Maria Bethânia em Amor Festa Devoção | Digestivo Cultural

busca | avançada
74501 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Espetáculo “Canções Para Pequenos Ouvidos” chega ao Teatro Clara Nunes, em Diadema
>>> Escrever outros Corpos - Criar outras Margens || BELIZARIO Galeria
>>> SESC 24 DE MAIO RECEBE EVENTO DE LANÇAMENTO DA COLEÇÃO ARQUITETOS DA CIDADE
>>> Dramaturgo Ed Anderson lança livro com textos de espetáculos
>>> Encomenda De Livro On-Line É Disparo Para Novo Espetáculo Do Grupo Pano
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
Colunistas
Últimos Posts
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
Últimos Posts
>>> Universos paralelos
>>> Deseduquei
>>> Cuidado com a mentira!
>>> E agora? Vai ter pesquisa novamente?
>>> Cabelos brancos
>>> Liberdade
>>> Idênticos
>>> Bizarro ou sem noção
>>> Sete Belo
>>> Baby, a chuva deve cair. Blade Runner, 40 anos
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Trailer do Fim do Mundo
>>> Uísque ruim, degustador incompetente
>>> O bom e velho jornalismo de sempre
>>> Apresentação
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> A fragilidade dos laços humanos
>>> Anomailas, por Gauguin
>>> Felicidade
>>> Ano novo, vida nova.
>>> 31 de Maio #digestivo10anos
Mais Recentes
>>> Magistratura do trabalho (ótimo estado) de Lucas dos Santos Pavione / André Araújo Molina / Januário Justino Ferreira e outros pela Saraiva (2014)
>>> Fundamentos de Estratigrafia Moderna de Jorge C. Della Fávera pela EdUerj (2001)
>>> Livro - O Estranho Caso do Cachorro Morto de Mark Haddon pela Record (2012)
>>> Livro - Pomba-gira Cigana de Maria Helena Farelli pela Pallas (2004)
>>> Tex Nº 234 de Bonelli pela Globo (1989)
>>> Matemática - Vol. Único de Facchini pela Saraiva (1997)
>>> Livro - Temqueliques: Limeriques do Poderoso e Perigoso de Tatiana Belinky pela Panda Books (2008)
>>> Mais Forte do Que Nunca de Eliana Machado Coelho pela Lúmen (2011)
>>> Personagens ao Redor da Cruz de Tom Houston pela Encontro (2007)
>>> Livro de bolso - Carta ao Pai de Franz Kafka pela L&pm Editores (2004)
>>> Livro - A Formigadinha de Rossana Ramos pela Cortez (2010)
>>> Aniversário da II Guerra Mundial - 30 volumes de Abril Coleções pela Abril
>>> Tex Nº 291 - Terror na Cripta de Bonelli pela Globo (1994)
>>> O Rosto Materno de Deus de Leonardo Boff pela Vozes (2003)
>>> Livro - Bastard 9 de Kazushi Hagiwara pela Kazushi Hagiwara
>>> Livro de bolso - O Que É Física - Coleção Primeiros Passos 131 de Ernst W Hamburger pela Brasiliense (2001)
>>> Tex Nº 325 de Bonelli pela Globo (1996)
>>> Livro - O Menino e o Pardal de Daniel Munduruku pela Callis (2010)
>>> Diálogos com Cientistas e Sábios: A Busca da Unidade de Renée Weber pela Círculo do Livro (1990)
>>> Língua grega Volume 1: teoria de Henrique Murachco pela Vozes (2003)
>>> Livro de bolso - Agosto de Rubem Fonseca pela Companhia de Bolso (2006)
>>> Para Sempre Comigo de Marcelo Cezar pela Vida e Consciência (2007)
>>> Mulheres que correm com os lobos (muito bom) de Clarissa Pinkola Estés pela Rocco (2014)
>>> Lógica do sentido de Gilles Deleuze pela Perspectiva (2009)
>>> Tex Nº 303 de Bonelli pela Globo (1995)
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Música

Terça-feira, 25/5/2010
Maria Bethânia em Amor Festa Devoção
Julio Daio Borges

+ de 7700 Acessos
+ 2 Comentário(s)




Digestivo nº 463 >>> Maria Bethânia talvez seja uma das últimas sobreviventes de sua geração. Gal Costa, a comparação mais frequente, pendurou as chuteiras ainda nos anos 90, num exílio que começou em Trancoso, e cujo melhor fruto, para a humanidade, foi a pousada Estrela D'Água. Caetano Veloso, o irmão, se desencaminhou, antes ou depois de Paula Lavigne, não se sabe ao certo se pelo desbunde dos anos 90 ou se pela decrepitude musical dos anos 00. Gilberto Gil foi brilhante no Acústico (1994), depois flertou com a "ciência", aceitou o MinC (2003), voltou para a internet, mas só agora tenta se reencontrar num novo "acústico" (com o filho). Saindo dos Doces Bárbaros, Chico Buarque preferiu ser escritor, ainda que não tenha sido bom em nada (nas décadas passadas), e Roberto Carlos chamou mais a atenção por tirar um livro de circulação, apreendê-lo e sugerir queimá-lo, revivendo a censura (e a ditadura). Nesse cenário musical de terra arrasada, Maria Bethânia se mantém criativa, inquieta, aprendendo a conviver com a independência, gravando non-stop e mantendo uma rotina de shows que desafia Mick Jagger e as leis da física. Para completar, sua nova turnê, "Amor Festa Devoção", tem sido um sucesso de público (que, apesar de não entender tudo conceitualmente, termina embevecido pela força, que nunca seca, da artista). Com o cenário de Bia Lessa — que acertou bem mais que na Flip; e que se relançou no teatro em Curitiba —, Bethânia destila o vozeirão em quase 40 (sim, quarenta) números, entre dois atos e uma porção de rosas vermelhas. Sua presença cênica não encontra equivalentes nas novas gerações e sua capacidade de amarrar repertório & roteiro — além da performance — deixa as "cantorinhas" de agora — que não podem sair nem na rua sem um produtor — no chinelo (ainda que Bethânia dispense os calçados). Reabilita até Zezé Di Camargo & Luciano, que musicalmente só funcionam em cinema, sem falar nas apostas que faz em Vander Lee ("Estrela") e Vanessa da Mata ("Ê Senhora"), e nas que continua fazendo em Adriana Calcanhotto ("Tua") e Chico César & Paulinho Moska ("Saudade"). Não faltam, obviamente, clássicos em sua voz, como "Explode Coração" e "Ronda", e outros que ela, para variar, recria, como "Serenata do Adeus" (Vinicius), "Não Identificado" (Caetano) e "Vida" (Chico Buarque). Tudo isso entremeado pelo repertório de Encanteira (2009), seu último registro em estúdio, dando força ao igualmente longevo Paulo César Pinheiro e valorizando o universo das modas de viola, que, possivelmente, nunca tinham recebido tanta atenção da MPB. Aliás, Jaime Alem, seu maestro e arranjador, soube desconstruir a orquestra de Maricotinha, recriando tudo, harmonicamente, com sua musa. Maria Bethânia é, hoje, uma verdadeira embaixada da música brasileira; e esse show é, no mínimo, imperdível, para quem ama o nosso cancioneiro. Que Bethânia viva (e produza) tanto quanto Dona Canô!
>>> Amor Festa Devoção
 
Julio Daio Borges
Editor

Quem leu esta, também leu essa(s):
01. A aquisição do Washington Post por Jeff Bezos (Além do Mais)
02. Jorge Drexler, em Amar la Trama, o show na Via Funchal (Música)
03. Steve Jobs e Bill Gates juntos, no All Things Digital (Internet)
04. The Future of the Internet, de Jonathan Zittrain (Internet)
05. O iPad, da Apple e de Steve Jobs (Internet)


Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/5/2010
15h12min
Nota 10. Com louvor. A Bethânia dispensa calçados... número 90 não dá, não daria, não dará. Na próxima nota, lembre da Marisinha Monte... poderosa, viu!
[Leia outros Comentários de guilherme]
15/8/2010
01h13min
Os comentários concernentes aos demais clássicos da MPB, acredito eu, foram desnecessários. Maria Bethânia é Bethânia por interpretar Roberto, Chico, Caetano, entre outros, com perfeição inigualável. Chico, Caetano, Roberto se hoje não fizerem mais nada, já são imortalizados pela música brasileira. Sinto falta da Gal Costa. Além de Bethânia temos Nana, Alcione, que também continuam. Sinto falta da Marisa Monte também. Resta destacar que é muito bom, a todo ano, comprar CDs ou DVDs da Bethânia. Ela é um presente dos Deuses.
[Leia outros Comentários de Pedro]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O pequeno Príncipe
Antoine de Saint Exupéry
Agir
(2006)



Trabalho Infância - Exercícios Tensos de Ser Criança - Haverá Espaço..
Miguel G. Arroyo & Maria dos Anjos Lopes Viella ..
Vozes
(2015)



Por Dentro do Trabalho - Ergonomia: Método & Técnica
Alain Wisner
Ftd/oboré
(1987)



Livro - O Silêncio das Missões de Paz
Reginaldo Mattar Nasser
Educ
(2012)



A Luz Que Não Se Apaga
Carlos Alberto de Nóbrega
Novo Século
(2004)



Planejamento Estratégico e Operacional
Luís Moretto
Dca
(2012)



Wolverine N° 86
Marvel
Panini Comics
(2012)



Livro - Querido Bebê: um Romance Sobre ~planos~ Imprevistos e Encontros
Julia Braga
Mapa. Lab
(2020)



O Código Da Vinci
Dan Brown
Sextante
(2004)



Perspectiva 19 (espanhol)(1999)
Equipo Parramon
Paramón
(1999)





busca | avançada
74501 visitas/dia
2,0 milhão/mês