Digestivo nº 344 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
71602 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> 7ª edição do Fest Rio Judaico acontece no domingo (16 de junho)
>>> Instituto SYN realiza 4ª edição da campanha de arrecadação de agasalhos no RJ
>>> O futuro da inteligência artificial: romance do escritor paranaense Roger Dörl, radicado em Brasília
>>> Cursos de férias: São Paulo Escola De Dança abre inscrições para extensão cultural
>>> Doc 'Sin Embargo, uma Utopia' maestro Kleber Mazziero em Cuba
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
Últimos Posts
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Meu cinema em 2010 ― 1/2
>>> Paulo Francis não morreu
>>> Levy Fidelix sobre o LGBT
>>> Adaptação: direito ou dever da criança?
>>> Bienal 2006: fracasso da anti-arte engajada
>>> Monteiro Lobato, a eugenia e o preconceito
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> A quem interessa uma sociedade alienada?
>>> E-mail (devassado) para meu filho
Mais Recentes
>>> Mulher-Maravilha 48 de Mariko Tamaki pela Panini (2021)
>>> Mulher-Maravilha 3/53 de Conrad; Cloonan pela Panini Comics (2022)
>>> Superman - Ano dos Vilões 15 de Brian Michael Bendis pela Panini (2020)
>>> Universo Marvel - O indestrutível Hulk 004 de Mark Waid pela Panini (2013)
>>> A Saga da Mulher Maravilha - Vol. 2 de John Byrne pela Panini Comics (2024)
>>> Batman Especial - Vilões de Gotham de Danny Devito pela Panini Comics (2022)
>>> A Saga da Mulher Maravilha Vol 1 de John Byrne pela Panini (2024)
>>> Perigo no Hospital de Mary Higgins Clark pela Record
>>> Contrato de Risco de Thomas Palmer pela Record (1983)
>>> As Cinco Pessoas Que Voce Encontra No Ceu de Mitch Albom pela Sextante (2004)
>>> A Soma De Todos Os Medos de Tom Clancy pela Record (1993)
>>> Mulheres Que Atraem Os Homens E Mulheres Que Os Afastam de Connell Cowan pela Rocco (1999)
>>> O Meu Pé de Laranja Lima (bolso) de José Mauro de Vasconcelos pela Melhoramentos (1993)
>>> Os Chacras de Peter Rendel pela Ediouro (1987)
>>> Invenção da Cidade: Brasília 2ª edição. de Clemente Luz pela Record (1980)
>>> Merlin. Fogo Da Fúria - Livro 3 de T. A. Barron pela Galera Record (2015)
>>> Merlin. As Sete Canções - Livro 2 de T. A. Barron pela Galera Record (2014)
>>> Merlin: Os Anos Perdidos - Livro 1 de T. A. Barron pela Galera (2013)
>>> A Arte de Educar de Flávio Gikovate pela Nova Didática (2001)
>>> Resgatado Pelo Amor de Nora Roberts pela Bertrand Brasil (2007)
>>> Laços De Fogo - Trilogia Da Fraternidade - Vol. 1 de Nora Roberts pela Bertrand Brasil (2008)
>>> Lacos De Pecado - Trilogia Da Fraternidade - Vol. 3 de Nora Roberts pela Bertrand (2008)
>>> Rosa Negra - Trilogia Das Flores - Vol. 2 de Nora Roberts pela Bertrand (2012)
>>> Resgatado Pelo Amor de Nora Roberts pela Bertrand Brasil (2010)
>>> Dalia Azul - Trilogia Das Flores - Vol. 1 de Nora Roberts pela Bertrand (2012)
DIGESTIVOS

Sexta-feira, 14/9/2007
Digestivo nº 344
Julio Daio Borges
+ de 2500 Acessos




Literatura >>> Tarde, de Paulo Henriques Britto
Paulo Henriques Britto abafou na Flip 2005. Levou a nocaute dois "poetas" que participavam da sua mesa e saiu ovacionado, e até um pouco constrangido, de Parati. Paulo Henriques Britto se consagrou como tradutor, mas sua poesia ganhou impulso na Companhia das Letras, a ponto de lhe conceder um Portugal Telecom, de valor polpudo, em 2004. Paulo Henriques Britto lançou ainda um duvidoso livro de contos, Paraísos Artificiais (2004) - que os amigos cobriram de elogios, como é praxe no Brasil -, e, agora em 2007, retorna à poesia com Tarde. O primeiro poema é brilhante e a orelha anuncia que Paulo Henriques Britto vai se direcionar à modernidade poética. Naquela Flip, foi chamado de "erudito", por ser simplesmente bom e, no Rascunho, talvez para contrastar, fez questão de elogiar "letristas" como Bob Dylan. Tarde, portanto, é uma tentativa de combinar o rigor técnico de sempre (considerado erudito por quem não lê) com o "baixo", em Drummond e em outros grandes do século XX, como Pessoa e Bandeira. Reunindo uma produção que estava relativamente dispersa em publicações, revistas etc., Tarde parece, ainda, um esforço de "popularizar" Paulo Henriques Britto, retirando-o da atemporalidade de sua produção anterior, encaixando-o na mundanidade dos cadernos e suplementos em geral. Se, como tradutor, o poeta poderia desovar seus livros em intervalos de 6 a 7 anos, agora, com algum reconhecimento literário (e um prêmio pesando nas costas), o autor se vê instado a lançar algo no mercado anual ou bienalmente. Se for uma estratégia, não é a melhor. Tarde ainda vale, mas ninguém pode prever, nesse ritmo, o que virá... [Comente esta Nota]
>>> Tarde
 



Cinema >>> 1972, o filme
Ana Maria Bahiana vinha anunciando de boca cheia seu longa com José Emílio Rondeau – e, realmente, 1972 é uma beleza de filme. Agora como corajosos empreendedores da sétima arte, os dois transformam em película aquela época do Rio em que rock e jornalismo podiam compor todo um estilo de vida. 1972 é, por afinidades eletivas, aparentado de Quase Famosos, de Cameron Crowe – onde o próprio diretor, quando garoto, galga os degraus da crítica de música rock, enquanto embarca no sonho de se tornar amigo de seu ídolo e descobrir o amor. 1972 conserva o mesmo clima idílico, mas parte, naturalmente, das vivências da própria Ana Maria, que participou da mítica redação da primeira Rolling Stone brasuca (com Ezequiel Neves no comando), para onde o leitor José Emílio escrevia insistentemente enviando sugestões... Na história de 1972, Júlia quer ser jornalista e cobrir rock, enquanto que Snoopy quer simplesmente “acontecer” com sua banda, o Vide Bula. O destino os aproxima e é bom para eles, unindo Zona Norte e Zona Sul, temperando com o desejo de liberdade e, ao mesmo tempo, a ditadura militar. Embora dê uma aula de música brasileira na trilha sonora, 1972 não traz à baila “teses” novas, não pretende passar a História do Brasil a limpo, nem resgatar um grande personagem esquecido... 1972 mostra – como Quase Famosos – que, apesar de guerras, ditaduras, terrorismo ou censura, era possível amar e ser feliz, acreditar num ideal e viver uma história de sonho. Nenhuma juventude consegue ser perfeita sem um pouco disso tudo. [Comente esta Nota]
>>> 1972
 

Celine Imbert por Roberto Wagner


Música >>> Berio+
Os SESCs, já se falou, são as verdadeiras secretarias da cultura no Brasil de hoje. Sem cair no populismo das ações do governo federal, os SESCs promovem mudanças sociais efetivas mas também apostam na qualidade – atraindo, para suas atividades, todas as classes, desde as mais baixas (que precisam de formação) até as mais altas (que precisam de cultura). Os SESCs, ao contrário das secretarias, não estão sujeitos às alternâncias de mandato, nem às manobras eleitoreiras (nem mesmo à propaganda oficial) – servem melhor a quem se deve, ou seja, à sociedade. Por conta de uma ligação conseqüentemente exemplar com a música, o Selo Sesc é hoje referência no assunto e acaba de estender seu alcance para o universo da música clássica – com Berio+, uma realização da mezzosoprano Celine Imbert, ao lado do Percorso Ensemble, sob direção de Ricardo Bologna. Como o próprio título indica, o álbum reúne as primeiras gravações das Folk Songs, de Luciano Berio, por intérpretes brasileiros, mais baladas de Eduardo Guimarães Álvares, mais canções de Arrigo Barnabé. Berio+, por sua natureza, é ousado no registro da música erudita contemporânea, justamente quando, por determinação do conhecido compositor italiano, ela remota seu contato com as raízes populares, com o reino da forma-canção e com o então saudoso público. Não é uma “volta às origens” fácil para o ouvinte – uma vez que, na aurora do século XXI, muita gente não acompanhou essa viagem. Mas o exercício de sensibilidade é importante – e Berio+ nos ajuda a entender o que houve. Se o Selo Sesc continuar assim, tão edificante, estará preenchendo mais uma lacuna cultural histórica. [Comente esta Nota]
>>> Berio+
 
>>> EVENTOS QUE O DIGESTIVO RECOMENDA



>>> Noites de Autógrafos
* Pirapato - o menino sem alma - Chico Anes
(Qui., 13/09, 19h00, MP)
* Missão Terra - Wladimir Ballesteros
(Sex., 14/09, 18h30, CN)

>>> Shows
* Traditional Jazz Band
(Sex., 14/09, 20h00, VL)
* Banda Liverpool
(Sáb., 15/09, 19h00, VL)

* Livraria Cultura Shopping Villa-Lobos (VL): Av. Nações Unidas, nº 4777
** Livraria Cultura Conjunto Nacional (CN): Av. Paulista, nº 2073
*** Livraria Cultura Market Place Shopping Center (MP): Av. Chucri Zaidan, nº 902
**** a Livraria Cultura é parceira do Digestivo Cultural

 
Julio Daio Borges
Editor
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Livro Biografias O Berço de Bambu a História de um Pai Judeu
Avraham Sehwartzhaum
Colel
(1994)



Livro Contos A Pressa dos Mortos
Neir Ilelis
Noovha America
(2002)



Livro Literatura Estrangeira Mercado Sombrio O Cibercrime e Você
Misha Glenny
Cia das Letras
(2011)



Os Pensadores: Nietzsche Volume II - VIDA E OBRA
Friedrich Wilhelm Nietzsche (1844-1900)
Nova Cultural
(1987)



Livro de Filosofia Da certeza Edição Bilingue Biblioteca de Filosofia Contemporânea
Ludwig Wittgenstein
Edições 70
(1969)



Encontros e Desencontros em Educação Infantil
Maria Lucia de A. Machado
Cortez
(2008)



Building Private Pension Systems - A Handbook
Yves Guérard; Glenn Jenkins
Ics Press
(1993)



Nomes de Bebês de Todo o Mundo
Connie Lockhart Ellefson
Ediouro
(1993)



Ah, Se Eu Fosse Presidente (lacrado)
Sidney Rezende
Alta Books
(2015)



Mecânica Vetorial para Engenheiros Estática 1 522
Ferdinand P. Beer
Mcgraw Hill
(1980)





busca | avançada
71602 visitas/dia
2,3 milhões/mês