Digestivo nº 331 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
84229 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Ibraíma Dafonte Tavares desvenda preparação e revisão de texto
>>> O legado de Roberto Burle Marx é tema de encontro online
>>> Sala MAS/Metrô Tiradentes - Qual é a sua Cruz?
>>> Museu de Arte Sacra de São Paulo - Imagens de ROCA e de VESTIR
>>> Mostra de Teatro de Ipatinga comemora os 15 anos do Grupo 3 de Teatro com espetáculo online
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
Últimos Posts
>>> Editora Sinna lança “Ninha, a Bolachinha”
>>> “Elise”: Lara Oliver representa Bernardina
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
>>> Clownstico de Antonio Ginco no YouTube
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Um adeus pra Vonnegut Jr
>>> Curso superior de auto-ajuda empresarial
>>> Francisco Alves, o esquecido rei da voz
>>> 14 de Março #digestivo10anos
>>> Duas formas de perder a virgindade no West End
>>> Carga mais leve para Pedro e Bino
>>> Capacidade de expressão X capacidade linguística
>>> Capacidade de expressão X capacidade linguística
>>> Boa tarde às coisas aqui em baixo
>>> Spamzines, blogs e literatura
Mais Recentes
>>> Quarto de despejo de Carolina Maria De Jesus pela Atica (2001)
>>> Che guevara por ele mesmo de Vários Autores pela Martin Claret (2005)
>>> O amor me trouxe de volta de Carol Bowman; Simone Lemberg Reisner pela Sextante (2010)
>>> Ramsés - a Batalha de Kadesh (vol. 3) de Christian Jacq pela Bertrand (1999)
>>> O Jogo do Anjo de Carlos Ruiz Zafón pela Suma de Letras (2008)
>>> O Físico - a Epopéia de um Médico Medieval de Noah Gordon pela Rocco (1988)
>>> A Dama Azul de Planeta do Brasil pela Planeta do Brasil (2009)
>>> Fort of Apocalypse - Vol. 9 de Yu Kuraishi pela Jbc (2017)
>>> Fort of Apocalypse - Vol. 4 de Mangá pela Jbc (2017)
>>> Chobits Especial - Vol. 1 de Clamp pela Jbc (2013)
>>> Comer, Rezar, Amar de Elizabeth Gilbert pela Objetiva (2008)
>>> Vida na Terra - Conhecer e Proteger de Rosicler Martins Rodrigues pela Moderna (1991)
>>> Coin Laundry Lady EAN: 9788545703730 de Hiro Kiyohara pela Jbc (2017)
>>> You on a Diet de Mehmet C Oz; Ted Spiker; Lisa Oz pela Simon & Schuster (2006)
>>> As 100 + o Guia de Estilo Que Toda Mulher Fashion Deve Ter de Nina Garcia pela Best Seller (2009)
>>> Fairy Tail - Vol. 52 EAN: 9788545701361 de Mangá pela Jbc (2013)
>>> O Paciente Número Um de Michael Palmer pela Prumo (2009)
>>> Rurouni Kenshin - Especial - versão do autor - Vol. 2 EAN: 9788545701576 de Nabuchiro Watsuki pela Jbc (2018)
>>> Chobits Especial - Vol. 2 EAN: 9788545700302 de Mangá pela Jbc (2013)
>>> Só a Gente Sabe o que Sente de Frederico Elboni pela Benvirá (2017)
>>> Estúpida, Eu? de Camila Coutinho pela Intrinseca (2019)
>>> Diário de uma garota nada popular 1 EAN: 9788576861034 de Rachel Renée Russel pela Verus (2014)
>>> O Catador de Sonhos de Geraldo Rufino pela Gente (2015)
>>> Inteligência - Representações do Cenário Internacional de Alexandre Andrade da Costa pela Paco Editorial (2019)
>>> Agência Enxuta de Natanael Oliveira pela Dvs (2018)
>>> Todas as Cores da Escuridão de Peter Robinson pela Record (2014)
>>> O Último Navio Negreiro da América de Erik Calonius pela Record (2008)
>>> Estação Infinita e Outras Estações de Ruy Espinheira Filho pela Bertrand Brasil (2012)
>>> O Senhor do Lado Esquerdo de Alberto Mussa pela Record (2011)
>>> Vampiratas - Império da Noite de Justin Somper pela Galera (2012)
>>> Vampiratas - Coração Negro de Justin Somper pela Galera (2010)
>>> Vida Assistida de Tess Gerritsen pela Record (2012)
>>> O Filho-presente de Kabouna Keita pela Bertrand Brasil (2008)
>>> Tenho uma Ideia de Roger Von Oech pela Best Seller (2011)
>>> Tríptico Astrológico de Dane Rudhyar pela Pensamento (1989)
>>> Ayahuasca - Alucinógenos, Consciência e o Espírito da Natureza de Ralph Metzner pela Gryphus (2002)
>>> A sabedoria nossa de cada dia de Augusto Cury pela Sextante (2007)
>>> Íntimo e Perigoso de Linda Howard pela Bertrand Brasil (2010)
>>> Mãos de Luz de Barbara Ann Brennan pela Pensamento (1996)
>>> O Segredo de Shambhala de James Redfield pela Objetiva (2000)
>>> A Vida nos Sonhos de David Fontana pela Record Nova Era (1994)
>>> Veterano? de Ismael Gomes Braga pela Kultura Kooperativo de Esperantistoj (1965)
>>> Filhos brilhantes alunos fascinantes de Agusto Cury pela Academia de Inteligência (2006)
>>> Além do Cordão de Prata, Labirinto dos Sonhos de Patrícia Fernandez pela Travassos (2015)
>>> Leasing Operacional de Carlos Alberto Di Augustini e Outro pela Fgv (2001)
>>> Tarô - a Sua Sorte de Nova Cultural pela Nova Cultural (1985)
>>> Palingênese, a Grande Lei - Reencarnação de Jorge Andréa pela Espírita V. F. Lorenz (1990)
>>> Pais brilhantes professores fascinantes de Agusto Cury pela Sextante (2003)
>>> Uma Questão de Confiança de Robin Pilcher pela Bertrand Brasil (2011)
>>> Deixe o Grande Mundo Girar de Colum Mccann pela Record (2010)
DIGESTIVOS

Sexta-feira, 1/6/2007
Digestivo nº 331
Julio Daio Borges

+ de 2300 Acessos




Literatura >>> Como se nunca mais fosse tocar de novo
Kind of Blue talvez esteja na discoteca básica de jazz de todo mundo, mas quase ninguém hoje sabe explicar sua importância. Uma grande chance para os incautos que passam a informação mas não conhecem a história por trás dela é o livro Kind of Blue – A história da obra-prima de Miles Davis, escrito por Ashley Kahn e lançado, no Brasil, pela editora Barracuda. Kahn pega o leitor pela mão e o conduz desde o encontro de Davis com Charlie Parker, passando pelo hard bop, estourando no cool jazz (de Birth of the Cool), até a consagração do jazz modal de Kind of Blue (e sua repercussão). Além da reconstituição dessa trajetória musical, no meio do século passado, um ponto forte da obra é reconstituir, uma a uma, as sessões de gravação de Kind of Blue, desde as falas dos técnicos até os relançamentos (com extras), mais de quarenta anos depois, passando pelo texto seminal de Bill Evans (na contracapa), pelas declarações autobiográficas de Miles (nos seus últimos anos) e por aspectos de estúdio aparentemente obsoletos mas fundamentais na sonoridade do álbum. A principal constatação, para quem atravessa essa saga, é que o jazz não tem como ser o que foi naquele então. O jazz nos anos 50 era a música popular, assim como a bossa nova, no Brasil, nunca mais será a mesma que foi final dos 50, início dos 60, em matéria de hegemonia. Mal comparando com os artistas de hoje, que lançam o mesmo disco de estúdio a cada dois anos, parece improvável que gente como Davis, Coltrane, Evans e Cannonball andasse sobre a Terra, reinventando a própria linguagem a cada performance. Observando o panorama atual, do pop, salvo raríssimas exceções, ficamos congelados nas invenções dos Beatles – e o jazz do presente terminou preso a uma exumação perpétua de monstros como os que criaram Kind of Blue. Nas entrelinhas da exaustiva pesquisa de Ashley Kahn, podemos ler que o tempo da grande música popular, dessa grande música pelo menos, já passou. Ainda bem que alguém gravou. [1 Comentário(s)]
>>> Kind of Blue – A história da obra-prima de Miles Davis
 



Além do Mais >>> Orra, meu
Rita Lee sempre esteve no meio do caminho entre o rock e a música brasileira, então não é estranho que agora ela pule de uma major do disco para a gravadora Biscoito Fino. Seu primeiro lançamento na nova casa é a caixa de DVDs Biograffiti, no embalo de boxes como o de Tom Jobim (da mesma BF) e Elis Regina. Alternando-se entre depoimentos e performances – a aparente receita do atual sucesso em DVD –, Biograffiti tem seus melhores momentos em imagens de arquivo, como no caso de Elis e Tom, às vezes em algumas declarações de Rita, de repente em um ou outro show recente e em inéditas razoáveis como “Tão” (dedicada a Rosinha Garotinho?). Do arquivo, constam: “Panis et Circenses”, com os Mutantes na TV Cultura (já disponível no YouTube, bem como outros vídeos da mesma apresentação); o dueto com João Gilberto, na TV Globo, num momento de docilidade em que o próprio João provavelmente não se reconhece mais; e o dueto com Elis, que a havia apoiado na época da prisão – Rita conta –, mas que entra na canção mais pela farra. Das declarações: entre piadas da compositora, amores como Roberto de Carvalho e boas sacadas sobre a condição da mulher, sobressai a história de expulsão dos Mutantes (que talvez justifique sua resistência em reunir-se com eles hoje), a declaração torta de Tom Zé nos extras (que começa, logicamente, xingando) e, por incrível que pareça, o testemunho grisalho e manso de Caetano Veloso (associando a homenageada à sofisticação maior do rock inglês). Preenchendo essas cenas que caberiam todas num único DVD – quando, na caixa, são três – canções de turnês de Rita Lee no fim do século XX, início do XXI, na era “Beto Lee” da banda. Como no caso de Elis e de Tom, mais uma vez, o arranjo de Biograffiti não tem a profundidade (nem o fio condutor) de um documentário sobre a artista, mas promete horas interessantes para os fãs. Numa época de fartura midiática, em que a edição passou para as mãos do consumidor, até a indústria fonográfica aderiu à moda de despejar cada vez mais material bruto, e fartas sobras de estúdio, nas mãos de melômanos. [Comente esta Nota]
>>> Biograffiti
 



Música >>> Espiral
Provavelmente a música brasileira instrumental mais interessante do momento está sendo composta, lançada e tocada por Léa Freire e seus parceiros, através da gravadora Maritaca. Em meados de maio, tivemos mais uma prova disso, com Naná Vasconcelos na platéia e Paulo Bellinati no palco, no lançamento de Cartas Brasileiras no Auditório Ibirapuera. Com o despojamento da velha roqueira que um dia foi, Léa comandou o espetáculo, organizando a entrada e saída dos músicos, dividindo a direção com o maestro Gil Jardim, pois aquelas três noites, especialíssimas, iriam parar num DVD ao vivo que, neste momento, deve estar no forno... O repertório, como o CD homônimo, era inédito, mas tão bem amarrado, concebido e realizado, comunicando-se com seu tempo, que soava, aos ouvidos do público, de uma familiaridade estonteante. Léa é, em resumo, a pessoa certa, no lugar certo, na hora certa. Cartas Brasileiras, o disco, tem direção musical de Teco Cardoso, e é incrível como pioneiros à sua maneira, aliás como o próprio Benjamin Taubkin, seu Núcleo Contemporâneo, e a Orquestra Popular de Câmara (OPC), estão encontrando eco, neste novo teatro, como se, de repente, sua música fizesse mais sentido e fosse finalmente assimilada. Cartas Brasileiras, o show, teria Mônica Salmaso, que, na ocasião, estava grávidíssima – e que é a ponta de lança, mais mainstream, desse grupo de músicos que vinha experimentando há anos e que está atualmente se consagrando. Cartas Brasileiras, o disco (de novo), como os registros em estúdio da OPC, não tem aqueles vazios que músicos populares às vezes deixam, quando transpõem suas peças para o universo da orquestração. Fica nítido que, faixa a faixa, foi escrito na pauta, pois é consistente no uso da orquestra, dos solistas e do espaço que reserva ao maestro. Léa Freire é uma das locomotivas por trás desse movimento. Que inspire jovens músicos, hoje cheios de interrogações. [Comente esta Nota]
>>> Cartas Brasileiras
 

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Planeta Índia: a ascensão turbulenta de uma nova potência global.
Mira Kamdar
Agir
(2008)
R$ 10,00



Cinquenta Tons de Cinza
E L James; Adalgisa Campos da Silva
Intrinseca
(2012)
R$ 10,00



Reconstrução histórica da fonoaudiologia no Rio Grande do Sul
Marlene Canarim Danesi e Zulmira Osorio Martinez orgs.
Imec
(2001)
R$ 10,00



O Valor da Verdade Entre a Ignorância e a Iluminação
Hsing Yun
Escrituras
(2006)
R$ 10,00



Os melhores Contos de Aníbal Machado
Aníbal Machado
Global
(1984)
R$ 10,00



A Inevitável História De Letícia Dinis
Marcelo Pedreira
Nova Fronteira
(2006)
R$ 10,00



Pregão Presencial e Eletrônico Manual de Implantação - 9142
Jair Eduardo Santana
Fórum
(2008)
R$ 10,00



Ele Simplesmente Não Está a Fim de Você - Entenda os Homens
Greg Behrendt; Liz Tuccillo
Rocco
(2005)
R$ 10,00



Biologia 1
César da Silva Sezar Sasson et al
Saraiva
(2013)
R$ 10,00



Gramática Essencial da Língua Portuguesa
Luiz Antonio Sacconi
Atual
R$ 10,00





busca | avançada
84229 visitas/dia
2,4 milhões/mês