Polícia para quem precisa... | Digestivo Cultural

busca | avançada
48473 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Namíbia, Não! curtíssima temporada no Sesc Bom Retiro
>>> Ceumar no Sesc Bom Retiro
>>> Mestrinho no Sesc Bom Retiro
>>> Edições Sesc promove bate-papo com Willi Bolle sobre o livro Boca do Amazonas no Sesc Pinheiros
>>> SÁBADO É DIA DE AULÃO GRATUITO DE GINÁSTICA DA SMART FIT NO GRAND PLAZA
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Modernismo e além
>>> Pelé (1940-2022)
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Compreender para entender
>>> Para meditar
>>> O que há de errado
>>> A moça do cachorro da casa ao lado
>>> A relação entre Barbie e Stanley Kubrick
>>> Um canhão? Ou é meu coração? Casablanca 80 anos
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
>>> Alma nordestina, admirável gênio
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O centenário do Castor
>>> O comercial do Obama
>>> Por que Dilma tem de sair agora
>>> Mininas no Canto Madalena
>>> Quase cinquenta
>>> Bate-papo com Odir Cunha
>>> Entrevista com Sérgio Rodrigues
>>> Leblon
>>> Uma entrevista literária
>>> A ilusão da alma, de Eduardo Giannetti
Mais Recentes
>>> A Música do Tempo Infinito de Tales A. M .Ab'Sáber pela Cosac & Naify (2012)
>>> Poesia e Filosofia de Antonio Cicero pela Civilização Brasileira (2012)
>>> A Estrada da Noite de Joe Hill pela Sextante (2007)
>>> O ornamento da massa de Siegfried Kracauer pela Cosac & Naify (2009)
>>> O Horror Econômico de Viviane Forrester pela Unesp (1997)
>>> Merleau-ponty e a Educação de Marina Marcondes Machado pela Autentica (2010)
>>> Revoluções de Michael Lowy pela Boitempo (2009)
>>> O Anticristo de Friedrich Nietzsche pela Lpm pocket (2008)
>>> E no Final a Morte de Agatha Christie pela Lpm pocket (2010)
>>> Estetica da Emergencia de Reinaldo Laddaga; Magda Lopes pela Martins Fontes (2012)
>>> Pós-produção: Como a Arte Reprograma o Mundo Contemporâneo de Nicolas Bourriaud pela Martins Fontes (2009)
>>> A saga da família Klabin-Lafer de Ronaldo Costa Couto pela Klabin (2020)
>>> Tudo Pelo Amor Dele de Sandie Jones pela Única (2019)
>>> Um Encontro de Sombras de V E Schwab pela Record (2017)
>>> O Vilarejo de Raphael Montes pela Suma das Letras (2015)
>>> Dança da Escuridão de Marcus Barcelos pela Faro (2016)
>>> Pyongyang - Uma Viagem a Coreia do Norte de Guy Delisle pela Zarabatana (2008)
>>> Com a Palavra o Ilustrador - O Que ´e Qualidade em Ilustração no Livro Infantil e Juvenil de Ieda de Oliveira pela Dcl (2008)
>>> Matrizes da Linguagem e Pensamento - Sonora Visual Verbal de Lucia Santaella pela Iluminuras (2009)
>>> Na Tessitura dos Signos Contemporâneos de Maria Zilda da Cunha pela Paulinas (2023)
>>> UM País se Faz Com Tradutores e Traduções de John Milton pela Martins Fontes (2019)
>>> O Tempo na Narrativa de Benedito Nunes pela Loyola (2013)
>>> Atlas De Cirurgia Ginecologica 7ª edição -2012 - de Diethelm Wallwiener pela Artemed (2012)
>>> O Que é ( Ou o Que Pode Ser) Ensino-Aprendizagem de Literatura Infantil de André Luiz Ming Garcia pela Crv (2021)
>>> Avanços Em Reprodução Humana Assistida - Capa Dura -2007- Medicina de Roger Abdelmassih pela Atheneu (2007)
BLOG >>> Posts

Segunda-feira, 24/9/2007
Polícia para quem precisa...
+ de 3100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Arrombaram minha casa. Tudo bem que eu ainda não moro lá. É ainda uma obra, mas em estágio avançado. Meio casa velha, meio casa nova. Uma reforma que desafia toda a minha valentia. E aí um vagabundo entrou lá esta madrugada. Pelos sinais deixados, parece-nos o mesmo malandro que já estivera lá antes. O maldito rouba sempre as mesmas coisas: fios e todas as ferramentas dos pedreiros. Espátulas, talhadeiras, colheres, pás, níveis, prumos, serrotes, arcos de serra, martelos, marretas e outras bugigangas mais. Somando tudo, quase 2/3 de salário mínimo. Mas o que me doeu mais foi o que ele fez com a janela. Com um caibro, sobra do telhado, arrancou as grades incorporadas à janela de aço, de boa marca (ao menos era o que dizia o vendedor). A janela inteira ficou estragada, perdida mesmo. Dois salários mínimos. Pelas contas do pedreiro, o malandro vende o ferro velho roubado por não mais do que trinta reais. Raiva barata. Maconha? Há quem diga que é isso. Detonou mais dois cadeados, empenou as lingüetas dos portões e torceu, com a mão, uma travessa de uma porta interna. Tudo para sair com uma sacola de ferramentas.

Chamei a polícia. A famosa polícia militar mineira. Queria um BO para constar nalgum banco de dados que houve arrombamento naquele bairro. A polícia veio. Mal desceram do carro e me perguntaram a que horas havia sido o "evento". Talvez no domingo, pelo menos foi o que apuramos junto aos vizinhos. Então o policial deu meia volta. Não podem entrar. Só registram ocorrência se for fato fresquinho, como jornal do dia. Se foi antes, então eu que me dirija à delegacia mais próxima. E ainda me deu, solicitamente, o endereço uns cinco bairros adiante. Não, obrigada, moço. Deixa pra lá. Bobagem ocupar vocês com isso, não é mesmo?

A vizinhança toda ouviu os barulhos das pancadas do caibro na janela novinha em folha. Ninguém fez nada. Disseram que pensaram que fôssemos nós mesmos, às 5h da manhã, batendo pino. Só se for. E em todas as casas há uma plaquinha escrito assim: "Residência monitorada. Vizinhança Protegida". Diz que a polícia acorda com os vizinhos que cada um tomará conta de si e de todos. Aquele discurso do comunitário, da coletividade resolvendo o problema da segurança pública e tal e coisa. Cada um pagou 8 reais para ratear o custo das plaquinhas. E também cada um comprou um apito. Quando rola coisa suspeita na rua, alguém apita e todo mundo apita. Mas quando ouviram o barulho na minha casa, interpretaram tudo de um jeito bem menos trabalhoso.

Mas aí a vizinhança desprotegeu e a polícia não quis lavrar o BO, naquela linguagem tão peculiar. E eu fui buscar o serralheiro da família para ver se ele me dava um diagnóstico da janela e me sugeria umas grades, umas lingüetas e uns cadeados mais potentes. Ele veio. Quando eu ia levá-lo para casa, cruzei na rua com uma viatura da mesma PM que não pôde me atender. Não aquela mesma que eu havia chamado, mas outra, também com uma dupla de tiras. Eu andava devagar pelas ruas do bairro onde nasci, onde meus avós vivem até hoje, há mais de meio século. E de repente, quando olhei melhor pelo retrovisor, a viatura estava atrás de mim, armada como uma aranha, com os policiais aos berros, apontando um revólver na minha cara. Eu custei a acreditar na cena. Enfiei a cabeça pela janela para ver se a cena era real. Com essa mania de telas pequenas, fiquei desconfiada do meu retrovisor. Tive que descer do carro com as mãos para cima, pedindo pelo amor de Deus por uma explicação. O serralheiro não desceu. Como é mais escuro do que eu, teve medo de apanhar. Depois que eu consegui que os tiras me dissessem qualquer coisa, pedi que o meu parceiro do crime descesse também. Com armas em riste, os PMs fizeram menção de revistá-lo, não a mim. Depois vieram com uma explicação sobre riscos, moças indefesas seqüestradas, suspeitas de assalto a senhoras que dirigem, etc. Aproveitei para perguntar se eles também não estavam dispostos a lavrar um BO de arrombamento, já que os colegas de mais cedo não puderam fazê-lo. Nem fizeram caso da minha pergunta. É isso aí. Vizinhança protegida. Tomara que funcione assim se um dia eu realmente estiver em perigo.


Postado por Ana Elisa Ribeiro
Em 24/9/2007 às 23h13

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Uma análise do setor de varejo de Julio Daio Borges
02. Livro Alma Brasileira de Julio Daio Borges
03. Zuza Zapata de Julio Daio Borges
04. Há uma cleptocracia instalada de Julio Daio Borges
05. Para você que vai votar... de Julio Daio Borges


Mais Ana Elisa Ribeiro no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
25/9/2007
11h07min
Inacreditável, não é, Ana Elisa? Outro dia meu marido chegou em casa de madrugada, veio um cara abordá-lo no carro em frente ao portão. Ele arrancou com o carro e foi pedir ajuda a um policial do posto próximo à casa. O policial disse pra ele se acalmar e que se não se acalmasse quem iria preso seria ele.
[Leia outros Comentários de Adriana Carvalho]
25/9/2007
14h17min
"Combater o crime não tem sentido: todo crime já foi cometido." Escrevi isso só pra rir, mas parece que a polícia leva a sério. Ana, que negócio bizarro. Espero que esteja tudo bem. Abraços.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Evangelii Gaudium - a Alegria do Evangelho
Jorge Mario (papa Francisco) Bergoglio
Paulus
(2013)



Querido Diário Otario 3 - Eu Sou a Princesa Ou o Sapo?
Jim Benton
Fundamento
(2012)



Supergigante
Ana Pessoa
Sesi
(2015)



Creative English 3 Sb
Colin Granger
Macmillan Elt
(2013)



Maria
Rodrigo Alvarez
Globo Livros
(2015)



O Moleiro, o Menino e o Burro
Mauricio de Sousa
Girassol
(2014)



Como Surgiram os Seres o as Coisas
Varios
Atica
(1996)



Livro - Dos Delitos e das Penas - Livro de Bolso
Cesare Beccaria
Edipro de Bolso
(2015)



Paixão e Vingança
Armando Fernandes de Oliveira
Mensagem de Esperança
(1992)



Pelas Veias da Selva
Vito Dalessio
Ftd
(1992)





busca | avançada
48473 visitas/dia
1,4 milhão/mês