Auto-afogando-se em números | Digestivo Cultural

busca | avançada
77579 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Projeto “Sala de Visita” recebe Mauricio Virgulino para falar sobre Educomunicação e arte
>>> ZapMusic, primeiro streaming de músicos brasileiros, abre inscrições para violonistas
>>> Espetáculo de dança em homenagem à Villa-Lobos estreia nesta sexta
>>> Filó Machado comemora 70 anos de vida e 60 de carreira em show inédito com sexteto
>>> Série 8X HILDA tem sessões com leitura das peças As Aves da Noite e O Novo Sistema
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> Tiro ao alvo
>>> A TETRALOGIA BUARQUEANA
>>> Bom de bico
>>> Diário oxigenado
>>> Canção corações separados
>>> Relógio de pulso
>>> Centopéia perambulante
>>> Fio desemcapado
>>> Verbo a(fiado)
>>> Janelário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Um paralelepípedo
>>> Os bastidores de Psicose
>>> Contra reforma ortográfica
>>> Para pecar, vá de manga
>>> Público, massa e multidão
>>> Vida de Estagiário II
>>> Biocyberdrama: quadrinhos pós-humanos
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Suicídio on-line põe internet no banco dos réus
>>> O melhor presente que a Áustria nos deu
Mais Recentes
>>> O Trem - Coleção Gato e Rato de Mary França - Eliardo França pela Ática (1987)
>>> O Rabo do Gato - Coleção Gato e Rato de Mary França - Eliardo França pela Ática (1987)
>>> The Crucifixion of Mary Magdalene de Richard J. Hooper pela Sanctuary Publications (2005)
>>> Profiles of Jesus de Roy W. YHoover (ed.) pela Polebridge Press (2002)
>>> Introdução ao estudo do direito: Técnica, decisão, dominação de Tércio Sampaio Ferraz Júnior pela Atlas (2018)
>>> Múltiplas geografias -ensino-pesquisa-reflexão de Lucia helena batista gratão pela Humanidades (2008)
>>> Surpresas - Coleção Gato e Rato de Mary França - Eliardo França pela Ática (1987)
>>> Hermenêutica Constitucional - A Sociedade Aberta dos Intérpretes da Constituição de Peter Häberlë pela Sergio Fabris (2002)
>>> Os direitos fundamentais e a (in) certeza do direito de Menelick de Carvalho Netto , Guilherme Scotti pela Fórum (2012)
>>> Sobre a Brevidade da Vida de Sêneca pela L&PM Pocket (2011)
>>> Princípios Do Processo Civil de Rui Portanova pela Livraria do Advogado (2013)
>>> Constituição e Processo: a contribuição do processo ao constitucionalismo democrático brasileiro de Felipe Machado , Marcelo Cattoni pela Del Rey (2009)
>>> Fundamentos do Direito Processual Civi de Eduardo Couture pela Conceito (2008)
>>> Acesso À Justiça Democrático de Dierle Nunes e Ludmila Teixeira pela Gazeta Jurídica (2021)
>>> O Juiz e a Democracia de Antoine Garapon pela Renavan (2001)
>>> Uso e gestão dos recursos hídricos no brasil de Rodrigo constante martins pela Rima (2003)
>>> Processo como teoria da lei democrática de Rosemiro Pereira Leal pela Fórum (2010)
>>> Teoria da Decisão Judicial: Fundamentos do Direito de Ricardo Luis Lorenzetti pela Rt (2010)
>>> Como se Defender de Ataques Verbais de Barbara Berckhan pela Sextante (2011)
>>> Nulidades no Processo de Aroldo Plínio Gonçalves pela Del Rey (2014)
>>> Economia política da urbanização de Paul singer pela Contexto (1998)
>>> Força Normativa da Constituição de Konrad Hesse pela Sergio Fabris (1991)
>>> A voz da fé de Bispo macedo pela Unipro (2009)
>>> A Bota do Bode - Coleção Gato e Rato de Mary França - Eliardo França pela Ática (2021)
>>> Curso de Direito Processual Civil (Volume 1) de Fredie Didier Jr pela JusPodium (2016)
BLOG >>> Posts

Quinta-feira, 9/8/2007
Auto-afogando-se em números

+ de 1100 Acessos

Na coluna anterior, fiz revelações bombásticas sobre o meu hábito de leitura. Digo que as revelações foram bombásticas porque a reação de amigos, familiares e conhecidos me deu bons motivos para risadas durante essa semana. Uns me olharam torto por acharem que não meti pau na literatura de auto-ajuda como deveria. Outros por acharem que meti pau mais do que deveria. E outros ainda decepcionados por eu assumir que leio livros de auto-ajuda. Talvez eu até tenha perdido alguns pontos aí. Acho isso uma bobagem tremenda. Mais importante do que o título do livro que se lê é o que se faz com essa leitura, seja ela de tratados gastronômicos, cânones da literatura ou da Seleções do Reader's Digest (que, aliás, eu detesto).

Sim, confesso, eu leio auto-ajuda. Leio auto-ajuda, teorias acadêmicas, histórias em quadrinhos, pesquisas científicas, literatura e o que mais cair nas mãos e tiver um primeiro parágrafo instigante. Como diria um velho sábio chinês, "eu não tenho preconceitos, odeio a todos igualmente". Mas antes de odiá-los, eu pago para ver. Ou melhor, não pago. E aí vai outra confissão: eu leio livros de auto-ajuda, mas nunca tive coragem de gastar dinheiro com um. Caiu na mão, eu leio, mas não contribuo com a auto-ajuda financeira do editor.

O fato é que certo dia eu acabei me embarafustando na livraria de um shopping perto da minha casa. Não estava a fim de um livro de auto-ajuda, mas de literatura mesmo. Saí sem livro nenhum e com um embrulho no estômago ao me dar conta de que não há mais prateleira de auto-ajuda ali. A livraria inteira é uma prateleira de auto-ajuda.

A livraria, no caso, é a Leitura, do shopping Del Rey. A Leitura sempre foi uma das maiores livrarias de BH, e depois que outras livrarias de grande porte sucumbiram na capital mineira, ela tinha tudo para sobressair em termos de qualidade de títulos. Mas não foi isso que aconteceu. Mesmo com uma megastore em outro shopping da cidade, a Leitura afogou-se em números e entregou-se, como outras grandes livrarias do Brasil, à distribuição editorial de auto-ajuda. Na loja em que entrei, encontram-se todo o tipo de item de papelaria e bugigangas, além de estandes e mais estandes de livros dessa linha.

No primeiro estande, pode-se escolher entre vinte títulos de auto-ajuda internacional. São Josephs, Dorotys, Johns, Toms e toda a nação norte-americana com seus aprendizados vazios e ensinamentos de vida.

Já o segundo estande é destinado à auto-ajuda empresarial. E aí você pode aprender a se tornar um líder, fazer amigos, conquistar seu chefe, liderar equipes, vencer no trabalho e na vida, enriquecer juntos e por aí vai.

O terceiro estande é destinado à fofoca de auto-ajuda, ou às histórias de vida pitorescas e inúteis: uma prostituta de alta sociedade que faz sucesso no mundo virtual, a mulher que conta como perdeu o marido para a referida prostituta, a gordinha que se assume para a mãe, a mulher de 30 anos que não casou, a mulher que perdeu o filho, o filho que perdeu a mãe, o filho da mãe que... ops.

Quanta originalidade!

E depois de conseguir passar por todos esses estandes sem ser engolida, ainda encontro, mais à frente e finalmente, uma estante com a plaquinha "auto-ajuda". Valha-me! E os outros todos eram o quê, então?

Continuemos a saga: a estante era enorme. Interminável. E os itens ali eram de auto-ajuda espiritual e religiosa. Ou seja, chegou o momento em que o volume de títulos de auto-ajuda é tão grande que é preciso subdividi-los em categorias.

Eu não nego o lugar dos livros de auto-ajuda. Só reivindico a estante da literatura brasileira que, no caso desta livraria, é minúscula e muito mal organizada. Difícil é encontrar livros de novos autores brasileiros ali.

Não é possível que os títulos de auto-ajuda engulam todo o resto de uma livraria e de um mercado editorial. E aqui, eu repito o que disse antes, o problema não está nos livros, mas no leitor. É ele quem deve diversificar a própria leitura e cobrar essa diversidade de títulos das livrarias e das editoras também.

Enfim, pelo menos há, em Belo Horizonte, a livraria Ouvidor e outras menores, do tipo "livraria-café", como a Dom Quixote e a Travessa, para acolherem essa minoria étnica que são os que compram livros de literatura. E os que não gostam de best-sellers, como eu.


Postado por Pilar Fazito
Em 9/8/2007 às 19h08


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Literatura e informática de Ana Elisa Ribeiro
02. Ramones 1977 de Julio Daio Borges
03. Isaacson sobre Jobs de Julio Daio Borges
04. 13 de Julho #digestivo10anos de Julio Daio Borges
05. 12 de Maio #digestivo10anos de Julio Daio Borges


Mais Pilar Fazito no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Livro da Lua 2007
Marcia Mattos
Novo Seculo
(2006)
R$ 25,00



Diário de Berê
Luiz Cláudio Cardoso
Estação Liberdade
(1989)
R$ 6,90



Onde Fica o Ateneu
Ivan Jaf
Atica
(2003)
R$ 15,00



Sonia Maria Dorce: a Queridinha do Meu Bairro
Sonia Maria Dorce Armonia
Imprensa Oficial
(2008)
R$ 7,00



Cleo e Daniel
Roberto Freire
Brasiliense
(1971)
R$ 10,00



Gandhi Sua Vida e Mensagem para o Mundo
Louis Fischer
Martins Claret
(1983)
R$ 7,90



Simplesmente Helena
Carolina Kotscho
Planeta
(2007)
R$ 5,00



Os Descobrimentos Portugueses - Pedro Álvares Cabral e o Brasil
Jaime Raposo Costa
Conselho da Comunidade Port
(1988)
R$ 25,00



Rota da Luz Aveiro Portugal - Festas e Romarias Tradiconal Folk Fes...
Artur Jorge Almeida Carlos Pelicas
Elo Editores
(2002)
R$ 30,59



Engenharia do Brasil: 90 Anos do Instituto de Engenharia
Instituto de Engenharia
Ni
(2007)
R$ 18,00





busca | avançada
77579 visitas/dia
2,1 milhões/mês