um disco falado, e nem é preciso dizer que a prioridade das gravadoras sempre foi lançar música e não poesia. Isso desde os primórdios da indústria musical brasileira, que deu seus primeiros passos em 1902.

O primeiro disco brasileiro a trazer um poema foi lançado em 1906: Edmundo Araújo interpretava "Se se morre de amor", de Gonçalves Dias. Outros discos de intérpretes se seguiram, até que em 1928 Olegário Mariano inaugurou no país a prática de poetas gravarem sua própria obra, registrando na Parlophon "As Duas Sombras", "O Soldadinho que Passa" e "Meu Brasil". Em 1945, quando a gravadora Continental retomou os discos de poetas, chamou novamente Olegário Mariano; a iniciativa durou até 1951 e incluiu também Manuel Bandeira e Ascenso Ferreira.  

Estes três autores também fariam parte do grande momento da poesia em disco no Brasil: a coleção Poesias, da gravadora (também chamada por vezes de 'selo') Festa, cujo slogan inspirou o título deste artigo: a empresa iniciou suas atividades em 1955 apresentando-se como "a primeira editora brasileira de literatura falada em discos long-play de 33 R.P.M.". 

Até 1958, Festa lançou 13 LPs reunindo 24 poetas, sempre com um autor ocupando um lado inteiro do disco. Foram 24 e não 26 porque Manuel Bandeira e Guilherme de Almeida estiveram presentes em dois discos. A lista de autores que gravaram pelo selo Festa abrange os principais nomes vivos da poesia brasileira na época (podemos citar Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, João Cabral de Melo Neto, Murilo Mendes, Paulo Mendes Campos e Vinicius de Moraes). A empresa também lançou o poeta Abgar Renault, que só publicaria seus versos em livro em 1966, dez anos após sua estreia em disco. Houve ainda uma série de compactos literários lançados em 1963 e 1964, tendo como novidade o registro também de prosadores: a coleção trouxe Rubem Braga lendo crônicas e Erico Verissimo, fragmentos  de sua monumental obra O Tempo e o Vento

Existe um canal no YouTube inteiramente dedicado aos discos do selo Festa: Selo Festa Irineu Garcia. Depois que ele encerrou suas atividades, em 1971, voltaram a ser raros em nosso país o lançamento de discos de poetas. Cabe mencionar as Antologias Poéticas de Vinicius de Moraes (1977) e de Ferreira Gullar (1979) e, já na fase do CD,  A Poesia Viva, de Ariano Suassuna (1998). 

  • Para a redação deste texto, foi de fundamental importância a leitura da dissertação de Mestrado em Meios e Processos Audiovisuais da Escola de Comunicações e Artes da USP Literatura e música: a trajetória da gravadora Festa (1955-1971), de autoria de Ana Paula Orlandi Mourão Delfim, onde colhi todos os dados sobre discos de poesia de 1906 a 1979. Sem a divulgação deste estudo na internet, eu não poderia ter escrito este artigo. 



Fabio Gomes
Macapá, 11/5/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O dia que nada prometia de Luís Fernando Amâncio
02. As deliciosas mulheres de Gustave Courbet de Jardel Dias Cavalcanti
03. FLIPS de Elisa Andrade Buzzo
04. As vidas de Chico Xavier de Gian Danton
05. O To be or not to be do escritor de Fernando Lago


Mais Fabio Gomes
Mais Acessadas de Fabio Gomes em 2020
01. Literatura Falada (ou: Ora, direis, ouvir poetas) - 11/5/2020
02. Vamos pensar: duas coisas sobre home office - 6/4/2020
03. A medida do sucesso - 27/1/2020
04. Elis vive - 16/3/2020
05. Arte sem limites - 2/3/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Estratégia da Genialidade 1
Robert B. Dilts
Summus
(1998)



Ensaio de Helena
Tatiana Piccardi
Marco Zero
(2006)



Propaganda e Promoção
Terence A. Shimp
Bookman
(2003)



A Maldição do Espelho
Agatha Christie
Nova Fonteira
(1977)



A volta ao mundo em oitenta dias.
Júlio Verne
Nova Cultural
(2003)



Monteiro Lobato em Quadrinhos - Dom Quixote das crianças
Monteiro Lobato, André Simas
Globinho
(2007)



Os Crimes dos Rosários
William Kienzle
Francisco Alves
(1980)



Guide du copropriétaire
Suzanne Lannerée
Puits Fleuri
(1996)



O Livreiro de Cabul
Asne Seierstad; Grete Skevik
Record
(2006)



Nos Bastidores da História - Contos Históricos - Volume 5
Paulo Setúbal
Saraiva
(1955)





busca | avançada
52947 visitas/dia
2,0 milhão/mês