Digestivo nº 440 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
67107 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Filó Machado encerra circulação do concerto 60 Anos de Música com apresentação no MIS
>>> Mundo Suassuna, no Sesc Bom Retiro, apresenta o universo da cultura popular na obra do autor paraiba
>>> Liberdade Só - A Sombra da Montanha é a Montanha”: A Reflexão de Marisa Nunes na ART LAB Gallery
>>> Evento beneficente celebra as memórias de pais e filhos com menu de Neka M. Barreto e Martin Casilli
>>> Tião Carvalho participa de Terreiros Nômades Encontro com a Comunidade que reúne escola, família e c
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Marcelo Mirisola e o açougue virtual do Tinder
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
Colunistas
Últimos Posts
>>> A melhor análise da Nucoin (2024)
>>> Dario Amodei da Anthropic no In Good Company
>>> A história do PyTorch
>>> Leif Ove Andsnes na casa de Mozart em Viena
>>> O passado e o futuro da inteligência artificial
>>> Marcio Appel no Stock Pickers (2024)
>>> Jensen Huang aos formandos do Caltech
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
Últimos Posts
>>> Cortando despesas
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O fim da inocêcia blogueira
>>> Allen Stewart Konigsberg
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse
>>> Escrevendo com o inimigo
>>> FLAP! Uma bofetada na indiferença*
>>> Eles – os artistas medíocres
>>> Meu beijo gay
>>> A história de Rogério Xavier e da SPX (2023)
>>> Waldstein por Andsnes
Mais Recentes
>>> Livro Revista Jurídica De Jure VOL 12 nº 21 de Vários pela Del Rey / Ministério Público (2013)
>>> Livro Energia. As Razões Da Crise E Como Sair Dela de Ernesto Moreira Guedes Filho, Jose Marcio. Camargo, Juan Gabriel Perez Ferres pela Gente (2002)
>>> Livro Água Salobra de Bernadette Lyra pela Cousa (2017)
>>> Livro Sonata Ao Amor - Romance Esírita de Christina Nunes pelo Espírito Iohan pela Lumen (2012)
>>> Pra cima e pra baixo de Carla Irusta pela Palavras projetos (2021)
>>> Pelos olhos de minha mãe: Diários, memórias e outras lembranças de Laura Huzak Andreato pela Palavras projetos (2021)
>>> Para onde me levam os meus pés? de Cibele Lopresti Costa pela Palavras projetos (2021)
>>> Oswaldo Treinador Esportivo de Fernando A. Pires pela Palavras projetos (2023)
>>> Oswaaaaaldo! de Fernando A. Pires pela Palavras projetos (2023)
>>> Os pães de ouro da velhinha de Annamaria Gozzi pela Palavras projetos (2024)
>>> Ooobbaaaa! de pela Palavras projetos (2019)
>>> O Reciclador de Palavras de Barbara Parente pela Palavras projetos (2021)
>>> O gato que não parava de crescer de Fernando A. Pires pela Palavras projetos (2023)
>>> O dragão da Maldade e a Donzela Guerreira de Marco Haurélio pela Palavras projetos (2022)
>>> O almanaque de Lia de Luís Dill pela Palavras projetos (2022)
>>> No Museu de Susanna Mattiangeli pela Palavras projetos (2023)
>>> Nig-Nig de Andréia Vieira pela Palavras projetos (2023)
>>> Li M'in: uma criança de Chimel de Dante Rigoberta; Liano pela Palavras projetos (2018)
>>> Lábaro: O enigma da bandeira brasileira de Elifas Andreato pela Palavras projetos (2022)
>>> 80 Degraus de Luís Dill pela Palavras projetos (2018)
>>> Estamos Todas Bem de Ana Penyas pela Palavras projetos (2022)
>>> Duas asas de Cristina Bellemo pela Palavras projetos (2024)
>>> Divisão Azul: Um agente infiltrado de Fran Jaraba pela Palavras projetos (2021)
>>> Campos de concentração de Narcís Molins i Fábrega pela Palavras projetos (2023)
>>> Ave do Paraíso de Georgina martins pela Palavras projetos (2018)
DIGESTIVOS

Sexta-feira, 13/11/2009
Digestivo nº 440
Julio Daio Borges
+ de 3600 Acessos




Música >>> A Vida e o Veneno de Wilson Simonal, por Ricardo Alexandre
Se for lido pelas pessoas certas, o novo livro de Ricardo Alexandre, Nem vem que não tem, pode ser o complemento que faltava para promover um verdadeiro revival de Wilson Simonal - a exemplo do que Chega de Saudade, de Ruy Castro, fez pela bossa nova há quase 20 anos. Mais do que o gosto pela música brasileira, que retornou nos anos 90 (depois do rock BR dos anos 80), mais que a redescoberta de Tim Maia e Jorge Ben (fora o Noites Tropicais, de Nelson Motta), mais que a geração lançada pela gravadora Trama, que foi responsável pela estreia de Max de Castro e Wilson Simoninha (os filhos do cantor), e mais até que o bem-sucedido documentário de Claudio Manoel, Ninguém sabe o duro que dei, a biografia de Ricardo Alexandre faz justiça à trajetória do maior intérprete do Brasil, recuperando sua importância na história da música brasileira, através de fatos, e explicando, o mais definitivamente possível, todo o imbroglio, com o Dops e a "esquerda festiva", que conduziu Simonal ao ostracismo e à impressionante morte ainda em vida. Desde o showman que rivalizava com Roberto Carlos em popularidade nos anos 60 até o virtuose que só se comparava a Elis Regina, em termos de recursos vocais, tudo está presente no livro de Ricardo Alexandre. Uma reconstituição disco a disco, do sucesso ao fracasso, combinando sua tumultuada vida pessoal, suas infidelidades, suas crises de alcoolismo, até o sofrimento imposto à mulher e aos filhos. Desde o garoto-propaganda que assinou os maiores contratos da história da publicidade brasileira até o performer que dividiu o palco com Sarah Vaughan, recebeu elogios de Quincy Jones, foi amigo de Pelé e teve o privilégio de erguer a taça Jules Rimet, ao lado da seleção de 70 - nada escapa ao autor de Nem vem que não tem... Simonal imperou no Brasil através de seu canto, sua presença de palco e sua intuição de malandro carioca, mas se deixou inebriar pelo sucesso, corrompeu-se pela ilusão do poder e resolveu "peitar" até as Organizações Globo (comercialmente) e a hegemonia da nossa "intelligentsia" de esquerda (ideologicamente) - foi expelido pelo sistema, foi execrado pela intelectualidade, teve desestruturada sua vida, teve destruído seu trabalho, afogou as mágoas no álcool e morreu em consequência de tudo isso, com pouco mais de 60 anos, em 2000. Se não conseguir, finalmente, ressuscitar Simonal das cinzas do oblívio, Nem vem que não tem é - pelo menos - o must read deste fim de ano. [1 Comentário(s)]
>>> Nem vem que não tem: A Vida e o Veneno de Wilson Simonal
 



Internet >>> Passado, presente e futuro das mídias sociais, por Erik Qualman
"As tais mídias sociais são apenas uma moda passageira?", começa perguntando o vídeo de Erik Qualman, um escritor americano de ficção e livros de business, que circula pela internet através do YouTube e que foi recentemente traduzido, para o português brasileiro, pelo blog Sedentário & Hiperativo. Tirando o exagero de que as mídias sociais seriam "a maior novidade desde a revolução industrial", a animação de Qualman compila algumas estatísticas interessantes sobre o uso da WWW. O vídeo parte do pressuposto de que, a partir de 2010, a geração Y, a da internet, terá superado a de baby boomers em número — e chama a atenção para o fato de 96% dessas pessoas já fazerem parte de alguma "rede social". Qualman lembra que a pornografia reinou absoluta na Grande Rede, desde a década de 90, mas que foi, finalmente, sobrepujada... pelas redes sociais. As estocadas na velha mídia, naturalmente, não poderiam ficar de fora e Erik Qualman afirma que, para atingir 50 milhões de pessoas, o rádio demorou 38 anos, a televisão, 13 anos, a internet, 4, o iPod, 3... enquanto que o Facebook — o possível sucessor do Orkut no Brasil — agregou 100 milhões de pessoas em menos de um ano. Consagrou, ainda, aquela famosa frase: "Se o Facebook fosse um país, ele seria, hoje, o quarto maior do mundo, atrás de China, Índia e Estados Unidos". E se a "adolescência" do Facebook não convenceu o espectador, Qualman chega com a informação de que 80% das empresas — brasileiras também? — estão usando o LinkedIn, uma rede social de trabalho, para contratar seus empregados. E o Twitter? No microblog, os usuários com mais seguidores têm mais gente atrás deles do que as populações de países como Irlanda, Noruega e Panamá. O próprio YouTube, de acordo com Qualman, se converteu no segundo maior mecanismo de busca do mundo, com um acervo de 100 milhões de vídeos. E a Wikipedia não fica muito atrás, com 13 milhões de verbetes, sendo que 78% deles não estão em inglês. Sem contar, evidentemente, os 200 milhões de blogs — que cresceram, justamente, porque 78% dos consumidores hoje confiam mais em opiniões de pessoas como eles (enquanto só 14% confia em propaganda tradicional). O Kindle? 35% dos livros vendidos na Amazon já estão indo direto para o mais conhecido leitor de e-books — enquanto 24 dos 25 maiores jornais do mundo estão sofrendo quedas históricas em sua circulação... Erik Qualman, finalmente, conclui que as mídias sociais não são um modismo, mas, sim, uma mudança fundamental no jeito como nos comunicamos. [1 Comentário(s)]
>>> Mídias sociais: pra que servem
 



Gastronomia >>> O Pedaço da Pizza: novidades depois de uma década
Quem conheceu o Pedaço da Pizza no início dos anos 2000, não imaginou que ele se consagraria, na capital onde só se consome menos pizza que em Nova York, e onde há mais pizzarias do que qualquer outro tipo de restaurante. Afinal, a cadeia Pizza Hut não aguentou no começo, a Domino's também não aguentou muito e a Mister Pizza, do Rio, nunca se aventurou por São Paulo. Aliás, por falar nessa última, O Pedaço da Pizza depois de mais de dez anos com apenas três lojas, está apostando, desde 2009, no mesmo modelo de franquias. Os novos donos que assumiram, naturalmente, nos últimos tempos, têm a ambição de consolidar mais de 10 pontos até o final do ano que vem. Uma outra novidade, na cadeia de restaurantes, é surpreendentemente o serviço de delivery. Pizzarias que entregam é quase uma obviedade na capital paulista, onde, no domingo à noite, muita gente simplesmente não sai de casa para frequentar salões barulhentos. Mas "pizza em pedaço" sendo entregue em casa é algo inédito. Como o próprio Pedaço da Pizza diz, chega da "ditadura" de ter de comer os sabores da "maioria", "desfrute só daqueles de que você efetivamente gosta", mesmo em casa, encomendando por telefone. Além disso, há o novo cartão fidelidade, que funciona mais ou menos nos mesmos moldes de outros "clubes de vantagens", e os calzones, igualmente novidade, nos sabores marguerita com tomate seco, quatro queijos e calabresa com escarola. Depois de uma década servindo pedaços de pizza pré-cozida, dia e noite, em sabores, hoje, tradicionais, como mozarela com calabresa, frango com catupiry e até shimeji e couve, uma das vedetes continua sendo a inesquecível pizza de chocolate, com morango ou com banana, agora também com raspas ou mesmo M&M'S. O Pedaço da Pizza implementou uma ideia que nasceu nos Estados Unidos, mas soube se adaptar com sabedoria ao exigente consumidor paulistano, ao contrário de algumas grandes redes... Esperamos, portanto, que seu modelo se espalhe, como está se anunciando, por todo o País. [Comente esta Nota]
>>> O Pedaço da Pizza
 

 
Julio Daio Borges
Editor
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Encontre Fadas Encantadas E Muito Mais!
Ciranda Cultural
Ciranda Cultural
(2014)



Os Vilões Do Templo
Aloysio Alfredo Silva
Instituto Maria
(1985)



Les Voyage Artistique à Bayreuth
Albert Lavignac
Librairie Delagrave
(1925)



Mercado Financeiro: Produtos e Serviços -15ª Edição
Eduardo Fortuna
Qualitymark
(2002)



The Mystery of Capital Why Capitalism Succeeds in The
Hernando de Soto
Basicbooks
(2000)



Livro Literatura Estrangeira Branco Sobre Negro
Rubén Gallego
Ediouro
(2004)



Ervas , Plantas & Chás - Prevenção e Cura de Doenças
Vários
Escala
(2005)



Revista CONFRADINHO nº 2 (Teatro Brasileiro)
Luiz de Assis Monteiro (Ed.)
Confraria da Paixão
(2021)



Histórias de Família entre a Itália e o Brasil 408
Angela De Castro Gomes
Muiraquitã
(1999)



Ioga Secreto
Molinero
Três
(1973)





busca | avançada
67107 visitas/dia
2,1 milhões/mês