René Magritte | Nemo Nox | Digestivo Cultural

busca | avançada
92061 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
>>> Irene Ravache & Alma Despejada na programação online do Instituto Usiminas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Zastrozzi
>>> Direita, Esquerda ― Volver!
>>> Como os jornais vão se salvar
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Concisão e sensibilidade
>>> Blog do Reinaldo Azevedo
>>> Alerta aos que vão chegar
>>> Cultura e Patrocínio
>>> Deus, um delírio, de Richard Dawkins
>>> O delfim, de José Cardoso Pires
Mais Recentes
>>> O dia em que o Presidente Desapareceu de Bill Cliton e James Patterson pela Record (2018)
>>> O dia em que o Presidente Desapareceu de Bill Cliton e James Patterson pela Record (2018)
>>> A Canção do Sangue de Anthony Ryan pela Leya (2014)
>>> Memórias de um Suicida (Obra Mediúnica) de Yvonne do Amaral Pereira pela Federação Espírita Brasileira (2003)
>>> Mundo Como Vontade e Como Representação - I Tomo de Arthur Schopenhauer pela Unesp (2005)
>>> As 100 Melhores Histórias Eróticas da Literatura Universal de Flávio Moreira da Costa pela Ediouro (2020)
>>> As 100 Melhores Histórias Eróticas da Literatura Universal de Flávio Moreira da Costa pela Ediouro (2020)
>>> Mahatma Gandhi - Politik und Gewaltlosigkeit de Otto Wolff pela Musterschimidt-Verlag (1963)
>>> Marionetes Populares de Yvonne Jean pela Din (1955)
>>> As Bacanas = Plauto de Newton Belleza pela Emebê (1977)
>>> Trinta Toques de Rogério Viana pela Engenho da Letra (1999)
>>> O Teatro de Cervantes de José Carlos Lisboa pela Os Cadernos de Cultura (1952)
>>> O Teatro de Oraci Gemba de José Plínio pela Do autor (1994)
>>> Teatro Moderno = O Anúncio feito a Maria de Paul Claudel pela Agir (1968)
>>> O Palco dos Outros de Sérgio Brito pela Rocco (1993)
>>> Importe-se o Bastante para Confrontar de David Augsburger pela Cristã Unida (1996)
>>> Mais de Nogueira Salton pela Do autor (2009)
>>> Minha Mente, Meu Mundo de Walter Barcelos pela Didier (2001)
>>> Marketing Pessoal do Personal Trainer. Estratégias Práticas Para o Sucesso - 5D de Cauê Vazquez la Scala Teixeira pela Phorte (2013)
>>> Fortaleza digital - 5D de Dan Brown pela Arqueiro (2015)
>>> Arquivologia e Ciência da Informação - 5D de Maria Odila Kahl Fonseca pela Fgv (2008)
>>> Aristofanes Las Nubes Lisistrata Dinero de Elsa García Novo pela Alianza Editorial (1987)
>>> Fisiologia do exercício - 8C de Marília dos Santos Andrade pela Manole (2016)
>>> Musculação Funcional. Ampliando os Limites da Prescrição Tradicional - 8C de Cauê Vazquez la Scala Teixeira pela Phorte (2016)
>>> Personal Trainer. Uma Abordagem Prática do Treinamento Personalizado - 8C de Fabiano Pinheiro Peres pela Phorte (2013)
>>> Temas Fundamentais De Criminalistica - 3D de Jose Lopez Zarzuela pela Sagra luzzatto (1995)
>>> As sete leis espirituais do sucesso - 3D de Deepak Chopra pela Best Seller (2009)
>>> A Escolha - 3D de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2015)
>>> Ser Elegante É… - 3D de Candace Simpson-Giles pela Sextante (2014)
>>> Seu Sexto Sentido. Ativando Seu - 3D de Belleruth Naparstek pela Rocco (1999)
>>> História geral das Civilizações Volume 1 - O oriente e a Grécia Antiga de Maurice Crouzet pela Bertrand Brasil (1993)
>>> O Diário de Anne Frank de Ane Frank pela Pé da Letra (2019)
>>> A sombra do poder: Martinho de Melo e Castro e a administração da Capitania De Minas Gerais (1770-1795) de Virgínia Maria Trindade Valadares pela Hucitec
>>> A Revolta da Vacina de Sevcenko, Nicolau pela UNESP
>>> A quebra da mola real das sociedades: A crise política do antigo regime Português na província do Grão-Pará (1821-1825) de André Roberto Arruda Machado pela Hucitec
>>> A paz das senzalas: Famílias Escravas e Tráfico Atlântico C.1790- C.1850 de Florentino, Manolo pela UNESP
>>> A outra Independência: O Federalismo Pernambucano de 1817 a 1824 de Mello, Evaldo Cabral de pela 34
>>> A História do Brazil de Frei Vicente do Salvador. História e Política no Império Português do Século XVII de Maria Lêda Oliveira pela Versal
>>> A experiência do tempo: Conceitos e narrativas na formação nacional brasileira (1831-1845) de Araújo, Valdei Lopes de pela Hucitec
>>> A Educação Pela Noite de Antônio Candido pela Ouro sobre Azul
>>> A Diplomacia na Construção do Brasil. 1750-2016 de Rubens Ricupero pela Versal
>>> A Corte na Aldeia de Vários Autores pela Verbo
>>> A Companhia de Jesus na América por Seus Colégios e Fazendas de Márcia Amantino and Carlos Engemann pela Garamond Universitaria
>>> A carne e o sangue: A Imperatriz D. Leopoldina, D. Pedro I e Domitila, a Marquesa de Santos de Priore, Mary de pela Rocco
>>> 1889: Como um imperador cansado, um marechal vaidoso e um professor injustiçado contribuíram para o fim da Monarquia e a de Laurentino Gomes pela Globo Livros
>>> 1822: Como um homem sábio, uma princesa triste e um escocês louco por dinheiro ajudaram dom Pedro a criar o Brasil - um de Laurentino Gomes pela Globo Livros
>>> 1808: Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a História de Portugal de Laurentino Gomes pela Globo Livros
>>> 130 Anos: Em Busca Da República de Lessa, Renato; Wehling, Arno; Franco, Gustavo; Tavares Guerreiro, José Alexa pela Editora Intrínseca
>>> Arte de Gramática da Língua Mais Usada na Costa do Brasil de José de Anchieta pela EdUFBA (2014)
>>> Inglorious Revolution de William R. Summerhill pela Yale University Press (2015)
COLUNAS

Quarta-feira, 7/5/2003
René Magritte
Nemo Nox

+ de 14100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

René Magritte nasceu em 21 de novembro de 1898, em Lessines, na Bélgica. Este texto começa propositalmente com dados biográficos, já que Magritte os odiava, e irritar um artista já falecido é uma atitude que ele certamente aprovaria do alto de seu pedestal surrealista. "Detesto meu passado, assim como o de qualquer pessoa. Detesto a resignação, a paciência, o heroísmo profissional e os belos sentimentos obrigatórios. Também detesto as artes decorativas, o folclore, a publicidade, vozes anunciando algo, a aerodinâmica, os escoteiros, o cheiro de naftalina, fatos do dia, e gente bêbada." Tomemos, pois, mais um gole de uísque e continuemos com os dados biográficos.

Magritte pouco se lembrava da própria infância, e suas memórias ficariam melhor num de seus quadros que numa autobiografia, já que se referem a fantasias de padre, a misteriosos baús e a eventos estranhos como um par de balonistas com roupas de couro que ficaram presos ao teto de sua casa, com o respectivo balão murcho e inútil. Junto a este enevoado de lembranças, aparece a morte da mãe de Magritte, afogada em 1912. O pai mudou-se então, com René e seus dois irmãos, para Charleroi, onde o artista conheceria sua futura esposa e modelo de muitas telas, Georgette Berger.

Em 1916, Magritte foi para Bruxelas, com autorização do pai, para estudar na Académie des Beaux-Arts, e dois anos depois o resto da família se juntou a ele. São desta época seus primeiros quadros expostos, influenciados pelo cubismo e pelo futurismo. Mas o ponto de partida "oficial" de sua carreira, apontado tanto por críticos como pelo próprio artista, é o quadro O Jóquei Perdido. Nele já podemos ver inúmeras marcas registradas de Magritte, da tela como espaço teatral (marcado pela cortina) à combinação inusitada de componentes. Os pilares que aparecem no quadro tornar-se-ão um dos elementos recorrentes na obra de Magritte (assim como as esferas bipartidas e os papéis recortados) e foram batizados por Max Ernst, outro surrealista, de "phallustrades", mistura de autoestrada, balaustrada e uma certa quantidade de phallus.

Seria possível construir uma magrittografia unicamente com base nas recorrências de sua obra. Através dos anos, Magritte reutilizou, por exemplo, inúmeros títulos para rotular quadros completamente diferentes. Uma zombaria a quem ousou atribuir simbolismos legítimos ou escusos ao seu trabalho? Ou indicação de um possível intercâmbio de significados? Alguns elementos gráficos também foram teimosamente reutilizados, mas sempre em situações ao menos ligeiramente diferentes, numa exploração cuidadosa de seu elenco de "personagens", fossem eles chapéus, pedras ou cachimbos.

Mas o que são na verdade todos esses objetos?, parece perguntar a obra de Magritte. Uma aparência enganosa, já que sua obra não contém objetos, mas somente representações pictóricas de objetos. "Isto não é um cachimbo" ("Ceci n'est pas une pipe"), provoca a frase pintada por ele debaixo de um cachimbo, que não era mesmo um cachimbo mas somente a pintura de um cachimbo. E feita esta distinção, vemo-nos às voltas não mais com um cachimbo (que nem era mesmo um cachimbo mas somente a pintura de um cachimbo) mas com vários cachimbos, a saber: o cachimbo que não estava lá (mas que considerávamos como se estivesse antes de vermos a frase), a imagem pintada do cachimbo (consciente depois do raciocínio provocado pela frase), a idéia do cachimbo (acesa em nossa mente graças à provocação do artista), e a saudade do cachimbo (com tantos cachimbos falsos, afinal não tínhamos um verdadeiro).

E não foi só com cachimbos que Magritte armou essas divertidas confusões. Muitos de seus quadros exploraram o uso das palavras, fosse negando o que mostrava a imagem, fosse atribuindo-lhe um novo nome-significado. Assim, um relógio podia aparecer legendado como "o vento", enquanto um cavalo aparecia como "a porta". Segundo ele, "um objeto não está entranhado em seu nome de forma que não possamos encontrar um nome melhor para ele". Estas experiências bizarras com a linguagem traziam para a pintura aventuras que William James explorava na literatura ("a palavra cão não morde") e Wittgenstein na filosofia ("não podemos adivinhar a função de uma palavra sem examinar seu uso, e a dificuldade está em remover os preconceitos que bloqueiam este caminho").

Numa de suas viagens a Paris, Magritte conheceu André Breton e Paul Éluard, peças centrais da teoria surrealista. Influenciada inicialmente por Giorgio de Chirico, sua obra já podia ser facilmente considerada parte do movimento, e passou a ser convidado com freqüência para expôr com o grupo. Mais tarde, na década de quarenta, Magritte faria incursões pelo impressionismo e pelo fauvismo, mas voltaria logo ao seu figurativismo surrealista repleto de chapéus côco e maçãs voadoras. Mesmo em seus momentos mais decorativistas, a obra de Magritte possui aquela provocação sutil, aquele estranhamento formado com objetos do cotidiano, aquela centelha que faz sorrir e pensar. Surrealismo do melhor.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Nemo Nox é editor do blog Por um Punhado de Pixels e do site Burburinho, onde este texto foi originalmente publicado.


Nemo Nox
Washington, 7/5/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Discutir, debater, dialogar de Duanne Ribeiro
02. Negrinha e os donos do sentido de Gian Danton
03. Minha Estante de Juliano Maesano
04. Ai de ti, 1958 de Bruno Garschagen


Mais Nemo Nox
Mais Acessadas de Nemo Nox em 2003
01. The Matrix Reloaded - 20/5/2003
02. René Magritte - 7/5/2003
03. Jonny Quest - 15/1/2003
04. Jogos de escritores - 3/3/2003
05. Trilogia Evil Dead - 13/5/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
19/4/2005
21h45min
eu agradeco a voces por este texto, pois graças a ele eu consegui entregar o trabalho pra minha profesorra de artes (todas as outras paginas que achei estavam em ingles...)
[Leia outros Comentários de talita arnaut seixas]
24/3/2007
16h41min
Excelente texto. Magritte aí está bem representado.
[Leia outros Comentários de Pedro Ivo]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




AMOR É SO UMA PALAVRA
JOHANNES MARIO SIMMEL
CIRCULO DO LIVRO
(1963)
R$ 6,90



MANCHETE EDIÇÃO HISTÓRICA - A VERDADE DO PAPA
VARIOS AUTORES
BLOCH
(1997)
R$ 35,00



COZINHA DO MUNDO - FRANÇA
ABRIL COLEÇÕES
ABRIL
(2010)
R$ 20,93



A SOCIOLOGIA DE ANTHONY GIDDENS
JEAN NIZET
VOZES
(2016)
R$ 38,95



ENCICLOPÉDIA ILUSTRADA DE PESQUISA - CONHECER 2000 HISTORIA
ND
CIRCULO DO LIVRO
R$ 7,90



CONTABILIDADE COMERCIAL
SÉRGIO DE IUDÍCIBUS, JOSÉ CARLOS MARION
ATLAS
(2006)
R$ 20,00



DIÁRIO DE LISA GREEN
MILLA ROCHA
SCORTECCI
(2014)
R$ 32,00



AS VIAGENS DE MARCO POLO
MARCO POLO / ANA MARIA MACHADO (ADAPT.)
SCIPIONE
(1997)
R$ 10,00



CELEBRAR A VIDA CRISTÃ - 2º EDIÇÃO
FREI ALBERTO BECKHAUSER
VOZES
(1985)
R$ 5,36



PORCELAINES DE VINCENNES: LES ORIGINES DE SÈVRES
HENRY PIERRE FOUREST
EDIT DES MUSEES NAT NATIONAUX
(1977)
R$ 42,28





busca | avançada
92061 visitas/dia
2,2 milhões/mês