Digestivo nº 299 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
24629 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Red Bull Station estreia exposições de letrista e de coletivo feminino em julho
>>> Alaíde Costa e Toninho Horta mostram CD em parceria na CAIXA Cultural São Paulo
>>> O Julgamento Secreto de Joana D'Arc com Silmara Deon estreia no Teatro Oficina
>>> Novo app conecta, de graça, clientes a profissionais e prestadores de serviço
>>> Inauguração da Spazeo com show do Circuladô de Fulô - 28/07
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Entrevista com a tradutora Denise Bottmann
>>> O Brasil que eu quero
>>> O dia em que não conheci Chico Buarque
>>> Um Furto
>>> Mais outro cais
>>> A falta que Tom Wolfe fará
>>> O massacre da primavera
>>> Reflexões sobre a Liga Hanseática e a integração
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> Tempo & Espaço
>>> Mão única
>>> A passos de peregrinos ll
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES IV
>>> Shomin-Geki, vidas comuns no cinema japonês
>>> Con(fusões)
>>> A passos de peregrinos l
>>> Ocaso
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES I
>>> Sob o mesmo teto
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Brasil que eu quero
>>> Pensar sem memória
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> O Digestivo e o texto do Francisco Escorsim
>>> Restos, por Mário Araújo
>>> A maçã de Isaac Newton
>>> O que é um livro?
>>> Cisne Negro: por uma inversão na ditadura do gozar
>>> Lui Liu
>>> Sociedade dos Poetas Mortos
Mais Recentes
>>> Lia e o Sétimo Ano
>>> Quero ser Belo
>>> O Cão dos Baskervilles
>>> Feminismos, identidades, comparativismos: vertentes nas literaturas de língua inglesa Vol. IV
>>> A Saúde brota da Natureza
>>> Quatro Quartetos
>>> Quem é Você? Construindo a Pessoa à luz do Eneagrama
>>> Mecânica Vectorial para Engenheiros - Dinâmica (6ª ed.)
>>> O cachorro Skoz - Cão ao mar
>>> O cachorro Skoz - Passeio no ar
>>> Seu cliente pode pagar mais - 3ª edição
>>> O Pássaro Azul
>>> Zagreb
>>> The Rough Guide to Turkey
>>> Prague
>>> Dados Sobre a Coréia
>>> The Rough Guide to Morocco
>>> Lonely Planet - Argentina
>>> Lonely Planet - Bermuda
>>> Lonely Planet - Zimbabwe
>>> Hill Country
>>> Guatemala Sensacional
>>> Nova York no Meu Bolso
>>> Itália by Train
>>> Buenos Aires de A a Z
>>> Badajoz
>>> Imigrantes da Bessarábia - Jornada em Terras Tropicais
>>> Let's Visit Thailand
>>> The Man Who Deciphered Linear B - the Story of Michael Ventris
>>> Jean-Pierre Mocky
>>> Dialoguer Avec Son Ange - Une Voie Spirituelle Occidentale
>>> La Société de Consommation de Soi
>>> Cadernos de Lanzarote - Diário 1
>>> Marcelo Caetano - O Homem Que Perdeu a Fé
>>> A Construção da Beleza
>>> História dos Conceitos - Debates e Perspectivas
>>> Cidadania Proibida - O Caso Herzog Através da Imprensa
>>> Cleo e Daniel
>>> Children and Television
>>> Cholera and the Ecology of Vibrio Cholerae
>>> The Encyclopedia of Ancient Egypt
>>> Maravilhas do Conto de Aventuras
>>> Reproposta - a Revista da Terceira Idade para Todas as Idades
>>> Scribes, Warriors and Kings - The City of Copan and the Ancient Maya
>>> O'Neill - Long Day's Journey Into Night
>>> The Fall of Constantinople 1453
>>> Morality
>>> Collaboration in the Holocaust - Crimes of the Local Police in Belorussia and Ukraine, 1941-44
>>> Gandhara - The Memory of Afghanistan
>>> Tales, Speeches, Essays and Sketches
DIGESTIVOS

Sexta-feira, 6/10/2006
Digestivo nº 299
Julio Daio Borges

+ de 3100 Acessos
+ 2 Comentário(s)




Cinema >>> Tempos de glamour
Quem lê Ruy Castro agora em Carmen, vencedor do Jabuti de não-ficção, deve ficar se perguntando como ele pode escrever tão bem e entender tanto de cultura popular. Acontece que Ruy Castro não surgiu do nada; nem começou com Carmen. Um filme é para sempre, seu livro que acaba de sair do forno, pode ser um ponto de partida para alguns dos segredos mais bem guardados do autor da biografia da Pequena Notável. O volume, com organização de Heloisa Seixas (que passou dez anos convencendo Ruy), reúne 60 artigos sobre cinema, publicados na imprensa de 1975 pra cá. De Bob Fosse a John Wayne, passando por Jerry Lewis, Kubrick, Bete Davis e até pela Geração Paissandu – todos são objeto de escrutínio do autor de Chega de Saudade. Também James Dean, Groucho Marx, Woody Allen, Jacques Tati, Pauline Kael e mesmo Max Factor. Se considerarmos os 30 anos que o livro abarca e se considerarmos, ainda, que o biógrafo “aconteceu” de 1990 pra cá, ou seja, há coisa de 15 anos, Um filme é para sempre encerra alguns dos últimos anos de formação de Ruy Castro. Afinal, como já dizia Oscar Wilde, a crítica é a mais civilizada forma de autobiografia. O volume de pouco mais de 400 páginas, além de tratar de cinema, e além de revelar algo sobre seu autor, fica, ainda, como registro do século em que a sétima arte reinou absoluta. O cinema foi, no século XX, a “obra de arte total”. Se não foi ocupação full-time de artistas, foi paixão eterna de diletantes – e se não foi nem um nem outro, serviu de “imaginário” para gerações e gerações. O século passado que, dizem, acabou em 2001 com o atentado à Torres Gêmeas, acabou, justamente, com um ataque cinematográfico. Por razões que não cabem aqui, contudo, o cinema, como a música, como indústria, está acabando. Se você duvida, leia agora o Ruy – apure, em matéria de tela grande, como estávamos e como estamos. [Comente esta Nota]
>>> Um filme é para sempre
 



Literatura >>> Diversos instantes del reino
A Alfaguara tem um projeto reconhecível à distância. Uma iconografia de cinema nas capas; os tipos que lembram, no computador, a fonte Times New Roman; o formato mais comprido dos volumes; o papel um pouco mais grosso; e até o cheiro diferenciado. Os brasileiros tiveram um gostinho disso com a chegada da editora Planeta no Brasil – mas parece que o mercado editorial espanhol desembarcou mesmo, de verdade, com a Alfaguara. A partir da venda da editora Objetiva, para o grupo Prisa-Santillana, da Espanha, se materializaram, no País de Machado, os primeiros títulos. O carro-chefe é o novo romance de Mario Vargas Llosa: Travessuras da menina má, do alto dos 70 anos do escritor peruano. Na seqüência, chama a atenção um romance inédito de Truman Capote, Travessia de verão, na esteira do filme. Ainda, uma belíssima edição de Um retrato do artista quando jovem, de Joyce, aos cuidados da mesma tradutora festejada pelo seu trabalho em Ulisses, Bernardina da Silveira Pinheiro. E, dialogando mais amplamente com o português e com o Brasil, uma coletânea introdutória a Fernando Pessoa, com organização de Luiz Ruffato, Quando fui outro. Fora Grandes Símios, de Will Self, evocando A metamorfose, de Kafka; e Onde os velhos não têm vez, de Cormac McCarthy, o escritor norte-americano mais elogiado por Harold Bloom. Isso tudo foi só em setembro. Agora em outubro (se você for capaz de guardar): Amitav Ghosh, Roberto Pazzi, Santiago Rocangliolo, Pearl S. Buck e o primeiro autor brasileiro contratado, Carlos Heitor Cony. Com tantos ensaios, nos últimos anos, de abalar as estruturas, a Alfaguara parece a iniciativa mais consistente de todas. Qual será o impacto desse despejar de títulos de qualidade, impecavelmente bem-acabados? Nem só do mercado financeiro, no Brasil, vivem agora os espanhóis... [Comente esta Nota]
>>> Alfaguara
 



Música >>> Assai agitato
Com a venda do BankBoston para o Itaú, no Brasil, a temporada de Concertos BankBoston passou, imediatamente, a receber a denominação de Concertos Itaú Personnalité. A mudança de nome não alterou a natureza da iniciativa, felizmente, e, entre um Schubert e um Brahms, pudemos apreciar, no final de setembro agora, um Reich, com o Quarteto de Leipzig. Não o Reich da psicologia, Wilhelm, mas o Reich da música, Steve, nascido em 1936. Different Trains, para quarteto de cordas e fita magnética, é uma daquelas intrigantes peças da produção contemporânea. O autor, um traumatizado na infância pela separação dos pais, resolveu exorcizar os fantasmas dos trens que tinha de tomar, da casa do pai para a da mãe (e vice-versa), numa obra que alterna o aflitivo soar dos trilhos (através das cordas) com os anúncios do maquinista. “De Chicago a Nova York”, por exemplo, é um bordão que foi repetido à exaustão – indicando que o artista não tinha, pelo visto, particular apreço por esse trecho. Ou percorreu-o tantas vezes quanto dá a entender pelo tédio e pela exasperação, e não quer percorrê-lo nunca mais. “No meu aniversário” é outro bordão; e “naqueles vagões de gado” é um terceiro. A imprensa falou, inevitavelmente, em anti-semitismo, Holocausto e Segunda Guerra, visto que esses “acontecimentos” são centrais na composição. O primeiro movimento, aliás, é “antes da guerra”; o segundo, “durante a guerra”; e o terceiro, previsivelmente, “após a guerra”. Com tantas implicações, e subtextos, por um momento, Reich parece mais complexo que o primeiro Schubert e que o último Brahms. Talvez, contudo, não faça sentido a comparação. Schubert apareceu em bloco, com seu Quartettsatz (Quarteto de cordas nº 12 em dó menor D 703), e Brahms, com seu Quarteto nº 2 (para cordas em lá menor op. 51). O sanduíche (música, não-música, música) ilustra nossa fome de sentido. A tragédia ou a utopia é uma questão de gosto. Que o Itaú Personnalité conserve a instigante série nos próximos anos. [Comente esta Nota]
>>> Concertos Itaú Personnalité
 
>>> EVENTOS QUE O DIGESTIVO RECOMENDA



>>> Palestras
* O processo criativo na arquitetura - Apresentação do livro 'Samuel Kruchin'
Samuel Kruchin
(Seg., 09/10, 19h00, VL)

>>> Autógrafos
* Educação e Cooperação Internacional na Proteção do Meio Ambiente
- Liliana Allodi Rossit
(Sex., 06/10, 190, VL)
* Marcelino por Claudia - Claudia Matarazzo
(Ter., 10/10, 19h00, CN)
* Redução da Inadimplência no Setor da Educação
- Dorival dos Santos Machado
(Ter., 10/10, 18h30, MP)
* A Arte da Fraude - Maurício Ricardo Tinello
(Ter., 10/10, 19h30, VL)

>>> Shows
* Marcas de ayer - Adriana Mezzadri
(Sab., 07/10, 17h00, MP)
* Andarilho - Projeto B
(Dom., 08/10, 18h00, VL)

* Livraria Cultura Shopping Villa-Lobos (VL): Av. Nações Unidas, nº 4777
** Livraria Cultura Conjunto Nacional (CN): Av. Paulista, nº 2073
*** Livraria Cultura Market Place Shopping Center (MP): Av. Chucri Zaidan, nº 902
**** a Livraria Cultura é parceira do Digestivo Cultural

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
7/10/2006
14h07min
Parece que os espanhóis não estão mesmo pra brincadeira. E quem ganha são os leitores. Seja bem-vinda, Alfaguara!
[Leia outros Comentários de Julio Cesar Corrêa]
8/10/2006
20h06min
Olá, ainda não li o livro do Ruy, mas sou de uma geração que passou bons momentos diante da tela da tv assistindo clássicos no Corujão, da Globo. Alguns diriam que foram tempos alienantes e uma perda preciosa de tempo. De certa forma, é isso mesmo. O cinema tem estas possibilidades: perder ou ganhar um tempo precioso; alienar ou conscientizar. E mesmo, apenas gozar... Seja como for, não há mesmo como entender esse fascinante século XX sem o cinema. Apenas para exemplificar: quer algo mais representativo desta sociedade neoliberal do que "O corte", de Costa-Gravas?
[Leia outros Comentários de Silvia Nogueira]

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A UTOPIA ANTROPOFÁGICA
OSWALD DE ANDRADE
GLOBO
(2011)
R$ 145,00



VICENTE DE CARVALHO VIVO
CASSIANO NUNES
LEP
(1953)
R$ 60,00



MEMÓRIAS DE UM OPERADOR DE HOME BROKER
ALEXANDRE LUIZ MAZZEI DA COSTA
CIÊNCIA MODERNA
(2008)
R$ 29,00



BANDEIRANTES E PIONEIROS - PARALELO ENTRE DUAS CULTURAS
VIANNA MOOG
GLOBO
(1959)
R$ 30,00



NO LIMIAR DO TEXTO: LITERATURA E HISTÓRIA EM JOSÉ SARAMAGO
GERSON LUIZ ROANI
ANNABLUME
(2002)
R$ 9,30



TERRA À VISTA. HISTÓRIAS DE NÁUFRAGOS DA ERA DOS DESCOBRIMENTOS
EDUARDO SAN MARTIN
ARTES E OFÍCIOS
(1998)
R$ 10,00



MANGÁ HITMAN - A SEGUNDA TEMPORADA 2
HIROSHI MUTO
SAMPA ARTE / LAZER
(2012)
R$ 14,90



MORTE NA ALTA SOCIEDADE
GEORGES SIMENON
CÍRCULO DO LIVRO
R$ 7,00



DOMINGO O RABINO FICOU EM CASA - 2ª EDIÇÃO
HARRY KEMELMAN
COMPANHIA DAS LETRAS
(2002)
R$ 13,00



CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA: ENTENDENDO ESSE DESAFIO
MARIA DE FÁTIMA MINETTO
IBPEX
(2003)
R$ 19,00





busca | avançada
24629 visitas/dia
1,1 milhão/mês