Nietzsche reloaded | Digestivo Cultural

busca | avançada
57174 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Kura retoma Grand Bazaar em curta temporada
>>> Dan Stulbach recebe Pedro Doria abrindo o Projeto Diálogos 2024 da CIP
>>> Bert Jr. aponta sintomas de uma sociedade mal-orientada em “Fict-Essays e Contos Mais Leves”
>>> Novo livro de Vera Saad resgata política brasileira dos anos 90 para destrinchar traumas familiares
>>> Festival de Cinema da Fronteira e Sur Frontera WIP LAB abrem inscrições
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> The Nothingness Club e a mente noir de um poeta
>>> Minha história com o Starbucks Brasil
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, o homem por trás da Nvidia (2023)
>>> Philip Glass tocando Opening (2024)
>>> Vision Pro, da Apple, no All-In (2024)
>>> Joel Spolsky, o fundador do Stack Overflow (2023)
>>> Pedro Cerize, o antigestor (2024)
>>> Andrej Karpathy, ex-Tesla, atual OpenAI (2022)
>>> Inteligência artificial em Davos (2024)
>>> Bill Gates entrevista Sam Altman, da OpenAI (2024)
>>> O maior programador do mundo? John Carmack (2022)
>>> Quando o AlphaGo venceu a humanidade (2020)
Últimos Posts
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
>>> Ser ou parecer
>>> O laticínio do demônio
>>> Um verdadeiro romântico nunca se cala
>>> Democracia acima de tudo
>>> Podemos pegar no bufê
>>> Desobituário
>>> E no comércio da vida...
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Sociedade dos Poetas Mortos
>>> 23º Festival Mix Brasil de Cultura e Diversidade
>>> De Lucia, McLaughlin, Di Meola
>>> Dos portões abertos de Auschwitz, 58 anos depois
>>> A reação do cinemão
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Minha história com Marisa Monte
>>> Eu não uso brincos
>>> Meu filho e minha mãe
>>> Literatura para quê?
Mais Recentes
>>> Sanduiches Especiais de Vinícius Martini Capovilla pela Senac São Paulo
>>> Guerra Dos Tronos: As Cronicas De Gelo E Fogo - Livro 1 de George R. R. Martin pela Leya Brasil
>>> A Camareira de Nita Prose pela Intrínseca
>>> Pan-asian Collective (Shadowforce Archer) de Clayton A Steve; Gearin Scott; pela Alderac Entertainment Group (2024)
>>> Alguém Que Você Conhece de Shari Lapena pela Record (2023)
>>> Destino de Ally Condie pela Suma De Letras (2011)
>>> Contágio de Robin Cook pela Best Bolso (2008)
>>> Garota Infernal de Diablo Cody pela Record (2009)
>>> O Teatro de Um Homem Só de Ademar Guerra pela Senac
>>> Garota Infernal de Diablo Cody pela Record (2009)
>>> Turbilhão de James Clavell pela Record (1986)
>>> O Lesbianismo no Brasil de Luiz Mott pela Mercado Aberto (1987)
>>> 3001 A Odisséia Final de Arthur C. Clarke pela Nova Fronteira (1997)
>>> Wilhelm Reich: Biografía de una idea, de Luigi de Marchi pela Ediciones Penisula (1970)
>>> Gai-jin Volumes 1 e 2 de James Clavell pela Record (1995)
>>> Duas Mulheres de Martina Cole pela Record (2008)
>>> O Trono Lobo Gris Vol. III de Cinda Williams Chima pela Suma De Letras (2015)
>>> Sr. Daniels de Brittainy C. Cherry pela Record (2015)
>>> A Viagem De Theo de Catherine Clement pela Cia. Das Letras (1998)
>>> O Centro E As Margens: Prostituic§aƒo E Vida Boe‚mia Em Londrina, 1930-1960 de Antonio Paulo Benatti pela Aos Quatro Ventos (1999)
>>> Casa Nobre Volumes 1 e 2 de James Clavell pela Circulo do Livro (1981)
>>> O Livro Dos Espelhos de E. O. Chirovici pela Record (2017)
>>> O Meio Irmao de Lars Saabye Christensen pela Objetiva (2005)
>>> Cidade Das Cinzas de Cassandra Clare pela Galera Record (2014)
>>> O Fantasma Dos Grandes Bancos de Arthur C. Clarke pela Publicações Europa-américa (1990)
BLOG >>> Posts

Terça-feira, 23/12/2014
Nietzsche reloaded
+ de 3100 Acessos

Foi em 2000, numa das nossas primeiras viagens pra Bahia, que eu levei um livro sobre Nietzsche. Não conseguia parar de ler e a Carol me fotografou, em pleno Mangue Seco, lendo Nietzsche na praia. As fotos ficaram tão boas que ilustram meu primeiro site.

Tudo o que sei sobre fotografia, e que se reflete nas fotos que tiro da Catarina, aprendi com a Carol, com os amigos da Carol da FAU, e com as fotos que eu mesmo tirei dela, Carol. Outro dia a Carol disse, brincando, para a Catarina, que perdeu o lugar nas minhas fotos...

Voltando ao Nietzsche, não lembro quando ouvi falar dele pela primeira vez. Mas lembro de ler sobre ele, por exemplo, na biblioteca de uma casa em que ficamos durante a Oktoberfest de 1993, em Blumenau. A moça era super legal e deixava a gente ouvir os discos dela, LPs.

Me espantou que o Nietzsche criticasse Platão e, principalmente, Sócrates. Mas me encantou sua crítica ao racionalismo exacerbado que se seguiu depois, e que segue até hoje. Racionalismo científico, se quiserem. E que, obviamente, não explica tudo...

Topei com Nietzsche, agora lembro, também em livros de frases, na mesma década de 90. Mas minha maior "introdução" talvez tenha sido durante as aulas do professor Roberto Bolzani Filho, que eu descobri ainda dentro da Poli e que me fizeram prestar Filosofia depois.

Era um curso sobre a Metafísica, de Aristóteles, na FFLCH. Mas começava lá atrás, com os Diálogos de Platão. Quer dizer, começava bem antes, com aulas dedicadas aos Pré-socráticos. Eu cotejava as aulas com os respectivos capítulos na História da Filosofia do Bertrand Russell...

Nietzsche é talvez o filósofo mais acessível a nós, porque é moderno. Ao contrário de apresentar sistemas, escreve em primeira pessoa. Como tinha saúde frágil, especializou-se no texto curto, nas frases de efeito. É direto; não constrói longas cadeias de raciocínio dedutivo.

Aquele livro sobre o Nietzsche, me fez escrever um texto no centenário do filósofo, em 2000, que eu - parafraseando o Zaratustra - denominei: "Assim falava Nietzsche". É um grande resumo da filosofia dele. E que eu resolvi transformar em e-book...

Depois resenhei outros livros de Nietzsche, como a Genealogia da Moral, e, a convite do meu ex-editor, Fabio Cardoso, escrevi um outro texto, sobre o mesmo Nietzsche, para uma revista. Mas acredito que nada ficou tão bom quanto "Assim falava Nietzsche".

Na sequência de "A Poli como Ela é...", estou relendo as coisas do meu primeiro site, e organizando. Mas resolvi soltar esse "Nietzsche", em versão "stand alone", porque acho que ele merece. Se você leu até aqui, baixe, pelo menos, o sample, no seu iPhone, iPad, Android (até browser).

Modéstia à parte, é uma boa introdução ao Nietzsche. Faz par com um outro texto que escrevi sobre Freud, e que é um hit do Digestivo. Nietzsche, Freud, gente que definiu o século XX e que continua influenciando a nossa vida. Nesta época do ano, pode ser divertido ;-)

Para ir além
Assim falava Nietzsche


Postado por Julio Daio Borges
Em 23/12/2014 às 13h35

Mais Julio Daio Borges no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Tarô: o Baralho Mágico
Maria Helena Farelli
Pallas
(1984)



Livro Artes O Que É e o que Nunca Foi Design Gráfico Série Design
André Villas-Boas
Novas Idéias
(2007)



Ainda Estamos Vivos
J.M. Simmel
Rio Gráfica
(1985)



/Arte e Decoração de Interiores
Alayde Parisot Mascarenhas
de Ouro
(1979)



Obamanomics: Como a economia da justiça pode mudar o mundo
John R. Talbott
Arx
(2009)



Introdução ao Desenvolvimento Social
Helio Jaguaribe
Circulo do Livro



Livro Literatura Estrangeira Um Mistério para Ernest Hemingway Coleção Suspense
Michael Atkinson
Globo
(2011)



A Morte na Visão do Espiritismo
Alexandre Caldini
Sextante
(2017)



Auto da Barca do Inferno
Gil Vicente
Hedra
(2004)



Manual Prático de Assessoria de Imprensa
Léa Maria Aarão Reis, Cláudia Carvalho
Elsevier
(2008)





busca | avançada
57174 visitas/dia
1,8 milhão/mês