Os inominados | Voz de Leigo

busca | avançada
64869 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Conto HAYEK, de Maurício Limeira, é selecionado em coletânea da Editora Persona
>>> Os Três Mosqueteiros - Um por Todos e Todos por Um
>>> Sesc 24 de Maio recebe o projeto Parlavratório - Conversas sobre escrita na arte
>>> Cia Caravana Tapioca faz 10 anos e comemora com programação gratuita
>>> Eugênio Lima dirige Cia O GRITO em novas intervenções urbanas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
>>> A história de Chieko Aoki
>>> Uma história do Fogo de Chão
>>> BDRs, um guia
>>> Iggor Cavalera por André Barcinski
>>> Dave Brubeck Quartet 1964
Últimos Posts
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
>>> Indistinto
>>> Mais fácil? Talvez
>>> Riacho da cacimba
>>> Mimético
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Uma vida bem sucedida?
>>> A morte da Capricho
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Bienal do Livro Bahia
>>> A primeira hq de aventura
>>> Como Passar Um Ano Sem Facebook
>>> Mulheres de cérebro leve
>>> O curioso caso de Alberto Mussa
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> Digestivo Cultural: 10 anos de autenticidade
Mais Recentes
>>> Dicionário espanhol + Bônus: vocabulário prático de viagem de Melhoramentos pela Melbooks (2007)
>>> Memorias De Um Sargento De Milicias de Manuel Antônio de Almeida pela Ática (2010)
>>> Turma da Mônica Jovem: Escolha Profissional de Maurício de souza pela Melhoramentos (2012)
>>> Xógum Volume 1 e 2 de James Clavell pela Círculo do Livro
>>> Viva à Sua Própria Maneira de Osho pela Academia
>>> Virtudes - Excelência Em Qualidade na Vida de Paulo Gilberto P. Costa pela Aliança
>>> Violetas na Janela de Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho pela Petit
>>> Vida sem Meu Filho Querido de Vitor Henrique pela Vitor Henrique
>>> Vida Nossa Vida de Francisco Cândido Xavier pela Geem
>>> Vida Depois da Vida de Dr. Raymond e Moody Jr pela Circulo do Livro
>>> Vícios do Produto e do Serviço por Qualidade, Quantidade e Insegurança de Paulo Jorge Scartezzini Guimarães pela Revista dos Tribunais
>>> Viagem na Irrealidade Cotidiana de Umberto Eco pela Nova Fronteira
>>> Uma Só Vez na Vida de Danielle Steel pela Record (1982)
>>> Uma Família Feliz de Durval Ciamponi pela Feesp
>>> Um Roqueiro no Além de Nelson Moraes pela Speedart
>>> Um Relato para a História - Brasil: Nunca Mais de Prefácio de D. Paulo Evaristo pela Vozes
>>> Um Longo Amor de Pearl S Buck pela Circulo do Livro
>>> Um Estranho no Espelho de Sidney Sheldon pela Circulo do Livro
>>> Tudo Tem um Porquê de Marcelo Cezar pela Vida e Consciência
>>> Tragédias 1 de Shakespeare pela Abril Cultural (1981)
>>> Tragédia Em Três Atos de Agatha Christie pela Nova Fronteira
>>> Themen Aktuell 1 de Maria Helena Voorsluys Battaglia pela E. P. U./ Hueber
>>> Testemunha da Acusação de Agatha Christie pela Record
>>> Terra Nua de Morris West pela Círculo do Livro
>>> Terceiro Milênio - Decida-se ! de Valéria Cazeloto pela Valéria Cazeloto
BLOGS >>> Posts

Quinta-feira, 21/5/2015
Os inominados
João Jackson Costa

+ de 1400 Acessos




Em minhas "andanças" pelas Escrituras deparei-me com aquilo que hoje criei coragem para discorrer mais detidamente a respeito. São trechos dos evangelhos em que Jesus se encontra com pessoas concretas e nelas se veem verdadeiras catequeses.
São diversos esses encontros de Cristo que se podem saborear e nos conduzem a um amadurecimento na fé - Madalena, Zaqueu, Natanael, a samaritana, o cego de Jericó, a hemorroíssa, e tantos outros mais.

Entretanto, percebi que há também pessoas que são, por assim dizer, inominadas; não nos são 'apresentadas' e o contexto chega a ser tão explícito que as conhecemos sem delas saber o nome ou a procedência. Apenas estão lá, com suas atitudes registradas pelos evangelistas.

Isso me chamou a atenção, de modo que me permiti comentar sobre elas. Para tanto escolhi três dessas situações, que são essas:
1] - Crucificado, Jesus fica entre dois malfeitores. Um deles o evangelista diz chamar-se Dimas. E o outro, como se chama?
2] - Ressuscitado, Jesus tem sua visita aos apóstolos contestada por Tomé. Esse apóstolo é chamada também como "Dídimo", que quer dizer "Gêmeo". Ou seja, Tomé, o incrédulo, tem um irmão gêmeo. Como se chama esse irmão?
3] Durante o percurso de Jerusalém a Emaús Cristo aparece e inflama o coração de dois discípulos, que o reconhecem apenas ao partir o pão. Um deles o evangelista diz que se chama Cléofas. Qual o nome do outro discípulo?

Apartados das multidões que seguiam Jesus, em episódios pontuais, essas pessoas aparentemente desconhecidas são colocadas pelos evangelistas de modo que compõem a moldura de um cenário catequético e mesmo querigmático.
Partindo desses três episódios é-nos permitido pensar que se trata de uma forma de evangelização utilizada pela Igreja primitiva, a mesma que a reforma teológica iniciada com o Concílio Vaticano II tem revigorado em nossa Igreja.
Os últimos papas - Paulo VI, João Paulo II, Bento XVI- e também o atual, Francisco, em muito contribuíram para resgatar esse modo de evangelizar.
Sabemos que os Evangelhos não são relatos puramente históricos da vida de Jesus. Antes, constituem um modo utilizado pela Igreja Primitiva para catequizar os que buscavam a Igreja para serem batizados e experimentar a mesma alegria que viam nos cristãos de sua época, mesmo em meio à perseguição política e religiosa de seu tempo.
E qual seria esse "método"? O de catequizar por meio de diálogos que colocam a adesão a Cristo, crucificado e ressuscitado, numa dimensão existencial, já em vista da escatologia dos últimos tempos.
Assim, o catequizando torna-se parte intrínseca do processo; a catequese o insere em cada momento registrado da presença de Cristo. Algumas vezes fazendo parte da multidão - como no sermão da montanha, na pesca milagrosa, na multiplicação dos pães, etc. Em outras, a participação é individual, como nos momentos que ressaltei.

Observando segundo esse enfoque, podemos direcionar para quem escuta a identidade da pessoa que os trechos proclamados mencionam. Assim, o "ladrão" ao lado de Jesus sou eu, é você. O irmão gêmeo de Tomé e o companheiro de Cléofas, também.
Ou seja, somos nós os que blasfemamos diante do Crucificado; somos nós ainda um dos que duvidam da ressurreição - possivelmente porque nos encontramos sepultados em nossos pecados - e também somos nós que não conseguimos identificar Cristo no outro, que caminha ao nosso lado. Somos lentos para entender o cumprimento das Escrituras - não só na vida de Jesus, que alguns de nós conhecemos até de cor, mas, sobretudo em nossa própria vida - em casa, na escola, no trabalho, na comunidade...

Jesus vai ao nosso lado e não o reconhecemos!

Outro aspecto interessante é que, antes da ressurreição esses encontros "personalizados" se dão geralmente em meio à multidão. Apenas depois da Páscoa é que ganham esse contexto particular. Ressuscitado, o Senhor se torna mais ainda "um conosco", faz-se presente na individualidade de cada um para nos conduzir à comunhão com os outros, a nos fazer verdadeiramente Igreja-comunidade.
Penso que isso também é uma forma de centrar nosso enfoque para o principal. São Paulo e outros apóstolos garantem que o eixo do Cristianismo não se encontra no Jesus histórico, aquele que percorreu as estradas e cidades de Israel do tempo da dominação romana. Mesmo sua paixão e a morte foram "etapas" até alcançar o ponto principal e que permanece até hoje como o centro da pregação - um homem venceu a morte, foi sepultado, mas de lá saiu sem experimentar a corrupção.
Essa garantia a tiveram os apóstolos e os que creram na sua palavra, no anúncio que receberam de quem testemunhou isso tudo. E para nós isso deveria ser suficiente, se tivéssemos força de vontade para resistir aos que nos dizem o contrário.

No entanto, nos escandalizamos quando nos deparamos com o nosso próprio pecado, seja ele qual for. Em nossa ideia de justiça queremos ser perfeitos por nossas próprias forças e isso, por não vir de Deus, não o conseguimos. Queremos estar convertidos de uma vez por todas, mas a realidade, o dia a dia nos faz experimentar que isso é algo impossível, pois esbarramos sempre em nossa limitação.
Por que Deus permite que seja assim? Creio que São Paulo tem a resposta: quando escreve aos cristãos de Roma afirma que somos seres carnais e não espirituais; e que o homem da carne não pode agradar a Deus, não pode realizar as obras do Espírito.
Quando nos voltamos para as coisas do Espírito a nossa carne - nossas concupiscências - reclama, porque deseja ser saciada. Isso nos leva ao combate interior, cujo resultado fica evidente apenas a quem nos observa com atenção. São as nossas atitudes que revelam o vencedor dessa batalha que se trava lá no íntimo de nós.
Se em nós venceu o Espírito de Deus, nosso comportamento exterior revela essa condição. E também se venceu a carne!

Se, mesmo ganhando o mundo, somos tristes e acabrunhados, 'reclamões' e insatisfeitos, permanecemos, como os personagens mencionados ao início, inominados, dispersos na multidão, qual massa disforme, sem pertença particular a grupo algum.

É o que desejamos?


Postado por João Jackson Costa
Em 21/5/2015 às 11h35


Mais Voz de Leigo
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Olhar, Escutar, Ler - 1ª Edição
Claude Lévi-strauss
Companhia das Letras
(1997)



Treinamentos Comportamentais:
Douglas de Matteu, Massaru Ogata, M. Sita
Ser Mais Ltda
(2013)



O Jogo das Palavras - Aprendendo Português
Amélia Lacombe
Brasiliense
(1991)



Tio Pedro
Orígenes Lessa
Do Brasil



Fique sadio e esbelto sem sair do lugar - Isometria
Ilse Buck
Hemus



Rumor da Casa
Telma Scherer
7 Letras
(2008)



Os Homens do Mundaú
Valter Pedrosa
Rotero Editorial
(1984)



Gestão da Estratégia Experiências e Lições de Empresas Brasileiras
André Ribeiro Coutinho/david Kallás
Campus
(2005)



Na Margem do Rio Piedra
Paulo Coelho
Rocco
(1994)



Engage Starter Student Book
Gregory J. Manin Alicia Artusi
Oxford
(2010)





busca | avançada
64869 visitas/dia
2,2 milhões/mês