Digestivo nº 381 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
81347 visitas/dia
2,7 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Exposição virtual 'Linha de voo', de Antônio Augusto Bueno e Bebeto Alves
>>> MAB FAAP seleciona artista para exposição de 2022
>>> MIRADAS AGROECOLÓGICAS - COMIDA MANIFESTO
>>> Editora PAULUS apresenta 2ª ed. de 'Psicologia Profunda e Nova Ética', de Erich Neumann
>>> 1ª Mostra e Seminário A Arte da Coreografia de 17 a 20 de junho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
Colunistas
Últimos Posts
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
>>> Fernando Cirne sobre o e-commerce no pós-pandemia
>>> André Barcinski por Gastão Moreira
>>> Massari no Music Thunder Vision
>>> 1984 por Fabio Massari
>>> André Jakurski sobre o pós-pandemia
>>> Carteiros do Condado
>>> Max, Iggor e Gastão
Últimos Posts
>>> A lei natural da vida
>>> Sem voz, sem vez
>>> Entre viver e morrer
>>> Desnudo
>>> Perfume
>>> Maio Cultural recebe “Uma História para Elise”
>>> Ninguém merece estar num Grupo de WhatsApp
>>> Izilda e Zoroastro enfrentam o postinho de saúde
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Gullar no Ofício
>>> Qualidade de vida
>>> A excelência do espírito
>>> O paulistano cordial
>>> É possível conquistar alguém pela escrita?
>>> Ensaio.Hamlet e a arte de se desconstruir quimeras
>>> John Fante: literatura como heroína e jazz
>>> Imprensa em 2002
>>> Oswald de Andrade e o homem cordial
>>> Computadores, iPads e colheres de pau
Mais Recentes
>>> Arte brasileira de Circulo do Livro pela Circulo do Livro (1988)
>>> Galeria Nacional - Londres de Enciclopédia dos Museus pela Melhoramentos (1969)
>>> The Bolshoi Ballet de Yuri Slonimsky pela Foreign (1990)
>>> Gênios da Pintura: Veronese 21 de Luís Carta e Outros pela Abril Cultural (1967)
>>> Frank Lloyd Wright - Volume 1 de Gianluca Gelmini pela Folha de São Paulo (2011)
>>> Censo Cultural - São Paulo 1990 : Interior e Litoral de Secretaria de Estado da Cultura pela sec de Estado da Cultura (1990)
>>> 1000 Desenhos para quem não sabe desenhar - um verdadeiro dicionário de desenhos de Jean Arestein pela Ediouro grupo coquetel (1989)
>>> Madeira : Raiz do Brasil de Renato Brunello pela Caixa Cultural (2003)
>>> O Chamado da Floresta de Jack London pela Atica (1995)
>>> Que Azar, Godofredo! de Alexandre Azevedo pela Atual (1989)
>>> Dingono, o Pigmeu de Rogério Andrade Barbosa pela Melhoramentos (1997)
>>> É Difícil de Entender, Vô! de Nelson Albissú pela Atual (1993)
>>> The World God Made de Alyce Bergey pela Arch (1965)
>>> The True Story of Romeo and Juliet Stage 4 de Eduardo Amos pela Moderna (1997)
>>> Alfabetto - Autobiografia Escolar de Betto pela Atica (2002)
>>> O Portão Vermelho Romance Duma Terra Distante de Lin Yutang pela Pongetti (1958)
>>> Hidroterapia e Outros Tratamentos Naturais de Antônio Natanael de Paiva pela Casa (2003)
>>> Aventura na Serra do Mar de Fernando José de Souza pela Casa Publicadora Brasileira (1905)
>>> 24 Estudos de Execução Fácil para Piano de Pozzoli pela Ricordi (2000)
>>> Hanon o Pianista Virtuoso de A Schott pela Ricordi (1984)
>>> Sete Povos das Missoes de Walter Vetillo; Eduardo Vetillo pela Cortez (2012)
>>> Iniciação ao Violão Volume II de Henrique Pinto pela Ricordi (2000)
>>> Grandes Compositores e Suas Histórias de Hannelore Bucher pela Bucher (2004)
>>> Exercícios de Teoria Elementar da Música de Osvaldo Lacerda pela Ricordi (2000)
>>> A Técnica Diária do Pianista de E. Pozzoli pela Ricordi (2000)
DIGESTIVOS

Sexta-feira, 12/9/2008
Digestivo nº 381
Julio Daio Borges

+ de 1200 Acessos




Cinema >>> O Sonho de Cassandra, de Woody Allen
A crítica ficou em cima do muro, ao avaliar O Sonho de Cassandra, último lançamento de Woody Allen (agora em DVD). De fato, o filme explora um pouco da estrutura já utilizada em Crimes e Pecados (1989) e em Match Point (2005), mas o desfecho, para os protagonistas, é mais trágico. Ewan McGregor (Guerra nas Estrelas) e Colin Farrell (Alexandre) são dois "perdedores" — como eles mesmos se definem — com dívidas ou sonhos de investimentos além de suas posses, mas com um tio bem-sucedido, Tom Wilkinson, que promete remediá-los socialmente. Em troca, porém, o tio exige, dos sobrinhos, que cometam um crime. Depois de se chocar, e relutar um pouco, aceitam, e terminam por realizar um serviço bem feito (sem deixar pistas). Um deles, contudo, jamais supera a culpa, deixando-se consumir por ela até o desfecho fatal. Admirador confesso de Dostoievski, Woody Allen já havia emulado Crime e Castigo (1866) em Crimes e Pecados; agora, no entanto, preferiu dividir Raskolnikov em dois e, na luta para entregar-se ou não à polícia, condená-lo(s), mais do que à prisão na Sibéria, à pena capital. E, se em Match Point uma história de amor precisa ser ocultada, por ser socialmente inconveniente, em O Sonho de Cassandra o pecado está em negócios ilícitos, um tema menos glamoroso e sem apelo para assalariados em forma de platéia. O longa, apesar da incompreensão da audiência, tem o seu charme, numa Londres igualmente contemporânea; vale pela trilha sonora eficientíssima de Philip Glass e pela reabilitação de McGregor; poderia, ainda, consolidar uma linha de "fitas de máfia", na prolífica carreira de Allen, mais convincente até — nas suas tentativas de ser sério — do que os pastiches de Bergman. Septuagenário, contudo, o realizador não tem mais tempo para descobrir, finalmente, se a tragédia pode ser mais profunda — e mais "obra-de-arte" — que a comédia. O Sonho de Cassandra, portanto, merece ser visto; pois, mais uma vez, esboçou esse enunciado; menos inocentemente que da última vez, em Melinda e Melinda (2004). [Comente esta Nota]
>>> O Sonho de Cassandra
 



Música >>> Orquestra do Estado de Mato Grosso em DVD
Depois de John Neschling (Osesp) e Roberto Minczuk (hoje OSB), o maestro-realizador dos últimos tempos tem sido Leandro Carvalho, que montou, desde meados dos anos 2000, a Orquestra do Estado de Mato Grosso. Em vez de continuar sua bem-sucedida carreira de violonista no roteiro das grandes capitais, no Brasil e no mundo, Leandro preferiu ser "empreendedor desbravador" (nas suas próprias palavras), estruturando uma orquestra num estado que não tinha uma e estabelecendo uma programação de concertos numa região que nunca viu isso, o chamado Brasil Central. Desde então, no dizer de Maurício Pereira (ex-Mulheres Negras), Leandro e a Orquestra do Estado de Mato Grosso vêm, realmente, "fabricando músicos e públicos". Com séries desde os Concertos Oficiais, de repertório universal, até Concertos Didáticos, para a formação de novas platéias nas escolas, a Orquestra vem percorrendo o estado nestes anos com Concertos Populares, levando o público do "mistério" ao "encantamento", passando pela "curiosidade" e pela "fascinação", conforme conta o próprio maestro. Depois de "importar" solistas como David Gardner (da Inglaterra), Leandro conseguiu introduzir até as lendárias violas de cocho e estabelecer um diálogo pra lá de harmonioso entre a tradição da música clássica e o regionalismo popular do Mato Grosso. Como se não bastasse, a Orquestra se alia ao Projeto Ciranda, onde cada músico contratado fornece 300 horas de aulas gratuitas para os principais talentos da população, culminando na Orquestra Jovem, que garantirá, pelas próximas décadas, a continuidade do trabalho. Não é exagero, efetivamente, falar numa "nova realidade" para o Mato Grosso. Esta e outras histórias de visão, talento e consagração podem ser encontradas no DVD que a Orquestra acaba de lançar, via Toca Brasil, do Itaú Cultural. Nele, ainda, está o registro do concerto emocionante que Leandro regeu em São Paulo, no ano passado. [Comente esta Nota]
>>> Orquestra do Estado de Mato Grosso em DVD
 



Além do Mais >>> Pousada Bromélias em Parati
Com dez anos de história — muito antes, portanto, do deslumbramento em torno da Flip —, a Pousada Bromélias é a melhor opção para quem quer passar uma temporada em pleno seio da Mata Atlântica, a 20 minutos do centro histórico de Parati. Ainda que a proposta seja relaxar e "reativar as energias", num ambiente de "paz e tranqüilidade" (como diz o site), a Bromélias é uma das pousadas mais completas da região, ao mesmo tempo em que é totalmente integrada à natureza e proporciona uma experiência bastante exclusiva. Dividida, grosso modo, em três níveis, a Bromélias garante o isolamento necessário dos bangalôs, enquanto oferece um restaurante com piscina e lounge, e, ainda, uma quadra de tênis, com cachoeira, piscinas naturais e "espaço bem-estar", onde acontecem massagens aromaterapêuticas, tratamentos corporais, sessões de sauna e — se esse for o espírito — de fitness. Numa área de 500 mil metros quadrados, entre a Prainha e a Praia de São Gonçalo, são apenas dez bangalôs na Bromélias, mais de 150 espécies de aves, um restaurante artesanal, incluindo opções vegetarianas (fora o revigorante café-da-manhã), e uma variedade de massagens e tratamentos como shiatsu, seitai, terapia das pedras quentes, esfoliação, drenagem linfática e banho de ofurô. Como se não bastasse toda a estrutura e suas possibilidades, brilha, na Bromélias, o elemento humano, graças a ótimos profissionais, a um atendimento especial e à simpatia que vem desde os proprietários, Ari e Célia Dumbrovsky, que, quando estão por perto, podem proporcionar, além de tudo, prazerosas horas de conversa, versando desde a história da pousada até sua mudança para Parati direto da Vila Madalena, em São Paulo. Se a hotelaria no Brasil às vezes parece vulgarizada, e se o frisson da Flip em Parati muitas vezes não combina com o espírito da região, a Pousada Bromélias vem resgatar o charme e o clima perdidos, proporcionando momentos, realmente, inesquecíveis, num cenário, efetivamente, exuberante, sem esquecer nunca do lado humano. [Comente esta Nota]
>>> Pousada Bromélias
 

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Lições de Princesa
Meg Cabot
Galera Record
(2008)



O Bonde e a Linha - um Perfil de J. Carlos
Cássio Loredano
Capivara
(2002)



Exploring the Earth and the Cosmos
Isaac Asimov (capa Dura)
Crown Publishers
(1982)



Assistência Jurídica no Processo Penal: Garantia para a Efetivida
Berenice Maria Giannella
Revista dos Tribunais
(2002)



A Cor da Poesia
Gladis Lacerda
Oficina
(2001)



Pierre Verger - Fotografias para Não Esquecer
Roberto Linsker - Pierre Verger
Terra Virgem
(2009)



Grupos y Sociedad: Iniciacion a La Psicosociologia de los Grupos
Michel Cornation
Tiempo Nuevo (caracas)
(1969)



Le Jardin Dacclimatation
Yves Navarre
Flammarion
(1980)



As Equilibristas
Bruna Gasgon
Jardim dos Livros
(2012)



Minha gravidez dia a dia - 365 dias de um ano muito especial
demian sterman ; mariano rozenberg
Vergara & Riba
(2013)





busca | avançada
81347 visitas/dia
2,7 milhões/mês