Eu mereço um lugar ao sol | Digestivo Cultural

busca | avançada
83267 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Zeca Camargo participa de webserie sobre produção sustentável de alimentos
>>> Valéria Chociai é uma das coautoras do novo livro Metamorfoses da Maturidade
>>> Edital seleciona 30 participantes do país para produção de vídeos sobre a infância
>>> Joca Andreazza dirige leitura de Auto da Barca de Camiri na série 8X HILDA
>>> Concerto Sinos da Primavera
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> Janelário
>>> A vida é
>>> (...!)
>>> Notívagos
>>> Sou rosa do deserto
>>> Os Doidivanas: temporada começa com “O Protesto”
>>> Zé ninguém
>>> Também no Rio - Ao Pe. Júlio Lancellotti
>>> Sementinas
>>> Lima nova da velha fome
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Pesquisa e blog discutem "Marca Amazônia"
>>> Vida e morte do Correio da Manhã
>>> O site de Dorival Caymmi
>>> Entrevista à revista Capitu
>>> Figuras de linguagem e a escrita criativa
>>> Arte e Poupança
>>> Entrevista com Paulo Polzonoff Jr.
>>> A Marcha da Família: hoje e em 1964
>>> A escola está acabando
Mais Recentes
>>> Civilização e Doença de Henry Sigetist pela Hucitec (2011)
>>> Amor de Perdição de Camilo Castelo Branco pela Atica
>>> Grandes Histórias de Halloween de Walt Disney pela Abril (2014)
>>> Transmissão do Calor de Renato Salmoni pela Mestre Jou (1966)
>>> A Estetica da Morte de Salomão Jorgf pela Saraiva (1964)
>>> O Pato Donald Xxiv Nº 1. 150 de Abril pela Abril (1973)
>>> Glossário de Dificuldades de Zelio Jota pela Fundo de Cultura (1962)
>>> Valsa Negra de Patricia Melo pela Companhia das Letras (1998)
>>> Principios de Gerencia por objetivos de Paul Mali pela Pallas (1976)
>>> Amanhecer de Stephenie Meyer; Ryta Vinagre pela Intrinseca (2009)
>>> O papel do trabalho na transformação do macaco em homem de F. Engels pela Global (1986)
>>> O Socialismo Pré-marxista de Babeuf Blanqui Fourier Saint-Simon pela Global (1980)
>>> 6º Alvo de James Patterson e Maxine Paetro pela Arqueiro (2012)
>>> Uncharted o Quarto Labirinto de Christopher Golden pela Benvirá (2012)
>>> Alice no País dos Enigmas Vol 1- 60 Jogos e Desafios de R. W. Galland pela Coquetel
>>> 551 atividades: Diversão que não acaba de Waldomiro Neto pela Culturama (2016)
>>> Os Anjos Também Choram de Elzira Ribeiro de Almeida pela São Cristóvão (2005)
>>> Quarup de Antônio Callado pela Circulo do Livro
>>> As Vantagens de Ser Otimista de Allan Percy pela Sextante (2014)
>>> A Turma do Arrepio Nº 22 de Globo pela Globo (1991)
>>> Mundo do Terror Nº 12- Monstro Humano de Press Editorial pela Press Editorial (1987)
>>> Elogio da Mentria de Patricia Melo pela Companhia das Letras (1998)
>>> O Chefão - a Verdade Sobre a Máfia de Mário Puzo pela Expressão e Cultura (1970)
>>> Vigiar e Punir de Michel Foucault pela Vozes (1999)
>>> Uma Constelação de Fenômenos Vitais de Anthony Marra pela Intrinseca (2014)
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Cinema

Quarta-feira, 16/6/2004
Eu mereço um lugar ao sol
Julio Daio Borges

+ de 3700 Acessos




Digestivo nº 179 >>> O Brasil viveu seus anos 60 nos anos 80. A geração dos 60, do “é proibido proibir”, era politizada demais, depois foi séria demais – em suma, tinha um projeto de país ou de vida, muito arraigado, para se deixar dissipar. A geração dos anos 80, não: já havia esquecido (ou nunca soube) o que era política, endinheirada (pós-milagre econômico), preferiu cair na esbórnia. A essa geração pertenceu Cazuza. E por isso ele é uma figura tão significativa até hoje. Como, aliás, comprova o novo filme de Sandra Werneck sobre sua pessoa. Cazuza cresceu no seio de uma família burguesa (João Araújo, seu pai, foi presidente da Som Livre). Em meio ao conforto material, caiu no mundo e – antes de ser artista – “queria se divertir” (como afirma Daniel de Oliveira em uma de suas falas). Cazuza foi morar sozinho, mas era sua mãe (a amantíssima Lucinha Araújo) quem trazia gasolina quando faltava no carro. Cazuza quis se lançar como músico, mas provavelmente nada teria acontecido se não fosse por “Big John” e Ezequiel Neves (seu produtor na Som Livre e seu comandado). Rebelde sem causa, exagerado, carente profissional – pintou o retrato da sua turma, a “do abraço”, através da música, que, a partir de certo momento (pós-Aids), transformou em diário confessional. Na sessão especial para a imprensa, o estado-maior da “Folha” (Pedro Alexandre Sanches e quejandos) chorava copiosamente: a luz de Cazuza, uma estrela cadente de vida curta, havia novamente se apagado. Mas o ídolo ficou. Talvez o primeiro e único roqueiro (autêntico) do Brasil. Pois roqueiro não serve para viver muito (Lobão); nem para sobreviver a si próprio (Herbert Vianna); nem para virar estátua de um tempo que passou (Paul McCartney). Cazuza se eternizou, apesar da doença, como um apolo irresistível das areias do Rio – por quem dobraram os joelhos Ney Matogrosso e Caetano Veloso, entre outras “personas sexuais”. Hoje ninguém mais se atira no precipício, até por uma questão de saúde pública – mas sua índole, de poeta romântico, se perpetuou para além das músicas. Afinal, para ser artista no século XX era preciso sair bem na foto e ter uma tumultuada biografia. Cazuza foi exemplar nas duas coisas – e Sandra Werneck soube preservar esse brilho fosco.
>>> Cazuza: o tempo não pára
 
Julio Daio Borges
Editor

Quem leu esta, também leu essa(s):
01. O Twitter na Time (Internet)
02. Piaf, por Marion Cotillard (Cinema)
03. Milagres não existem (Literatura)
04. Homenagem do vício à virtude (Cinema)
05. Lento y muy marcado (Música)


Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Eragon
Christopher Paolini
Rocco
(2003)
R$ 12,00



A Pintura Flamenga e Holandesa da Fundação Medeiros Almeida
Realidade e Capricho Novembro 2008
Fundação Medeiros e Almeida
(2008)
R$ 19,28



A Pré História
Teófilo Torronteguy
Ftd
(1995)
R$ 5,00



Wish Vol I
Clamp
Jbc
(2009)
R$ 5,00



Nas Fronteiras Celestiais
Stanley Stewart
Publicações Europa América
(2000)
R$ 84,78



Eles eram muitos cavalos
Luiz Ruffato
Record
(2007)
R$ 21,90



Memórias Póstumas de Brás Cubas
Machado de Assis
Martin Claret
(2001)
R$ 24,30



O Campeão de Audiência
Walter Clark Com Gabriel Priolli
Best Seller
(1991)
R$ 19,90



Canadian Country Furniture 1675-1950
Michael S. Bird
Stoddart
(1994)
R$ 40,00



A história de Carmen Rodrigues
Ana Luiza Libânio
Literare Books International
(2012)
R$ 29,90





busca | avançada
83267 visitas/dia
2,3 milhões/mês