Literatura Falada (ou: Ora, direis, ouvir poetas) | Fabio Gomes | Digestivo Cultural

busca | avançada
55403 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Nos 30 anos, Taanteatro faz reflexão com solos teatro-coreográficos
>>> ‘Salão Paulista de Arte Naïf’ será aberto neste sábado, dia 27, no Museu de Socorro
>>> Festival +DH: Debates, cinema e música para abordar os Direitos Humanos
>>> Iecine abre inscrições para a oficina Coprodução Internacional para Cinema
>>> MAB FAAP recebe a exposição Ensaios de Inclusão
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
Últimos Posts
>>> Desigualdades
>>> Novembro está no fim...
>>> Indizível
>>> Programador - Trabalho Remoto que Paga Bem
>>> Oficinas Culturais no Fly Maria, em Campinas
>>> A Lei de Murici
>>> Três apitos
>>> World Drag Show estará em Bragança Paulista
>>> Na dúvida com as palavras
>>> Fly Maria: espaço multicultural em Campinas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Lee Aaron: de Metal Queen a Diva do Jazz
>>> Ensaios de Literatura Ocidental, de Erich Auerbach
>>> Pink Floyd 1972
>>> Borges e Osvaldo Ferrari, Diálogos
>>> The Book of Souls
>>> Cidade de Deus, de Paulo Lins
>>> O melhor de 2008 ― literatura e cinema
>>> Depressão
>>> Útil paisagem
>>> Tradução e acesso
Mais Recentes
>>> Rei Lear de William Shakespeare pela Scipione (2002)
>>> A Matamorfose - seguindo de o veredicto de Kafka pela L&pm (2001)
>>> Terras de Sombras de Alyson Noel pela Intrínseca (2009)
>>> 15 Minutos Inglês de Publifolha pela Publifolha (2012)
>>> Êxtase 4 de Lauren Kate pela Galera Record (2013)
>>> Cultura e Sociedade no Brasil Colônia de Júnia Ferreira Furtado pela Atual (2000)
>>> Tempo Seco de Clara Arreguy pela Geração (2009)
>>> Comédias para se ler na Escola de Luiz Fernando Verissimo pela Objetiva (2001)
>>> Renovar Ideias de Diala Vidal e Ana Maria Pacheco ( Org) pela Barcarolla (2005)
>>> Matendo os Talento da sua empresa de Harvard Business Revien pela Campus (2007)
>>> Mulheres Maravilhas de Ana Carla Tolentino pela Leitura (2002)
>>> o Noviço - Coleção Prestigio de Martins Penna pela Ediouro (1996)
>>> Marketing Promocional de Antonio R Costa e Outros pela Atlas (1996)
>>> Minha História de Michele Obama pela Objetiva (2020)
>>> Harmonia Conjugal - Coleção Lar Cristão 5 de J. Viollet pela Paulinas (1962)
>>> Arte e Cura - Pasado, Presente e futuro de Eurico de Aguiar pela Casa do novo Autor (2015)
>>> Uma terra prometida de Barack Obama pela Companhia Das Letras (2020)
>>> Maigret e o ladrão Preguicoso de Marigret Simenon pela L&pm (2009)
>>> A Trilogia do Mago Negro de Trundi Canavan pela Novo Conceito
>>> Milagres a Luz do Espírito Aloha de Carmen Balhestero pela Madras (2014)
>>> Box A Divina Comédia de Dante Alighieri pela Principis (2020)
>>> Documento de Aparecida de Cnbb Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil pela Paulinas (2007)
>>> Crescer em Comuninhão- catequese Eucarista Livro 1 de Celio Reginaldo Calikpski e Outros pela Vozes (2013)
>>> Administração de Materiáis de João José Viana pela Atlas (2000)
>>> A Travessia do Albatroz de Marcia Camargos pela Geração (2007)
COLUNAS

Segunda-feira, 11/5/2020
Literatura Falada (ou: Ora, direis, ouvir poetas)
Fabio Gomes

+ de 18200 Acessos

Nestes tempos de quarentena em função da pandemia de Covid-19, quase todos os estados brasileiros - e também alguns municípios - lançaram editais emergenciais de socorro à classe artística, que viu sua renda desabar vertiginosamente logo no começo das (indispensáveis) medidas restritivas. Teatros foram fechados, deixando sem palco atores e músicos; também estão sem funcionar cinemas e livrarias, estas impactando no rendimento de escritores. Embora um ou outro dos editais emergenciais tenha se voltado apenas para a classe dos músicos, a maioria deles buscou contemplar também os profissionais da área de Literatura, possibilitando-lhes remuneração pela realização de recitais, oficinas e debates transmitidos via streaming, seja em vídeos gravados, ou mesmo em lives, seja publicando textos (em geral poemas) em redes sociais. 

Nem todas as iniciativas visando valorizar a poesia no âmbito da quarentena, porém, são de iniciativa da esfera pública. Um projeto de destaque é o 40 Poemas, que iniciou as postagens no Instagram em 3 de abril e conclui em 12 de maio. Aqui o foco é trazer um(a) autor(a) lendo seu poema em áudio (outro diferencial num campo onde têm predominado os vídeos) - ouça por exemplo Mary Paes lendo "Devaneios Loucos"

Já no Mato Grosso do Sul, 14 poetas se uniram para criar o projeto Poema na Quarentena MS, que difere um pouco de outras iniciativas similares: primeiro, porque nos vídeos postados desde o dia 6 de maio um autor lê um texto de outro, num rodízio até se completarem os 14; segundo, porque o projeto não tem uma página própria, você localiza os vídeos no Facebook através da hashtag #poemanaquarentenams

De tudo que foi falado até agora, nada chega a ser novidade: nem a presença de poesia na internet, muito menos a gravação de autores lendo seus próprios textos. O que é raro sim são projetos onde um poeta lê poemas alheios. Além do exemplo sul-mato-grossense citado logo acima, o único outro exemplo que conheço é... meu: toda quarta posto um vídeo lendo autores brasileiros cuja obra esteja em domínio público, na série Rapidola Clássico; claro que podem haver outros cuja existência me escape, peço que quem conheça me indique para que eu possa incluí-los no texto. De todo modo, os exemplos que vou mencionar a seguir são de autores interpretando sua própria criação (não pretendo, porém, esgotar o assunto, dadas as dificuldades de se proceder a um levantamento que conseguisse abranger tudo o que se fez neste campo). 

O que pode ser definido como novidade, não do pandêmico 2020, mas da internet em si, é a possibilidade de a poesia chegar ao público na voz do autor sem que seja necessário um suporte físico, como o LP ou o CD. Ou seja, havia a necessidade de o poeta precisar convencer uma gravadora a (ou ser convidado por uma para) lançar um disco falado, e nem é preciso dizer que a prioridade das gravadoras sempre foi lançar música e não poesia. Isso desde os primórdios da indústria musical brasileira, que deu seus primeiros passos em 1902.

O primeiro disco brasileiro a trazer um poema foi lançado em 1906: Edmundo Araújo interpretava "Se se morre de amor", de Gonçalves Dias. Outros discos de intérpretes se seguiram, até que em 1928 Olegário Mariano inaugurou no país a prática de poetas gravarem sua própria obra, registrando na Parlophon "As Duas Sombras", "O Soldadinho que Passa" e "Meu Brasil". Em 1945, quando a gravadora Continental retomou os discos de poetas, chamou novamente Olegário Mariano; a iniciativa durou até 1951 e incluiu também Manuel Bandeira e Ascenso Ferreira.  

Estes três autores também fariam parte do grande momento da poesia em disco no Brasil: a coleção Poesias, da gravadora (também chamada por vezes de 'selo') Festa, cujo slogan inspirou o título deste artigo: a empresa iniciou suas atividades em 1955 apresentando-se como "a primeira editora brasileira de literatura falada em discos long-play de 33 R.P.M.". 

Até 1958, Festa lançou 13 LPs reunindo 24 poetas, sempre com um autor ocupando um lado inteiro do disco. Foram 24 e não 26 porque Manuel Bandeira e Guilherme de Almeida estiveram presentes em dois discos. A lista de autores que gravaram pelo selo Festa abrange os principais nomes vivos da poesia brasileira na época (podemos citar Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, João Cabral de Melo Neto, Murilo Mendes, Paulo Mendes Campos e Vinicius de Moraes). A empresa também lançou o poeta Abgar Renault, que só publicaria seus versos em livro em 1966, dez anos após sua estreia em disco. Houve ainda uma série de compactos literários lançados em 1963 e 1964, tendo como novidade o registro também de prosadores: a coleção trouxe Rubem Braga lendo crônicas e Erico Verissimo, fragmentos  de sua monumental obra O Tempo e o Vento

Existe um canal no YouTube inteiramente dedicado aos discos do selo Festa: Selo Festa Irineu Garcia. Depois que ele encerrou suas atividades, em 1971, voltaram a ser raros em nosso país o lançamento de discos de poetas. Cabe mencionar as Antologias Poéticas de Vinicius de Moraes (1977) e de Ferreira Gullar (1979) e, já na fase do CD,  A Poesia Viva, de Ariano Suassuna (1998). 

  • Para a redação deste texto, foi de fundamental importância a leitura da dissertação de Mestrado em Meios e Processos Audiovisuais da Escola de Comunicações e Artes da USP Literatura e música: a trajetória da gravadora Festa (1955-1971), de autoria de Ana Paula Orlandi Mourão Delfim, onde colhi todos os dados sobre discos de poesia de 1906 a 1979. Sem a divulgação deste estudo na internet, eu não poderia ter escrito este artigo. 



Fabio Gomes
Macapá, 11/5/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Apontamentos de inverno de Elisa Andrade Buzzo
02. Até eu caí nessa de Marta Barcellos
03. Computadores, iPads e colheres de pau de Ana Elisa Ribeiro
04. A arqueologia secreta das coisas de Elisa Andrade Buzzo
05. Ler e o DC de Guga Schultze


Mais Fabio Gomes
Mais Acessadas de Fabio Gomes em 2020
01. Literatura Falada (ou: Ora, direis, ouvir poetas) - 11/5/2020
02. Vamos pensar: duas coisas sobre home office - 6/4/2020
03. A medida do sucesso - 27/1/2020
04. Elis vive - 16/3/2020
05. Arte sem limites - 2/3/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Atentado do Pudor
Tom Sharpe
Rocco
(1999)



Os Hérois Mais Poderosos da Marvel
Marvel
Salvat
(2015)



A Energia das Mãos
Matthias Mala
Pensamento
(1999)



Lorotas, Caretas e Piruetas
Cyro de Mattos; Luis Sartori do Vale
Rhj Livros
(2011)



Cadernos da Comunicação 3 - Série Estudos
Regina Stela Braga
Cadernos da Comunicação
(2011)



As Origens do Ritual na Igreja e na Maçonaria
H. P. Blavatsky
Pensamento



O Meio Ambiente em Debate
Samuel Murgel Branco
Moderna
(2004)



Reflexiones Sobre Ecologia, Medio Ambiente y Cambio Climático
Oswaldo Báez Tobar
Opción
(2011)



O Amor Supera o Castigo
Masaharu Taniguchi
Seicho no Ie
(2011)



Druckgrafik
Liebermann Slevogt Corinth
Ifa
(1980)





busca | avançada
55403 visitas/dia
2,2 milhões/mês