Literatura Falada (ou: Ora, direis, ouvir poetas) | Fabio Gomes | Digestivo Cultural

busca | avançada
51984 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> BELIZARIO 365 e GOROROBAS no aniversário da Belizario Galeria
>>> As Batalhas de Maria Auxiliadora da Silva
>>> Pará recebe projeto itinerante e gratuito que traz cultura a bordo de um caminhão
>>> Condecorada em Paris, brasileira é co-autora da maior coletânea de livros escrita por mulheres
>>> Cirandança tem inspiração na Semana de Arte Moderna e em coleção de Di Cavalcanti
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Desapega, só um pouquinho.
>>> Menos, Redentor. Menos
>>> Sou grato a Deus
>>> Água das águas
>>> Súplica
>>> Por que me abandonastes
>>> Política na corda bamba
>>> Aonde anda a liberdade
>>> Calar não é consentir
>>> Eu já morri, de Edyr Augusto
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Cabelo, cabeleira
>>> Viagens e viajantes
>>> Terminar o ano correndo
>>> A imprensa dos ruivos que usam aparelho
>>> O futuro do ritual do cinema
>>> Corpo é matéria, corpo é sociedade, corpo é ideia
>>> Abelhas afogadas em mel
>>> Desconstruindo o Russo
>>> Ode a Pablo Neruda
Mais Recentes
>>> Corpo a Corpo de Alex Varenne pela Martins Fontes (1988)
>>> Querida Mamae Obrigado por Tudo de Bradley Trevor Greive pela Sextante (2001)
>>> O Mundo Insone e Outros Ensaios de Stefan Zweig pela Jorge Zahar (2013)
>>> Quatro Gigantes da Alma: O Medo, A Ira, O Amor, O Dever de Emilio Mira Y Lopez pela José Olympio (1980)
>>> Português - Vozes do Mundo -volume 2 - Literatura, Língua E de Maria Tereza Arruda Campos Lucas Sanches Oda pela Saraiva Didáticos (2013)
>>> Investigacao Sobre os Modos de Existencia de Bruno Latour pela Vozes (2019)
>>> Os caminhos para a modernidade de Gertrude Himmelfarb pela Realizações (2011)
>>> De Sonhos e Utopias - Anita e Giuseppe Garibaldi de Yvonne Capuano pela Melhoramentos (1999)
>>> Tribunal de Honra de Dominique Fernandez pela Record (1999)
>>> A Revelação Frutosa de Guido Viaro pela Ideale (2011)
>>> O Môço Loiro - Edição Didática de Joaquim Manuel de Macedo pela Cultrix (1971)
>>> Redução Fenomenológica e Suspensão do Juízo de Jose de Ribamar Barreiros Soares pela Clube dos Autores (2019)
>>> Livro - Repensando: A Pesquisa Participante de Carlos Rodrigues Brandão pela Brasiliense (1985)
>>> Obra Completa 8 de Manoel Joaquim de Almeida Coelho pela Ihgsc (2005)
>>> Cartas Apaixonadas de Frida Kahlo de Martha Zamora pela José Olympio (2006)
>>> Paris é uma Festa de Ernest Hemingway pela Bertrand Brasil (2014)
>>> Erma Jaguar de Alex Varenne pela Martins Fontes (1988)
>>> A Política da Prudência de Russell Kirk pela É Realizações (2013)
>>> Por Que os Homens Preferem as Divas de Miss Piggy pela Leya Casa da Palavra (2011)
>>> Exportação: Aspectos Práticos e Operacionais de José Augusto de Castro pela Aduaneiras (1998)
>>> Os grandes sistemas jurídicos de Mario G Losano pela Martins Fontes (2007)
>>> Livro - A Arte de Pesquisar: Como Fazer Pesquisa Qualitativa em Ciências Sociais de Mirian Goldenberg pela Record (2007)
>>> Manual Prático de Mindfulness (Meditação da Atenção Plena) de John Teasdale, Mark Williams, Zindel Segal pela Pensamento (2016)
>>> Desperte o Talento das Crianças de Diretoria Seicho-no-ie pela Seicho-no-ie (1992)
>>> Trechos Tecidos Com Palavras de Renata Carone Sborgia pela Madras (2014)
COLUNAS

Segunda-feira, 11/5/2020
Literatura Falada (ou: Ora, direis, ouvir poetas)
Fabio Gomes

+ de 29700 Acessos

Nestes tempos de quarentena em função da pandemia de Covid-19, quase todos os estados brasileiros - e também alguns municípios - lançaram editais emergenciais de socorro à classe artística, que viu sua renda desabar vertiginosamente logo no começo das (indispensáveis) medidas restritivas. Teatros foram fechados, deixando sem palco atores e músicos; também estão sem funcionar cinemas e livrarias, estas impactando no rendimento de escritores. Embora um ou outro dos editais emergenciais tenha se voltado apenas para a classe dos músicos, a maioria deles buscou contemplar também os profissionais da área de Literatura, possibilitando-lhes remuneração pela realização de recitais, oficinas e debates transmitidos via streaming, seja em vídeos gravados, ou mesmo em lives, seja publicando textos (em geral poemas) em redes sociais. 

Nem todas as iniciativas visando valorizar a poesia no âmbito da quarentena, porém, são de iniciativa da esfera pública. Um projeto de destaque é o 40 Poemas, que iniciou as postagens no Instagram em 3 de abril e conclui em 12 de maio. Aqui o foco é trazer um(a) autor(a) lendo seu poema em áudio (outro diferencial num campo onde têm predominado os vídeos) - ouça por exemplo Mary Paes lendo "Devaneios Loucos"

Já no Mato Grosso do Sul, 14 poetas se uniram para criar o projeto Poema na Quarentena MS, que difere um pouco de outras iniciativas similares: primeiro, porque nos vídeos postados desde o dia 6 de maio um autor lê um texto de outro, num rodízio até se completarem os 14; segundo, porque o projeto não tem uma página própria, você localiza os vídeos no Facebook através da hashtag #poemanaquarentenams

De tudo que foi falado até agora, nada chega a ser novidade: nem a presença de poesia na internet, muito menos a gravação de autores lendo seus próprios textos. O que é raro sim são projetos onde um poeta lê poemas alheios. Além do exemplo sul-mato-grossense citado logo acima, o único outro exemplo que conheço é... meu: toda quarta posto um vídeo lendo autores brasileiros cuja obra esteja em domínio público, na série Rapidola Clássico; claro que podem haver outros cuja existência me escape, peço que quem conheça me indique para que eu possa incluí-los no texto. De todo modo, os exemplos que vou mencionar a seguir são de autores interpretando sua própria criação (não pretendo, porém, esgotar o assunto, dadas as dificuldades de se proceder a um levantamento que conseguisse abranger tudo o que se fez neste campo). 

O que pode ser definido como novidade, não do pandêmico 2020, mas da internet em si, é a possibilidade de a poesia chegar ao público na voz do autor sem que seja necessário um suporte físico, como o LP ou o CD. Ou seja, havia a necessidade de o poeta precisar convencer uma gravadora a (ou ser convidado por uma para) lançar um disco falado, e nem é preciso dizer que a prioridade das gravadoras sempre foi lançar música e não poesia. Isso desde os primórdios da indústria musical brasileira, que deu seus primeiros passos em 1902.

O primeiro disco brasileiro a trazer um poema foi lançado em 1906: Edmundo Araújo interpretava "Se se morre de amor", de Gonçalves Dias. Outros discos de intérpretes se seguiram, até que em 1928 Olegário Mariano inaugurou no país a prática de poetas gravarem sua própria obra, registrando na Parlophon "As Duas Sombras", "O Soldadinho que Passa" e "Meu Brasil". Em 1945, quando a gravadora Continental retomou os discos de poetas, chamou novamente Olegário Mariano; a iniciativa durou até 1951 e incluiu também Manuel Bandeira e Ascenso Ferreira.  

Estes três autores também fariam parte do grande momento da poesia em disco no Brasil: a coleção Poesias, da gravadora (também chamada por vezes de 'selo') Festa, cujo slogan inspirou o título deste artigo: a empresa iniciou suas atividades em 1955 apresentando-se como "a primeira editora brasileira de literatura falada em discos long-play de 33 R.P.M.". 

Até 1958, Festa lançou 13 LPs reunindo 24 poetas, sempre com um autor ocupando um lado inteiro do disco. Foram 24 e não 26 porque Manuel Bandeira e Guilherme de Almeida estiveram presentes em dois discos. A lista de autores que gravaram pelo selo Festa abrange os principais nomes vivos da poesia brasileira na época (podemos citar Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, João Cabral de Melo Neto, Murilo Mendes, Paulo Mendes Campos e Vinicius de Moraes). A empresa também lançou o poeta Abgar Renault, que só publicaria seus versos em livro em 1966, dez anos após sua estreia em disco. Houve ainda uma série de compactos literários lançados em 1963 e 1964, tendo como novidade o registro também de prosadores: a coleção trouxe Rubem Braga lendo crônicas e Erico Verissimo, fragmentos  de sua monumental obra O Tempo e o Vento

Existe um canal no YouTube inteiramente dedicado aos discos do selo Festa: Selo Festa Irineu Garcia. Depois que ele encerrou suas atividades, em 1971, voltaram a ser raros em nosso país o lançamento de discos de poetas. Cabe mencionar as Antologias Poéticas de Vinicius de Moraes (1977) e de Ferreira Gullar (1979) e, já na fase do CD,  A Poesia Viva, de Ariano Suassuna (1998). 

  • Para a redação deste texto, foi de fundamental importância a leitura da dissertação de Mestrado em Meios e Processos Audiovisuais da Escola de Comunicações e Artes da USP Literatura e música: a trajetória da gravadora Festa (1955-1971), de autoria de Ana Paula Orlandi Mourão Delfim, onde colhi todos os dados sobre discos de poesia de 1906 a 1979. Sem a divulgação deste estudo na internet, eu não poderia ter escrito este artigo. 



Fabio Gomes
Macapá, 11/5/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Notas confessionais de um angustiado (VII) de Cassionei Niches Petry
02. A decadência do herói de André Graciotti
03. A questão do fim do livro de Marcelo Spalding
04. Um século de paixão pela arte de Luis Eduardo Matta
05. Erik Satie de Nemo Nox


Mais Fabio Gomes
Mais Acessadas de Fabio Gomes em 2020
01. Literatura Falada (ou: Ora, direis, ouvir poetas) - 11/5/2020
02. Vamos pensar: duas coisas sobre home office - 6/4/2020
03. A medida do sucesso - 27/1/2020
04. Elis vive - 16/3/2020
05. Arte sem limites - 2/3/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Biblioteca Pública na Educação do Adulto
Maria Alice Barroso
expressão e cultura
(1998)



Livro - Trabalhando Com Poesia - Volume 2
Alda Beraldo
Ática
(1990)



Linguagens /lingua Portuguesa-lingua Inglesa-arte e Música - 2ºano
Varios Autores
Aymará
(2011)



Diário de um Perfumista
Jean-Claude Ellena
record
(2013)



O tarô de marselha - SEM AS CARTAS
Carlos Godo
Pensamento
(1997)



Sushi
Marian Keyes
Best Bolso
(2012)



Porque Lima Barreto - Confira !!!
Paula Beiguelman
Brasiliense
(1981)



Desvendar Pessoas
Mel Silberman
Campus
(2001)



Mais Sexo e Sexo Mais Seguro
Steven Landsburg
Elsevier
(2008)



Filha da fortuna
Isabel Allende
Bertrand Brasil
(1999)





busca | avançada
51984 visitas/dia
2,0 milhão/mês