Digestivo nº 385 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
68942 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Edital Retomada Cultural apresenta Conexão Brasil-Portugal: podcast produzido pelo Coletivo Corpos p
>>> CANTORA E ATRIZ SANDRA PÊRA NO SESC BELENZINHO
>>> TDEZESSEIS
>>> Curso de direção de palco é gratuito nos dias 16 e 17/12
>>> Ultima apresentação da peça (A) Dor (A)
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
>>> Sem chance
>>> Imcomparável
>>> Saudade indomável
>>> Às avessas
>>> Amigo do tempo
>>> Desapega, só um pouquinho.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Baiano bom de prosa
>>> Lost: Mistérios sem Solução
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Meu 16 de Agosto
>>> André Mehmari, um perfil
>>> O profeta da aldeia global
>>> Ecos Musicais
>>> Eu sou a favor do impeachment, mas eu acho triste
>>> E cá já moiro por vós
>>> Cultura do livro digital?
Mais Recentes
>>> A Vendeta Seguido de a Paz Conjugal de Honoré de Balzac pela LPM Pocket (2006)
>>> Dicionário Houaiss Sinônimos e Antônimos de Antonio Houaiss pela Publifolha (2008)
>>> A Eucaristia de Secretária Geral do Sínodo dos Bispos pela Paulinas (2005)
>>> Escritos y Confesiones de Richard Wagner pela Labor (1975)
>>> Poliedro 2004 Coleção Completa de André Oliveira de Guadalupe pela Poliedro (2004)
>>> Revolução Francesa 2 de Max Gallo pela LPM Pocket (2012)
>>> Situação da arte moderna de Jean Cassou pela Europa-América (1965)
>>> The waves de Virginia Woolf pela Penguin books (2000)
>>> The Adulterous Woman de Albert Camus pela Penguin Books (2011)
>>> Die Dunkle Seite des Mondes de Martin Suter pela Diogenes (2000)
>>> Sobre Fibras e Gente de Bruno Fernandes / Chico Barbosa pela Sextante (2015)
>>> Programa de Ciência Exitus Enciclopédia Ilustrada 11 volumes de Mirador Internacional pela Mirador (1971)
>>> Introducción al personalismo actual de C Díaz y M Maceiras pela Gredos (1975)
>>> O Hobbit de J. R. R. Tolkien pela Martins Fontes (2017)
>>> Desenvolvimento Local Sustentável de Denise Kronemberger pela Senac (2011)
>>> o Anticristo de Friedrich Nietzsche pela Camões Guimarães (1978)
>>> A Mágica da Arrumação de Marie Kondo pela Sextante (2015)
>>> A Mágica da Arrumação de Marie Kondo pela Sextante (2015)
>>> A Mágica da Arrumação de Marie Kondo pela Sextante (2015)
>>> O Japão Dos Brasileiros de Ziraldo Alves Pinto pela Global (2008)
>>> Ich Träume Deutsch de Nilgün Tasman pela Herder (2011)
>>> Mandado de Segurança e Ações Constitucionais de Hely Lopes Meirelles e Outros pela Malheiros (1990)
>>> A revolução educacional cubana de Arthur Gillette pela Moraes (1977)
>>> História de la filosofia - La Filosofia Griega Vol 2 de Brice Parain pela Siglo Veintiuno (1972)
>>> Mozart de Peter Gay pela Penguin Books (1999)
DIGESTIVOS

Sexta-feira, 17/10/2008
Digestivo nº 385
Julio Daio Borges

+ de 2100 Acessos




Imprensa >>> Piauí 2 Anos
Ainda que o baú da família Moreira Salles não tenha fundo, e ainda que eles sejam competentíssimos em suas iniciativas artísticas, o jornalismo cultural brasileiro, sobretudo o impresso, não tem mais desculpa para suas mazelas "incuráveis", afinal a revista Piauí completa dois anos agora em outubro. Tudo bem que a publicação fugiu o quanto pôde do rótulo ("jornalismo cultural"), mas é isso o que ela faz — pois, se continua muito próxima do modelo da New Yorker, uma das melhores do mundo (qual o problema?), sua inspiração, norte-americana, nunca negou a afinidade com a cultura, e com o jornalismo ligado às artes. Discussões sobre editorias à parte, a Piauí continua dando um banho nas antigas revistas culturais mensais, em papel, e, principalmente, continua humilhando os cadernos diários dos jornais e as pífias seções de "artes e espetáculos" das semanais brasileiras. Quem torceu contra — como quem torceu contra a internet —, caiu do cavalo, pois Piauí continua a mais bem escrita, a de melhores reportagens e perfis, e quase a única que respeita a inteligência do leitor. Ainda que tenha seu sistema de assinaturas vinculado ao Grupo Abril, Piauí conseguiu manter a independência, não se rendeu a um mero colunismo social de personalidades "culturais" e, portanto, tem força para criticar unanimidades que desfilam altivas desde a Caras até os textos dos jornalistas ditos "sérios". A torcida é para que, mesmo com a saída anunciada de João Moreira Salles em algum momento, Piauí continue como uma ilha nas bancas de jornal, valendo cada centavo do seu preço de capa. [1 Comentário(s)]
>>> Piauí
 



Música >>> Samba Meu, o DVD de Maria Rita
Desde os primeiros discos da filha da Elis, nunca existiu nada de mal em torcer por Maria Rita. Afinal de contas, era "a voz" ressuscitando, depois de morta, e quem disse que a carga genética, de outrora, não poderia realizar um trabalho genial, outra vez, para o cancioneiro da nossa música? Mas, do mesmo jeito que é falsa a afirmação de João Marcelo Bôscoli, de que não ouve os discos da própria irmã (desde que eles não se entenderam na Trama), é falsa a afirmação, da própria Maria Rita, de que não sente o peso do "fantasma" da mãe. Samba Meu, o disco, talvez tenha sido, então, uma resposta, para aqueles que exigiam dela um "engajamento" maior em relação aos ritmos brasileiros (como o samba), a fim de que abandonasse, temporariamente, aquela "mistura" meio jazzy, meio pop, meio MPB, meio bossa nova de Maria Rita (2003) e Segundo (2005). Ela, entre a concordância com os "maestros" das grandes gravadoras (pelas quais se lançou) e a rebeldia (contra o fã clube de sua mãe), gravou, sim, um disco de sambas, mas fugiu da benção dos velhos sambistas, experimentando um repertório quase que totalmente novo (em termos de mainstream). No DVD, sentimos que Maria Rita está mais à vontade com a embocadura exigida pelo samba, porém, parece que os grandes momentos ainda são do repertório que já passou e repassou, o dos primeiros álbuns. E, do mesmo jeito que há algo de errado em ela aparecer, de repente, tão magra e loira, há, ainda, arestas a serem aparadas entre Maria Rita e o establishment. Quem sabe se ela não rompesse com o sistema, em vez tentar se entender com ele? [2 Comentário(s)]
>>> Samba Meu
 



Cinema >>> Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal
O novo Indiana Jones, agora em DVD, é uma grande homenagem aos anos 80 e, em última instância, a um dos apogeus da indústria do cinema. Steven Spielberg e Harrison Ford eram abordados desde a última aparição de "Indy", em 1989, quando deram por encerrada a trilogia e, segundo o criador do E.T., partiram para "dramas mais adultos". Claro que as platéias nunca quiseram saber e foi George Lucas, depois de um retorno não tão interessante com seus "primeiros episódios" de Guerra nas Estrelas (nos anos 2000), que reuniu o velho time, de volta, ao trabalho. Para quem viveu os anos 80 — ou para quem assistiu aos respectivos filmes —, as primeiras cenas, do "filho" de Indiana Jones, evocam desde clássicos daquele tempo, como De Volta para o Futuro, até clássicos de todos os tempos, em tela grande, como O Selvagem. E, desde a trilha sonora até as peripécias acrobáticas dos heróis, há um certo ar infantil, de desenho animado, de Peter Pan, que, para o espectador, nunca envelhece e que, nele, desperta a criança ou o adolescente daqueles anos. Nesse sentido, não importa muito que Harrison Ford esteja com 60, porque a impossibilidade de seus feitos sempre foi algo a ser tolerado pelo público. Cate Blanchett, como sempre, brilha e ofusca os demais coadjuvantes, embora, para manter a coerência na fita, assuma ares de bruxa malvada e inverossímil. A questão é se as jovens platéias, desta década, vão entender todos os subentendidos — ou se Indy vai apenas arrancar sorrisos e suspiros dos mesmos adolescentes, agora, acima de 30... [Comente esta Nota]
>>> Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal
 

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Análise da Inteligência de Cristo 5 - o Mestre Inesquecível
Augusto Cury
Sextante
(2006)



Ensinar Aprendendo
Içami Tiba
gente
(1998)



Divorcio e Separação 2 Volumes 8ª Edição
Yussef Said Cahali
Revista dos Tribunais
(1995)



Market Leader 3rd Edition Upper Intermediate Coursebook & Dvd-rom
David Coton
Pearson
(2011)



Tempo de Esperança
Mark Finley
Casa
(1996)



Dom Casmurro
Machado de Assis
Atica
(2012)



A Declaração de Independência dos Estados Unidos
Stephanie Schwartz Driver
jorge zahar
(2006)



Livro - Coleção Folha Charles Chaplin 6 - Festival Carlitos
Folha de S. Paulo
Folha de São Paulo
(2012)



Arqueologia de Madalena - Uma Busca Histórica da Companheira de Jesus
Fernanda de Camargo-Moro
Record
(2005)



Espiritismo e Ecologia 2ª edição
André Trigueiro
feb
(2010)





busca | avançada
68942 visitas/dia
1,6 milhão/mês