Rodrigo Capella em turnê | Digestivo Cultural

busca | avançada
92061 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
>>> Irene Ravache & Alma Despejada na programação online do Instituto Usiminas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 9° Festival Internacional do Documentário Musical
>>> Até Faustão apoia os protestos
>>> Zastrozzi
>>> Direita, Esquerda ― Volver!
>>> Como os jornais vão se salvar
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Concisão e sensibilidade
>>> Blog do Reinaldo Azevedo
>>> Alerta aos que vão chegar
>>> Cultura e Patrocínio
Mais Recentes
>>> Psicologia e Pedagogia de Jean Piaget pela Forense Universitária (1998)
>>> Dicionário Temático do Ocidente Medieval de Jacques Le Goff & Jean-Claude Schmitt pela Edusc (2002)
>>> Como Orientar a Criança Excepcional - vol. 8 - Curso de Orientação Educacional de Jay Aruda Piza pela Pontes (2020)
>>> O Estruturalismo de Jean Piaget pela Difel (1979)
>>> Higiene Mental das Crianças e Adolescentes- vol. 7 - Curso de Orientação e Educacional de Dep. de Instrução Pública de Genebra pela Ponte (1972)
>>> O Pós-dramático de J. Guinsburg e Silvia Fernandes pela Perspectiva (2009)
>>> Poesia soviética de Lauro Machado Coelho pela Algol (2007)
>>> Pétala Soletrada pelo Vento de Mariayne Nana pela Urutau (2018)
>>> Tomidez e Adolescência vol. 6 - Curso de Orientação Educacional de Jean Lacroix pela Pontes (1972)
>>> Ensaios Reunidos (1946-1971), V. 2 de Otto Maria Carpeaux pela Topbooks (2005)
>>> Como compreender seu Potencial de Myles Munroe pela Koinonia Comunidade (1995)
>>> Louvai a Deus Com Danças de Isabel Coimbra pela Profetizando Vida (2000)
>>> A missão de Interceder de Durvalina B. Bezerra pela Descoberta (2001)
>>> O Contrabandista de Deus de Irmão André. John e Elizabeth Sherrill pela Betânia (2003)
>>> Ensaios Reunidos 1942 - 1978 Vol. 1 de Otto Maria Carpeaux pela Topbooks (1999)
>>> O Dízimo e o Sábado não são Cristãos de Fernando César Roelis Padilha pela Xxxxxxxxxxxx (1995)
>>> Socorro, Temos Filhos! de Dr. Bruce Narramore pela Mundo Cristão (1992)
>>> Fale a verdade consigo mesmo de Willian Backus Marie Chapian pela Betânia (1989)
>>> Como controlar as Tensões no Camento de Bill e Vonette Bright pela Candeia (1990)
>>> Satanás está vivo e Ativo no planeta terra de Hal Lindsey pela Mundo Cristão (1981)
>>> Venha O Teu Reino de David W. Dyer pela Ministério Grão de trigo (1985)
>>> Eu, um Servo? Você está Brincando! de Charles Swindoll pela Betânia (1983)
>>> Que Há Por Trás Da Nova Ordem Mundial? de E. G. White pela Vida Plena (1995)
>>> Cerco de Jericó a caminho da vitoria de Pe. Alberto Gambarini pela Ágape (2005)
>>> Comunicação a Chave para o Seu Camento de H. Norman Wright pela Mundo Cristão (1983)
>>> Princípios de Interpretação da Bíblia de Walter A. Henrichsen pela Mundo Cristão (1983)
>>> Apocalipse versículo por versículo de Severino Pedro da Silva pela Cpad (1985)
>>> Boas Esposas de Louisa May Alcott pela Principis (2020)
>>> O que o Ato Conjugal significa para o Homem de Tim e Beverly LaHaye pela Betânia (2020)
>>> Crime e Castigo de Fiódor Dostoiévski pela Principis (2020)
>>> Satanismo de Daniel e Isabela Mastral pela Xxxxxxxxxxxx (2001)
>>> Um Espírito Demoníaco de Morris Cerulo pela Imprensa da Fé (1998)
>>> Assassins Creed de Christie Golden pela Galera (2020)
>>> O dia em que o Presidente Desapareceu de Bill Cliton e James Patterson pela Record (2018)
>>> O dia em que o Presidente Desapareceu de Bill Cliton e James Patterson pela Record (2018)
>>> A Canção do Sangue de Anthony Ryan pela Leya (2014)
>>> Memórias de um Suicida (Obra Mediúnica) de Yvonne do Amaral Pereira pela Federação Espírita Brasileira (2003)
>>> Mundo Como Vontade e Como Representação - I Tomo de Arthur Schopenhauer pela Unesp (2005)
>>> As 100 Melhores Histórias Eróticas da Literatura Universal de Flávio Moreira da Costa pela Ediouro (2020)
>>> As 100 Melhores Histórias Eróticas da Literatura Universal de Flávio Moreira da Costa pela Ediouro (2020)
>>> Mahatma Gandhi - Politik und Gewaltlosigkeit de Otto Wolff pela Musterschimidt-Verlag (1963)
>>> Marionetes Populares de Yvonne Jean pela Din (1955)
>>> As Bacanas = Plauto de Newton Belleza pela Emebê (1977)
>>> Trinta Toques de Rogério Viana pela Engenho da Letra (1999)
>>> O Teatro de Cervantes de José Carlos Lisboa pela Os Cadernos de Cultura (1952)
>>> O Teatro de Oraci Gemba de José Plínio pela Do autor (1994)
>>> Teatro Moderno = O Anúncio feito a Maria de Paul Claudel pela Agir (1968)
>>> O Palco dos Outros de Sérgio Brito pela Rocco (1993)
>>> Importe-se o Bastante para Confrontar de David Augsburger pela Cristã Unida (1996)
>>> Mais de Nogueira Salton pela Do autor (2009)
BLOG >>> Posts

Sexta-feira, 21/3/2008
Rodrigo Capella em turnê

+ de 3400 Acessos
+ 6 Comentário(s)

No Brasil, se lê menos de dois livros por ano. Poeta: desista enquanto é tempo. Pare de escrever, pare de ter trabalho, vá para a praia, pegue uma onda, vá transar!(...) Os poucos livros de poemas que chegam às livrarias ficam em estantes empoeiradas, lá no fundo — ou seja, o público não encontra e nunca compra. Então a editora, de saída, já não publica livro de poesia.(...) Às vezes, repenso tudo: será que a literatura vale a pena? Será que vale a pena continuar a publicar? Será???

1. Rodrigo, como um músico, o escritor hoje tem de sair em turnê?
Ler é uma arte e, no Brasil, somente poucas pessoas conseguem fazê-la sem serem motivadas. A grande maioria precisa de constantes estímulos para pegar um livro, virar uma página e alcançar o verdadeiro tesão literário. Uma das maneiras de fazer isso acontecer chama-se... feira literária. Nas feiras o leitor se sente motivado, conversa com o autor, troca experiências e até atinge o orgasmo. Ler é um pouco como sexo: só é bom quando se atinge o orgasmo. Para isso, o leitor precisa de estímulo e esse estimo se dá nas feiras. Portanto, as feiras são muito importantes, eu diria que elas são imprescindíveis. Sem as feiras, não há literatura; sem as feiras, não há estímulo; sem as feiras, não há leitura; sem as feiras, não há escritor. Portanto, quem fala mal das feiras ou está mentindo ou está totalmente engando. Um país não se faz só com livros, mas sim com feiras. O escritor que não participa de feiras não é um escritor verdadeiro: ele é fruto de sua imaginação, ele é egoísmo puro. O escritor verdadeiro percorre o Brasil, divulga sua literatura e forma novos leitores. O escritor falso fica acomodado em casa, não faz coisa nenhuma, só fica escrevendo versinhos chatos...

2. Você concorda com o pessoal do Literatura Urgente, que dá aos eventos um peso tão grande quanto dá aos livros?
Plenamente. Ao publicar um livro, o autor passa por tanta burocracia que até dá desgosto. Quando lancei os meus livros, eu realmente me senti incomodado. Eu me perguntava: afinal, é sempre assim? Isso não muda? Tanto é que eu demorei quase dez anos para lançar Enigmas e Passaportes, meu segundo livro. Antes do lançamento, fiz várias reuniões com as editoras e precisei cuidar de alguns detalhes chatos, mas necessários. Participar de feiras é muito mais gostoso. Não existe burocracia. Há, pelo contrário, um sentimento de conquista, de poder conversar cara a cara com o leitor, de ser questionado e até de levar um tapa na cara. Tudo pode acontecer e isso é mágico. O autor pode dar uma autógrafo ou pode levar um murro. Eu repito: só pode se considerar escritor quem participa das feiras.

3. O Saramago tinha razão quando disse que, depois do Nobel, eram tantos os compromissos que ele mal conseguia escrever... — ou você acha que uma coisa não tem necessariamente a ver com a outra?
É verdade, isso é fogo. Acontece, sim. Eu, por exemplo, tive que adiar a publicação de meus livros Poesia não vende e Rir ou chorar porque estava participando de tantas feiras que não tinha condições de escrever e participar ao mesmo tempo. Optei por privilegiar as feiras e foi a melhor coisa que fiz. O bom escritor tem que dividir seu tempo entre escrever e participar de eventos. Infelizmente, não se pode enviar um sósia... O mundo da literatura é punk, cansativo. O escritor não pode ter vaidade, tem de ser persistente, tem de mostrar que tem valor, tem de ser ousado, agressivo até. Quem for bonzinho demais, não serve!

4. Todo mundo fala das platéias de leitores do Sul, você — que já participou de feiras em Porto Alegre, Curitiba, Joinville e Florianópolis — acredita, também, que é diferente do resto do Brasil?
É totalmente diferente. Sinceramente, o Sul é outro país. Lá, as pessoas valorizam a literatura, gostam realmente de ler e não precisam de motivação adicional. O sulista lê porque ele simplesmente gosta de ler. Em Florianópolis, por exemplo, eu fui o mediador de um debate chamado "Poesia e blog: isso combina?". O pessoal compareceu em peso, faltou até cadeira. Em Porto Alegre, lancei meu livro Poesia não vende. Resultado: fizeram fila para eu autografar. Em Curtiba, eu encontrei o meu amigo Moacyr Scliar, e ele me disse: "Rodrigo, você é um talento!". Percebe? Vale a pena participar das feiras, ainda mais no Sul. Você sempre tem uma boa experiência.

5. Qual a sua expectativa para Minas Gerais (Poços de Caldas e Pouso Alegre)? E em Tocantins, o que será que te aguarda?
No dia 5 de abril, vou lançar o meu livro Poesia não vende em Poços e também vou participar de um debate poético, para falar sobre algumas tendências. Você sabia que, na Europa, muitos editores estão escolhendo os autores a partir dos blogs? E que os poetas têm mais visibilidade? É sobre isso que eu irei falar, discutir com outros poetas e conversar com a platéia. Debate para mim só é bom com a participação da platéia. Uma platéia interativa. E os leitores de poesia são, em geral, mais inteligentes do que os leitores de prosa. Não são leitores acomodados. Em Tocantins, eu vou ministrar uma palestra também sobre poesia. Já em Pouso Alegre, eu vou ministrar a palestra "Blog, poesia e dicas para se publicar um livro"...

6. Pegando o gancho dessa sua palestra, o que você diria para quem tem hoje um blog e quer publicar, depois, um livro?
No Brasil, se lê menos de dois livros por ano. Desista enquanto é tempo. Pare de escrever, pare de ter trabalho, vá para a praia, pegue uma onda, vá transar. Mas, se você realmente gosta de literatura, se você não vive sem ela, se ela é importante pra você, não desista, nunca desista, vá em frente e busque seu espaço. Publicar textos em blog é um bom começo, mas aqui, no Brasil, não é suficiente. Participe de feiras literárias, leia bastante, converse com escritores, incremente seu blog e sempre converse com seus leitores, eles são muito importantes. Um escritor não faz sucesso sem leitores. A equação é simples. Coloque a mão na massa, escreva belos versos e atualize sempre o seu blog.

7. E, pegando carona em outro tema, você precisou afirmar que "poesia não vende" para, em seguida, vendê-la — como é isso?
No Brasil, vende o negativo. Se eu lançasse um livro chamado Poesia vende, nunca iria vender. É aquela velha história: se te entregam um envelope lacrado e falarem: "não leia". O que você vai fazer? Você vai ler! É uma coisa simples que funciona bem. Você estimula o leitor a ler! Mas o livro tem fundamento. Poesia não vende defende que a poesia precisa ser valorizada, que ela tem luz própria e não precisa das outras artes para sobreviver. Atualmente existe quase um complô contra a poesia: se você leva um livro de poemas para uma editora, ela vai te falar o quê? "Poesia não vende". Já virou jargão. Os poucos livros de poemas que chegam às livrarias ficam em estantes empoeiradas, lá no fundo — ou seja, o público não encontra e nunca compra. Então a editora, de saída, não publica livro de poesia... Fecha-se o ciclo.

8. E como tem ido o seu Rir ou Chorar, sobre a vida de Ricardo Pinto e Silva? Tem outros projetos para se lançar, novamente, no terreno do jornalismo (e da biografia)?
O livro tem me surpreendido. Tem vendido muito bem e as resenhas têm sido positivas. O Rubens Ewald Filho, por exemplo, disse que o livro é uma aula de cinema. Os críticos de jornal também elogiaram bastante. Tenho outros projetos nessa área, mas infelizmente não posso divulgar ainda, pois o contrato com a editora me impede... Em breve, meus leitores vão saber, será algo difrente, inovador.

9. Fazendo um balanço dos seus cinco livros, o que dá mais trabalho: escrever, publicar, divulgar ou vender?
Fazer tudo junto é que é o problema. Por isso, eu fico constantemente louco. Às vezes, repenso tudo: será que a literatura vale a pena? Será que vale a pena continuar a publicar? Será? Penso, repenso e continuo em frente. Sim! Escrever, publicar e participar de feiras vale a pena! Eu vivo isso, eu respiro livros, eu sou um escritor que está inserido na literatura e que não pretende sair. Eu tenho um missão: valorizar a poesia, e vou fazer isso pelo resto de minha vida... No meu túmulo, quero que escrevam: quem respira versos, sonha poesia.

10. Uma última mensagem para seus leitores?
As feiras no Brasil ainda estão começando. Ainda tem muita feira para ser criada, tem muito evento literário para acontecer, tem muita coisa para mudar. No Brasil se lê muito pouco, como eu disse, menos de dois livros por ano. Na Colômbia, se lê dois, e na França, sete. Percebeu a disparidade? Ainda tem muito para se fazer aqui? Claro que tem. O Brasil vai ser, em breve, o país da leitura, a leitura vai estar na ponta da língua do povo. Leitura vai ser como Big Brother Brasil. É, eu tenho fé e acredito na mudança. Já está começando...

Para ir além
Rodrigo Capella on-line


Postado por Julio Daio Borges
Em 21/3/2008 às 12h37


Quem leu este, também leu esse(s):
01. 15 de Setembro #digestivo10anos de Julio Daio Borges
02. Paranapiacaba de Eduardo Mineo


Mais Julio Daio Borges no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
21/3/2008
13h57min
Todos estão lá na feira: Fernando Pessoa, Eliot, Pound, Baudelaire, Drummond, Cabral, Lorca. E vão chegando: Manoel De Barros, Hilda Hilst, Camões, Dante Alighieri. Todos na feira. Juntam-se aos novos autores. "Literatura vai ser como Big Brother Brasil." E poesia, mesmo, eu pego de graça nas feiras de quarta, aqui pertinho de casa. Abrações do Mário!!!
[Leia outros Comentários de Mário G. Montaut]
21/3/2008
16h34min
Entre falar e ser... há uma grande diferença. Todo mundo sabe que poesia nunca vendeu. É muito fácil dizer o que todos sabem, trazer algo de novo... é que são elas. Viva as confrarias e as panelinhas literárias!
[Leia outros Comentários de Cássio Amaral]
22/3/2008
13h42min
Rodrigo, você acertou em cheio quando dá valor aos eventos literários. O autor tem que ir, o artista tem que estar onde o povo está. Quanto a se vale a pena todo este trabalho que o autor brasileiro tem que ter - para muitas vezes nem ser lido, para muitas vezes nem ter dinheiro para voltar de alguma feira em outro estado a qual ele tenha ido -, lhe digo, viver vale a pena e se nossa vida, a dos escritores, só vale a pena se transpirarmos literatura, tudo faz muito sentido. Nosso salário? Nossa recompensa? Penso que virá de nossa história, que um dia será contada e servirá de inspiração a muitos, a todos aqueles que acreditam ser a felicidade resultado de ter a coragem de viver um sonho. Um abração, Eliana.
[Leia outros Comentários de Eliana de Freitas]
24/3/2008
22h39min
Creio que tenha acertado no ponto chave para a questão de poesia ser tão discriminada aqui no Brasil. Se compararmos com Portugal, onde o poeta vai a feiras, eventos, encontros e recita sua poesia para o público, para seus leitores, isso cria um vínculo, um encanto ainda maior, sente-se a poesia viva e não só um momento de inspiração que se perdeu no papel. Mas aqui ficam (não todos, claro) em casa esperando colher os louros da glória. Poesia é vida, é contato, é respirar, é olhar em volta e ver alguém sorrindo ao ouvir (ler) um verso. Espero poder acompanhar a palestra aqui em Pouso Alegre. Abraço.
[Leia outros Comentários de Bill]
4/4/2008
09h04min
... já pras feiras!
[Leia outros Comentários de Guto Maia]
5/4/2008
15h06min
Esta situação é terrível. Os tentáculos que impedem-nos são imensos. Porém, creio que podemos nos inserir. Não agora. Mas já foram dados os passos iniciais. Escrevi e produzi meus livros e os dei às pessoas, ou só alguns poucos amigos e familiares é que compraram - talvez por piedade ou porque realmente sacaram o valor do seu conteúdo.
[Leia outros Comentários de Ademario Ribeiro]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




IDÉIAS QUE PINTARAM
WALMIR CEDOTTI
AQUARIANA
(2003)
R$ 12,00



CABALLITO GRIS - CONTOS (EM ESPANHOL) - LITERATURA INFANTO-JUVENIL
MARÍA ELVIRA FERNÁNDEZ SA
EDITORIAL ORIENTE (CUBA)
(2004)
R$ 8,00



A LIBERDADE DOS INDIOS A COMPANHIA DE JESUS SUA PEDAGOGIA E SEU RESULT
M. DE MADUREIRA - 9797
IMPRENSA NACIONAL
(1929)
R$ 30,00



ARSENAL DE UMBANDA
EVANDRO MENDONÇA
ANUBIS
(2012)
R$ 28,00



PRÉCIS DE PATHOLOGIE MÉDICALE TOME 3 MALADIES DE L APPAREIL
FERNAND BEZANÇON
MASSON ET CIE EDITEURS
(1931)
R$ 61,41



ENCONTROS E DESENCONTROS NA ESCOLA
LÁIS ESTEVES LOFFREDI
FRANCISCO ALVES
(1980)
R$ 5,00



SEMIOLOGIA QUIRURGICA DEL APARATO LOCOMOTOR
CARLOS A. DEFILIPPI NOVOA
BIBLIOGRAFICA ARGENTINA
(1963)
R$ 49,02



HALF WILD: 2
SALLY GREEN
INTRÍNSECA
(2015)
R$ 17,99



O EU, O PODER, AS OBRAS - CONTRIBUIÇÃO DE UMA EXPERIÊNCIA
LUIGI GIUSSANI
CIDADE NOVA
(2001)
R$ 5,00



O HOMEM O DRAMA DE UM NEGRO NA PRESIDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS
IRVING WALLACE
RECORD
(1964)
R$ 6,90





busca | avançada
92061 visitas/dia
2,2 milhões/mês