RAVELSTEIN. | Blog de Vinicius Ferreira de Oliveira

busca | avançada
70483 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Primeira edição do ZporZ Fest Verão acontece em janeiro
>>> Sesc Cultura ConVIDA! apresenta mostras temáticas
>>> Oficina de Objetos de Cena nas redes do Sesc 24 de Maio
>>> Lançamento: livro “A Cultura nos Livros Didáticos”, de Lara Marin
>>> Exposição coletiva 'Encorpadas - Grandes, largos, políticos: corpos gordos'
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
>>> A Velhice
>>> Casa, poemas de Mário Alex Rosa
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
Últimos Posts
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
>>> Clownstico de Antonio Ginco no YouTube
>>> A Ceia de Natal de Os Doidivanas
>>> Drag Queen Natasha Sahar interpreta Albertina
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Eu acho que alguém aqui pirou
>>> Ideologias em forma de spam
>>> Neste Natal etc. e tal
>>> Lula, o filme
>>> Mauro Henrique
>>> Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo!
>>> Ele, Francis
>>> A crítica e o custo Brasil
>>> Manual prático do ódio
>>> Greatest hits em forma de coluna
Mais Recentes
>>> Geografia 8º Ano – Volume 3 – Coleção Perspectiva de Cláudia Magalhães, Lilian Sourient, Marcos Gonçalves e Roseni Rudek pela Do Brasil (2010)
>>> Coleção Sinopses Para Concursos Vol. 1 - Direito Penal - Parte Geral de Alexandre Salim e Marcelo André de Azevedo pela Juspodivm (2017)
>>> Rio de Janeiro - Histórias Concisas de uma Cidade de 450 Anos de Vários Autores pela Prefeitura do Rio de janeiro (2015)
>>> Elite da Tropa de Luiz Eduardo - Soares Andre Batista - Rodrigo Pimentel pela Objetiva (2006)
>>> Geografia Nos Dias de Hoje 7º Ano de Cláudio Giardino, Ligia Ortega & Rosaly Braga Chianca pela Leya (2012)
>>> Geografia 7º Ano – Projeto Athos de Sonia Castellar & Ana Paula Seferian pela Ftd (2014)
>>> Geografia 7º Ano – Roteiros de Aprendizagem - Projeto Athos de Sonia Castellar & Ana Paula Seferian pela Ftd (2014)
>>> História 7º Ano – Projeto Athos de Joelza Esther pela Ftd (2014)
>>> História 7º Ano – Roteiros de Aprendizagem - Projeto Athos de Joelza Esther pela Ftd (2014)
>>> Filhos talentosos lideres grandiosos de Pat Williams pela Landscape (2006)
>>> O Caso dos Dez Negrinhos de Agatha Christie pela Círculo do Livro (1975)
>>> Morte Em Veneza - Tonio Kröger de Thomas Mann pela Círculo do Livro
>>> Perversas - Pretty Little Liars de Sara Shepard pela Rocco (2009)
>>> Fricções - Traço, Olho e Letra de Vera Casa Nova pela Ufmg (2008)
>>> The Phantom of the Opera - Audio Cd Included de Gaston Leroux pela Macmillan Readers (2005)
>>> Redenção de Karen Kingsbury; pela Portico (2015)
>>> De Repente, Nas Profundezas do Bosque de Amós Oz pela Companhia das Letras (2013)
>>> Guia de Alimentos da Dieta de South Beach de Arthur Agatston M. D. pela Sextante (2003)
>>> Só o Amor é Real - uma História de Almas Gêmeas Que Voltam a Se Unir de Brian L. Weiss pela Salamandra (1996)
>>> O Vento de Oalab de João Luiz Guimarães pela Sm (2016)
>>> A Criatura - Série Barco a Vapor de Laura Bergallo pela Sm (2005)
>>> Frankenstein - Audio Cd Included de Mary Shelley pela Sm (2005)
>>> Stanley Kubrick de Museu da Imagem e do Som pela Museu da Imagem e do Som (2014)
>>> Casa de Máscaras de Péricles Prade pela Iluminuras (2013)
>>> Irmãos Unidos de Francisco Cândido Xavier - Autores Diversos pela Geem (1988)
>>> Affermazioni de Stuart Wilde pela Macro Edizioni (2005)
>>> O Desafio da Guerra - Dois Séculos de Guerra - 1740-1974 de Gaston Bouthoul e René Carrère pela Biblioteca do Exército (1978)
>>> Um Oceano nos Separa de Robin Pilcher pela Bertrand Brasil (2021)
>>> Constituições Brasileiras Volume I 1824 de Octaciano Nogueira pela Senado Federal (2004)
>>> A Menina Que Roubava Livros de Markus Zusak pela Intrínseca (2010)
>>> A Lebre com Olhos de Âmbar de Edmund de Waal pela Intrinseca (2011)
>>> Entre Abrir e Fechar a Boca de Máximo Ravenna pela Guarda-chuva (2012)
>>> O Filho Eterno de Cristovão Tezza pela Record (2007)
>>> Serafina e a Capa Preta - Volume 1 de Robert Beatty pela Valentina (2018)
>>> Kadish por uma Criança Não Nascida de Imre Kertsz pela Imago (2002)
>>> Quarto de Emma Donoghue pela Verus (2016)
>>> Dom Casmurro de Machado de Assis pela Record (2006)
>>> The Unbearable Lightness of Being de Milan Kundera pela Harper Perennial (2005)
>>> A Construção da verdade autoritária de Maria das Graças Andrade Ataíde de Almeida pela Usp (2021)
>>> Legislação Trabalhista e Rotinas Trabalhistas EAN: 9788582129739 de Silvano Alves alcantra pela Intersaberes (2014)
>>> Constituições Brasileiras Volume VII 1988 de Caio Tácito pela Senado Federal (2002)
>>> Elixir de Hilary Duff pela Id (2011)
>>> Língua Portuguesa 7º Ano – Projeto Athos de Maria Tereza Arruda Campos, Salete Toledo, Lucas Sanches Oda & Daniela Utescher pela Ftd (2014)
>>> Sabor de Pecado e Outras Essências de Ademar Inácio da Silva pela Assis (2012)
>>> Língua Portuguesa 7º Ano – Roteiros de Aprendizagem - Projeto Athos de Maria Tereza Arruda Campos, Salete Toledo, Lucas Sanches Oda & Daniela Utescher pela Ftd (2014)
>>> Ciências 7º Ano – Projeto Athos de José Trivellato, Silvia Trivellato, Marcelo Motokane, Júlio Foschini Lisboa & Carlos Kantor pela Ftd (2014)
>>> Beber Jogar [email protected]#er de Andrew Gottlieb pela Planeta (2009)
>>> Ciências 7º Ano – Roteiros de Aprendizagem - Projeto Athos de José Trivellato, Silvia Trivellato, Marcelo Motokane, Júlio Foschini Lisboa & Carlos Kantor pela Ftd (2014)
>>> Já Podeis da Pátria Filhos de João Ubaldo Ribeiro pela Alfaguara (2009)
>>> Matemática 7º Ano – Projeto Athos de José Roberto Bonjorno, Paulo Câmara Sousa, Regina Bonjorno & Tânia Gusmão pela Ftd (2014)
BLOGS >>> Posts

Sexta-feira, 6/11/2015
RAVELSTEIN.
Vinícius Ferreira de Oliveira

+ de 1000 Acessos

Ao cabo da leitura de "Ravelstein", última novela de Saul Bellow, relançada recentemente pela Cia. das Letras em uma coletânea, não há como não terminar por admirar a figura do protagonista, na verdade o Professor de Filosofia Política Alam Bloom, que fez sucesso mundial no final dos anos 1980 com o lançamento de "The Closing of American Mind", uma crítica à cultura contemporânea (pop e universitária) por terem se distanciado dos valores clássicos, ou qualquer coisa neste gênero.

Ravesltein, ou Alam Bloom, foi tido um ícone do pensamento conservador americano, tendo sido aluno de Leo Strauss (Devarr no romance, tão mencionado) muito lembrado nos anos Bush como mentor de seus malvados assessores neocons. Quando se imagina um pensador conservador pensa-se logo em um pater famíliae sisudo e religioso, católico, judeu ou protestante. Mas Ravelstein não era casado e não tinha filhos. Era um dandy gay, uma homossexual wildiano. E mais, judeu cultural e de nascença, era ateu e materialista. Materialista ideologicamente e no sentido do apego a bens materiais: ternos de luxo, pratarias, cristais, hospedagens em suítes presidenciais, BMW sofisticados que comprava para o seu bofe nipônico, Nikki, que o acompanhou em seus últimos dias. Mas era um homossexual que mantinha as aparências: "Ele não tolerava as afetações de homens efeminados", e escondia sua moléstiaincurável.

Irreligioso embora, Ravelstein cultivava os valores judaico-cristãos, a cujo conjunto ele dava o nome "Jerusalém." Junto com eles os valores Greco-romanos, "Atenas." Era um combatente do niilismo.

Os luxos, Ravelstein pôde gozar mais no fim da vida, após ter sido convencido por Bellow, Chic no romance, a expor suas idéias para o grande público. O livro virou best seller e Ravelstein um milionário. Antes, porém, Ravelstein já era um professor celebridade dentro do seleto círculo dos acadêmicos nos EUA (e só dentro dele) como professor na Universidade de Chicago. Era professor cultuado:

"O jovem Philip era um dos garotos que Ravelstein havia educado ao longo de um período de trinta anos. Os pupilos dele tinham se tornado historiadores, jornalistas, experts, funcionário públicos, integrantes de think tanks. Ravelstein tinha produzido (doutrinado) três ou quatro gerações de formandos. Mais importante, os alunos eram loucos por ele."

Os alunos adotavam as idéias de Ravelstein quase inteiramente como suas. E mais: imitavam seu modo de vestir, passavam a ouvir a música de que Ravelstein gostava, e a fumar os seus cigarros prediletos. Tinham a ligação parecida que Sócrates ou Platão tinha com seus alunos, que perduravam décadas. A mesma ligação que no Brasil um Olavo de Carvalho tem com seus olavetes mais intelectualizados. A diferença é que a ligação era ainda mais profunda: Ravelstein dava conselhos e mesmo interferia na vida pessoal dos alunos, inclusive arranjando casamentos. Era um tipo de professor magnetizante tão raro de encontrar nas universidades. Uma vez que alcançassem altos cargos públicos ou postos de poder, ex-alunos vinham se aconselhar com o velho professor e mesmo lhe contar fofocas dos bastidores do poder, coisa que Bloom adorava.

As idéias de Bloom não são muito exploradas no romance. O que interessa é o homem. Ficamos sabendo que ele é um platonista e um roussoniano. Tem sobre a "metafísica do amor" uma concepção muito peculiar: o mito andrógino, explorado por Julius Evola: no início os seres humanos eram andróginos, separados homem e mulher, os seres humanos se apaixonam em busca de complementar seu ser com a metade sexual faltante. Não sei como a homossexualidade entra nessa história.

Bloom atraiu a ira do mainstream acadêmico contra si. Era odiado por sua própria classe. Deve ter sido ainda mais odiado após se tornar um ricaço. Após o boom de seu livro "(...) todos os tolos se uniram contra ele (como Swift ou Pope disse muito tempo atrás). Se tivessem o poder do FBI, os professores teriam colocado Ravelstein nos cartazes de "mais procurados" como os que se vê nos prédios públicos." O tipo de coisa que no Brasil aconteceu com Olavo de Carvalho nos anos 1990 com o lançamento de "O Imbecil Coletivo". O estilo de atuação de Bloom na área cultural segue o padrão de um Paul Johson ou Roger Scruton na Inglaterra. É o reaça com poderosa erudição, valores clássicos, e grande munição retórica que vem atrapalhar a festa do mainstream intelectual universitário cheio dos seus niilismos, relativismos marxismos, desconstrucionismos e do políticamente correto. Fazem enorme sucesso, falam às massas middlebrow e atraem a ira dos figurões da universidade. O tipo de livro que Ravelstein escreve também, de certo, é repleto de erros filológicos, de tradução, de detalhe edrudito. Aí vem os eruditos especialistas atacarem: "As Universidades encontraram erros, algumas delas no grego dele."

Mas é a atitude de Bloom perante a vida é que é explorada no romance e cativa particularmente. Era fumante compulsivo e pensava que a preocupação com a saúde era coisa de burgueses, esses maricas, avessos a uma vida aventureira ou heróica. De fato, a saúde pouco lhe importava: morreu de AIDS e continuou fumando até o fim. Em suas palestras, fumava mesmo com um cartaz de proibição bem atrás de sua cabeça, iniciando sua fala assim: "Aqueles que se incomodarem por odiar mais o tabaco do que apreciam as idéias não terão a sua ausência notada."

No romance, Ravelstein, que amava com a mesma intensidade Platão, luxo mundano e perversões carnais, vai morrendo aos poucos, de complicações da AIDS. O livro todo fala de velhos intelectuais se preparando para morrer. O próprio narrador, Bellow aos 80 e tantos, é um velho intelectual se preparando para morrer. Se pensamos que estão aturdidos, estamos enganados. Se pensamos que estão preocupados com o grande mistério que vão enfrentar, também. Se pensamos que estão angustiados, pensando na noite escura, no juízo final, etc., mais ainda. Moribundo, Ravelstein sente seu apetite sexual aumentar. Tesão de moribundo, algo que eu desconhecia. Um professor transplantado (que conhecemos numa bela narrativa assessória) com o coração de um jovem motoqueiro, sente que incorporou a audácia juvenil do doador e só fala de mulher. O próprio Bloom, ou Chic, no último capítulo relata sua passagem por uma UTI e perguntado sobre o que pensa sobre a morte, diz que nela, simplesmente, as imagens desaparecem. Bellow, à época da convalescença final de Ravelstein, se apaixona por uma aluna dele e se casa novamente. Com mais de 80 anos. São velhos bon vivant e se recusam a morrer. Um outro casal de intelectuais senil vem contar a Ravelstein que pretendem se matar devido às limitações da senectitude. Ravelstein os dissuade. Segundo ele, o problema dos velhos é solidão e natureza, ou seja: o fato de terem buscado um asilo tranqüilo no fim da vida numa fazenda, era a origem da depressão do casal. O que precisavam era de um pouco de convivência social e da agitação do mundo.

É um livro sobre intelectuais. Principalmente velhos. Há na novela alguns tipos sombrios, como um romeno especialista em mitos que teria sido um nazista, e ainda o seria enrustidamente. Há também a última esposa de Bellow, muito mais jovem, Vela, uma física especialista em teoria do caos, autoritária, adúltera, insensível e desprezadora da literatura e do trabalho do marido.

Ravelstein é um homem bastante ativo (e fumante) até o fim. A doença fatal faz com que abandone o trabalho. Mesmo no fim a dar festas em sua casa nos dias de jogos do Chicago Bull. É de sua natureza. Ele é o antípoda do intelectual melancólico que só acusa a vida, a existência:

"Não havia nada na vida de Ravelstein que seguisse a média. Ele não aceitava o tédio e a chatice. Também não tolerava a depressão. Ele não aturava baixo-astral. Quando tinha problemas eram físicos."

O niilismo para ele era o grande mal do tal mundo moderno. Acreditava em valores absolutos e no sentido da vida.

Em suma, era um tipo fascinante. Um professor que gostaríamos de ter tido. Bellow encontrou motivação para viver mais uns anos dentre outros motivos para poder escrever sobre a criatura nesta biografia romanceada dos últimos dias de Alam Bloom.

Últimas palavras da novela: "Você não entrega facilmente para a morte uma criatura com Ravelstein."


Postado por Vinícius Ferreira de Oliveira
Em 6/11/2015 às 20h02


Mais Blog de Vinícius Ferreira de Oliveira
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Spencerville
Nelson Demille
Objetiva
(1995)
R$ 10,00



O Céu está Caindo
Sidney Sheldon
Record
(2000)
R$ 10,00



Rá, Ré, Ri, Ró... Ria! Novas Piadas para Crianças
Paulo Tadeu
Matrix
(2009)
R$ 10,00



Olho por Olho
Jenny Han e Siobhan Vivian
Novo Conceito
(2013)
R$ 10,00



Jogos fatais
Cole Perriman
Scritta
(1995)
R$ 10,00



Alguns Conhecimentos Sobre Alimentação
Juliana Rosalen (org)
Iepé
(2013)
R$ 10,00



Lazarillo de Tormes (Literatura Espanhola)
Autor Anônimo do século XVI
Ediouro
R$ 10,00



Os Sonhadores Competentes
Vítor Hugo De Carvalho
Iglu
(1996)
R$ 10,00



O Que Você Deve Saber Sobre Aids e Outras Doenças Sexualmente Transmis
Wellington Caldeira Gomes
Cosmo
(1987)
R$ 10,00



Xerazade
Hélio Pólvora
José Olympio
(1989)
R$ 10,00





busca | avançada
70483 visitas/dia
2,4 milhões/mês