Digestivo nº 199 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
66543 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Filó Machado encerra circulação do concerto 60 Anos de Música com apresentação no MIS
>>> Mundo Suassuna, no Sesc Bom Retiro, apresenta o universo da cultura popular na obra do autor paraiba
>>> Liberdade Só - A Sombra da Montanha é a Montanha”: A Reflexão de Marisa Nunes na ART LAB Gallery
>>> Evento beneficente celebra as memórias de pais e filhos com menu de Neka M. Barreto e Martin Casilli
>>> Tião Carvalho participa de Terreiros Nômades Encontro com a Comunidade que reúne escola, família e c
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Marcelo Mirisola e o açougue virtual do Tinder
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
Colunistas
Últimos Posts
>>> A melhor análise da Nucoin (2024)
>>> Dario Amodei da Anthropic no In Good Company
>>> A história do PyTorch
>>> Leif Ove Andsnes na casa de Mozart em Viena
>>> O passado e o futuro da inteligência artificial
>>> Marcio Appel no Stock Pickers (2024)
>>> Jensen Huang aos formandos do Caltech
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
Últimos Posts
>>> Cortando despesas
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Waldstein por Andsnes
>>> Festival de Inverno Ouro Preto
>>> Para gostar de ler
>>> Dos livros que li
>>> O legado de Graciliano Ramos
>>> Mané, Mané
>>> Ele é o Rei
>>> Corpos
>>> Dialogando com o público leitor
>>> O fim do futebol-arte?
Mais Recentes
>>> Codependencia Nunca Mais de Melody Beattie pela Best Seller (2024)
>>> Manual de Proteçao Respiratoria de Maurício Torlon/ Antonio Vladimir Vieira pela Abho (2003)
>>> 21 Lições Para O Século 21 de Yuval Noah Harari pela Companhia Das Letras (2020)
>>> O Reino De Moruk de Dimára Guastapaglia pela Do autor (2020)
>>> Como Alimentar Seu Bebê de Sara Lewis pela Marco Zero (1996)
>>> Introduçao A Engenharia Ambiental de Benedito Braga, Ivanildo Hespanhol, João G. Lotufo Conejo, Mário Thadeu L. De Barros, Milton Spencer Veras Junior, Monica F. Do Amaral Porto, Nelson L. R. Nucci, Neusa Monteiro De A. Juliano, Sergio Eiger pela Prentice Hall (2003)
>>> Os Remedios Florais Do Dr. Bach de Dr Edward Bach pela Pensamento (1995)
>>> Poemas Escolhidos De Gregório De Matos de Gregorio De Matos pela Companhia Das Letras - Grupo Cia Das Letras (2024)
>>> A Bruxa Nao Vai Para A Fogueira Neste Livro de Amanda Lovelace pela Leya (2018)
>>> Gandhi - Sua Vida E Mensagem Para O Mundo de Louis Fischer pela Martin Claret (1992)
>>> Tuik - O Amigo Imaginário de Marina Pechlivanis - Mateus Rios pela Formato (2014)
>>> O Hobbit de John Ronald Reuel Tolkien pela Wmf Martins Fontes (2009)
>>> Uyra - O Defensor Do Planeta de Carraro Fernando pela Ftd (2010)
>>> Gestão de Resíduos Sólidos - o Que Diz a Lei de Carlos Roberto Vieira da Silva Filho pela Trevisan (2015)
>>> Química Geral e Reações Químicas - Volume 1 de John C. Kotz - Paul M. Treichel pela Ltc (2002)
>>> Sétimo de Andre Vianco pela Novo Seculo (2009)
>>> O Clube Do Trico de Kate Jacobs - Carolina Mesquita pela Amarilys (2010)
>>> Filhos Do Imperador de Claire Messud pela Nova Fronteira (2008)
>>> Os Acidentes Do Trabalho Na Nova Nr-12 de Valmir Inácio Vieira pela Ltr (2013)
>>> A Batalha Do Labirinto - Percy Jackson E Os Olimpianos Livro 4 de Rick Riordan pela Intrinseca (2010)
>>> Um Buldogue Frances de Ana Paula De Abreu pela Pequeno Viajante (2020)
>>> Avaliação Em Educação Infantil 3 de Mara Krechevsky pela Artmed (2001)
>>> O Trem Contra O Tubarão de Chris Barton pela Paz E Terra (2013)
>>> A Rainha Do Norte de Joana Estrela pela Sesi-sp Editora (2018)
>>> Vygotsky Em Foco de Harry Daniels pela Papirus (1994)
DIGESTIVOS

Quarta-feira, 3/11/2004
Digestivo nº 199
Julio Daio Borges
+ de 2900 Acessos
+ 1 Comentário(s)




Cinema >>> Once upon a time in America
Se a cultura americana não tivesse servido para nada, teria servido ainda para produzir Quentin Tarantino. (Eu acho que já disse isso a propósito de Kill Bill 1; se disse, volto a repetir a propósito de Kill Bill 2.) Tarantino, para dizer o óbvio, é o maior cineasta americano em atividade hoje; e, para ir além, talvez seja o mais genuíno, desde as últimas décadas do último século. Pois, ao emergir da cultura (considerada subcultura) pop, propõe a maior representação da alma americana no período. Se Altman, por exemplo, sofreu injunções do cinema europeu e os Irmãos Cohen, outro exemplo, tendem a estetizar, com pinta de alta cultura, o american way, Tarantino expõe as vísceras de sua sociedade, mas ao contrário do realismo apelativo que temos visto, o faz com requintes de grande arte – e de grande artista. Kill Bill é seu épico, seu testamento e sua homenagem ao cinema. Tudo isso provavelmente já foi dito, mas de outra maneira. E a consagração, finalmente, veio, com o encerramento da saga, recentemente, nos cinemas. É estranho que a “ficha” tenha demorado tanto a “cair”, para o público e para a crítica – já que ambos permaneceram praticamente cegos para a beleza e para o poder que emanava, igualmente, de Kill Bill 1. Precisaram de Kill Bill 2, tanto para entender quanto para incensar Tarantino – sem, no entanto, notar que são duas partes de um mesmo filme, editado por imposição do estúdio, e do mercado. Tanto os enquadramentos inusitados, quanto os diálogos incrivelmente bem escritos, quanto as reviravoltas no roteiro, quanto a trilha sonora imperdível, para dizer o mínimo, já estão todos em Kill Bill 1 – mas ninguém viu ou ouviu até Kill Bill 2. (Enfim: é melhor do que se não tivesse nunca visto ou ouvido; e deixado Tarantino a ver navios...) Se já sobrava muito pouca revolução, em matéria de sétima arte, depois de Pulp Fiction (1994), agora sobra menos ainda. Seguindo esse raciocínio, é quase natural que tenham crucificado Tarantino em Jackie Brown (1997) e que o crucifiquem, também, no próximo filme. Pois, o que poderá, no sentido “tarantinesco” do termo, superar Kill Bill? Muito pouca coisa. Faltaria fôlego, a Tarantino, seu casting e sua produção, para algo “maior” que Kill Bill. Talvez, para sermos conformistas, ele nem precise. Talvez Kill Bill nos entretenha pelos próximos 10 anos, como Pulp Fiction. E isso, para quem decretava a extinção dos grandes diretores, é um alento e uma sobrevida. [Comente esta Nota]
>>> Kill Bill 2
 



Artes >>> Travessia
Élida Marques é o que hoje se chama de mulher-projeto. Como quase todos os artistas sem “emprego fixo” (isso ainda existe?), perambula entre uma realização e outra, entre uma idéia e outra, entre uma iniciativa e outra. Afinal, diante da crise para atores e músicos como Élida, existem duas atitudes possíveis: a criatividade ou a estagnação. Ela escolheu a primeira e, ao mesmo tempo em que permanece aberta ao teatro, toca projetos paralelos como o Tia Margarida e o Ler é uma Viagem. O Tia, como ela diz, percorre casas noturnas em São Paulo, com uma formação de grupo (duas vocalistas, incluindo Élida), e resgata a tradição perdida do samba, desde o início do século passado. Já o Ler, como ela enfatiza, é um esforço de levar a leitura a comunidades carentes e a escolas públicas, formando gerações de leitores por meio da escolha de grandes autores, em novas leituras através de performance quase cênica, com apoio percussivo e musical. Foi assim que Élida Marques e sua trupe divertiram uma platéia, há algumas semanas, na Casa das Rosas, na avenida Paulista. Entre um Lima Barreto e um Machado de Assis, um samba originalmente interpretado por Carmen Miranda ou um solo de clarineta lírico e perturbador. Isso só foi possível porque Élida, numa história que conta para quem quiser ouvir, conseguiu patrocínio da mineradora CBMM, de Araxá, e pôde elaborar cada frase, cada palavra, cada vírgula junto a seus músicos e colaboradores. Apresentou, inclusive, composições de amigos, pautadas na obra de Guimarães Rosa, enquanto encarnava o primeiro encontro entre Diadorim e Riobaldo. Seu desejo é tocar o Ler é uma Viagem também em 2005, estendendo sua abrangência (para outros pontos do Brasil que não apenas a periferia de São Paulo) e integrando ao grupo os colegas que, em edições esparsas, fizeram apenas “participações especiais”. Não é uma ambição de todo impossível, já que foi parcialmente realizada em 2004. Mas, além de admirável, é um trabalho árduo – ainda mais para quem “corre por fora”, na pele de produtora independente, como Élida Marques. [Comente esta Nota]
>>> Ler é uma Viagem
 



Além do Mais >>> Leitura dinâmica
Panorama Editorial é o nome da revista da CBL, a Câmara Brasileira do Livro, uma das poucas entidades de classe ativa (e reativa) neste País. A idéia, da publicação, é abrir um canal, periódico, para discussão de temas do setor livreiro – mas o veículo, em sua primeira edição (setembro de 2004), se revela interessante também para os demais envolvidos (escritores, jornalistas – enfim, a “mídia literária” tupiniquim). Um dos destaques, por exemplo, é a matéria esclarecedora sobre a trajetória e as atividades da editora Cosac & Naify. Desde a opção heróica pelos livros de arte (arte mesmo), no início, até a virada para os títulos infantis (graças ao sucesso de Arthur Nestrovski) e para as grandes traduções (Stendhal, Faulkner – e, mais recentemente, Flaubert). Um dos segredos para a vitória, neste último segmento, – além da “gestão de Augusto Massi – foi escolher obras que caíram em domínio público e oferecer, ao tradutor, os clássicos 10% que, em outros casos (herdeiros), caberiam ao autor. É uma mostra de como a Panorama Editorial vem abordar assuntos básicos, na tônica de quem publica, lê e escreve. Outro destaque, nessa linha, é a reportagem enfocando a relação entre gráficas e editoras – oferecendo revelações mercadológicas fundamentais: entre elas, o fato de que as tiragens (já consideradas minguadas) de 3 mil exemplares de antes estão caindo, em alguns casos, para menos de um milhar na atualidade. As gráficas, instigadas – como tantos outros “negócios” – pelo último boom econômico, investiram numa expansão que não veio e hoje sofrem para se readaptar (apesar da dita “retomada”). No fundo, esses dilemas, do business do livro, afetam toda a “cadeia de produção” e é saudável que a Panorama Editorial venha expô-los com realismo no mais elevado grau. Afinal, editores, escritores e público consumidor terão uma relação mais producente e mais frutífera com seu objeto de fetiche se souberem o que ocorre por trás dos bastidores. Pois, nem só de DVDs vivem os making-ofs... [Comente esta Nota]
>>> CBL
 
>>> EVENTOS QUE O DIGESTIVO RECOMENDA



>>> Cafés Filosóficos
* Sobre a indignação e a revolta - Jean-François Mattéi, Dominique Folscheid e Georges Lomné
(Qui., 4/11, 19h30, CN)

>>> Palestras
* São Paulo 1860-1960 – A paisagem humana - Ruy Mesquita Filho, José Alfredo Vidigal Pontes, Virgínia Albertini e Vladimir Sacchetta
(Qua., 3/11, 19h30, VL)

>>> Noites de Autógrafos
* As relações Perigosas: Brasil-EUA (De Collor a Lula: 1990-2004) - Luiz Alberto Moniz-Bandeira (Qua., 3/11, 18h30, CN)
* Pobreza, exclusão e modernidade: Uma introdução ao mundo contemporâneo - Simon Schwartzman (Qua., 3/11, 18h30, CN)
* Tem alguma coisa errada comigo... - Ademir Carvalho Leite Júnior
(Qui., 4/11, 18h30, VL)
* Memórias de um Gerubal - Roberto de Mello e Souza
(Qui., 4/11, 18h30, CN)

>>> Exposições
* Exposição de Liberman Alfredo
(De 03 a 17 de novembro de 2004, CN)

>>> Shows
* Swinging the Blues - Traditional Jazz Band
(Sex., 5/11, 20hrs., VL)
* Espaço Aberto - Maria Alvim e Rick Udler
(Dom., 7/11, 18hrs., VL)

* Livraria Cultura Shopping Villa-Lobos (VL): Av. Nações Unidas, nº 4777
** Livraria Cultura Conjunto Nacional (CN): Av. Paulista, nº 2073
*** a Livraria Cultura é parceira do Digestivo Cultural

 
Julio Daio Borges
Editor
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/10/2004
15h18min
engracado, a critica do jornal do rio prefere o primeiro ao segundo. pq insisitir na representacao da alma americana? e' isso mesmo, enfim
[Leia outros Comentários de Mase Lemos]

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Jazz Através dos Tempos / Jazz Through the Ages / Com 3 Cds
João Francisco Franco Junqueira
Via Impressa
(2014)



Paulo Emílio - Legado Crítico
Thiago Almeida e Nayara Xavier
Cinusp
(2017)



Oxford Practice Grammar Intermediate With Answers
John Eastwood
Oxford
(2010)



Crimes Imperceptíveis
Guillermo Martínez
Planeta
(2004)



Contabilidade Pública - Exercícios Práticos
Alcides Menolli
Eduel
(2004)



Um ciclone na paulicéia Oswald de Andrade e os limites da vida intelectual em São Paulo
Rubens de Oliveira Martins
Unbero
(2001)



Molecagem - LIVRO DO MESTRE
Luiz Claudio
Scipione
(1988)



A fantasia desfeita
Celso Furtado
Paz e Terra
(1989)



Ensinar e Aprender no Século 21
Marcia Stein
Senac
(2011)



O sistema solar
Alberto Delerue
Ediouro
(2002)





busca | avançada
66543 visitas/dia
2,1 milhões/mês