Gosto de Cereja, de Kiarostami | Blog do Carvalhal

busca | avançada
47273 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 2007 e os meus CDs ― Versão Internacional 1
>>> A felicidade, segundo Freud
>>> Memória das pornochanchadas
>>> Magia além do Photoshop
>>> Meu Telefunken
>>> Meu Telefunken
>>> Vida Virtual? Quase 10 anos de Digestivo
>>> Sombras Persas (X)
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Atmosphere
Mais Recentes
>>> Terapia do Abraço 2 de Kathleen Keating pela Pensamento (2012)
>>> História Resumida da Civilização Clássica - Grécia/Roma de Michael Grant pela Jorge Zahar (1994)
>>> Cães de Guerra de Frederick Forsyth pela Record (1974)
>>> Jogo Duro de Mario Garnero pela Best Seller (1988)
>>> Psicologia do Ajustamento de Maria Lúcia Hannas, Ana Eugênia Ferreira e Marysa Saboya pela Vozes (1988)
>>> Uma Mulher na Escuridão de Charlie Donlea pela Faro (2019)
>>> Pra discutir... e gerar boas conversas por aí de Donizete Soares pela Instituto GENS (2015)
>>> Educomunicação - o que é isto de Donizete Soares pela Projeto Cala-boca já morreu (2015)
>>> Ficções fraternas de Livia Garcia-Roza - organizadora pela Record (2003)
>>> Prisioneiras de Drauzio Varella pela Companhia das Letras (2017)
>>> O diário de Myriam de Myriam Rawick pela Dark Side Books (2018)
>>> Contos de Rubem Fonseca pela Nova Fronteira (2015)
>>> Notícias - Manual do usuário de Alain de Botton pela Intrínseca (2015)
>>> Um alfabeto para gourmets de MFK Fisher pela Companhia das Letrs (1996)
>>> Os Mitos Celtas de Pedro Paulo G. May pela Angra (2002)
>>> A vida que ninguém vê de Eliane Brum pela Arquipélago Editorial (2006)
>>> As Cem Melhores Crônicas Brasileiras de Joaquim Ferreira dos Santos - organizador pela Objetiva (2007)
>>> O tigre na sombra de Lya Luft pela Record (2012)
>>> Elza de Zeca Camargo pela Casa da Palavra (2018)
>>> Sexo no cativeiro de Esther Perel pela Objetiva (2007)
>>> O clube do filme de David Gilmour pela Intrínseca (2009)
>>> Coisa de Inglês de Geraldo Tollens Linck pela Nova Fronteira (1986)
>>> As mentiras que os mulheres contam de Luis Fernando Veríssimo pela Objetiva (2015)
>>> Equilíbrio e Recompensa de Lourenço Prado pela Pensamento
>>> Cadernos de História e Filosofia da Ciência de Fátima R. R. Évora (org.) pela Unicamp (2002)
>>> Revista Internacional de Filosofia de Jairo José da Silva (org.) pela Unicamp (2000)
>>> Dewey um gato entre livros de Vicki Myron pela Globo (2008)
>>> Ilha de calor nas metrópoles de Magda Adelaide Lombardo pela Hucitec (1985)
>>> Sua santidade o Dalai Lama de O mesmo pela Sextante (2000)
>>> Meninas da noite de Gilberto Dimenstein pela Ática (1992)
>>> Paulo de Bruno Seabra pela Três (1973)
>>> Grandes Enigmas da Humanidade de Luiz C. Lisboa e Roberto P. Andrade pela Círculo do livro (1969)
>>> A História de Fernão Capelo Gaivota de Jonathan Seagull pela Nórdica (1974)
>>> Os Enigmas da Sobrevivência de Jacques Alexander pela Edições 70 (1972)
>>> Mulheres visíveis, mães invisíveis de Laura Gutman pela Best Seller (2018)
>>> Construir o Homem e o Mundo de Michel Quoist pela Duas cidades (1960)
>>> Vida Positiva de Olavinho Drummond pela Olavinho Drummond (1985)
>>> Força para Viver de Jamie Buckingham pela Arthur S. DeMoss (1987)
>>> Consumidos de David Cronemberg pela Alfaguara (2014)
>>> Viver é a melhor opção de André Trigueiro pela Correio Fraterno (2015)
>>> O Caso da Borboleta Atíria de Lúcia Machado de Almeida pela Ática (1987)
>>> Cânticos de Cecília Meireles pela Moderna (1995)
>>> Caminho a Cristo de Ellen G. White pela Cpb - Casa Publicadora Brasileira (2019)
>>> Um Estranho no Espelho de Sidney Sheldon pela Nova Cultural (1986)
>>> Le Divorce de Diane Johnson pela Record (1999)
>>> Trajetória do Silêncio de Maria do Céu Formiga de Oliveira pela Massao Ohno-Roswitha Kempf (1986)
>>> Zezinho, o Dono da Porquinha Preta de Jair Vitória pela Ática (1992)
>>> Aconselhamento Psicológico de Ruth Scheeffer pela Atlas (1981)
>>> Razão e Revolução de Herbert Marcuse pela Paz e Terra (1978)
>>> A Doutrina de Buda de Bukkyo Dendo Kyokai pela Círculo do livro (1987)
BLOGS >>> Posts

Terça-feira, 21/7/2015
Gosto de Cereja, de Kiarostami
Guilherme Carvalhal

+ de 800 Acessos



Uma das obras mais belas e complexas no cinema recente é o filme Gosto de Cereja, do iraniano Abbas Kiarostami. Ganhador da Palma de Ouro de 1997 (dividido com A Enguia, de Shôhei Imamura), esse filme é uma fina análise da condição humana, de seus medos, desejos e fraquezas.

O filme retrata a jornada de Badii, um homem que vai cometer suicídio e roda pelas ruas procurando alguém que o ajude. O impacto começa nas primeiras cenas: percorrendo pelas ruas ele passa por grupos de homens procurando emprego, mas não para com nenhum deles. Ele prefere abordar pessoas que andam solitariamente, uma indicação de intimidade, de como seu ato é algo discreto, até pelo nível de proibição moral envolvida nele.

Badii tem todo um esquema pronto para cometer suicídio. Ele vai ingerir uma série de remédios e depois se deitar em um buraco. O seu cúmplice deve chegar ao local combinado às seis da manhã. Se ele estiver morto, deve enterrá-lo, se estiver vivo, ajudá-lo a sair do buraco. Isso tudo envolve a insegurança dele em cometer suicídio, como se dentro dessa prática tivesse uma esperança em sobreviver.

Em suas andanças ele convida três pessoas diferentes para ajudá-lo, um militar, um religioso e um cientista, cada um de uma etnia diferente. Cada um contribui com sua visão, sendo que os dois primeiros recusam e o terceiro aceita. O primeiro é um jovem soldado, cheio de medos e incertezas, e o segundo pelo aspecto de sua profissão não aceita ajudá-lo. Apenas o terceiro, com uma visão fria de cientista, se compromete em auxiliá-lo.

Todas as abordagens são solitárias. Ele convida a pessoa para entrar em seu carro e os dois vão conversando. A câmera nunca enquadra dois personagens juntos e isso aumenta o envolvimento. Não há de fato uma relação entre as pessoas e a individualidade apenas se exerce através do isolamento.

O filme deixa muitas brechas para o espectador tirar suas próprias conclusões. A insistência dele em possuir alguém com ele é uma delas. Suicídio é um ato isolado, um pedido de socorro quando se chega ao extremo. A insistência do personagem principal em ter um acompanhante indica querer tornar isso menos individual, como se dividisse a experiência com outra pessoa e, de certa maneira, permanecer vivo na sua lembrança. Um contraponto à proposta do filme, que mostra sempre a fragmentação e não a coletividade.

O desejo dele em se matar é posto em cheque várias vezes. Por exemplo, ao ser convidado para comer uma omelete, ele recusa afirmando que isso o faria sentir-se mal. Mas se ele vai cometer suicídio, qual diferença faria? Da mesma forma quando, ao sair de casa, ele volta para apagar as luzes.

A fotografia colabora para todo esse aspecto humano. As imagens são áridas, secas, uma referência ao estado de espírito de Badii, tão sereno e aparentemente decidido quando prestes a morrer. As imagens da pedreira contribuem para essa sensação.

Gosto de Cereja é uma minuciosa análise sobre a condição humana. É um filme reflexivo e cheio de brechas para quem assiste pensar. Definitivamente uma das maiores obras da história do cinema.


Postado por Guilherme Carvalhal
Em 21/7/2015 às 14h18


Mais Blog do Carvalhal
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PORTUGAL A EUROPEAN STORY
ÁLVARO DE VASCONCELOS MARIA JOÃO SEABRA
PRINCIPIA
(2000)
R$ 45,70



VASCULAR SURGERY VOL. I
ROBERT B. RUTHERFORD
FOURTH
(1976)
R$ 130,00



FIND FENÔMENO INTERVENIENTE DE NATUREZA DESCONHECIDA
J. KAUFFMANN
NOVA ERA
(2003)
R$ 58,00



A MULHER PINTADA
FRANÇOISE SAGAN
RECORD
(1981)
R$ 11,00
+ frete grátis



AS RECEITAS FAVORITAS DOS CHEFS FAVORITOS
ERICK JAQUIN;CARLA PERNAMBUCO;EMMANUEL BASSOLEIL

R$ 15,00



OS LIVROS DA FUVEST
FERNANDO PESSOA E OUTROS
OBJETIVO
(2005)
R$ 4,00



ONDE ESTÃO AS FLORES?
ILKO MINEV
VIRGILIAE
(2018)
R$ 10,00



COMO TRATAR COLEÇÕES DE FOTOGRAFIAS
PATRÍCIA DE FILLIPI
IMPRENSA OFICIAL
(2000)
R$ 20,00



BIBLIOTECA DO ESCOTEIRO MIRIM Nº15
WALT DISNEY
CÍRCULO DO LIVRO
(1991)
R$ 5,00



HELENA
MACHADO DE ASSIS
ED. ÁTICA
(1974)
R$ 4,00





busca | avançada
47273 visitas/dia
1,3 milhão/mês