A figura do malandro | Blog do Carvalhal

busca | avançada
58950 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Como se prevenir dos golpes dos falsos agentes no mundo da música?
>>> Cia. Sansacroma estreia “Vala: Corpos Negros e Sobrevidas“ no Sesc Belenzinho
>>> ARNS | De ESPERANÇA em ESPERANÇA || MAS/SP
>>> IAE convida Geovanni Lima para conversar sobre bullying, performance e processos de criação
>>> UP CONTEMPORANEA e SP INSPIRA ARTE || Art Lab Gallery
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> O melhor da Deutsche Grammophon em 2021
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
Últimos Posts
>>> Brega Night Dance Club e o afrofuturismo amazônico
>>> Fazer o que?
>>> Olhar para longe
>>> Talvez assim
>>> Subversão da alma
>>> Bons e Maus
>>> Sempre há uma próxima vez
>>> Iguais sempre
>>> Entre outros
>>> Corpo e alma
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A redescoberta da(s) leitura(s)
>>> Café com crítica cultural
>>> Vagas Llosa no YouTube
>>> A Esfinge do Rock
>>> Publicidade e formação política
>>> A visão certa
>>> Questão de gosto ou de educação?
>>> Matar e morrer pra viver
>>> Sine Papa
>>> Palestra: Marco Antônio Villa
Mais Recentes
>>> Estudos de Psicologia - Volume 31 - nº 2 de Vários autores pela Puc (2014)
>>> 1000 Receitas de Cozinha Portuguesa de Vários autores pela Girassol (1989)
>>> Enciclopédia do Estudante - Ecologia - Ecossistemas e Desenvolvimento Sustentável de Vários autores pela Moderna (2008)
>>> Crianças com Distúrbios de Aprendizagem - Diagnóstico, Medicação, Educação de Lester Tarnopol pela Edart (1980)
>>> A Revolução dos Bichos 9ª edição. série paradidática globo de George Orwell pela Globo (1980)
>>> O Moderno Conto Brasileiro: Antologia Escolar de João Antônio (organização) pela Civilização Brasileira (1980)
>>> Casa de Pensão Série Bom Livro edição. didática de Aluísio Azevedo pela Ática
>>> O Guarani - Série Bom Livro de José de Alencar pela Ática (1971)
>>> Como Atua o Carma de Rudolf Steiner pela Antroposófica (1998)
>>> Louvores e Preces a Maria, Nossa Mãe de Moisés Viana pela Paulus (2005)
>>> O Outro Lado da Memória de Beatriz Cortes pela Novo Seculo (2014)
>>> Não Sou Este Tipo de Garota de Siobhan Vivian pela Novas Páginas (2011)
>>> Fonoaudiologia e Educação - Um encontro Histórico de Ana Paula Berberian pela Plexus (1995)
>>> Quando a Lua Surgir - Bianca Romances de Lori Handeland pela Nova Cultural (2006)
>>> Ansiedade - Como enfrentar o mal do século de Augusto Cury pela Saraiva (2013)
>>> Superdicas para um Trabalho de Conclusão de Curso Nota 10 de Rachel Polito pela Saraiva (2017)
>>> A Crise de 1929 ( Pocket ) de Bernard Gazier pela L&Pm Editores (2009)
>>> Tudo Depende de Como Você vê as Coisas de Norton Juster pela Companhia Das Letras (2007)
>>> São Bernardo 25ª edição. de Graciliano Ramos pela Record (1975)
>>> Princípios da Filosofia do Direito de Hegel pela Martins Fontes (1976)
>>> O Tronco do Ipê - Clássicos Brasileiros categoria estrela 1227 de José de Alencar (notas de M Cavalcanti Proença) pela Ouro
>>> Violência Contra a Mulher - Aspectos Gerais e Questões Práticas da Lei 11.340/2006 de Dominique de Paula Ribeiro pela Gazeta Jurídica (2013)
>>> A Sabedoria de Gandhi de Richard Attenborough pela Sextante (2008)
>>> Vida de Jesus - Origens do Cristianismo de Ernest Renan pela Martin Claret (2006)
>>> The Landmark Dictionary Para Estudantes Brasileiros de Inglês de Arnon Hollaender; Sidney Sanders pela Richmond (2009)
BLOGS >>> Posts

Domingo, 9/8/2015
A figura do malandro
Guilherme Carvalhal

+ de 2000 Acessos

O malandro é uma das mais corriqueiras alegorias referentes ao povo brasileiro. É a representação carnal do conceito de malandragem, um fruto das complexas redes de poder no Brasil, como a forte hierarquia e o afastamento dos indivíduos do poder público, gerando uma zona cinzenta entre o lícito e o ilícito. Mesmo estando nos limiares da marginalidade, é uma figura romântica e simpática.

Enquanto um conceito de entendimento sociológico e uma prática corriqueira no dia a dia, alterada conforme as novas necessidades dos tempos (usar o wi-fi do vizinho sem sua autorização não seria uma malandragem pós-moderna?), a malandragem foi tema de obras artísticas e de grande mídia, cada uma dando sua contribuição na interpretação e na formação do conceito dessa figura.

Apesar da malandragem ser um conceito que ocorra dentro de todo território brasileiro, sua presença é mais referenciada ao Rio de Janeiro e, em alguma escala, à Bahia. Na Bahia, Jorge Amado foi um dos principais a colocá-los como personagens de suas obras, sendo o caso mais conhecido o do Vadinho, de Dona Flor e Seus Dois Maridos, homem que não gostava de trabalho e levava a vida entre golpes e ludibrio. Fora desse eixo, dentro da literatura e do folclore há inúmeras outras abordagens, como João Grilo e Pedro Malasartes.

No Rio de Janeiro é que achamos a principal fonte de referências ao malandro, até mesmo pela sua imagem clássica refletir a essa cidade na primeira metade do século XX, através da figura de terno e chapéu-panamá envolvida com samba e capoeira. Uma obra que aborda essa imagem é A Ópera do Malandro, peça teatral de Chico Buarque transformada em filme por Ruy Guerra.

Essa história é interessante enquanto retrato histórico, por mostrar uma ampla realidade carioca na década de 1940 e a vida do malandro: jogo de sinuca, capoeira, bebida, golpes, teatro de revista. O problema dessa narrativa é sua necessidade de se colocar como expressão histórica, o que torna a história menos um desenrolar natural de fatos e mais uma colagem de momentos diversos, precisando encaixar um pouco de tudo para recriar a atmosfera da época.

No Brasil para exportação existe a clássica figura do Zé Carioca, criação de Walt Disney que mostrava o Rio de Janeiro ao Pato Donald. Nos tempos de sua criação ele era apresentado de terno e chapéu-panamá, além do guarda-chuva e o charuto na boca (em tempos em que se podia colocar fumo em uma publicação destinada a crianças). Com a modernidade ele mudou de visual, passou a usar boné e roupa esportiva, além de deixar o barraco na favela e ir morar em uma casa melhor estruturada.

A figura do Zé Carioca nasce de um período de trocas culturais entre Brasil e Estados Unidos. Nele é referido não apenas o esteriótipo do malandro, mas muitos dos lugares comuns do brasileiro estão presentes ali, como o gosto por futebol, por feijoada, as dificuldades financeiras. Sua figura soa não como um personagem feito pela Disney para homenagear o Brasil, mas para estereotipar o Brasil para o restante do mundo.

A música foi um extenso espaço para se referenciar a malandragem, principalmente o samba. De Conversa de Botequim, composta por Noel Rosa em 1935, até o disco Os 3 Malandros in Concert, gravado por Moreira da Silva, Bezerra da Silva e Dicró em 1995 em sátira aos Três Tenores (Placido Domingo, José Carreras, Luciano Pavarotti ), esse tema sempre foi explorado pelas composições. Jorge Aragão, João Nogueira e muitos outros fizeram do malandro inspiração para músicas.

Um dos principais artistas a retratar o malandro foi o ator e diretor Hugo Carvana. Em filmes como Vai trabalhar, vagabundo e Se segura, malandro, ele captou não uma figura pronta do imaginário, mas a ideia da malandragem. Tanto que esses filmes foram realizados na década de 1970, já sem a moda dos ternos e dos chapéus.

O universo criado por Carvana é mais moderno, sem saudosismos ou romantismos. O que ele apresenta é uma comédia com muito escracho envolvendo personagens que são avessos ao trabalho e levam a vida na conversa mole. Vai trabalhar, vagabundo começa apresentando essa relação entre lícito e ilícito, quando o personagem principal sai da cadeia.

Uma obra recente de Carvana, Casa da Mãe Joana, trouxe uma perspectiva diferente dessa figura, que é o malandro já com mais idade. É a filha fruta de um relacionamento casual que aparece, o amante profissional de meia idade, o jornalista intelectual bêbado e suas imagens de mulheres do passado. Uma das melhores comédias brasileiras dos últimos tempos.

Assim como o malandro faz parte do ideário nacional, sua presença se deu na literatura, na música, no teatro e no cinema. Do visual clássico que se estampou na memória coletiva até a aplicação do conceito de malandragem em histórias modernas, ele participou ao longo dos anos das narrativas da nação. Sua visão se transformou ao longo dos anos, sempre expressando um conjunto de valores frutos da complexidade da sociedade brasileira.


Postado por Guilherme Carvalhal
Em 9/8/2015 às 13h56


Mais Blog do Carvalhal
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Comunicación de Masas e Imperialismo Yanqui
Herbert I. Schiller
Gustavo Gili
(1976)



Amor Numa Rua Escura
Irwin Shaw
Nova Cultural
(1988)



Geração Alpha - Matemática - 8º Ano
Carlos N. C. de Oliveira; Felipe Fugita
Sm Didáticos
(2017)



O Mundo Vai Acabar Em 2012?
Raymond C. Hundley
Thomas Nelson Brasil
(2010)



O eu dividido: estudo existêncial da sanidade e da loucura
R. D. Laing
Vozes
(1987)



Curso de Direito Comercial - Direito de Empresa 3
Fábio Ulhoa Coelho
Saraiva
(2013)



Chico Bento Moço- O Manto Misterioso
Mauricio de Sousa
Panini Comics
(2015)



Globalização, Justiça & Segurança Humana - Capacitação para a compreensão dos grandes desafios do
Robério Nunes Dos Anjos Filho (Org.)
Esmpu - série pós-graduação
(2011)



Cebolinha - Pense Em uma Coisa Bem Boa - Nº 95
Mauricio de Sousa
Panini Comics



Meu Filho é uma Bagunça
Martin L. Kutschere
Harper Collins
(2014)





busca | avançada
58950 visitas/dia
1,9 milhão/mês